Resumo do documentário Revolution OS

Quase trinta anos depois, o vitorioso modelo proprietário de Gates enfrenta novamente o modelo cooperativo, concretizado na filosofia do software livre. Se os dois modelos irão coexistir ou se algum deles prevalecerá é algo que o futuro irá dizer.

[ Hits: 116.177 ]

Por: Perfil removido em 10/01/2008


Conclusão



Com a idéia difundida, muitas empresas começaram a utilizar Gnu/Linux e Unix em seus servidores e desktops, fazendo com que o sistema operacional Gnu/Linux pudesse competir com o sistema mais utilizado, até então o Microsoft Windows. Sendo assim a batalha GNU/Linux vs Microsoft tem seu início.

Muitas brigas estariam por vir, acusações sobre patentes e coisas do tipo, neste documentário por exemplo temos uma briga clássica entre Netscape vs Microsoft.

Aí que entramos num assunto abordado pelo documentário também, como funcionam e quais são as principais licenças no mundo do software livre. Na hora de utilizar ou desenvolver um software livre, o principal cuidado a ser tomado pode parecer óbvio, mas é aqui que mora o grande perigo. Verificar com muita atenção todos os termos da licença é imprescindível para saber o que pode e o que não pode ser feito com um determinado software, independentemente se ele é livre ou proprietário.

A licença mais comum dos aplicativos open source é a GPL (General Public Licence). É sob a GPL, por exemplo, que o GNU/Linux está licenciado. Ela têm como principal característica a liberdade total de modificar, utilizar, copiar e distribuir o software. Mas mesmo com ela há algumas exigências e restrições que precisam ser seguidas, principalmente no caso de quem pretende modificar algum software.

Podemos citar também:

LGPL - Possui basicamente as mesmas características da licença GPL. Porém, se restringe a bibliotecas. Sua principal diferença é que os códigos que estão sob essa licença podem ser incorporados em um software proprietário.

BSD - Originária do Unix BSD, modificada pela remoção da cláusula de propaganda. É muito semelhante á LGPL, mas com a diferença de que não se restringe apenas às bibliotecas.

Agora que já conhecemos um pouco sobre a comunidade Open Source, cabe a você, meu amigo, escolher de que lado deseja estar, espero que não continue sendo apenas mais um macaquinho da M$ (Microsoft)...

Espero que se sinta motivado a abandonar tudo que já sabe sobre computadores (onde estão seus arquivos, como executar um programa, que aplicativo faz o quê, quais as teclas de atalho) e comece a aprender quase tudo de novo. Pois existe um Universo Hackeável esperando por você, onde você pode mudar o sistema e fazer com que as coisas funcionem melhor, libertando pessoas e mentes que neste exato momento estão sendo impedidas de ter acesso a informações, impedidas de pensar e solucionar problemas.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Desenvolvimento
   3. Conclusão
Outros artigos deste autor

Palavras, expressões e celebridades do mundo do software livre

A importância do modo texto

Novidades do Kernel 2.6.35

Rede mista wireless/cabo com Linux/Windows em residências e pequenas empresas

Kit de scripts para backup (Full + Diferencial + Samba + Rede)

Leitura recomendada

Gerenciando contas de usuários

Empacotamento e compactadores de arquivos

Monitorando a saúde do Apache (Prometheus + Grafana)

APLINUX Server

Instalando o OpenSuSE 11.2

  
Comentários
[1] Comentário enviado por kalib em 10/01/2008 - 11:09h

A idéia de fazer um resumo do livro é interessante para poder assim despertar o interesse dos leitores para o filme que por si só mostra toda essa questão de evolução do pensamento do Software Livre bem como de onde surgiu e pelo que se concretizou a idéia principal do movimento GNU...A leitura do resumo não exclui a opção de assistir o filme..pelo contrário... ;]

[2] Comentário enviado por tekmania em 10/01/2008 - 13:18h

?comentario=bem legal esse seu artigo

[3] Comentário enviado por fulllinux em 10/01/2008 - 13:31h

Meus gratos parabéns, o resumo está ótimo, mas não tome o que eu vou dizer como uma critica desconstrutiva e sim construtiva... Pois bem, nada tira a excelencia de seu artigo, mas acho que a conclusão esta um pouco agressiva, tendo em consideração que o intuito é atrair e não repelir novos adeptos.

Parabéns pelo artigo.

Abraço!

[4] Comentário enviado por Everson Pires em 10/01/2008 - 16:21h

Amigo,

como conseguir esse video/livro?

[5] Comentário enviado por nic em 11/01/2008 - 01:19h

Para quem tem cadastro no BJ-Share:
Procure por "Revolution OS" lá nos lançamentos.
Eu estou como SEED lá neste momento, mandando este filme.

Grannd-Abraçoo

[6] Comentário enviado por valterrezendeeng em 11/01/2008 - 08:25h

Bom pensamento, temos que difundir mesmo.

Viva a Liberdade !!!!
" VIVA O LINUX "


Abraços

[7] Comentário enviado por joaomc em 11/01/2008 - 08:54h

Também achei a conclusão agressiva.
Eu uso Linux há uns 10 anos, mas eu trabalho com Windows porque, bem, ultimamente as pessoas querem pagar um salário ridículo para eu trabalhar com Linux. Devem achar que, porque é de graça, eu tenho que fazer caridade também.
Portanto, não uso Windows por ser macaquinho da Microsoft, mas porque é o meu trabalho. Filosofia não rende dinheiro no fim do mês, amigo.

[8] Comentário enviado por izavos em 12/01/2008 - 04:22h

VIVA o WINDOWS !
E uma porcaria sim, mas da trabalho para os "USER" e grana para nós técnicos ! Rsrsrsrs.....
Mas vamos considerar, o computador e um "franckestain" Chines !
Braco e perna de um e cabeça de outro!
Drivers um pior do que o outro !
Junta tudo isso, e querem que a coisa funcione e tenha desempenho!
E mole ?
Ruindos esse nem se fala!!!
Mas gracas a esse mundo loco onde um país comunista "China" + um capitalista "Bill".
Temos o seguinte resultado hardware ruim sistema pior !
Se um dia a "China" invadir a mãe "Rússia" para expandir áreas de agricultura, ja sei para que lado vou ficar. O chines e claro, afinal nesse mundo um chines trabalha feito um escravo por um prato de comida e alojamento, e massivamente produz cada vez mais barato placa mãe entre outros.
E assim o desemprego vai se alastrando pelo mundo do "Vale dos Sinos, grande Porto alegre" até uma fabrica de carros nos "EUA".
Espero que apesar das brincadeiras os amigos tenham percebido que a coisa e mais complicada que usar ou não um sistema. Envolve questões politicas, sociais e ate militares.
E questão estratégica para um país.

[9] Comentário enviado por removido em 12/01/2008 - 13:53h

Obrigado por comentarem, valeu mesmo...

Aceito qualquer tipo de critica construtiva !!

Estou aqui para aprender como todos, até a proxima galera !!!

[10] Comentário enviado por removido em 12/01/2008 - 14:06h

Como conseguir o documentário ?

1 - Faça o download do azureus em www.azureus.org

2 - Faça o download do torrent Revolution OS www.mininova.org/get/408499

3 - Abra o azureus e adicione o torrent para baixar o documentário

boa sorte e bom filme :]

[11] Comentário enviado por removido em 12/01/2008 - 18:43h

Complementando, da pra ver o filme completo no video.google.com

http://video.google.com/videoplay?docid=7707585592627775409&q=Revolution+OS&total=250&start=0&num=10...

[12] Comentário enviado por removido em 13/01/2008 - 12:58h

mandou bem :D

[13] Comentário enviado por thiagopriest em 14/01/2008 - 01:11h

Excelente filme.
Para download é só pesquisar em www.torrentz.com

e abrir com algum gerenciador Torrent de seu gosto.

flw

[14] Comentário enviado por facb69 em 10/10/2008 - 14:43h

comentário atrasado mas... :o)
tenho o filme e achei muito bom.
gostei do artigo mas concordo que o final é agressivo com quem usa windows. acredito que a melhor maneira para se difundir uma idéia é a informação e comparação mas sem o menosprezo.
mesmo assim, parabéns.
abraço.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts