PNL para Hacking

Nesse artigo procuraremos compreender um pouco melhor o que é o termo PNL, tão largamente difundido nos dias de hoje nos círculos de terapeutas, cuidadores de pessoas, palestrantes motivacionais e coaches. No entanto, veremos essas técnicas e conceitos sob a ótica hacker e como empregá-las para o hacking.

[ Hits: 25.718 ]

Por: Luiz Vieira em 17/04/2009 | Blog: http://hackproofing.blogspot.com/


Rapport



"Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o entende e que vocês têm um forte laço em comum. É a capacidade de ir totalmente do seu mapa do mundo para o mapa do mundo dele. É a essência da comunicação bem-sucedida."
Anthony Robbins

Qual a diferença que existe no diálogo entre duas pessoas, quando em uma situação os interlocutores logo após o diálogo dizem o seguinte:

"Nossa, parece que fulano lia minha mente e me compreendia perfeitamente, enquanto conversávamos!"

e numa outra situação, quando falam:

"Fulano não entende nada, tive que repetir a mesma coisa várias vezes. Parece até que eu estava falando grego!"

Na primeira situação podemos dizer que houve uma comunicação bem sucedida e na segunda situação, o objetivo inicial da comunicação não foi alcançado.

Isso ocorre normalmente por não haver o famoso rapport, que nada mais é do que quando duas ou mais pessoas estão em sintonia. Será um erro se levarmos em consideração apenas a fala quando falamos em rapport, já que as palavras representam apenas 7% da comunicação humana. O rapport vai muito mais além, já que envolve gestos, postura corporal, timbre de voz, tonalidade, velocidade da fala etc.

Se tivermos que escolher qual o aspecto mais importante de uma conversa durante um processo de ataque com engenharia social, pode-se dizer que o rapport é o principal.

No processo de estabelecer rapport, devemos procurar, sutil e habilmente, "imitar" os gestos da pessoa, a postura corporal, os aspectos da fala e mostrar que estamos entendendo-a e nos importando com ela, através de estruturas chaves da comunicação.

Costumamos dizer que o rapport segue a regra de seguir-seguir-conduzir...

Por exemplo, se durante uma conversa passarmos uns 5 à 10 minutos espelhando o comportamento da pessoa ("imitando" sutilmente seus gestos e posturas corporais), inclusive suas respiração e pausas na fala, e percebermos que já estamos fazendo isso automática e facilmente, podemos mudar um certo aspecto (fazer um gesto diferente) e ficar atentos para ver se a pessoa faz algo semelhante (p.ex.: você passa a mão no cabelo, e logo depois a outra pessoa passa a mão no rosto ou ajeita o cabelo). Se isso acontece, agora é você quem manda e pode definir o rumo da conversa.

Assim sendo, como nós podemos conscientemente melhorar a nossa própria habilidade de rapport? Podemos começar aprendendo o processo chamado de "espelhamento" - que é utilizado para reproduzir o comportamento da outra pessoa. Comportamentos que você pode espelhar incluem:
  • Postura corporal
  • Gestos da mão
  • Expressões faciais
  • Deslocamento do peso
  • Respiração
  • Movimento dos pés
  • Movimento dos olhos

Espelhar é "copiar" fisicamente os comportamentos da outra pessoa de uma maneira sutil. Tente espelhar apenas um aspecto do comportamento da outra pessoa enquanto estiver falando com ela - talvez a postura dela. Quando isso se tornar fácil, inclua outro suavemente, como os gestos da mão dela. Gradualmente acrescente outro e outro até você estar espelhando sem pensar sobre isso. Quanto mais você praticar, mais fácil se torna.

Como retribuição, a mesma reação positiva e confortável que você criou para a outra pessoa será sentida por você mesmo.

Imagine essa capacidade bem desenvolvida em um engenheiro social?

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Rapport
   3. Modelagem da Excelência Humana
Outros artigos deste autor

Race Condition

Vulnerabilidade em mais de 6 milhões de sites com flash

Certificações em Segurança: para qual estudar?

Análise de Malware em Forense Computacional

XSS - Cross Site Scripting

Leitura recomendada

Compilando o KDE 4.0 no Slackware Current

Minha experiência com Linux

Promoção RedBug + Viva o Linux

Visual Studio no Linux

Instalando um novo tema no Acer Aspire One

  
Comentários
[1] Comentário enviado por orionnunes em 17/04/2009 - 09:07h

Adorei , a forma de unir as coisas que mais gosto!

Tecnologia e a mente humana... O final para isso não importa, mas sim a união dos dois, vou procurar mais materiais sobre , é fascinante!!

[2] Comentário enviado por QuestLoder em 17/04/2009 - 09:35h

Show de bola.....

Gostei muito do artigo....Parabens






[3] Comentário enviado por fabiobarby em 17/04/2009 - 14:16h

Cara... d+!!!!

Muito interessante isso!

Criss Angel sabe lidar bem com isso... hehe

[4] Comentário enviado por M.Bittencourt em 17/04/2009 - 15:02h

Excelente artigo.

Se puder... mande algumas fontes pra quem se interessou pelo assunto.

[5] Comentário enviado por renato.leite em 17/04/2009 - 15:45h

Parabéns, otimo artigo.....

[6] Comentário enviado por demoncyber em 17/04/2009 - 17:56h

Ótimo artigo =)!!!!

Com certeza lerei um pouco mais sobre estes autorese sobre a PNL

Abraços

[7] Comentário enviado por VonNaturAustreVe em 17/04/2009 - 22:48h

"engenharia social por que não existe patch para a ignorância humana "

PNL é muito interessante não somente para o hacking mais para a vida real,ajuda bastante a entender muitas ações das pessoas.

[]'s

[8] Comentário enviado por oreilsom em 18/04/2009 - 17:40h

Luiz,
Gosto de PNL e considero seu artigo um marco na História, he he he.
Algo tão útil para a comunicação humana não poderia entrar (ou retornar) para o meio da informática por um caminho melhor que este... o underground.

[9] Comentário enviado por jimitogni em 18/04/2009 - 20:15h

muito loco esse artigo
parabens

[10] Comentário enviado por luizvieira em 18/04/2009 - 22:30h

Pessoal, agradeço pela boa receptividade ao artigo, pois fiquei temeroso do tema PNL não ser muito bem aceito aqui na comunidade. Que bom que eu estava errado :-)

Para quem quiser pesquisar um pouco mais e aprofundar-se, através de artigos, indicações de livro e etc, pode acessar esse site: http://www.golfinho.com.br/

Em breve publicarei um novo artigo mais especificamente sobre engenharia social (a resenha de um livro, mais alguns adendos meus) e abordarei novamente o tema PNL. Aguardem...

[ ]'s

[11] Comentário enviado por cytron em 19/04/2009 - 02:30h

Legal! Sempre utilizo esta técnica, agora vejo que já é documentada kkkkk, essa tal PNL quando bem desenvolvida tem grande poder. É uma ótima armadilha para a "presa".

[12] Comentário enviado por teixeira em 20/04/2009 - 06:54h

Ótimo artigo, e que demonstra que a tecnologia da informação está sempre muito próxima das demais ciências, seja de que cunho forem.
Li também há muitos anos atrás - e não me lembro onde - um texto bastante extenso com o título "A hemoestase e a Teoria dos Jogos", onde fica bastante clara essa relação que, à primeira vista, parece não ter nada a ver, mas que está intimamente relacionada.
Já trabalhei fazendo manutenção de software escrito por terceiros (em Assembly SL-3) e tinha constantemente que "entrar no pensamento" do autor para poder me situar dentro daqueles códigos na maioria das vezes propositadamente emaranhados.
Resumidamente, um programador Assembly daquela época tinha os seguintes procedimentos:
1- Definir a lógica do programa;
2- Determinar onde ficaria cada coisa dentro do programa;
3- Disfarçar o código para dificultar a sua interpretação por parte de terceiros.
Como a programação em Assembly é notadamente linear, percebe-se que esse terceiro ítem era evidentemente para dificultar o acesso ou intervenção de terceiros naquele programa, na tentativa de torná-lo exclusivo, inatingível, inalcançável. O intuito era de manter o cliente sempre fiel ao próprio desenvolvedor, garantido dessa forma a "perpétua" fidelidade do cliente, pois pensava-se que assim somente ele - o desenvolvedor - poderia entender, modificar, adaptar, melhorar o código.
O interessante é que, quanto mais se tentava disfarçar, mais evidente se tornava esse disfarce, pois o ser humano tende a repetir-se.
(O homem é praticamente incapaz de criar uma sequência randômica espontânea, pois ele sempre tenderá cair em um círculo vicioso).
E no tocante a raízes randômicas geradas por computador, também notamos que algumas linguagens as implementam de forma imperfeita, pois essa randomicidade forma na realidade enormes blocos que infalivelmente se repetem.
Parabéns!

[13] Comentário enviado por valterrezendeeng em 20/04/2009 - 11:35h

Parabens !!!!!!


Excelente o Artigo.

Isto é um aprendizado para a vida, o codidiano e etc.

Pode-se conseguir melhores resultados em diversas atividades na vida...

Gostaria de aprender mais, muito mais...


Parabens e continue postando!!!!

Um grande Abraço

[14] Comentário enviado por giaco em 29/04/2009 - 08:14h

Fascinante!

[15] Comentário enviado por thiago_program em 03/05/2009 - 18:11h

Como sempre, os seus artigos vão além da computação.

Parabens.

[16] Comentário enviado por caarlos0 em 04/05/2009 - 20:36h

isso também pode vir a ser útil em baladas (com as girls, haha), passar migué em professores, etc.. ?
aeuiheaiuheaiueahiu

[17] Comentário enviado por dekaos em 10/06/2009 - 14:28h

Olá pessoal, PNL é algo realmente útil em qualquer área, eu já fiz alguns treinamentos com PNL e como programador de computadores já estou

indo mais longe com isso tudo.

Deixo ai o site da pessoa mais power que conheço no assunto www.sirleygonzalez.com.br , e que também é amante de software livre. ;)

[18] Comentário enviado por Zaraki em 21/12/2011 - 01:45h

Excelente artigo

[19] Comentário enviado por marcio_paim em 14/02/2012 - 19:53h

Excelente artigo! Realmente não esperava encontrar algo do tipo por aqui mas achei muito válido.


Contribuir com comentário