Programação (III) - Programação Orientada a Objetos (POO)

Este é o terceiro artigo da série sobre programação e vamos falar aqui sobre POO, que não é a melhor coisa do mundo, mas é o melhor que já vi para a programação nestes meus 25 anos no ramo.

[ Hits: 49.035 ]

Por: Edvaldo Silva de Almeida Júnior em 04/07/2008 | Blog: http://emeraldframework.net


Instância (Objetos, finalmente!)



Talvez você fique surpreso se eu disser que até agora não falamos em objetos, apesar de estarmos falando de POO o tempo todo.

É que muitas pessoas confundem o conceito de classe com o conceito de objeto, mas nós acabar com essa confusão agora mesmo!

A classe define uma categoria de elementos. É uma generalização. Quando falamos em objeto, porém, estamos falando em um item específico daquela classe.

Quando é que um objeto aparece em nosso código? A resposta é: quando instanciamos uma classe, ou seja, criamos um objeto pertencente a ela.

Num programa C++ que usasse a nossa classe Sentável acima, criaríamos objetos assim:

Sentavel cadeira = new Sentavel( 1, 4 );
Sentavel banco_de_praca = new( 3, 4 );

Na primeira declaração estamos definindo uma cadeira como sendo um objeto da classe Sentável, com um assento e quatro pernas. Claro que isso é limitado, pois cadeiras tem outras propriedades, como encosto, por exemplo. Mas por hora o exemplo serve para ilustrar o conceito de instância.

Na segunda declaração estamos criando um banco de praça, que tem assento para três pessoas e quatro pernas. Da mesma forma poderíamos escrever:

Sentavel tamborete = new Sentavel( 1, 3 );

Para quem não está acostumado com o termo, tamborete é um banquinho bem baixo de apenas três pernas.

A palavra chave para criar um objeto, uma instância de uma classe, é new. Com esse "comando" o construtor é invocado e a memória necessária para o objeto é alocada.É com o new que os objetos passam a existir!

É importante notar que o construtor não é chamado explicitamente. Mas como ele é chamado implicitamente pelo new, ele sempre deve ser declarado como public.

Como sentar foi declarada como public, podemos escrever:

   tamborete->sentar();

para colocar uma pessoa no tamborete.

Mas se escrevermos:

   tamborete->get_sentantes();

Teremos uma mensagem de erro do compilador, pois get_sentantes foi declarada como private e portanto só pode ser usada dentro do escopo da classe.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. O Gênesis
   2. Um pouco de Filosofia
   3. POO
   4. Classe
   5. Implementação
   6. Revisando a implementação
   7. Escopo e Encapsulamento
   8. Instância (Objetos, finalmente!)
   9. Herança
   10. Polimorfismo
   11. Referências e conclusão
Outros artigos deste autor

KDE em um PC "primitivo"

Software Livre... e um passo além

Livre não precisa ser gratuito

O "Linux Tinha Chapéu"

Software Livre e o Código de Defesa do Consumidor

Leitura recomendada

Criando um banco de dados para obter ajuda do sistema

Tutorial de instalação LTSP 4.2 (Linux Terminal Server Project) no OpenSuSE 10.2

Interface Gráfica e Ambiente Integrado p/ Free Pascal

Acelere a publicação de seus artigos e dicas no VOL

Montando um pendrive no Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por gabriel.av em 05/07/2008 - 20:30h

Olha eu achei isso muito importante flw

[2] Comentário enviado por ssdeassis em 05/07/2008 - 21:56h

esperei muito pela terceira parte do artigo continua muito bom como os dois primeiros tenho aprendido muito com a sua série de artigos. Agora vamos ao proximo. Meus parabems.

[3] Comentário enviado por k4mus em 05/07/2008 - 22:37h

Parabens Amigo!!

..vc conseguiu explicar a POO de uma forma agradavel e simples de entender.

Parabens!

[4] Comentário enviado por f_Candido em 06/07/2008 - 14:46h

Muito bom. Parabéns. Bem Simples e Direto.

Abraços


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts