PROXMOX Overview - Virtualização Leve e Eficiente

O presente artigo tem o propósito de introduzir e elucidar o leitor, a respeito da ferramenta PROXMOX nas rotinas de administração de sistemas virtualizados; tendo em vista que não serão abordados muitos detalhes a respeito da ferramenta mas, somente uma visão geral sobre sua instalação e uso.

[ Hits: 4.174 ]

Por: Lucas Roberto Daldegan em 22/12/2017 | Blog: https://www.linkedin.com/in/lucas-roberto-daldegan-339473111/


Introdução



Quais os sistemas de virtualização que você já usou ou ouvir falar? Certamente, os nomes como VMWare, Hyper-V, VirtualBox, KVM, os sistemas Citrix entre outros, serão lembrados, mas, pelo que pude notar em meu pouco tempo de mercado, pouco - quase nada - se ouve falar sobre uma ferramenta chamada ProxMox.

Mas, afinal, o que é o ProxMox?

ProxMox é um ferramenta de virtualização de código aberto, ou seja, totalmente gratuita, baseada em Debian (atualmente, em sua versão 5.1, rodando sob o Debian Stretch, ou Debian 9) que utiliza KVM/OpenVZ, administração através de sua WebGUI além da linha de comando, opções de backup e restore nativos, cluster, Firewall, live migration entre outras possibiliaddes.

Qual o grande diferencial?

Além de ser uma ferramenta totalmente gratuita, sua instalação é muito simples, rápida e seu desempenho supera expectativas. Na empresa onde trabalho atualmente, o tempo para disponibilização de um servidor Ubuntu 16, por exemplo, gira em torno de 2 minutos. Certa vez criei um script de configuração para estes servidores - disponibilizados em forma de template - e o tempo de disponibilização de um servidor web (WildFly 10 e JDK 8) configurado para desenvolvimento foi de apenas 4 minutos. Antes, usando os servidores VMWare e Hyper-V, o tempo para a instalação e disponibilização do SO nas máquinas virtuais era em torno de uma a duas horas por máquina.

Antes de continuarmos, deixo claro que a minha intenção não é defender a ideia de que uma ferramenta é melhor que outra, mas sim, compartilhar conhecimento e o ganho de desempenho e tempo obtido com a experiência de implementação desta ferramenta.

Instalação e Upgrade

Como dito anteriormente, a instalação é muito simples. Após realizar download da versão mais recente disponível aqui, você pode criar um pen-drive ou DVD "bootável" com a ISO, utilizar a mídia em seu servidor e seguir os passos da instalação.

Assim que a instalação for iniciada, selecione a opção "Install ProxMox". Caso deseje, é possível realizar alguns testes no modo Debug e os testes de memória, dispostos no menu, mas aqui, eles não serão abordados.

Após o menu inicial, nos são exibidas informações a respeito da licença de uso do ProxMox. Para prosseguir, é necessário aceitar a licença de uso.

Em seguida, são exibidas as configurações de disco. Nesta etapa é possível configurar as partições de acordo com o desejado. Caso opte por usar as configurações padrões, basta apenas selecionar o disco onde o SO será instalado, sem opções adicionais.

Feito isto, você deverá informar as configurações para o timezone do servidor, como país, fuso horário e mapa de teclado.

Na próxima etapa você configura a senha para o usuário root.

Em seguida, serão exibidas as configurações de rede. Aqui, as informações exibidas são aquelas recebidas do DHCP, caso a placa de rede esteja conectada. Esta configuração pode ser gerenciada após a instalação, porém, na etapa de configuração de rede é necessário informar, obrigatoriamente, as configurações para IP fixo no servidor.

Em seguida, a instalação continuará sozinha e seu sistema será reiniciado ao final da operação.

Após o final da instalação, a tela de login é semelhante a qualquer servidor Debian. Você informa os dados do usuário root e o Bash será carregado.

Quanto às atualizações e pacotes, caso a versão instalada não seja a mais atual disponível, é possível realizar um upgrade usando o famoso comando apt, no entanto, recomendo que altere o repositório padrão para um do tipo "no-subscription". Para isto, basta alterar o arquivo /etc/apt/source.list.d/pve-enterprise.list.

Altere a linha presente conforme o exemplo:

deb http://download.proxmox.com/debian stretch pve-no-subscription

Feita a alteração, use:

# apt-get update

para atualizar a lista de repositórios e caso deseje atualizar o sistema, rode:

# apt-get dist-upgrade

Após a execução do comando, reinicie o sistema e você terá um servidor ProxMox atualizado.

Destaco novamente que os repositórios dispostos em /etc/apt/source.list são os mesmos que um Debian comum, então, os pacotes que você encontra para o Debian certamente estarão disponíveis para o seu servidor.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Uso da ferramenta
Outros artigos deste autor

Automatizando relatórios GLPI usando PHP e Shell Script

Leitura recomendada

Gravando vídeo com placa de TV através do transcode

A Vida no Shell (parte 2)

Experimentos com remasterização de Sabayon

Lançamento do GFP Open (Gerenciador Financeiro Pessoal) versão 0.0.1.2

GRIP - Conversão e ripagem de CDs em Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por elderjmp em 27/12/2017 - 15:41h

Uso aqui no trabalho em dois servidores, mas só o básico ainda (só VMs). É uma ótima ferramenta. Parabéns pelo artigo.

[2] Comentário enviado por sergeimartao em 28/12/2017 - 14:25h

Overview bem interessante sobre o proxymox.

Ia começar a testar, mas fiquei com o pé atrás depois que li que a versão gratuita é liberado apenas o repositorio de teste e que não é recomendado para ambientes de produção.

Vocês utilizam qual versão? é estável?

vlw

[3] Comentário enviado por removido em 07/01/2018 - 18:41h

"ProxMox é um ferramenta de virtualização de código aberto, ou seja, totalmente gratuita,"

Se nem o Software Livre é necessariamente gratuito, imagine software de 'Código Aberto'.

[4] Comentário enviado por altairmsouza em 10/01/2018 - 14:40h

Lucas, parabéns pela contribuição.

Em laboratório usei o ProxMox, agora é colocar em produção com alta disponibilidade.

[5] Comentário enviado por robsonpc em 09/02/2018 - 19:44h

Bom artigo! Só completando, o único aplicativo que consegui para gerar um pendrive bootavel com ele foi o Etcher.
Valeu!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts