O Software Livre nas Universidades

Um texto breve e simples que procura discutir a importância do software livre nas universidades, pois é um erro considerar o Linux somente um sistema operacional superior ao Windows, sendo que ele é ao mesmo tempo uma ótima alternativa social e anti-pirataria.

[ Hits: 32.740 ]

Por: Vinicius Massuchetto em 27/09/2006


Software Livre nas Universidades Brasileiras



Visto que grande parte da galera da comunidade Viva o Linux é estudante de informática, achei importante levantar e colocar esta questão, ao menos da maneira como eu a enxergo.

Me preocupa o fato de que a natureza de um software pode parecer uma questão apenas técnica, de apenas de pessoas envolvidas com a área, ou pior: de defensores do software livre como eu. Mas na verdade não é! A proveniência dos sistemas que usamos para gerenciar nossas informações é uma questão tão social e política quanto tantas outras que conhecemos.

Em meio a uma vasta discussão e definição, resumidamente entende-se por Software Livre os programas de computador que sejam passíveis de livre execução, modificação e distribuição. Ou seja: Não existe custo direto para a utilização do mesmo, pois este é suportado por uma enorme comunidade de colaboradores espalhados por todo o mundo, ao invés de possuir os direitos autorais detidos sobre a propriedade de uma empresa. Fenômeno que entende-se como a maior forma de desenvolvimento colaborativo existente até hoje.

Você consegue imaginar os benefícios sociais, econômicos, tecnológicos e acadêmicos trazidos por tudo isso? Somente uma idéia: em 2004, o governo poupou R$ 28 milhões com a implantação de Software Livre e isto era apenas 7% do gasto total com licenças.

O fato de sermos desimpedidos para usar softwares proprietários na universidades e em nossas casas sem pagar licenças não é à toa, pois é aí que estão os centros de aprendizado e mecanização da manipulação da informação. A cópia pirata utilizada por você hoje, é a cópia licenciada por um alto custo na sua empresa amanhã. Dizemos então que as grandes empresas do ramo sobrevivem da pirataria, utilizando-se de práticas nazistas de distribuição do produto para conquista de mercado. Isso lembra muito o que praticantes de drogas fazem para aumentar seu campo de compradores: distribuem porções da droga para potenciais "clientes centrais".

Visitei muitas universidades públicas pelo Brasil afora, e considero deprimente adentrar um laboratório de informática com 30 a 40 computadores de um grande centro de ciências aplicadas e tecnológicas, e encontrar um Windows Server rodando em máquinas caquéticas com HD e que mal agüentam o ambiente gráfico, enquanto um sistema simples de boot remoto resolveria o problema.

Caímos na realidade de reaproveitar tantos micros velhos, e a de não educar os nossos alunos para que estes posteriormente dirijam-se às suas multinacionais somente sabendo fazer gráficos no Excel e desligando o computador clicando em "Iniciar", e para isso tendo que ser responsável por uma licença corporativa assassina, da qual a empresa teme se livrar para não comprometer sua produtividade já tão viciada sobre os software proprietários.

Ao comprar um software, além de lhe serem impostas várias condições de utilização em regime ditatorial, você está usufruindo de uma imensa propriedade intelectual acumulada ao longo de décadas por inúmeras pessoas, e que agora é vendida pelo "fabricante" do produto.

Sem me estender mais, pois quero deixar a discussão para eventuais comentários, eu defendo a utilização exclusiva de Software Livre nas universidades e em qualquer outro lugar por me recusar a ser um mero usuário e comprador de tecnologia, e pelo meu desejo de que os nossos centros de ensino deixem de formar apenas reprodutores de procedimentos pagos, pois eu como cidadão prefiro ser desenvolvedor e detentor da tecnologia, usufruindo de um bem imenso e que não pode ser comprado: a colaboratividade.

   

Páginas do artigo
   1. Software Livre nas Universidades Brasileiras
Outros artigos deste autor

Download de MP3s no IRC via X-Chat usando o protocolo SDFind

Conseguindo o reembolso da licença do Microsoft Windows

Leitura recomendada

Criando um álbum de fotos no Linux

Instalando o IBExpert no Linux e acessando o Firebird

Instalando o Ultra Servidor no Debian Lenny

Windows CE/PocketPC com Linux, sim!

GoblinX: Um live-cd baseado no Slackware

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fernandofei em 27/09/2006 - 08:48h

Muito bom o artigo, totalmente a favor do que eu penso. soh acho q o SL deveria ser mais divulgado, principalmente nas universidades.

Na faculdade que estudei, AJUDEI a introduzir o software livre no meio academico.
No link abaixo tem um artigo meu q foi publicado exatamente sobre isso
http://www.usp.br/siicusp/13osiicusp/aprovados/ficha4397.htm
primeiramente fui o responsavel a introduzir o SL em um laboratorio com cerca de 20 computadores, desses cerca de 4 funcionavam perfeitamente. No link tem maiores detalhes.
em uma palestra que dei, fiquei chocado com a quantidade de pessoas que faziam Ciencia da Computacao e nunca ao menos tinham ouvido falar do linux... depois da palestra senti um receio de alguns alunos, mas outros vieram falar comigo posteriormente sobre o assunto.
No evento em questao, fiz a instalacao do Slackware passo a passo para que todos aprendessem e futuramente instalarem uma dist em seus computadoes pessoais. Usei o slack porque é ele que uso com frequencia e garanto ajudar mais as pessoas.
Me prontifiquei a gravar cds com o slackware, apenas pedia as midias. O numero de pessoas interessadas foi muito grande.
Aos poucos percebi que meu email recebia muito mais mensagens do que antes, tiveram dias que respondi cerca de 40 emails de pessoas da faculdade, inclusive alunos e professores. Isso mostra que o SL nao é tao divulgado quanto deveria ser, principalmente nas universidades.

[2] Comentário enviado por jony em 27/09/2006 - 09:10h

Muito válido e importante o artigo. Poderíamos catalogar (onde? qual wiki?) as universidades com iniciativa no âmbito de SL e citar tais iniciativas. Sejam grupos de estudo, cadeiras específicas, centros de pesquisa... enfim. Seria uma referência ótima =)

Um wiki no vivaolinux seria interessante (wiki.vivaolinux.com.br)

abs
jony dos santos kostetzer

[3] Comentário enviado por bruno_artur em 27/09/2006 - 09:58h

Fiz o pedido de 10 Cds do UBUNTU e dei para um professor distribuir em sua aula. Ele me falou q os alunos se interessaram bastante pela iniciativa. Se cada um de nos ajudarmos a divulgar o SL nas Universidades seria um passo adiante para acabar com o monopolio dos sistemas proprietários dentro das Universidades.

[4] Comentário enviado por coffnix em 27/09/2006 - 10:06h

No diretório acadêmico do meu curso (Engenharia Eletrônica e de Telecomunicação) na PucMinas os servidores rodam Linux! ehehehe

pq será? será pq sou eu o Diretor de TI? rs


té mais e parabéns pelo excelente artigo!

[5] Comentário enviado por 100destino em 27/09/2006 - 10:45h

Cara, esse artigo é muuuuito bom, e eu sou a favor do SL, eu estudo em uma faculdade na minha cidade, e nela nos aprendemos Delphi, firebird e tals, td dentro do windows claro, mas uma coisa q eu acho absurdo é que na pós-graduação, os alunos aprendem FEDORA, e nos que estamos nos graduando não podemos usa-lo, isso é um absurdo, sou completamente a favor do software livre não apenas nas faculdades, mas em todo os lugares e empresas, pois além dele ser muito seguro, ele eh barato e podemos adapta-lo conforme as nossas necessidades. Inclusive estou montando uma forma de divulgar o SL, tipo palestras e treinamentos, mas isso ainda vai demora 1 poko, pois apenas estou começando com a ideia, e começando a estudar tb, mas isso eh muito bom, pois acho que a minha parte eu estou fazendo.

[6] Comentário enviado por Flare em 27/09/2006 - 12:13h

Realmente um artigo bem estruturado, centrado e interessante. Acho que as universidades estão acordando agora e estão aos poucos melhorando a base de SL. Na UFSC já tive alguns professores que incentivam o SL como tambem já tive professor que mandou o crack e pediu que a tarefa fosse feita só nesse software especifico(Só para windows) e como não tinha windows tive que pedir para um amigo meu fazer.
Ainda tem muito a ser feito.

Até mais e parabens

[7] Comentário enviado por edivan em 27/09/2006 - 12:32h

Na minha faculdade (SI) na cadeira de sistemas operacionais, quando o professor perguntou:
-Quantos conhecem o linux ou unix aqui?
Qui tristeza! somente 2 alunos (de 30) responderam que sim. Ele teve que ensinar a usar o basico da shell! Parece que os alunos estão mais interessados em aprender o "dotti neti". Não sei como é a situação em Ciências da Computação mas em Sistemas de Informação esta alarmante.

Muito bacana o artigo.

*Já antecipando post futuros: Sim, o meu português também é alarmante mal.

[8] Comentário enviado por vmassuchetto em 27/09/2006 - 12:53h

Valeu mesmo galera!

Como todos estão contanto 'causos':

Eu estudo Química Ambiental, e havia uma disciplina onde o professor EXIGIA que os trabalhos de mecanismos orgânicos fossem entregues desenhados em um programa para desenhos de mecanismos chamado ISISDraw, proprietário.

Ele distribuiu um programa junto com o CRACK em um CD.

Para variar, o escândalo foi só meu, os outros alunos e nem o professor entenderam o porquê de eu me revoltar a respeito. Com o discurso: "Cara, estou lhe dando o CD, de que você está reclamando?"

O pior, é que o professor faz isso inconscientemente, porquê não vê a carga social da exigência. E isso acontece muito:

*.doc MS Word em teses de graduação, mestrado e doutorado;
*.cdr CorelDraw em faculdades de artes gráficas;
*.dwg AutoCAD em faculdades de engenharia;

E por aí vai!

Digo aqui que este tipo de coisa deve ser OPCIONAL por parte do aluno, e os professores precisam ter consciência do que estão fazendo quando fazem isso.

Ah sim. E existem softwares livre muito bons para desenhar moléculas :)
Fiz o trabalho no 'easychem', e ele nem notou.

Grande abraço a todos!
Vinícius

[9] Comentário enviado por marcrock em 27/09/2006 - 14:47h

Muito bom seu artigo cara!!!! Não sou universitário, mas fiz a migração do windows para o linux no meu pc de casa, também acho que a divulgação do aspecto social e ético do software livre ainda é muito pequena, as pessoas não conseguem entender o aspecto da cooperação, inclusão e distribuição de conhecimento como uma forma inclusive de redução de desigualdades sociais.E muito ""profissionais"" ainda tratam o assunto como ""software de ""graça"" e não software livre!!!!!!
Abraços!!!
Marcos

[10] Comentário enviado por uiliangurjon em 27/09/2006 - 15:23h

Muito bom o artigo!!!!, Na faculdade onde estudei todos os terminais disponiveis aos alunos e professores usam linux (RedHat). Foi um bom incentivo aos alunos.

[11] Comentário enviado por removido em 27/09/2006 - 15:49h

Muito bom seu artigo, vou encaminha-lo a um colega que faz informática na UFRGS-RS porque apesar de estar estudando informática ele me disse que o Linux é uma coisa sem futuro e que é perda de tempo o seu estudo, ai não sei se ele quem é muito sem visão ou a faculade que ele estuda é quem não tem, alias essa chega a ser uma situação inusitada algo de que não se tem de pagar é preterido por algo que se paga e não funciona direito. Vai entender esse povo.


sniper!

[12] Comentário enviado por diegotosco em 27/09/2006 - 21:33h

Faço Sistemas de Telecolunicações no CEFET/SC e, até agora (4ª fase), não precisei usar o windows. Toda a parte de aplicativos utilitários para redes foi baseada em free softs. No laboratório de informática, aberto todo o dia aos alunos, existem 6 computadores com winXP e 4 com mandrake 10.1 (poderia ser o slack, mas tudo bem).

O Linux está crescendo, é de artigos como esse que a comunidade precisa. Tu deveria publicar num jornal!

[13] Comentário enviado por corvolino em 27/09/2006 - 23:38h

"sendo que ele é ao mesmo tempo uma ótima alternativa social e anti-pirataria. "

Acho que isso ja diz tudo. ;)

Abraços.

[14] Comentário enviado por _m4n14c_ em 28/09/2006 - 02:02h

a este respeito eh interessante acompanhar as atividades do C3SL, ligado aos deptos de fisica e informatica da ufpr. Os caras aprimoraram a tecnica de terminais leves multiheads para construir laboratorios de baixo custo, hospedam um mirror do sourceforge (o unico da america latina) e desenvolvem solucoes especificas para o uso em universidades.

[15] Comentário enviado por gomes-fdr em 28/09/2006 - 08:08h

Uma questão de respeito!

O ponto chave está no respeiro a escolha das pessoas e das empresas, se a escolha foi a de desenvolver em software propietário e manter-se propietário tb, as demais pessoas devem respeitar e pagar pelo serviço/produto - se não for assim é roubo(independente de questões idológicas).

Outro ponto importante está no exemplo, fica muito comodo falar que software livre é bacana e coisa e tal...Tem que dar o exemplo, usar software livre - vou usar o exemplo de casa para clarear um pouco. Usava uma máquina com dual boot (slack+winXP) - minha esposa não se adptou ao slack, mês passado saquei tudo e instalei o Ubuntu(pessoal adoro o slack, sem flames pls). Hoje usamos 100% software livre em casa(trabalhos da faculdade, mensagens instantaneas, multi-midia, gráficos, etc...) e ainda escuto coisas do tipo "bah como é simples e rápido esse tal do linux".

Grande abraço a todos!

[16] Comentário enviado por coffnix em 28/09/2006 - 09:58h

gostei do artigo, será q vc não gostaria de publicá-lo em outro site tb?

www.bestlinux.com.br


té mais

[17] Comentário enviado por yetlinux em 28/09/2006 - 11:02h

Essa conclusão já tinha para mim há tempos, mas como um pesquisador publicou...

Alguém publicou uma pesquisa dizendo que a pirataria inibe o SL.

Acontece que as pessoas, práticas e acomodadas, preferirão comprar seu sistema pirata na esquina ao invés de perderem um tempo prá usar algo lelagizado. A curva de aprendizado é alta.

Mesmo que percam uma grana, é bom para a indústria proprietária conservar a pirataria pela divulgação e popularização. Se acabarmos com o comércio de piratas, o que as pessoas farão?

[18] Comentário enviado por vmassuchetto em 28/09/2006 - 12:48h

Pessoas,

Me desculpem por não avisar. Mas sejam livres para usar o artigo como bem entenderem, coloco ele em Creative Commons NCSA 2.5 =)

E vamos escrever mais conteúdo ideológico para o VOL!
De vez em quando precisamos respirar em meio aos bits e algoritmos pra usar a nossa massa cinzenta em prol de outros bens! \o/

Em breve tentarei escrever um artigo sobre o que percebi que é bem dominante aqui:
"A pirataria favorece o software proprietário."

Só arranjar tempo pra pesquisar e escrever =p

Grande abraço! E obrigado novamente...
Vinícius

[19] Comentário enviado por coffnix em 28/09/2006 - 14:03h

sobre a sua pesquisa, talvez isso possa lhe ajudar.....

http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2006/09/11/idgnoticia.2006-09-11.3554208066/IDGNotic...


"A pirataria de software ao contrário do que pensa o senso comum pode ajudar a Microsoft em sua batalha contra o Linux.

Essa é uma das conclusões de um estudo polêmico de dois pesquisadores da Harvard Business School, dos Estados Unidos."

[20] Comentário enviado por arkanjo em 28/09/2006 - 19:14h

Olá ! eu sou bolsista no 1° ano do curso de Engenharia da Computação na universidade Unicenp aki em curitiba.
Até hoje me revolto ao olhar pros laboratorios de informática e ver todos micros Pentium 3 800mhz com 128Mb de ram e esses micros estarem com o windows 2000 e vai uma lista rapida do que mais tem la de software proprietario.
M$ Visual studio- poderiam instalar o Anjuta ou Kdevelop no linux
Orcad - Poderiam por o Eagle(ñ é livre mas tem uma versão gratuita, ñ achei semelhante bom sendo totalmente livre
Matlab- pode ser posto Octave
Maple- livre seria o xCas ou xMaxima
Multisim- ñ achei outro semelhante e bom :(

bem, esses são alguns dos que gastam uma fortuna em licensa sendo que poderiam substituir por software livre, uma vez perguntei pro professor de algoritmos sobre pq ñ usam linux e a resposta foi a respeito de segurança com o samba, pois os alunos logam no win2000 com um numero proprio de matricula e o ruindow coloca um drive G: mapeado onde temos uns 30MB pra arquivos pessoias, e justamente esse compartilhamento é que da o problema, pq ñ sabem como fazer pra o linux tb montar este compartilhamento e desmontar, pois montar qd o aluno loga até conseguiram, mas qd desloga e outro loga, a pasta do primeiro aluno continua montada ..... e eu tb ñ entendo de samba ou rede em linux suficiente pra saber como arrumar isso ... :P

bem , uma vez enviei email pro professor de geometria analitica sobre softwares livres que pudessem substituir o maple e matlab ... segue copia deste email abaixo pra quem se interessar .. talvez eu tenha errado em algo na descrição do software e o texto ta mal redigido pq escrevi na pressa ... mas segue aí .....

"'''''''''''''''''''''''''
Ola Professor,
como comentei em classe, pesquisando alguns programas para engenharia e matematica em software livre pra linux e Windows achei alguns muito bons ...

Todos são software livre, que alem de gratuíto ainda o codigo fonte do programa pode ser visto e editado por qlq um, o que possibilita conhecer como esses programas foram feitos, alem de quem tiver mais experiencia em programação, pode mudar e melhorar o programa.

--Primeiro vou comentar sobre um programa semelhante ao MatLab, o Scilac que esta em desenvolvimento desde 1990, ele é muito usado em muitas universidades e centros de pesquina no mundo; o software incluiinumeras funções matematicas com a possibilidade de adicionar interação com programas de varias linguagens (como C ou Fortran...), ele tem uma sofisticada estrutura de dados,incluindo listas, polinomios, funções racionais, sistemas lineares entre outros, alem de um interpretador e uma linguagem de programação de alto nivel.
O ScaiLab faz graficos e animações em 2D e 3D, e muitas outras funções, alem das extenções que adicionam mais recursos ao programa, até esta sendo desenvolvida uma para visão artificial, que atravez da analize das formas e os vetores internos pode fazer o programa reconhecer uma forma qlq, podendo ser usado em muitos projetos, como reconhecimento de caracteres e muito mais.
O site oficial do programa é
http://www.scilab.org/
Scilab screenshot
e pode ser baixado pra diversas plataformas(Windows, Linux, Solaris...) em http://www.scilab.org/download/index_download.php?page=release.html
Usuários Kurumin Linux ou Ubuntu Linux, e seus derivados, podem instalar rapidamente com o comando
sudo apt-get install scilab


--Um outro programa mais semelhante ainda com o Matlab, aceitando inclusive os arquivos .m do matlab tem tb o Octave, este foi desenvolvido na universidade de Wisconsin e na Universidade do Texas inicialmente para ser uma ferramenta para estudantes de Engenharia Quimica, ele tem uma interface de linha de comando para resolver problemas lineares e não-lineares, e ainda funciona como linguagem de programação em batch, sendo facilmente customizavel usando funções definidas pelo usuário e criadas em linguagem C/C++, fortran e outras.
A pagina oficial do programa é
http://www.gnu.org/software/octave/octave.html
[3D graph] [Lorenz Attractor]
e pode ser baixado em, tb pra diversas plataformas como linux, windows, Mac OS...
http://www.gnu.org/software/octave/download.html
usuários Kurumin e Ubuntu linux, podem instalar com o comando
sudo apt-get install octave


----Um programa semelhante ao maple tem o Xcas, ele é um programa de CAS(Computer Algebra System) que possui modos de compatibilidade para o Maple, Mupad e TI89, ele faz calculo avançado de ponto flutuante, inteiros, aritmedica polinomial, simplificação, equações, decomposição de fração parcial, Calculo(derivação, integração, limites, espanção de series) algebra linear(vetores, matrizes...) Geometria, 2D e 3D, ponto segmento, linha, plano, triangulo, poligono, circulo, conicos, curvas parametricas, superficies, intersecção, tangentes... Alem de ter funções de programação para varias sintaxes de programação(C, Maple, Mupad, TI89).
Ele possui binarios compilados para Mas OS X, Windows, Linux, e até portateis como Windows CE e Linux ARM, alem de poder ser portado pra outras plataformas atravez do codigo fonte.
A interface grafica dele é um pouco complicada no começo devido as muitas funções e estilo meio antigo da interface, mas os recursos são muitos, sendo considerado melhor que o Maple por muitos especialistas.
A pagina do programa é
http://www-fourier.ujf-grenoble.fr/~parisse/giac.html
e esta disponivel pra download em
http://www-fourier.ujf-grenoble.fr/~parisse/giac.html#wcas


--Alem desses há um projeto tb para CAS, que achei muito bom e facil de usar, que é o Maxima, ele faz tb dezenas de funções como manipulação de espressões simbolicas e numericas, incluindo diferenciação, integração, serie Taylor, transformação Laplace, equações diferenciais ordenadas, sistemas de equações lineares, e vetores, matrizes e tensores. Ele produz resultados de alta precisão por usar frações exatas e representação de ponto flutuante longo arbitrario e pode exibir funções em graficos de 2 ou 3 dimenções.
a pagina oficial é
http://maxima.sourceforge.net/
Xmaxima on Windows
ele pode ser copiado em
http://sourceforge.net/project/showfiles.php?group_id=4933
assim como os outros tem vers]ão linux, windows e outras plataformas.
ele pode rodar dentro de editores especiais como o GNU TeXmacs ou GNU Emacs e assim como o Octave e Xcas ele é integrado com o Gnuplot que é um programa especializado para fazer graficos de funções em 2D e 3D
a pagina oficial é
http://gnuplot.sourceforge.net/
mas ele ja vem junto nos programas citados

title figure




--Para meio de curiosidade da sobre a qualidade dos Software Livre na área de engenharia e matematica existe um projeto feito pela empresa Hydrix, http://www.hydrix.com/ , que é desenvolver uma cauculadora cerca de 25x mais rapida que a HP 49G+, alem de ter função de Palmtop e ter tela colorida,
Pode ser lida uma mataria sobre esta calculadora em
http://www.hpcalc.org/qonos.php
No site informa que pra ter todo esse processamento ela usa o sistema operacional Linux portado para essa calculadora, ela usa os softwares Gnuplot, Xcas e o MathsExplorer entre outros.
Ela ainda esta em desenvolvimento mas ja tem algumas imagens de como poderá ser o design da calculadora


Alem de algumas telas do prototipo funcionando



Para os adeptos das HPs e das TI (Texas Instrumets) ela tb pode emular essas calculadoras atravez de emuladores feitos pra linux. como o HP Emulator e TI Emulator.
Mas infelismente ainda ñ localizei informação sobre qual a previsão de lançamento dessa calculadora, só vi a previção do valor dela que será de pouco mais de 300U$, um pouco salgado pra uma calculadora, mas vale a pena pra proficionais e estudante da área.


O Software Maxima possui um Help em portugues em http://maxima.sourceforge.net/docs/tutorial/pt/gaertner-tutorial-revision/Contents.htm
alem de tutoriais de uso em diversos sites que podem ser facilmente localizados no Google, assim como os outros programas possui varios sites em portugues falando sobre eles como o Octave em
http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=2328&pagina=1

Sites em Portugues:
SciLab >> http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=scilab&btnG=Pesquisa+Google&meta=cr%3DcountryBR
Maxima >> http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=xMaxima&btnG=Pesquisar&meta=cr%3DcountryBR
xcas >> http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=xcas&btnG=Pesquisar&meta=cr%3DcountryBR
Gnuplot >> http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=gnuplot&btnG=Pesquisar&meta=cr%3DcountryBR





O texto ficou um pouco longo , mas acho interessante dar uma conferida nesses programas
e talvez até solicitar a instalação nos laboratorios alem de incentivar aos alunos a usarem eles, pois alem
da otima qualidade dos programas eles ainda são totalmente livres, o que pode talvez incentivar aos alunos mais interessados a contribuir pra melhorias nesses programas
trazendo mais facilidades alem de diversas outras vantagens.Não incentivando a pirataria e futuramente os alunos ficarem presos a estes programas tendo que pagar caro
pela copia original qd for usar proficionalmente, local onde terá maior risco se usar software proprietario.


Não só esses, mas acho que a universidade deveria incentivar tb o uso de outros software livres, devido as diversas vantagem que tem sobre software proprietário :)
""""""""""""""""""""""

[21] Comentário enviado por willians dutra em 30/03/2007 - 19:57h

A questão do sl é muito mais complicada do que isso. É claro que sou a favor do sl e também prego o discurso que tudo deveria ser diferente, mas é muito difícil mudar tão rápido uma máquina que funciona assim desde o início de sua construção/uso. Precisamos que cada pessoa queira mudar e daí sim, podemos alcançar nossa utopia. Claro que só incentivo entre colegas e incentivos fiscais não resolvem, mas ajudam! portanto não podemos desanimar. cada grão de arroz é necessário para encher o pote.


[22] Comentário enviado por carlos.remenche em 14/08/2008 - 15:48h

Excelente comentários e excelentíssimo artigo! "Contra alienação! Linux é a solução!"


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts