Os segredos da criptografia com o Gcipher

Neste artigo abordo um pouco da história da criptografia, como surgiu, quais são as técnicas existentes e como funcionam e para completar e por na prática tudo que foi falado, apresento o GCipher, uma simples e fantástica ferramenta open source para criptografia. Confira!

[ Hits: 41.672 ]

Por: Matheus Santana Lima em 20/11/2006


Usando a linha de comando



O GCipher ainda te permite usar a linha de comando. Para poder melhor demonstrar, criei um arquivo chamado cript.txt com o seguinte conteúdo:

viva o linux!
teste com o gcipher na linha de comando.

Abra o terminal onde está o arquivo texto e digite assim:

$ gcipher -c Gie cript.txt

E o resultado obtido foi com a encriptação Gie será:

erez l ormfc!
gvhgv xln l txrksvi mz ormsz wv xlnzmwl.

Agora mudando para usar a encriptação Rot, colocando a especificação 5 para a chave privada:

$ gcipher -c Rot -k 5 cript.txt

E o resultado:

anaf t qnszc!
yjxyj htr t lhnumjw sf qnsmf ij htrfsit.

Usando o Vigenere com a chave privada 'has':

$ gcipher -c Vigenere -k has cript.txt

cinh o dpnme!
aekae uvm g ncawhwy ns sifoa vl cgtafko.

Agora para demonstrar o processo inverso, de decriptação, criei o arquivo encript.txt com o conteúdo:

erez l ormfc!
gvhgv xln l txrksvi mz ormsz wv xlnzmwl.

Veja os resultados do comando:

$ gcipher -C Gie encript.txt

viva o linux!
teste com o gcipher na linha de comando.

Veja que foi necessário mudar o parâmetro "-c" para "-C" para podermos desencriptar.

Agora vamos testar com o Vigenere, usando o seguinte texto no encript.txt:

cinh o dpnme!
aekae uvm g ncawhwy ns sifoa vl cgtafko.

Com a chave-privada has, que foi usada anteriormente, mas pode ser qualquer outra, de acordo como você for usar. Veja os resultados do comando:

$ gcipher -C Vigenere -k has encript.txt

E o resultado foi:

viva o linux!
teste com o gcipher na linha de comando.

Conclusão


Espero que vocês tenham gostado deste artigo e que eu possa ter levado a você que não conhecia nada sobre criptografia um maior conhecimento sobre assunto. Sei que não fui muito breve no artigo, mas tentei abranger o máximo de informação da forma mais simples e resumida possível.

Obrigado a todos.
Fico no aguardo pelos comentários.
Matheus Santana Lima
matheusslima - at - yahoo.com.br
www.matheussantanalima.x-br.com

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. O que é criptografia
   2. A criptografia e a Segunda Guerra
   3. O GChiper e a criptografia
   4. Usando a linha de comando
Outros artigos deste autor

Fazendo montagens com o Gimp

Conheçendo o sistema operacional GNU/Fiwix

Projeto OpenFarm

Projeto OLPC - O famoso laptop de $100

Mulheres na Informática: O Movimento LinuxChix BR

Leitura recomendada

Bloqueio de usuários com o chroot

PaX: Solução eficiente para segurança em Linux

TinyOS

Lynis: Sistema de auditoria e segurança para Linux

Proxy reverso e balanceamento de carga utilizando o Pound

  
Comentários
[1] Comentário enviado por tatototino em 20/11/2006 - 21:05h

humm legal

esse programa parece o PGP

mas tb tem em modo gráfico

parabéns

[2] Comentário enviado por marcrock em 20/11/2006 - 21:23h


Muito bom artigo cara!!!!!

esse programa com modo gráfico é D+!!!

[3] Comentário enviado por elm em 21/11/2006 - 08:49h

Muito bom. Eu ministro a disciplina de Segurança e Criptografia e este programa vai ser muito útil para mostrar aos alunos as "técnicas clássicas" de criptografia. Parabéns

[4] Comentário enviado por alexishuf em 21/11/2006 - 15:15h

Muito bom o artigo. Pena que no slackware o gcipher não funciona mto bem...
Ele vai pegar o python em /usr/local, depois importa bibliotecas gnome, e o pacote tgz não funciona de jeito nenhum.

Mas felizmente se baixar o tar.gz, entrar em src e só usar ./gcipher -c Rot -k 5 cript.txt o modo gráfico não funciona, porque ele tenta importar uns módulos do gnome (não tenho instalado). Mesmo assim é legal...

[5] Comentário enviado por metabolicbh em 17/10/2007 - 14:41h

Utiliza métodos de criptografia fracos... porém é útil para tarefas simples como se comunicar com alguém por e-mail ou mensagens simples. Um método interessante seria o Base64. Parabéns pela iniciativa.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts