Recovery de um desastre total | utilizadores Bacula "backup"

Esse artigo demonstrará como realizar um recovery total do seu sistema, utilizando o Bacula como fonte de backup, quando um desastre qualquer ocorrer com seu computador/server/etc. Esse método manterá seus soft-links, permissões e todo o resto ativos também. É um tutorial feito para quem não consegue utilizar o restore da maneira indicada pelo próprio Bacula. O artigo também presume que você tem os conhecimentos básicos e necessários de como o Bacula funciona e que já possui um Bacula Server instalado, e com o seu backup já também, armazenado.

[ Hits: 9.364 ]

Por: caio em 24/08/2015


Montando seu HD no lugar correto | Iniciando o Bacula em modo "Live"



Trocaremos o local em que sua máquina "live" reconhece como root, não somente isso como também faremos com que todos os seus arquivos no momento da restauração continuem com os mesmo soft-links que anteriormente, para que você não tenha que configurar suas aplicações novamente.

Colocaremos ele (o root) na pasta principal do seu HD (aquele o qual instalamos o sistema operacional e realizaremos a restauração)

Crie uma pasta chamada "/mnt/disk":

# mkdir /mnt/disk

Você deve descobrir onde o seu "HD", no qual instalamos o sistema operacional, está montado.

Utilize o comando:

# fdisk -l

E encontre seu HD. Provavelmente estará como /dev/sdaX (X está para algum número).

Depois de descobrir, escreva o seguinte comando:

# mount /dev/sdaX /mnt/disk

O disco que deverá ser utilizado aqui deverá estar marcado com um "*".

Isso montará seu HD no local correto para que continuemos nosso tutorial.
Agora você deve digitar os seguintes comandos:

# cp /mnt/disk/etc/bacula/bacula-fd.conf /mnt/disk/tmp
# cp /mnt/disk/usr/sbin/bacula-fd /mnt/disk/tmp

Esses comandos copiarão os arquivos necessários para o funcionamento do bacula-client para pasta a tmp (esse é o motivo de termos instalado o Bacula client no nosso novo sistema).

Iniciando o bacula em modo live

Digite os seguintes comandos:

# chroot /mnt/disk # muda o root do live
# /tmp/bacula-fd -c /tmp/bacula-fd.conf
# mount -t proc proc /proc
# /etc/init.d/bacula-fd start # inicia a aplicação do Bacula fazendo com que ela seja reconhecida pelo live
# exit

Nesse momento utilize o comando "ps fax", encontre o PID do Bacula e dê um kill no mesmo:

# ps fax | grep bacula
# kill (pid do bacula)

E finalmente utilize o chroot:

# chroot /mnt/disk /tmp/bacula-fd -c /tmp/bacula-fd.conf # Inicia o aplicativo de maneira correta

Esses comandos inicializarão o seu Bacula client no live com as configurações que estavam no seu sistema, ao mesmo tempo que configurando o root do mesmo para que não tenhamos problema com soft-links e para que ele consiga se comunicar com o Bacula server.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Montando seu HD no lugar correto | Iniciando o Bacula em modo "Live"
   3. Restaurando os arquivos por meio do Bacula server
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Backups remotos com rSync e chaves SSH

Utilizando Ubuntu live-CD/USB para backup com PartImage

Como criar stage4 do seu Gentoo

Backup de máquinas virtuais no ESXi 5.0 com script ghettoVCB

Bacula Server 7.0.3 com PostgreSQL no Debian

  
Comentários
[1] Comentário enviado por wagnerfs em 26/08/2015 - 21:42h

Parabéns pelo artigo e por compartilhar o conhecimento.
_________________________
Wagner F. de Souza
Técnico/Instrutor de Informática
"GNU/Linux for human beings."
LPI ID: LPI000297782

[2] Comentário enviado por CaioSilva em 27/08/2015 - 09:17h


[1] Comentário enviado por K666 em 26/08/2015 - 21:42h

Parabéns pelo artigo e por compartilhar o conhecimento.
_________________________
Wagner F. de Souza
Técnico/Instrutor de Informática
"GNU/Linux for human beings."
LPI ID: LPI000297782


Obrigado pelos elogios. Esse é meu primeiro artigo, vou tentar cada vez melhorar mais!

[3] Comentário enviado por vauires em 11/09/2016 - 20:52h

Entre esse tutorial e reinstalar e configurar todo o sistema, prefiro a segunda opção...

[4] Comentário enviado por CaioSilva em 07/12/2016 - 16:07h


[3] Comentário enviado por vauires em 11/09/2016 - 20:52h

Entre esse tutorial e reinstalar e configurar todo o sistema, prefiro a segunda opção...


Por favor senhor vauires, qual o problema do tutorial?
Algum passo ficou desconexo ou sem entendimento?
Se for pela dificuldade concordo. É realmente muito trabalhoso e demorado para sua concretização, mas lembre-se, ele serve para EXTREMOS onde o usuário não lembra ou não pode perder os dados da sua máquina, como acontecem com muitos bancos de dados.

[5] Comentário enviado por Nilton123 em 24/07/2019 - 12:17h


[4] Comentário enviado por CaioSilva em 07/12/2016 - 16:07h


[3] Comentário enviado por vauires em 11/09/2016 - 20:52h

Entre esse tutorial e reinstalar e configurar todo o sistema, prefiro a segunda opção...


Por favor senhor vauires, qual o problema do tutorial?
Algum passo ficou desconexo ou sem entendimento?
Se for pela dificuldade concordo. É realmente muito trabalhoso e demorado para sua concretização, mas lembre-se, ele serve para EXTREMOS onde o usuário não lembra ou não pode perder os dados da sua máquina, como acontecem com muitos bancos de dados.


Esse daí nunca trabalhou com bancos de dados, aplicações complexas e customizadas, sistemas modificados para uso específico, dados sensíveis, etc.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts