Montar dispositivos com haldaemon em usuários NIS

Quem usa NIS em sua rede, principalmente o que já vem com as novas versões das distribuições Linux, sabe da dificuldade existente em montar dispositivos para os usuários NIS. Este artigo mostra uma forma que encontrei para driblar o problema e fazer com que usuários NIS, em uma máquina cliente, possam utilizar os haldaemon.

[ Hits: 11.683 ]

Por: Johnatas Teixeira de Freitas em 18/06/2008


Uma solução



Montar dispositivos com o haldaemon em um usuário local é uma coisa simples e que a maioria dos usuários já sabem: basta adicionar o usuário em questão ao grupo plugdev que tudo fica resolvido. Porém, quando o usuário é um usuário NIS, que loga em uma máquina cliente, a coisa fica um pouco mais complicada, pois o usuário não é local, embora esteja utilizando os recursos da máquina local. Como resolver isso?

Colocando o usuário remoto no grupo plugdev, onde ele foi criado, no caso, o servidor?
Eu tentei isso, mas não funciona. Mesmo que quando digitamos 'id' no console mostra o usuário como pertencente ao grupo plugdev, o haldaemon continua retornando aquele errinho chato e não monta os dispositivos. Então, o que fazer?

Recentemente, na faculdade, fizemos algo interessante: mudamos o fstab. Está certo que para o usuário local, o comentário em alguns dispositivos devem permanecer para que o haldaemon funcione bem. Porém, para usuários remotos essa foi a única solução encontrada, além, claro, de termos que modificar os parâmetros.

Para os que usam KDE, vocês podem ver que o usuário NIS, no KUser, é apresentado como "0+", ou seja, parece uma extensão do usuário root: tudo que o root tem, ele tem. Mas como disse, o sistema não funciona assim.

Então para conseguir fazer com que seus usuários NIS quando logados em máquinas clientes consigam utilizar o haldaemon delas, você precisará editar o fstab liberando os pontos de montagem para cada dispositivo que quiser: CDs, pendrives, disquetes.

Você tem que fazer isso com todos os fstab em todas as máquina clientes. Aí vai um pouco de sorte: se suas máquinas clientes forem todas iguais, com a mesma configuração de dispositivos, montados nos mesmos lugares, ou seja, não pode haver discrepância onde é montado o CD ou pendrive de uma máquina para outra (e também, à qual dev eles estão relacionados), você pode editar o arquivo uma vez e copiá-lo depois para as demais máquinas. Do contrário, terá o árduo trabalho de edição manual do fstab de cada máquina.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Uma solução
   2. Editando o fstab
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

Configurando a Sony Cybershot DSC-W1

Conexão dial-up no Gnome usando o network-admin

DHCP - Configurando-o de forma simples e eficiente

Local Web Server visível na Internet com DynDNS

Instalando o VMWare Server no Ubuntu 7.04 (e/ou similares)

  
Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.


Contribuir com comentário