Reconhecimento se obtém por mérito e não por força

Neste artigo pretendo chamar a atenção dos linuxers e dizer-lhes que nós devemos nos unir mais e que o Linux será reconhecido por mérito e não por força.

[ Hits: 11.079 ]

Por: White Hawk em 07/12/2010


Introdução



Olá. Este é o meu primeiro artigo aqui no VOL. Espero ter sido claro na explicação do conteúdo aqui apresentado.

Neste artigo pretendo chamar a atenção dos linuxers e dizer-lhes que nós devemos nos unir mais e que o Linux será reconhecido por mérito e não por força. Isso significa que o Linux, devido aos benefícios proporcionados aos usuários (tanto domésticos quando empresariais), pode algum dia, alcançar uma maior fatia no mercado.

É importante lembrar que, criticar outros sistemas operacionais, dando-lhes apelidos pejorativos ou rotulando distros por suas características, não ajudará o Linux a ser reconhecido. Exemplificando: quantas vezes nós não nos referimos ao sistema operacional da Microsoft como "Rwindows"? E quantas vezes não dissemos que Ubuntu era distro de iniciante devido às suas facilidades?

Sobre as distros

Cada distro tem suas características: ambiente gráfico ou gerenciador de janelas (padrão ou opcional), gerenciador de pacotes, maior ou menor automação do sistema e outras coisas mais. Esta é uma das vantagens do Linux. O grande número de distribuições permite que você encontre uma que possa suprir suas necessidades e que te faça satisfeito (não 100%, já que não existe distro perfeita).

Muitos dizem que Slackware, Gentoo e Arch são distribuições para usuários experientes, avançados. Quer dizer que os iniciantes não devem usar essas distros? Eu acredito que não, pois para uma pessoa curiosa, persistente e que pesquisa bastante, instalar essas distros e usá-las diariamente pode não ser tão difícil quanto parece, devido também à documentação disponível na internet.

Podemos citar o wiki do Arch, que possui até tutorial de instalação (passo a passo) em português. Graças ao auxílio da comunidade e da vontade de aprender, até quem nunca usou Linux pode usar essas distribuições, assim como um experiente em Linux pode preferir o Ubuntu pelo simples de fato dele não querer gastar muito tempo configurando ou "arredondando" o sistema. Notem que, rotular distros não faz o Linux crescer, porque time dividido não ganha jogo.

Acredito que a distribuição certa e escolher não depende somente do seu conhecimento, mas do seu interesse e dos benefícios que a distro escolhida te trará. Um bom exemplo disso é o próprio Linus Torvalds, que afirmou usar a distribuição Fedora, quando ele poderia usar qualquer distribuição devido ao seu conhecimento avançado sobre o Linux.

Sobre o Windows

Voltando ao Windows, acredito que não devemos chamá-lo de "Rwindows", afinal, quem nunca usou este sistema operacional? Sabemos que ele é um S.O proprietário, que o preço de suas licenças é caro e que ele possui inúmeras falhas de segurança, porém diminuí-lo, chamando-o de "Rwindows", não trará reconhecimento ao Linux.

Sabemos também, que o Windows possui vantagens em relação ao sistema do Pingüim, como nos jogos, ou em programas específicos como o AutoCAD. Existem programas semelhantes a este, como o FreeCAD ou QCAD, mas nenhum deles possui tantos recursos ou é tão eficiente como a versão desenvolvida pela AutoDesk. Pode ser que você seja um(a) arquiteto(a) ou engenheiro(a) e precise usar o AutoCAD, mas o Wine não consiga rodá-lo com eficiência. O jeito será voltar ao velho sistema da Microsoft. Vejam como o mundo dá voltas.

Conclusão

Concluindo as ideias anteriores, contribua para o crescimento do Linux. Se você sabe programar e gosta de ajudar, crie algum programa ou um patch para um aplicativo já existente. Compartilhe seu conhecimento com a publicação de artigos, dicas, scripts e outros materiais.

Ajude quando você tiver a resposta para a pergunta de alguém e não despreze usuários pela distribuição que eles usam. Por favor, não assuste os iniciantes com diversos comandos no terminal, quando há um caminho mais rápido ou simples de realizar a mesma tarefa, pois nem todos estão dispostos a ficar horas ou até dias procurando informações para a resolução de seus problemas.

Links das distribuições citadas:
   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Arch Linux: Uma distribuição otimizada para i686

Netcat - Mini introdução para leigos

Obtendo diferentes versões do Debian GNU/Linux

CrunchBang Backported - Instalação e Configuração

As Principais Distribuições GNU/Linux - Versão 2019

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cruzeirense em 07/12/2010 - 17:20h

Bacana seu artigo!
Só discordo com você em relação a quantidade de distros. Acho que uma padronização é necessária.

Abraço,

Renato

[2] Comentário enviado por removido em 07/12/2010 - 17:29h

Acredito que a padronização também cairia bem.

[3] Comentário enviado por izaias em 07/12/2010 - 21:29h

Quando você diz que o Windows possui vantagens sobre o Linux, alerto que essa vantagem é artificial. Mercadológica. Citando o AutoCAD, porque os desenvolvedores desse excelente aplicativo não o torna multiplataforma? Oras, seria pago também; e caberia ao usuário decidir em qual sistema usá-lo. Isso é uma vantagem original do Windows? Não! Esse é o poder de Bill Gates influenciando programadores/empresas do mundo inteiro em detrimento de outras plataformas para forçar o uso de seus produtos.

Com relação à padronização citada pelos colegas eu sou contra. Não seria bom para o Linux. O sucesso do Linux está apoiado em sua pluralidade.

Linux não precisa de adeptos, união de grupos ou algum tipo de apoio. Ele por si só atrai os usuários corretos para sua difusão. Está muito bom assim meu caro, já imaginou os ataques que teria se fosse o sistema para 'desktops' mais usado no Mundo?

Gostei de seu primeiro artigo.

[4] Comentário enviado por WhiteHawk em 07/12/2010 - 21:39h

Olá. Agradeço os comentários de todos vocês. Izäias, quando digo que o Windows tem vantagens sobre o Linux é justamente pelo fato dele dominar o mercado, fazendo com que as empresas desenvolvam programas para ele e não para outras plataformas. Contudo, sabemos que o Windows se manteve como sistema operacional mais usado no mundo devido à estratégia de Bill Gates. Também sabemos que por mais que o Linux seja tão bom quanto o Windows ou até melhor, nem todos darão reconhecimento a ele.

[5] Comentário enviado por thiagocantero em 07/12/2010 - 23:25h

Concordo plenamente com o White Hawk!
Inclusive hoje estive na Oracle OpenWorld e percebi que nos estandes muitas empresas enfatizam soluções MS como foco principal de folders e coisas do tipo, porém não deixando de lado que também ofereça suporte para ambientes opensource.
Analisando friamente podemos chegar a conclusão que de fato o Windows não é Rwindows, pois existem aplicações neles que funcionam bem e outro grande ponto importante se dá por parte cultural, as pessoas associam a imagem de um desktop, notebook (um pc) com Windows e não um computador de fato, isso graças a estratégia perfeita de Bill Gates!De fornecer um sistema operacional de fácil usabilidade.
Nós que participamos ativamente da comunidade Linux, sabemos que o pinguim não deixa nada a desejar em relação ao Windows, o grande problema é que vivemos em um mundo capitalista, aonde temos empresas que apostam maciçamente em publicidade, ou seja, uma boa divulgação do produto, que é um enorme diferencial!
Ao contrário nós, que não possuímos mídia para tal, a não ser a internet com seus forums e sites como o VOL.
Nós temos que conviver com harmonia com os dois mundos!E nos ajudar como fazemos sempre, pois assim fortaleceremos nosso querido Sistema Operacional!
Se você me perguntar qual dos dois eu gosto eu serei imparcial!Gosto do Linux!Mas não podemos tirar o mérito da MS, já que ela tem participação importante na evolução da história da informática!
Abraços

Thiago Cantero Mari Monteiro

[6] Comentário enviado por albfneto em 08/12/2010 - 00:48h

minha opinião é semelhante à do Isaías, quanto a padronização etc..., mas concordo com o autor, não devemos criticar os novatos, nem os usuarios de qualquer outra Distro ou de outro SO.
Padronização, não concordo. Se tudo ficar como Ubuntu, para que continuar? Quem usaria Sabayon, Gentoo, Slackware ou Arch, fedora ou Mandriva, se tudo ficar como debian ou Ubuntu?

[7] Comentário enviado por izaias em 08/12/2010 - 11:36h

No trecho de seu artigo onde você diz que usuários de distos amigáveis são alvos de preconceitos de usuários avançados, tem sua verdade.
Mas também não é nada muito sério. Falando por mim, que comecei com o Ubuntu, sempre fui muito bem recebido por todos aqui. Todos os tópicos que fiz foram amplamente discutidos e brincadeiras, seja para descontrair ou para rotular, sempre vai ter.
Mas é só um usuário, seja ele novato ou não, pedir auxílio por qualquer problema e de qualquer distro que for, sempre será atendido. Basta saber a solução, o pessoal sempre ajuda.

[8] Comentário enviado por WhiteHawk em 08/12/2010 - 13:01h

Agradeço seu comentário novamente Izäias. É com as críticas de outros que aprendemos. Realmente aqui no VOL os usuários são bem respeitosos e solícitos, o que é muito bom.

[9] Comentário enviado por removido em 08/12/2010 - 13:39h

Eu acredito que deve existir um equilíbrio entre padronização e liberdade. Cada usuário tem um tipo de necessidade que causa agrupamentos desses tipos de usuários. Mesmo com esses grupos que possuem essas necessidades diferentes, todos eles tem um objetivo em comum, que é ter um sistema operacional estável, rápido, fácil, etc. Ou seja, deveria existir essa "união", que na verdade seria uma padronização que é o inverso dessa "liberdade" em criar um número colossal de distros com objetivos semelhantes sendo que a diferença entre elas são apenas caprichos. Acredito que muitos podem não concordar no que falo, mas posso citar um exemplo: Pergunto a um usuário "religioso" de uma distro o porquê de não utilizar outra distro que o atenderia melhor. Ele simplesmente vai responder que não usa tal distro porque não gosta, não apresentando mais nenhum argumento válido para uma discussão saudável. Isso acontece com distros, e até mesmo com ambientes gráficos. Um bom exemplo disso são as guerrinhas entre usuários KDE e GNOME. Me pergunto o porque não fazem apenas um ambiente gráfico e uma opção tipo "clique aqui para ficar semelhante ao kde/windows ou clique aqui para ficar semelhante ao gnome/mac". Essas guerrinhas não trazem benefício nenhum para a "comunidade" que mais se parecem "gangues". Algum dia já pararam para pensar, por exemplo, se existissem vários servidores gráficos ou servidores ssh(Sei que existem outros, mas estatisticamente é um número quase que insignificante)? Imaginem a confusão que seria! Imaginem agora uma padronização de empacotamento. Seria bem melhor abrir uma página de download de alguma aplicação e se deparar com simplesmente um link tipo "Download para GNU/LINUX", adicionar no repositório e logo após a instalação, a aplicação funcionar perfeitamente. Sei que alguns vão me apedrejar por falar isso com o argumento que existe o código fonte, mas tenho certeza que a sua irmã, o seu pai, a sua mãe, o seu amigo, ou até mesmo seu cliente que só quer usar o computador e não entende nada de informática não vai conseguir executar esses procedimentos que são complicados até mesmo para aqueles que já tem um certo costume com o terminal. Não adianta negar, não seja hipócrita! Não é obrigatório para todos ter um conhecimento "avançado" de informática. Não adianta também comparar uma simples aventura em um desktop com uma implantação de um sistema operacional em muitas máquinas. Não podemos perder tempo reinventando a roda! Vocês sabem muito bem do que estou falando. Mas, minha única esperança é acreditar na "lei da evolução", onde os fracos morrem e os fortes sobrevivem! Os fracos, as aberrações, como por exemplo aquela distro bastarda que se chama Satux que fazem propaganda negativa sobre o "Linux". Espero que tenham entendido a minha mensagem e que não entendam como se fosse uma tentativa de disseminar uma ideia de distro (ou o que seja) "ariana". Se realmente existisse apenas UMA comunidade, e ela fosse ramificada (falei ramificada ao invés de divida) em grupos específicos de pessoas que têm o mesmo objetivo, não existiria toda essa confusão que só serve para causar uma visão negativa de quem vê o "LINUX" pelo lado de "fora".

[10] Comentário enviado por paulorvojr em 08/12/2010 - 15:13h

Bom artigo, reflexivo!

Ambos são excelentes sistemas operacionais. O melhor profissional é aquele que sabe os seus respectivos pros e contras.

Existem soluções que linux é melhor e soluções que windows sai melhor, ou solaris sai melhor

a nível de conhecimento, vocês pensam que linux ou windows entra em computadores que verificam de forma inteligente nódulos de câncer em mamografias? NUNCA, é SOLARIS que domina esse mercado, é a SUN!!, mais porque se a licença passa dos mil?, porque atende aos requisitos!

Análise !! isso que define um bom profissional, veja o que é bom para sua solução;

O pior profissional é aquele que tenta inventar (EM PRODUÇÃO, salvo testes) mudando a solução, so porque ele ODEIA a tal distribuição ou o sistema operacional.

No quesito linux nao ter padronização, quem tem que padronizar é VOCÊ!, você deve instalar somente tal distribuição no seu parque computacional.
Foi criado um sistema que roda com facilidade no ubuntu? mas você tem FEDORA? qual problema? se vira e vai buscar a solução pra rodar no FEDORA.

Podem existir 99999999999999 distribuições, mas eu vou usar aquela que me convêm, somente mudarei se a anterior não me atender.

LINUX VIDA LONGA!

Paulo Roberto Junior
www.paulojr.info
http://www.vivaolinux.com.br/~paulorvojr

[11] Comentário enviado por gnucleber em 09/12/2010 - 12:54h

Muito bom esse artigo. Parabéns.

Sempre converso com amigos e colegas ativistas do pinguim que não é nenhum pouco profissional esse lance de criticas, temos que mostrar os pontos positivos (que são muitos) e sempre manter o nível é claro!

abraços

Cléber Barros
http://www.clebergnu.com

[12] Comentário enviado por nicolo em 16/12/2010 - 14:33h

O dia em que o Linux for algo mais que um seita de convictos apaixonados, estará padronizado.
Os convictos não distinguem o mérito da força, para eles a força faz o mérito.
Há ainda os que assumem que não pode ser fácil, se for fácil perde o mérito e vira ruindows.

O ruindows é por conta da ativação do meu XP legítimo que só usei na minha casa, não dei para ninguém.
e o Tio Bill não deixa funcionar mais depois da quinta ativação.
Alguem sabia que o windows só ativa 5 vezes?
O mané aqui achava que por ter comprado com nota fiscal podeia usar na minha máquina quanto fosse preciso.
Como mané é mané, comprei também um outra cópia legítima para a máquina da minha filha, também com nota fiscal.
HONESTO É SINONIMO DE OTARIO.
O ruindows não avisa ninguém, logo ISSO NÃO É HONESTIDADE.
Quero meu dinheiro de volta.

[13] Comentário enviado por arieldll em 27/01/2012 - 00:38h

Parabéns! Ótimo artigo.

Sem mais, excelente!

[]'s Ariel.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts