Qual distribuição usar

Este artigo visa trazer ao leitor uma maneira mais correta de se escolher uma distribuição GNU/Linux. Há detalhes sobre as distribuições mais utilizadas atualmente e a sugestão de uma metodologia a se seguir para escolha de uma distribuição adequada às necessidades da aplicação.

[ Hits: 180.263 ]

Por: José Lopes em 19/06/2006 | Blog: https://lopes.id


Debian



3.1. História


O projeto Debian foi fundado em 1993 por Ian Murdock, então estudante universitário, que escreveu o Manifesto Debian, o qual apelava para a criação de uma distribuição GNU/Linux a ser mantida de uma maneira aberta, segundo o espírito do Linux e do GNU. O nome Debian vem dos nomes dos seus fundadores, Ian Murdock e de sua mulher, Debra. A palavra "Debian" é pronunciada em Português como Débian.

O Projeto Debian cresceu vagarosamente e lançou suas versões 0.9x em 1994 e 1995, quando o DPKG (Debian PacKaGe - gerenciador de pacotes do Debian) ganhou notoriedade. Os primeiros ports para outras arquiteturas iniciaram em 1995, e a primeira versão 1.x do Debian foi lançada em 1996.

Bruce Perens substituiu Ian Murdock como líder do projeto. Ele iniciou a criação de vários documentos importantes (o contrato social e o free software guidelines), bem como liderou o projeto através dos lançamentos das versões da ELF/libc5 (1.1, 1.2, 1.3).

Bruce Perens deixou o projeto em 1998, antes do lançamento da primeira versão Debian baseada em glibc, a 2.0. O Projeto continuou elegendo novos líderes e fazendo mais duas versões 2.x, cada qual incluindo mais ports e mais pacotes. O APT (Advanced Package Tool - Ferramenta Avançada de Pacotes) foi lançada durante este tempo e o projeto Debian GNU/Hurd também iniciou-se.

Perto do ano 2000, o projeto se direcionou ao uso de repositórios de pacotes e à distribuição testing, alcançando um marco maior no que se refere aos arquivos e o gerenciamento de lançamentos. Em 2001, os desenvolvedores iniciaram conferências anuais, Debconf, com conversas, workshops, e a recepção aos usuários técnicos. A versão 3.0 de 2002 incluiu mais do que o dobro do número de pacotes da versão anterior e estava disponível para cinco novas arquiteturas.

Texto retirado de [Debian-Wikipedia (2006)].

3.2. Detalhes


O ciclo de desenvolvimento das versões da Debian passa por três fases: Unstable - instável; Testing - teste; Stable - estável. Durante este processo, vários colaboradores espalhados pelo mundo inteiro vão incrementando a distribuição e corrigindo falhas. Não é um processo muito rápido, mas garante a qualidade do produto final.

Cada versão da Debian recebe um codinome baseado nos nomes dos personagens do filme Toy Story. Seguem as versões, codinomes e datas em que se tornaram stable:

3.1 - Sarge, 6 de junho de 2005.
3.0 - Woody, 19 de julho de 2002.
2.2 - Potato, 15 de agosto 2000.
2.1 - Slink, 9 de março de 1999.
2.0 - Hamm, 24 de julho 1998.
1.3 - Bo, 2 de junho de 1997.
1.2 - Rex, 1996.
1.1 - Buzz, 1996.

A versão unstable tem sempre o nome Sid (também um personagem do filme Toy Story).

Texto retirado de [Debian-Wikipedia (2006)]. Site oficial em [Debian (2006)].

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Distribuições
   3. Debian
   4. Red Hat
   5. Slackware
   6. Gentoo
   7. Um pouco sobre Live-CDs
   8. Opiniões do autor
   9. Estudo de caso
   10. Metodologia para escolha de distribuição GNU/Linux
   11. Conclusão
   12. Referências
Outros artigos deste autor

Usando temas aleatórios no GDM

Configurando o Fortune

Execução automática de comandos na inicialização do modo gráfico

Instalação e configuração do MySQL 4.0.26, Apache 2.0.54, PHP 5.0.4 e PHP-Nuke 7.8 no Slackware 10.1

Configuração manual dos ponteiros do mouse

Leitura recomendada

Mamãe, quero Slack! (parte 3 - final)

Visão Geral do Linux Mint

Fundamentos do sistema Linux - usuários e grupos

Gerenciamento de pacotes Debian - principais comandos LPIC-1

Nova geração Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por jmhenrique em 19/06/2006 - 21:56h

Para os curiosos em histórias detalhadas, ai está a história do Debian, desde o começo até os dias de hoje, a narrativa é boa.

http://www.us.debian.org/doc/manuals/project-history/

[2] Comentário enviado por removido em 19/06/2006 - 23:43h

"Caro leitor, estas distros NÃO foram desenvolvidas para se instalar no HD, então não é recomendável que isto seja feito. Há muitas distros que foram desenvolvidas para serem instaladas e estas sim devem ser utilizadas para este fim. "

Horrível opinião. Tem a opção de instalar, mas não foram feitas para isso, e ainda faz questão de enfatizar? Há distros que não foram feitas para serem usadas de tão ruins que são; o fato de serem também live CD é apenas uma característica ou uma vantagem, sendo as únicas desvantagens o peso para carregar do CD e o menor espaço do CD para programas que serão instalados, já que a possibilidade de usá-lo assim implica usar espaço da mídia para isso. Para você o Kurumin é ruim de instalar no HD, não presta para isso? É simplesmente porque você acha que essa distro não presta e não vale nem como live CD, mas como não afeta nada do hardware você diz que é só pra usar assim, sem desperdiçar espaço no HD com ele.

O Ubuntu 6.06 (Dapper Drake) não deixou de ser uma excelente distro para desktops por ter adotado esse conceito; as milhões de pessoas que o usam que o digam, imagina só usar direto do CD os milhares de pacotes dos repositórios próprios, XGL facilmente instalável, o automatix que faz todas aquelas tarefas automaticamente... sinceramente, opiniões pessoais devem ser sempre bem aceitas, mas jogar um lixo desses para um usuário iniciante buscando sua distro sem nenhum argumento racional é no mínimo infrutífero, pois dogmas não devem tentar penetrar na cabeça de pessoas sem uma noção prévia do assunto.

De resto, as cópias organizadas - vide artigo - ficaram legais.

[3] Comentário enviado por forkd em 20/06/2006 - 01:39h

Ola Antoine.
Bom, quando escrevi o artigo me preocupei bastante em deixar minhas opiniões pessoais de lado. Por isso criei uma seção entitulada "OPINIÕES DO AUTOR" para poder expressá-las. Dessa forma, o leitor, mesmo que sendo iniciante, saberá que o que está descrito ali, é o que o autor pensa e por isso poderá discordar.
Mesmo na data em que enviei o artigo para o VOL, eu não sabia se colocava ou não esta seção, pois já sabia que seria polêmica e por isso fiz questão de enfatizar, no início dela, que as opiniões lá são MINHAS.
Me entristecem muito, opiniões como a sua, que não mostram respeito pelo trabalho de outras pessoas, classificando como lixo o material publicado. Diante de uma opinião assim, nem vou me dar ao trabalho de discutir o porquê do seu ponto de vista. Só quero deixar claro que fazer um comentário ofensivo como este seu, é MUITO fácil. Escrever artigos, já não é tão fácil assim. Portanto, recomendo que o faça, antes de tecer comentários tão maliciosos.
Só pra complementar, faço pós-graduação na Universidade Federal de Lavras/MG, em Administração de Redes Linux e alguns professores (mestres e doutorandos na área) também compartilham da mesma opinião que a minha; por isso não creio que esteja totalmente errado.
É claro que não somos iguais e por isso, temos opiniões diferentes. O importante é saber avaliar o ponto de vista de cada um e extrair coisas positivas dele. Essa é a "grande jogada" desta seção de comentários.
Saiba que respeito o seu comentário e entendo seu ponto de vista de defensor dos Live-CDs (assim como muitos outros que venham a ler este artigo).
O próprio modelo de desenvolvimento utilizado em SL é amplamente baseado nesta grande exposição das idéias e nesta constante discussão. Mas para que possamos crescer coletivamente, devemos procurar fazer comentários que sirvam para várias pessoas, que busquem dar um enfoque maior ao tema, ampliando o ponto de vista, mas sem faltar com o respeito a ninguém. Isso é fundamental.

Atenciosamente.

[4] Comentário enviado por removido em 20/06/2006 - 03:25h

Jlojunior,
realmente, me desculpe por ter faltado com o respeito a você.

Quando comecei a ler o artigo, logo gostei da compilação de idéias para ajudar o usuário iniciante a ter noções de Linux e ainda poder escolher sua distro, inclusive ia recomendar a alguns amigos aos quais vou dar CDs do Ubuntu Dapper Drake, mas por sorte vi sua opinião pessoal no artigo antes disso; ao ler isso, qualquer novato já ia perguntar se aquele CD que dei é live CD e ia jogar o Ubuntu fora na hora ao ouvir a resposta, até por estar numa matéria tão completa e esclarecedora.

Novamente peço desculpas pela minha grosseria ao chamar de lixo essa opinião sobre live CDs, mas também deixei claro seu "erro" ao afirmar categoricamente que live CDs não devem ser instalados porque não foram feitos para isso, embora esteja na documentação, embora em algumas a maioria das pessoas o faça.

Li o aviso de que poderia influenciar, mas não simplesmente pode; realmente influencia, já que está sendo posto como verdade. Dei nota quase máxima, porque algo direcionado a alguém que vem com mente aberta para se guiar por algo não pode esbarrar assim no usuário. IMHO, se não houvesse a parte
"Caro leitor, estas distros NÃO foram desenvolvidas para se instalar no HD, então não é recomendável que isto seja feito. Há muitas distros que foram desenvolvidas para serem instaladas e estas sim devem ser utilizadas para este fim."
seria perfeito.

Não comentei outras partes do artigo porque são fatos, os quais grande parte eu já havia lido.

Abraços
Desculpe a má-educação

[5] Comentário enviado por jllitvay em 20/06/2006 - 07:31h

Gostei do artigo. Muito bom, completo e bem escrito. Está quase um PAPER.

[6] Comentário enviado por gabrielteratos em 20/06/2006 - 07:45h

Perfeito artigo, esclareceu e preencheu muitos buracos no meu conhecimento raso sobre as distros.
Tá nos favoritos!

[7] Comentário enviado por FelipeAbella em 20/06/2006 - 11:55h

Parabéns pelo artigo. Muito completo, bem escrito e esclarecedor. Nota 10.

OBS: Sobre o caso das distros live, algumas não são muito boas de instalar outras são, como o caso do ubuntu, só não pode generalizar, mas este é o seu ponto de vista, como você deixou bem claro, acho que fez bem em separar suas opiniões pessoais.

[8] Comentário enviado por fdettoni em 20/06/2006 - 13:05h

Nossa, com certeza o mais completo artigo sobre isso que eu já vi. Quem sabe, agora iniciantes parem de fazer a pergunta, "Que distro eu uso?", e se ver alguma, com certeza indicarei o artigo.

Meus parabéns.

[]'s

[9] Comentário enviado por trolah em 20/06/2006 - 14:22h

Não so muito fã, mas fico faltando o SUSE ae.
Que se não me engano é usado bastante no corporativo
abraços

[10] Comentário enviado por upaf em 20/06/2006 - 15:20h

Ótimo artigo, parabéns!!!
Acho que a primeira dúvida de quem começa a utilizar Linux é que distribuição usar, nisso o artigo foi muito bem esclarecedor.
Como falaram antes, acho que só ficou faltando falar um pouco do SuSE e do Ubuntu, que apesar de ser Debian, tem sido usado por muita gente, principalmente iniciantes.

Parabéns!

[11] Comentário enviado por forkd em 21/06/2006 - 00:53h

Olá pessoal!
Bom, Antoine, aceito sim suas desculpas! E acho muito interessante termos nesta discussão várias opiniões, assim podemos todos ampliar nossos conhecimentos! Mas devemos ter cuidado com as palavras que utilizamos para não ofender ninguém, o que pode fazer com que, em vez de a discussão seja construtiva e esclarecedora, ela seja só uma troca de ofensas. Mas está tudo bem ;)

Trolah, não coloquei nada sobre a SuSE, pois ela é derivada da Red Hat, então seria um pouco redundante, pois aí eu teria que falar sobre Ubuntu, Yellow Dog e todas as distros derivadas das citadas. Procurei colocar somente as distros que "geram linhagem", ok?

No mais, agradeço pelos elogios e pelas críticas! ;)
Abração!

[12] Comentário enviado por cain em 21/06/2006 - 13:06h

tá favoritada, um texto objetivo sobre o assunto.... parabens

[13] Comentário enviado por skate_forever em 13/07/2006 - 08:51h

Parabens pelo artigo, muito bom, excelente.
Só fez confirmar o que já pensava sobre o assunto.

Excelente, favorite add!

[14] Comentário enviado por vitorvieira em 12/04/2009 - 08:14h

Gostaria de contar com um espaço físico para levar minha cpu e intalar um linux e acessórios ou mais algo que necessite para poder navegar na Internet e usar sem precisar toda hora pedir explicações. Qual poderia ser um amigo que tivesse paciência para um neófito em Linux que tudo irá perguntar e pedir opiniões. Moro em Porto Alegre próximo ao Shopping Iguatemi e Bourbon Country e gostaria de ir me aprofundando na linux, sou aposentado e tenho tempo para isto. Agradecido pelo auxílio!

[15] Comentário enviado por doradu em 28/01/2010 - 14:14h

faltou creditar o fato de q os live-CDs surgiram com o Knoppix 3.1 (depois dele veio talvez a melhor fase, pra divulgação pro grande público pelo menos, das distro Linux), mas como o artigo é de 2006 não é preciso falar q atualmente quase todas são live CD, e são usadas tanto pra instalar num HD, pen-drive, memória Flash etc. ou apenas pra se usar no drive de CD...

[16] Comentário enviado por Thomáz Vinícius em 05/02/2010 - 23:16h

Olá amigos,

Julião,parabéns pelo seu artigo,achei interessante,pois vc supôs casos para se escolherem uma distro e em seções separadas e de maneira clara e concisa mencionou sua opinião,que se diga de passagem é extremamente sua e totalmente respeitável.Só para complementar e falar com os colegas,eu já baixei muitas distros,já instalei muitas tb e pra mim cada uma tem sua vantagem,lembrando sempre que muitas coisas no GNU/Linux são configuráveis,outras não tão fácil pela filosofia ad distro,mas cada uma com sua característica e qualidade que atrairam usuários.Uma coisa que eu acho uma falta de respeito com um S.O. que é tão bom em tantos aspectos é a vulgarização e banalização de filosofias e nomes.Por exemplo,HANNAH MONTANA LINUX,argh,a distro ñ é de lá toda ruim pq ela é LINUX,mas totalmente banal,que pra mim só traz prejuízo ao S.O.,pq eu mesmo se ñ conhecesse um pouco de LINUX acharia uma verdadeira porcaria pelo nome que a encarrega,mas voltando ao assunto,minha experiência é a seguinte,de um modo vou discordar do JULIÃO,pois as distro LIVE-CD elas tem as características de uma experiência com o LINUX sem precisar instalar,reparar sistema,enfim,mas convenhamos que pro usuário doméstico,que são a maioria que querem migrar pra o sistema LINUX um LIVE-CD UBUNTU,KURUMIN,MANDRIVA,entre outros são muito bons pq suas necessidades são atendidas,e isso que é o importante,eu por exemplo gostei muito do BIG LINUX,muito mesmo,um sistema totalmente amigável,simpático e que se diga de passagem pra um usuário vindo do windows,tem tudo sem precisar instalar nada,tudo que um usuário comum precisar vem instalado,o Windows até hj ñ conseguiu essa façanha e nem vai também tão cedo,e o BIG tem uma GUI muito bonita,simples,intuitiva e totalmente em português,o que um usuário normal poderia querer mais??? Estou usando o Slackware agora e estou gostando,muito boa,mas ñ tem uma GUI tão bonita como outras,mas mesmo assim é bonita,enfim,isso é muito pessoal,eu quero uma distro que seja configurável e bonita,que seja tão boa em modo texto como em modo gráfico,isso é uma tarefa q vou ter de descobrir e cada usuário vai ter de descobrir a sua,mas valeu a iniciativa e as suposições,mas JULIÃO,qual é a sua distro e a de seus professores??? qual vcs chegaram em um concenso de "mais adequada"?

[17] Comentário enviado por lcavalheiro em 04/03/2011 - 15:58h

Muito bom o artigo, embora eu discorde em alguns pontos. Só queria sugerir uma revisão do estudo de caso, pois creio que esteja um pouco tendencioso. Eu sou professor de Filosofia e não manjo nada de programação ou scripting, só que eu queria configurar o meu PC da mesma maneira que seu hipotético estudante de TI. Fui de Slack e não tive problema nenhum - só trabalho para ler os man pages, os HOWTO's, enfim, fiz um RTFM básico que todo iniciante em Linux deveria fazer. Hoje tenho um PC funcionando redondo em Linux e um Win7 original mofando na prateleira.

[18] Comentário enviado por vitzsm em 27/09/2013 - 16:25h

jlojunior, infelizmene eu sou usuario de windows (por enquanto...) vim até esse artigo para escolher uma versão de live-cd, quando fui baixar o Curumin, na parte de downloads do site, o link está quebrado e não baixa. Vc sabe onde eu posso baixa-lo seguramente??? (pois ainda uso windows)

[19] Comentário enviado por viniciusdmoreira em 10/02/2016 - 22:29h

Muito obrigado!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts