Novo método de instalação do Arch Linux (systemd)

Depois de ver tudo mudando, decidi mudar também para o "systemd". Neste artigo darei uma força para quem está querendo aventurar-se no novo método de instalação do Arch Linux.

[ Hits: 13.393 ]

Por: Sylvio Lima Silva em 21/02/2013


Vamos começar



Para este artigo estou me baseando na instalação da ISO de janeiro, mas vocês podem usar a de sua preferência (desde que já utilize o systemd).

Os primeiros passos, que são baixar e gravar em DVD ou pendrive, não vou comentar aqui, pois acredito que os que se aventurem com o Arch Linux já devem saber fazer isso muito bem.

Logo após o boot do CD está lá, simples e solitário, o bash, esperando os comandos para começar. Então, começando, vamos configurar o idioma e o layout do teclado:

# loadkeys br-abnt2

Agora edite também o arquivo /etc/locale.gen. Utilize o editor de texto que preferir. No meu caso utilizo o Vi:

# vi /etc/locale.gen

Neste arquivo você terá que procurar e descomentar as linhas:

pt_BR.UTF-8 UTF-8
pt_BR ISO-8859-1

Após isso, digite o comando:

# locale-gen

Pronto, o teclado e o idioma da sua instalação já estão definidos. Agora vamos para a rede!

Caso tenha um roteador que disponibilize um IP automático, basta usar o comando:

# dhcpcd

Esse comando pegará o IP que o roteador estiver cedendo, caso contrário, se você usa uma fonte de IP estático, faça assim:

# ip addr add 192.168.1.2/24 dev eth0

Isto lhe dará um IP fixo, por enquanto. Agora vamos para o gateway.

# ip route add default via 192.168.1.1

Isso mostrará a rota padrão para o gateway.

Para o DNS, edite o arquivo /etc/resolv.conf e nele adicione:

nameserver 8.8.8.8
nameserver 8.8.4.4

Ou o DNS disponibilizado pelo seu provedor de acesso à Internet.

Pronto, até aqui foi bobeira, mas vamos para uma parte delicada: O particionamento.

O particionamento é algo que acredito ser muito particular ao usuário de GNU/Linux, pois tem os que gostam de fazer só uma partição para o sistema todo, outros gostam de utilizar partições separadas para os diretórios de configurações e temporários... Mas, como o GNU/Linux é um sistema livre, vou aqui colocar como eu faço as minhas partições e vocês podem fazer como preferirem!

Vamos começar o particionamento, lembrando que vamos fazer as seguintes partições:
  1. swap
  2. /boot
  3. / (root)
  4. /home

Utilizo o cfdisk para as partições do Arch, mas também existe o fdisk. Vai de sua preferência. Eu utilizo o cfdisk por achá-lo mais simples! :D

Para a partição SWAP, sempre utilizo o dobro da memória RAM. Ex.: RAM 2 GB = SWAP 4 GB.

Para a partição do boot, você pode criar uma partição com 100 MB que é o suficiente para a instalação do GRUB e seus arquivos de configuração.

Para a "/" (root), vamos criar uma partição com 25 GB, é o suficiente para a instalação do sistema base e de muitos outros softwares que você precise!

E, por fim, vamos para a HOME, nessa você pode deixar o restante do HD para esta partição, que será onde ficarão as configurações do usuário e seus diretórios. Ex.: Músicas, Documentos, Downloads, Imagens, etc.

Após a criação das partições, escreva as alterações na unidade e logo depois saia. Formataremos as unidades criadas. Depois das partições criadas, seu disco deve ficar, mais ou menos, assim:
  • sdx1 → swap
  • sdx2 → boot
  • sdx3 → / (root)
  • sdx4 → home

Obs.: Lembrando que o sdx é só um exemplo, troque o "x" pela letra de suas unidades de disco.

Vamos começar pela SWAP, faça assim:

# mkswap -L swapfs /dev/sdx1

Obs.: O "-L" é para criar um label para a unidade, para melhor organização.

Agora a SWAP já está criada, vamos ativá-la assim:

# swapon /dev/sdx1

Pronto, agora vamos para as outras partições. Primeiro iremos ao boot:

# mkfs.reserfs -L bootfs /dev/sdx2

E assim faremos com as outras unidades:

# mkfs.reserfs -L rootfs /dev/sdx3
# mkfs.reserfs -L homefs /dev/sdx4


Utilizei, para a formatação, o sistema de arquivos ReserFS por preferência própria, mas você pode usar ext3, ext4 ou outra de sua preferência.

Agora montaremos as partições na pasta root do sistema do CD em /mnt. Faça assim:

# mount /dev/sdx3 /mnt

Assim montamos a "/" (root) do sistema no diretório /mnt.

Agora, crie mais dois diretórios dentro da sua nova "/" (root): boot e HOME. Faça assim:

# mkdir /mnt/boot
E:
# mkdir /mnt/home

Agora montaremos o boot e a HOME. Para isso, faça assim:

# mount /dev/sdx2 /mnt/boot
# mount /dev/sdx4 /mnt/home


    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Vamos começar
   2. Instalação e configuração
Outros artigos deste autor

Mentalidade sobre distribuições

Leitura recomendada

Monitoramento de utilização do DNS

Otimizando o KDE com o Slackbuild

Compartilhando o acesso à Internet para a rede usando modem DSL 500B

Kazam Screencaster no Debian Wheezy

Configurando uma impressora com Samba e CUPS

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cararetoalonso em 21/02/2013 - 18:51h

Olá Sylvio. Olha vi o seu artigo e achei muito bom mesmo. Eu estou com um pequeno problema aqui no arch, pois não estou conseguindo configurar o meu teclado thinkpad t420 nele. Como faço para habilitar as malditas teclas "/" e "?" do teclado thinkpad?rss.. Valeu por qualquer ajuda. Obrigado.

[2] Comentário enviado por m4iir1c10 em 21/02/2013 - 19:30h

Po moderação !!! vcs não viram isso?

/etc/vocêonsole.conf

o certo é

/etc/vconsole.conf

A não ser que seja um trocadilho que eu não entendi. :)

[3] Comentário enviado por izaias em 21/02/2013 - 20:43h

Resolvido!

Era só solicitar.
Numa próxima vez (que espero não ocorrer) disque: izac.cf@gmail.com

É difícil ocorrer estes erros, mas ninguém é "poerfieto!" :)

No Stress!

[4] Comentário enviado por removido em 21/02/2013 - 22:25h

huahshua . disque: izac.cf@gmail.com

o site tem call center agora? kkkkk

boa mano muito bom o artigo.

[5] Comentário enviado por wopgan em 22/02/2013 - 08:52h

cararetoalonso, me diga... vc sabe qual é o idioma do seu teclado? pq se for abnt2 como o meu a configuração é a mesma, ou então vc vai ter q esperar até a instalação da interface gráfica para verificar isso, pq se não me engano o teclado ao qual vc se refere é aquele que tem a tecla /? próxima ao altGr? verifica ai direito e vamos ver o q podemos fazer!

[6] Comentário enviado por wopgan em 22/02/2013 - 08:54h

Ficou ótima a edição moderação!

[7] Comentário enviado por lucaspatis em 22/02/2013 - 12:50h

Eu estou realmente maravilhado com o Arch, o sistemd acelerou a inicialização e não é tão complicado de configurar. Instalei já duas vezes utilizando a Wiki, que é basicamente o mesmo procedimento demonstrado no artigo. O que mais gostei é que a inicialização não tem mais aquele monte de letras aparecendo, principalmente se você seguir o tuto da wiki "silent boot" que após o grub a única coisa que aparece é seu ambiente de trabalho, sem informações desinteressantes. :)

[8] Comentário enviado por izaias em 22/02/2013 - 12:56h

As informações que aparecem na tela antes de iniciar são muito importantes.

Tive um problema com o atual Slackware 14 que não iniciava.
Na tela dizia que havia um erro na identificação da partição (dev/sda7), causada por uma configuração que fiz no GParted do Ubuntu.

Como no Linux quase tudo é arquivo, consegui resolver.
Se não fosse essas informações...

[9] Comentário enviado por lucaspatis em 22/02/2013 - 17:33h


[8] Comentário enviado por izaias em 22/02/2013 - 12:56h:

As informações que aparecem na tela antes de iniciar são muito importantes.

Tive um problema com o atual Slackware 14 que não iniciava.
Na tela dizia que havia um erro na identificação da partição (dev/sda7), causada por uma configuração que fiz no GParted do Ubuntu.

Como no Linux quase tudo é arquivo, consegui resolver.
Se não fosse essas informações...


O procedimento que eu utilizei não impossibilita você a ver as informações durante o boot, se tiver algum problema é só apertar as teclas alt f12 e lá estarão elas.


[10] Comentário enviado por izaias em 22/02/2013 - 19:47h


[9] Comentário enviado por lucaspatis em 22/02/2013 - 17:33h:

O procedimento que eu utilizei não impossibilita você a ver as informações durante o boot, se tiver algum problema é só apertar as teclas alt f12 e lá estarão elas.



Boa!

[11] Comentário enviado por wopgan em 24/02/2013 - 07:38h


[9] Comentário enviado por lucaspatis em 22/02/2013 - 17:33h:


[8] Comentário enviado por izaias em 22/02/2013 - 12:56h:

As informações que aparecem na tela antes de iniciar são muito importantes.

Tive um problema com o atual Slackware 14 que não iniciava.
Na tela dizia que havia um erro na identificação da partição (dev/sda7), causada por uma configuração que fiz no GParted do Ubuntu.

Como no Linux quase tudo é arquivo, consegui resolver.
Se não fosse essas informações...

O procedimento que eu utilizei não impossibilita você a ver as informações durante o boot, se tiver algum problema é só apertar as teclas alt f12 e lá estarão elas.



Não sabia dessa ... tah anotado ...


[12] Comentário enviado por Orion@Xorg em 25/02/2013 - 14:58h

O artigo é bom, mas parte do princípio que vai instalar somente o ArchLinux em um HD. O maior desafio a partir do lançamento do Windows8 com UEFI/Security boot é instalar o ArchLinux em um computador ou notebook com o Windows8 pré-instalado e fazer um dual-boot mostrando Grub, ou outro gerenciador de boot, com as opções de carregar o Windows8 ou ArchLinux. Instalar somente o ArchLinux num HD é fácil e esse artigo é redundante, pois pode-se consultar a página oficial do ArchLinux e lá vai encontrar o manual de instalação explicando tudo.

Portanto, poderia fazer um artigo ensinando como instalar o ArchLinux num notebook com o Windows8 pré-instalado e placa-mãe com suporte a UEFI?

Obrigado

[13] Comentário enviado por wopgan em 25/02/2013 - 15:10h

Sim concerteza essa seria a meta, se o artigo fosse um tutorial avançado da instalação, e não é o meu interesse instalar o arch linux em dual boot com o windows 8, a explicação acima esta bem mais mastigada que o beginner's guide do site oficial... ah não estou utilizando nenhum computador com suporte a UEFI ... poderia sim explicar isso ... mais como te falei não é interessante pra mim já q não uso mais o sistema do tio BIl ah alguns anos ... mais posso ver isso em outro tutorial, afinal de contas não é tão complicado assim ... mais msm assim valew pelo ponto de vista ...


[12] Comentário enviado por Orion@Xorg em 25/02/2013 - 14:58h:

O artigo é bom, mas parte do princípio que vai instalar somente o ArchLinux em um HD. O maior desafio a partir do lançamento do Windows8 com UEFI/Security boot é instalar o ArchLinux em um computador ou notebook com o Windows8 pré-instalado e fazer um dual-boot mostrando Grub, ou outro gerenciador de boot, com as opções de carregar o Windows8 ou ArchLinux. Instalar somente o ArchLinux num HD é fácil e esse artigo é redundante, pois pode-se consultar a página oficial do ArchLinux e lá vai encontrar o manual de instalação explicando tudo.

Portanto, poderia fazer um artigo ensinando como instalar o ArchLinux num notebook com o Windows8 pré-instalado e placa-mãe com suporte a UEFI?

Obrigado



[14] Comentário enviado por amz_pb em 26/02/2013 - 14:55h

Ao colega cararetoalonso:
Antes de instalar o ambiente gráfico, verifique qual tecla representa “ / ” no seu teclado p/ realizar os passos da instalação. No meu caso, correspondia à tecla “ ; ”
Em instalando o ambiente gráfico, proceda à seguinte configuração xorg (sudo nano /etc/X11/xorg.conf.d):
(…)
Section "InputClass"
Identifier "evdev keyboard catchall"
MatchIsKeyboard "on"
MatchDevicePath "/dev/input/event*"
Driver "evdev"
Option "XkbLayout" "br"
Option "XkbModel" "thinkpad60"
Option "XkbVariant" "abnt2"
EndSection
(…)
Em ambiente gráfico resolve o problema.
Alternativa: nano ~/.bashrc:
(…)
setxkbmap -model thinkpad -layout br -variant abnt2
Obs: (…) indica que deve/pode haver outras linhas no arquivo.

[15] Comentário enviado por px em 27/02/2013 - 05:34h

boa iniciativa vou indicar a uns colegas q não instalam o Arch por preguiça de ler a wiki em inglês ( ve se pode isso :@ ) , só mais uma pergunta por que ao invés de usar ext3 ou ext4 vc utiliza o reiserfs ? tem alguma logica nisso , tipo velocidade de leitura , alocação , etc etc , ou é só gosto ou sl , grato desde jah.

[16] Comentário enviado por wopgan em 27/02/2013 - 07:57h

Valew cara... indica ai msm mano ... bom px, eu utilizo o reiserfs por achar mais rápido e por já ter passado algumas dores de cabeça com o ext4, considero o reserfs mais confiável e durador ... mais esse lance de sistema de arquivo vai da experiencia de cada um né !!! eu nunca tive problema nenhum com o reserfs ... já com o ext3 e o ext4 já ...

[17] Comentário enviado por varbex em 27/02/2013 - 19:30h

Px, o ReiserFs é conhecido por gerenciar muitos arquivos pequenos com muito mais eficiência. E pelos reviews que li o Ext4 esta ganhando em velocidade para arquivos grandes.

Cararetoalonso, o Layout do teclado tinha um Bug que foi corrigido. No Arch você pode extrair o arquivo /usr/share/kbd/i386/qwerty/br-abnt2.map.gz e editar o arquivo br-abnt2.map e remapear o seu teclado manualmente se necessário usando o utilitário showkey.Maiores informações na wiki do Arch. Link https://wiki.archlinux.org/index.php/Extra_Keyboard_Keys

Quanto ao artigo uma instalação bem mastigada em Português, Um adianto pra quem não lê em inglês com fluência e gostaria de instalar o Arch.

[18] Comentário enviado por px em 03/03/2013 - 18:37h

valeu ai galera esclareceu muito , vou dar mais uma olhada na net , para descobrir a causa de o reiser ser melhor para pequenos e o ext4 para arquivos grandes , acredito q seja alocamento mais vou dar um "confere" la , vlw


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts