Processos no Linux

Este artigo é voltado para aqueles que não possuem conhecimento, ou apenas o conhecimento básico, sobre processos no GNU/Linux. O trabalho com esta licença foi identificado no domínio público, para que qualquer pessoa pode usar esta obra para qualquer fim, sem restrições.

[ Hits: 3.636 ]

Por: Punch DrinkLots em 06/11/2017


Introdução a processos



Estamos acostumados a utilizar diariamente o Linux, para executar programas, rodar daemons, matar processos etc. Entretanto, nem sempre conseguimos tirar o tempo necessário para entender como cada parte funciona. Por conta disso, este artigo foi criado visando facilitar a compreensão básica do assunto.

Pode-se dizer que um processo é um programa em execução, porém, com algumas características próprias: PID (ID do processo), PPID (ID do processo pai), user (usuário que o processo pertence), group (grupo que o processo pertence) e prioridade.

Uma curiosidade sobre processos, quando o kernel termina de ser executado ele executa o comando /sbin/init que terá o process ID 1. Esse programa fica em execução até que o sistema seja desligado.
Linux: Processos no Linux
Voltando às características de um processo, o PID (Process ID) é seu identificador, aquilo que possibilita que o sistema identifique um determinado processo. Dois processos distintos não podem possuir o mesmo PID, já que ele é único.

Um processo tem a possibilidade de instanciar processos filhos que possuirão uma referência para o processo pai. PPID (Parent Process ID) é o nome que damos à propriedade que guarda essa referência.

Cada processo é atribuído a um usuário e um grupo (GID). Isso determina o acesso do processo a arquivos, devices, diretórios etc. Vale lembrar que o usuário e o grupo atribuído são passados para os processos filhos.

O sistema divide o tempo da CPU em espaços de tempos, onde cada um dura por uma determinada fração de tempo, por conta disso cada processo possui um valor de prioridade, assim o sistema sabe qual processo irá ser executado no próximo espaço de tempo.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução a processos
   2. Processos na prática: ps
   3. Processos na prática: top, htop e vtop
   4. Processos em background
   5. Enviando sinais para um processo
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Instalação do Moodle 3.0 no CentOS 7

Backup com o Konserve

Lógica para computação - parte IV

Entendendo os scripts de inicialização do Gentoo

Rodando o qemu com o novo módulo acelerador

  
Comentários
[1] Comentário enviado por mhigor em 11/11/2017 - 10:30h

Parabéns pelo artigo, amigo!
Muito fácil de entender.

[2] Comentário enviado por drinklots em 14/11/2017 - 10:48h

Obrigado, mhigor! Fico feliz em poder contribuir :)

[3] Comentário enviado por ricardogroetaers em 16/11/2017 - 02:53h

Obrigado pelo artigo, bem didático e atingindo o público alvo e o objetivo proposto.

[4] Comentário enviado por draggom em 21/11/2017 - 20:51h


draggomlesa: Muito bem parceiro, gostei muito do seu artigo, depois vou ler novamente para fixar na minha mente.

[5] Comentário enviado por drinklots em 22/11/2017 - 10:43h

Obrigado, ricardogroetaers e draggom! :D


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts