Tabela de Partição GUID - Uma Pequena Introdução

Em um futuro próximo, o BIOS (Basic Input/Output System) será substituído paulatinamente pelo UEFI (Unified
Extensible Firmware Interface). Este pequeno artigo visa, de maneira resumida, apresentar os primeiros
'impactos' aos usuários de GNU/Linux.

[ Hits: 23.706 ]

Por: Roger em 15/03/2012 | Blog: https://bit.ly/2tJIgP7


Introdução



É necessária, pelo menos, uma noção do exposto abaixo para a compreensão do tema.

- Definição de BIOS, encontrada na Wikipédia:

"BIOS, em computação Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída). O termo é incorretamente conhecido como Basic Integrated Operating System (Sistema Operacional Básico Integrado) ou Built In Operating System (Sistema Operacional Interno). O BIOS é um programa de computador pré-gravado em memória permanente (firmware) executado por um computador quando ligado. Ele é responsável pelo suporte básico de acesso ao hardware, bem como por iniciar a carga do sistema operacional."

Link para a página completa: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bios

- Definição de UEFI, encontrada na Wikipédia:

"EFI (Extended Firmware Interface) é uma interface criada pela Intel para substituir o velho BIOS. A EFI é uma especificação que define uma interface de software entre o sistema operacional e a plataforma de firmware. A EFI destina-se a ser um substituto significativamente melhorado para o velho BIOS firmware interface, historicamente usado por todos os computadores pessoais IBM PC compatíveis. A especificação EFI foi originalmente desenvolvida pela Intel, e é atualmente gerida pelo Unified EFI Forum que é oficialmente conhecido como Unified EFI (UEFI)."

Link para a página completa: http://pt.wikipedia.org/wiki/UEFI

- Definição de Tabela de Partição GUID, na Wikipédia:

"Em hardware a Tabela de Partição GUID (GPT) é um padrão para o layoute da tabela de partição em um disco rígido físico. Embora seja parte do padrão de Extensible Firmware Interface (EFI) (a proposta de substituição da Intel para a BIOS da IBM), ele pode ser usado em sistemas BIOS sistemas devido às limitações das tabelas de partição na Ficha de Boot Principal, que limitam o tamanho máximo do disco a 2 TiB. O Windows XP 32-bit (das versões do Windows XP, a mais utilizada) e versões anteriores do Windows não podem (sem Hacks) ler ou escrever em unidades formatadas com uma tabela de partição GUID, no entanto, Windows Vista e Windows 7 possuem esta capacidade."

Link para a página completa: http://pt.wikipedia.org/wiki/GUID_Partition_Table

De posse das noções acima expostas, podemos prosseguir...
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Tabelas de Particionamento
   3. Últimas Informações
Outros artigos deste autor

Gentoo e RAID configurado através do mdadm

Leitura recomendada

Rumo a um pinguim móvel

Instalar placas Intelbras PXE 445 e PSO 800 no CentOS 5.7

Configurando impressoras no programa do SERPRO / Emulador 3270

InputClass no X server aplicada as configs do synaptics (touchpad)

Conexão wireless ad-hoc no Ubuntu - relato de experiência

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 15/03/2012 - 18:11h

Excelente introdução brother!

EU vejo muita coisa falando sobre isso no fórum internacional do Arch Linux, mas até hoje não me interessei em saber o que significava, por isso gostei bastante de seu artigo, parabéns!

* falando do fórum, aqueles que se interessarem em acompanhar os posts de lá, adicionem endereço abaixo em seu leitor de notícias:

https://bbs.archlinux.org/extern.php?action=feed&type=atom

+favoritos.

[2] Comentário enviado por izaias em 15/03/2012 - 18:21h

Também já li sobre isso tempo atrás.
O artigo veio esclarecer muitas dúvidas.
Quem não leu, não diga que o assunto não foi abordado.

Aqui no VOL foi e de forma didática, até!

Bem explicado, detalhado e desenhado! Quer mais o quê?


Parabéns, Roger!

Grande contribuição.

[3] Comentário enviado por elgio em 15/03/2012 - 19:23h

"O jurássico LILO então, nem seria necessário mencionar, o faço por puro sarcasmo."

Muito boa esta tua frase!
hehehe

[4] Comentário enviado por levi linux em 15/03/2012 - 20:01h

Excelente artigo, bastante didático e bem escrito.

Também gostei do "O jurássico LILO então, nem seria necessário mencionar, o faço por puro sarcasmo".
Risos!

[5] Comentário enviado por julio_hoffimann em 15/03/2012 - 20:55h

Parabéns Roger, ótimo artigo!

Abraço!

[6] Comentário enviado por nicolo em 16/03/2012 - 12:17h

Bom artigo, tocou no assunto "on the fly".
Sugiro aos apressadinhos ler primeiro antes de fazer alterações.
O default de particionamento no Linux é tipo DOS e não BSD, logo
cuidado antes de usar o GTPfdisk..

[7] Comentário enviado por rootgerr em 17/03/2012 - 15:30h

@brother EDPS Valeu
@mano Izaias grato (ficou meio capão redondo isso aqui) kkkk aí mano certo?
@elgio obrigado
@levi valeu
@julio thanks
@bakunin realmente eles precisam ficar atentos, por isso, indiquei uma nova instalação

[8] Comentário enviado por ricardoolonca em 22/03/2012 - 17:33h

Quando fui configurar um storage com 24Tb foi necessário usar GPT.

Outra coisa que tive que fazer foi usar Btrfs, pois o Ext4 só suporta 16Tb.

[9] Comentário enviado por renato_pacheco em 22/03/2012 - 18:08h

Curti bagarai o artigo. Bem explicado! Já havia lido várias vezes sobre, mas não com tanta clareza.

[10] Comentário enviado por rootgerr em 24/03/2012 - 18:42h

@maionesebr até tentei um Btrfs aqui mas o sistema corrompeu rapidamente, embora tenha gostado.

@renato obrigado

[11] Comentário enviado por WhiteHawk em 25/03/2012 - 09:42h

Parabéns rootger!

Artigo abrangente, simples e didático. As referências e citações me foram muito úteis.

Abraço.

[12] Comentário enviado por rootgerr em 02/04/2012 - 22:24h

Grato

[13] Comentário enviado por removido em 17/05/2012 - 12:33h

rootgerr , um ótimo artigo. Muito esclarecedor, didático e de fácil entendimento.
E quanto ao lilo e ao grub legacy já bem sabia que não davam suporte a GPT. Portanto, nenhuma novidade relacionada a ambos quanto a isso.
Com o GPT, pelo menos algumas dores de cabeça de partição estendida são extintas.
Futuramente todos terão que usarem GPT mesmo, e com certeza muito antes que imaginemos.
Atenciosamente, Henrique1977.

[14] Comentário enviado por rootgerr em 17/05/2012 - 20:03h

Grato @Henrique

[15] Comentário enviado por Valt3r em 05/09/2012 - 00:12h

Quebrei muito a cabeça com um disco maior que 2tb formatado em GPT com sistema de arquivos NTFS, tentei acessá-lo com ubuntu x64 sem sucesso, após ler esse artigo descobri que o kernel não estava com o modulo "CONFIG_EFI_PARTITION" habilitado, enfim.... aprendi muito hoje, muito obrigado e espero que continue ajudando o pessoal, informação nunca é demais quando precisamos ^^.
Abraços.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts