Microsoft x Resto - A soma de todas as partes

Nesse artigo abordarei um pouco de todas as implicações que tem o uso de sistemas operacionais de código livre e pago. De que forma a Microsoft chegou ao topo? Por que pode-se dizer que a Microsoft apóia a pirataria? Qual a forma de combate da Microsoft aos avanços do Linux? Se o Linux é tão bom, porque não é o padrão de SO? Tudo isso estará presente aqui. Leia se quiser expandir seus horizontes.

[ Hits: 26.361 ]

Por: Odir em 20/01/2009


Introdução



Discussões sobre os efeitos da pressão tecnológica que a grande da Microsoft faz são vitais para o entendimento dos caminhos da informática e dos sistemas UNIX-like nos próximos anos. Em tempos de crise, onde notícias como a que a Google demitirá 100 recrutadores de pessoas para diminuir a contratação e que a Microsoft, empregadora de 91 mil pessoas pelo mundo, fará sérios cortes de pessoal, fica claro que cada vez mais as medidas se tornam mais agressivas afim de segurar o mercado, que pode vir a fazer falta no futuro.

A seguir abordarei o por quê da Microsoft ter dado tão certo, o Linux nesse contexto e sua comunidade, quais as consequências de tudo isso, de que forma os profissionais de TI são importantes nesse meio e o que nós, reles mortais, longe de verbas e CEOs de empresa, devemos fazer.

A gigante da computação começa em 1975 com Bill Gates e Paul Allen. Em 1980, o hoje grande executivo Steve Ballmer, entra na empresa, sendo figura muito importante nos anos seguintes. A empresa tem em seu primeiro produto um interpretador BASIC. Naquela época, cada um desses era feito para um computador em específico. O gigantismo da Microsoft começa por conta de outra gigante da computação, a IBM. Os planos da vendedora de computadores era incluir um OS em seus computadores CP/M. Como as negociações com a Digital Research não deram certo, a IBM chamou a Microsoft. Como, naquela época, a MS não tinha nenhum sistema operacional, após fechar um contrato de licenciamento não exclusivo, compra o sistema Q-DOS da Seattle Computers.

Em 1982, a MS anuncia o seu sistema de janelas, daí o nome Windows e o MS Word. Entre os anos de 1982 e 1988 nascem outros pacotes que hoje são parte do Office. No final desse período a Apple acusa a Microsoft de plágio por conta do Windows 2.0, que estaria copiando o Macintosh OS. É uma das primeiras grandes disputas de patente que a MS passaria em sua vida. Em 1990, a MS lança o Windows 3.0 para computadores pessoais e computadores IBM OS/2.

A década de 90 é o momento de criação de conceitos da Microsoft: em conjunto com outras empresas são anunciadas as tecnologias Multimídia PC, Advanced Power Management e o Plug and Play. Em 1992, o elo fraco se rompe: a IBM e a MS se separam indo desenvolver, respectivamente, o OS/2 4.0 de um lado e o Windows NT 3.0 do outro. Além disso, é criado o Access e adicionado ao pacote office no mesmo ano.

Em 1995 começa a escalada rumo ao topo da Microsoft, que já tinha deixado de ser a muito tempo uma empresa pequena. Primeiro eles lançam o Windows 95 e o IE no pacote Win95 Plus, vendido separadamente, já demonstrando uma série de medidas que norteariam a empresa. Também é lançado o Windows NT 4.0, com cara de 95 e segurança de NT (medida que até hoje é repetida pela empresa). Em 1997, a empresa investe 150 milhões na ex-concorrente Apple. O engraçado é que a antiga empresa de Steve Jobs, homem que chegava a ter um desprezo por Bill gates, agora era parte do império Microsoft. Apesar de ter sido bom, em 1998 a Microsoft faz de novo: lanço o Windows 98 com o IE acoplado.

Nos anos seguintes vem o boom. Depois do fracasso com o Windows ME, o Windows XP foi o grande OS que até muito recentemente dominava. Realmente, apesar de muitos pontos e falhas, pode-se dizer que até no novo milênio o XP foi o OS mais estável e agradável que eles produziram. Isso pois em 2007 a MS lança o Windows Vista. O sistema teve um péssimo impacto, tal como o seu predecessor na desgraça o ME, por conta de ser um sistema pesado, lento, cheio de falhas, e que leva a uma tendência que muitas pessoas não gostam: a de ser necessário melhorar cada vez mais um computador que 1 ou 2 anos antes era top de linha, porque senão ele não consegue rodar os novos OS. Em resposta a isso, já esta lançado o BETA do Windows 7, um sistema mais parecido com o XP em termos de desempenho, com visual do vista, que é a aposta da empresa para sua redenção.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. MS ou M$?
   3. Linux - Como está vivo?
   4. Tem culpa eu... ?
   5. E disso tudo.. o que fica?
Outros artigos deste autor

IPTables - Desvendando o mistério

Leitura recomendada

ROI em TI

O que é o OpenDocument Format

Karl Marx e a concorrência individual no Viva o Linux

A imbecilidade real revelada pela realidade virtual

O "HACKER" da família

  
Comentários
[1] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 17:41h

Sei que minhas opniões podem ser um pouco, anh, controversas... Estou aberto a discussão com vocês galera!

[2] Comentário enviado por SamL em 20/01/2009 - 18:08h

Os camelôs não são os únicos "distribuidor de versões alternativas de produtos muito difundidos",
quando fui comprar meu primeiro PC a vendedora de uma loja (não quero citar nomes, mas talvez fosse de costume eles oferecerem isso O_O) ofereceu-me instalar o windows xp no lugar do Kurumin contanto que eu não contasse a ninguém ¬¬. Eu então fui comprar em outra loja um PC melhor com o mesmo Kurumin 7.

[3] Comentário enviado por removido em 20/01/2009 - 18:25h

eu gostei ...

[4] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 18:26h

Jeito de dizer Sam, mas a lógica é essa. Toda vez que um cara que nem eu e você compra um desktop e pega um windows "Marreta" Edition, o Bill gates abre uma garrafa de champagne.

[5] Comentário enviado por soho em 20/01/2009 - 18:29h

Não entendi. Em um ponto é mencionado que o usuário "leigo" precisa de apoio, de coisas simples e fáceis, pois ele usa o microcomputador apenas para MSN, Internet, Jogos e Orkut, em seguida dá um exemplo desse mesmo usuário instalar um banco de dados, com servidor ratibum tralala, com firewall iptables.... A analogia está completamente equivocada.

Se usuário é "leigo", que use firefox, aMSN/emessene e pronto. Se quer usar programas "altamente tecnológicos" que vá estudar e aprender.

[6] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 18:47h

Acho que você não entendeu, de repente não me fiz claro. O que diz dizer é que se o usuário leigo usa coisas de leigo, mas ele quer ir um pouco mais alem, essa transição é muito dificultada por uma série de tutoriais dificeis.

Como disse, porque eu preciso explicar que a "tabela mangle do iptable trata pacotes setando flags para um encaminhamento diferenciado de pacotes", se eu posso explicar que essa "tabela meche no que vem pela rede e pela internet botando umas marquinahs, fazendo com que eles sejam encaminhados de maneira diferente, com prioridades diferentes e de formas diferentes?"

Uma maneira de explciar é mais facil que a outra. Acho que de repente você leu meio rapido e não entendeu. Mas é mais ou menos essa a idéia.

[7] Comentário enviado por stremer em 20/01/2009 - 19:23h

amigo.
Esta pode ser sua opnião.
Mas discordo de muita coisa.
Enfim, opnião cada um tem a sua.

Só uma obs: Eu vi o linux a primeira vez em 96 e digo... ele podia ate ja ser melhor que o windows para muita coisa na area de internet, mas para o desktop ele apanhava muito feio, por isso que o windows se tornou padrão de desktop. Barato, facil, compativel.

O xp pode ter sido o desktop caseiro, mas o windows 2000 foi o sistema estavel, rapido e revolucionario da microsoft nesse ultimo milenio (tanto que o xp se baseou nele)... e hj mesmo é dificil encontrar algum aplicativo que precise de algo a mais que o 2000 para rodar (exceto jogos por ex.).

Já ouvi falar que 96 era o ano do linux, ja ouvi falar que 99 era o ano do linux, ja ouvi falar que 2002 era o ano do linux, depois foi 2006... enfim... acho que o linux sempre terá seu espaço, mas seu foco é totalmente diferente do windows... são sistemas diferentes... não há como se comparar.

[8] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 19:56h

Então, mas tem uma questão stremer... eu até coloquei em meu artigo mas não sei se você leu. COmo eu disse, o linux voltado paraq o usuario final (desktop) só esteve disponivel depois de 60% da vida do linux.

"Hoje em dia existem distribuições que facilitam essas tarefas, mas isso começou a pouco tempo, depois de mais de 60% da vida do Linux.as a algum tempo era quase impossível rodar um Linux (e talvez hoje ainda seja bem difícil e trabalhoso) sem precisar entender de terminal. " - paginá 3 do artigo

Não creio que sejam sistemas com focos diferentes, creio apenas que estejam (ou não) em etapas do desenvolvimento diferentes mas no mesmo foco. Enquanto o windows está a mais de mais de duas décadas trabalhando para desktops, o linux mal começou faz nem 1 década.

Eu acho que há como se comparar sim, até porque me materia de servidor, a algum tempo servidores Linux e Unix substituiram os servidores Windows (pelo menos, em maioria). E em matéria de desktops, hoje em dia tambem há como se comparar, principalmente se você comparar os serviços que cada um presta, até porque, o usuario não quer saber (em maioria) como o progrmaa faz pra acessar o MSN, só quer saber se é rapido para tanto.

[9] Comentário enviado por artur_olsen em 20/01/2009 - 21:18h

Filhote muito bacana o artigo...Está de parabens.

[10] Comentário enviado por R45678465 em 20/01/2009 - 21:27h

Também não entendi muito bem, acabou misturando usuário que quer instalar um Servidor Web, LAMP e etc, com os usuários de Orkut e Joguinhos em Flash.

[11] Comentário enviado por aldolinux em 20/01/2009 - 21:48h

Amigos, sei que é meio dificil de comparar os dois SO mas devo confessar que em muitas situações com certeza o Windows é bem melhor que o Linux, mas se tratando de segurança, estabilidade e confiança não pensaria duas vezes o GNU Linux é bem melhor que qualquer um da familia Microsoft, mas temos que encarar a situação da seguinte maneira, existem usuarios e existem usuarios, se voce é amante da informática deve conhecer um pouco de cada coisa, tem que ter experiencia com um pouco de cada um, ai se decidir qual vai ser o seu Sistema Operacional, eu uso os dois, não tenho outra escolha, prefiro o Linux, quantos de nós não passaram noites tentando configurar um impressora ou uma webcam, quantas distros nós já testamos para nos decidirmos qual vou utilizar ??? já usei o Conectiva, Mandrake hoje Mandriva, Suse, Slackware, Red Hat, Fedora, Kurumim e assim vai, hoje estou com o Debian e acredito que é o melhor para mim, mas tenho que estudar todos os dias, pois o mundo gira e não para e preciso acompanhar, se eu usar o Windows posso parar de estudar que não terei problemas, exceto o de ficar um cara ocioso e burro no mundo da informática.

[12] Comentário enviado por eldermarco em 20/01/2009 - 22:19h

Parabéns! E raro ver um usuário que ao invés de exaltar o Linux e dizer que tudo nele é perfeito, vem justamente na direção de fazer uma crítica e apontar falhas que, diga-se, são realmente graves se tivermos por objetivo atingir o usuário final. Acho que falta toda uma consciência na comunidade para perceber isso e caminhar na direção certa. Temos de deixar esse prazer masoquista de resolver problemas da maneira mais complicada e tentarmos simplificar ele ao máximo para que seja de fato legível para qualquer ser humano e eficaz, coisa que não ocorre em Linux na maioria das coisas.

Você disse que sempre encontramos um tutorial ou artigo para resolver nossos problemas na rede, mas devo discordar. Nem sempre isso acontece e quando achamos algo, é mais ou menos, que resolve um problema em particular, mas não o nosso. Além do que, ainda deveríamos considerar a possibilidade de que podemos encontrar essa solução em inglês para piorar as coisas!

Muito bom, nota DEZ e foi para os meus favoritos. Espero que venha a surgir mais pessoas que pensem assim e apareçam para dar as caras de modo que essa discussão fique mais frequente.

[]'s

Elder Marco

[13] Comentário enviado por tcboeira em 20/01/2009 - 22:33h

O artigo é ótimo, bem escrito e até se desconsiderar a tendenciosidade, um bom artigo. Contudo é evidente que não há comparações entre os mesmos OSs, inclsuive, como coloca brilhantemente stremer as questões do momento de cada um. A mistura de "usuário que quer instalar um Servidor Web, LAMP e etc, com os usuários de Orkut e Joguinhos em Flash" também é uma das confusões. Por fim, lembro que mesmo sendo usuario a nivel de Linux, não tive muitos prazeres quando o assunto era descompactar um simples arquivo .rar. A atualização de uma simples "biblioteca" (glibc de 2.3 e 2.4) são uns dos motivos que me faz perguntar-me se: Ainda devo engrossar estas fileiras. A resposta é sim, mais pela vontade do que da operabilidade.

[14] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 22:56h

@ Sobre a confusão

Gente, o que vocês tem de entender é que cada um tem um tipo de projeto. Tem gente que precisa de ajuda do neto, bisneto, etc que vai fazer para a pessoa. Enfim, deem uma re-lida, acho que vocês pegam a idéia.

@ artur_olsen, aldolinux e eldermarco

Obrigado pelos elogios e o apoio. Eu gostei tambem das suas defesas. Eu tenho uma posição diferente da maioria que diz que linux é 'jesus reencarnado'. Sendo assim, fica complicado ne? Mas gente, os parabens não são pelo artigo. São para todos nós que iremos tentr mudar essa realidade.

@ tboieira

Cara, esse é um dos defeitos que eu mesmo do linux. Não está desenvolvido para desktop. Eu me confundi talves naquela parte, ficou mal escrito. Mas quando você diz que sofreu com essa compactação, realmente você reforçou meu artigo. O linux está longe da perfeição: ele ainda facilita para o uso do comando tar, e dificulta para o front-end

[15] Comentário enviado por ronaldomjunior em 20/01/2009 - 23:22h

Excelente artigo amigo!

O fato é que discutir sobre SO é que nem discutir sobre religião ou futebol, cada um "torce" pra um e pronto. Acho que vai ser sempre assim.
Um dos fatores que prejudicam o linux, sem dúvida é a falta de suporte a alguns tipos de hardware. Eu mesmo fui um que quase morri de tanta frustração quando descobri que meu Agere V.92 não funcionava no linux! Quem tem placas wireless também sofre com isso e por aí vai. Mas o problema (pelo menos esse) não é do linux em si. As empresas fabricantes muitas vezes nem têm interesse em disponibilizar drivers para linux para seus equipamentos e os coitados dos programadores têm que fazer um verdadeiro milagre para desenvolverem um driver no "muque" que funcione. Outro ponto é também a questão de jogos, mas outra vez o problema não é com o SO em si, mas com as empresas que não distribuem versões para linux de seus jogos. Apesar de que isso vem aos poucos mudando, já existem alguns bons jogos portados para linux como wolfeinstein, doom 3 entre outros, mas ainda está longe do ideal. Há quem diga que a Microsoft paga "um por fora" para que as empresas apenas disponibilizem seus aplicativos para windows, o que sinceramente não duvido.

Mas o que falta realmente é uma mudança de mentalidade das pessoas. Todos olham para o linux com a mesma filosofia do Windows, esperando que ele se comporte da mesma forma, daí vêm comentários do tipo "windows é fácil e linux é dificil pra caramba", mas há que se compreender que o foco do windows é facilidade, amigabilidade e o foco do linux é segurança e estabilidade. Não é que o linux nunca venha a ser amigável como o windows ou o windows seguro como o linux (essa última me deu até um arrepio, rsrs) mas no caso do linux, a segurança e a estabilidade vêm em primeiro plano, por isso o linux é seguro. Imagine um usuário windows tendo que digitar a senha de administrador sempre que quiser instalar um programa (até existe algo parecido no Vista, mas como sabem não foi visto com "bons olhos" pelos usuários), quebraria bastante o clima amigável do windows. É por isso que é tão fácil criar um virus no windows, todos os usuários têm privilégios de administrador, agora imagine a situação inversa no linux, com super usuários usando o sistema o tempo todo, em pouco tempo o linux estaria enfestado de virus como o windows.

bom, falei demais. Deixa o resto pra depois...

[16] Comentário enviado por odirneto em 20/01/2009 - 23:51h

@ Ronalmjunior

Muito obrigado pelo elogio. Concordo com vocẽ cara, é quase discutir time. Mas no fundo, existem diversas coisas que podem comparar sim. Eu ahco que de pouco em pouco, a idéia de linux para segurança e windows facil vai sendo abandona. Hoje você instala um ubuntu, e não precisa nem saber o que é o terminal. Isso ja foi um grande avanço para os desktops linux. Mas enfim, agradeço o comentario.. ou melhor.. o seu texto.

[17] Comentário enviado por isaque_alves em 21/01/2009 - 02:31h

É...
Em parte concordo contigo... Realmente existe uma certa dificuldade para o usuário 'final' leigo...
Vou citar como exemplo minha família. Em 2006, depois de andar flertando com o Linux, decidi que iria implantar uma distribuição no meu ambiente doméstico e de trabalho. Eram três PCs... Experimentei apenas para meu uso por um tempo o Fedora 5 (por preguiça de baixar o 6). Constatei a força do software e a qualidade para um ambiente de produção, mas quando se tratava de aplicativos para 'diversão' como jogos, ficava na mão... Alguns realmente não rodavam 'nem a pau'... algum tempo depois resolvi experimentar o Mandriva 2007, que para minha decepção após o download custar quase uma semana, não funcionou direito... Voltei os olhos para o Kurumin, a primeira distro com que havia tido contato, e me lembrei do Ubuntu. REsolvi então ao invés de instalar o Kurumin, implantar o ubuntu em todas as máquinas de uma vez. Revolução.. Quase deu briga. O pessoal dizia:
- "E agora, como eu vou usar o msn"
- Ora, tem o amsn, o gaim, o kopete, o emesene...
- "Mas eles não prestam..."
- Ok! experimenta e ve se funciona pra você, ao menos!!

Bom. O resultado hoje, é que minha família usa Linux. Minha irmã adquiiu um pc ano passado, e apesar da oferta de instalar o windows, pelos vendedores, ela optou por instalar o Ubuntu. Hoje, estarei instalando o Ubuntu nas máquinas do trabalho dela. E assim, vamos ganhando espaço... Mas o que podemos fazer realmente, é facilitar.
Hoje para minha surpresa, vi ela querer digitar alguns comandos no terminal: sudo chown usuario arquivoX

Putz, como fiquei feliz. Acho que isso contradiz a afirmação de que usuários leigos não tem interesse em usar o terminal. Acredito mesmo que eles morrem de vontade de saber executar pelo menos um killall firefox.

Agora, motivado nesse teu artigo, vou dar uma revisada num set de scripts que tava trabalhando pra ver como posso melhorar a interface pra ficar bem fácil mesmo...

[18] Comentário enviado por silvadouglas em 21/01/2009 - 02:57h

Bom em meu ponto de vista, não sei se eu iria querer o linux como padrão de SO... Digo isso pelo fato de virus etc...

Pela popularização do linux e pela liberdade do povo, Sim com certeza....

As pessoas tem uma visão errônea do linux, que por incrível que pareça, em pleno ano de 2009, as pessoas pensam que o linux continua complicado como suas primeiras versões, como se não houvesse evolução no mundo linux; que de fato não é verdade....

Para a maioria dos usuários, o mundo gira em torno da micro$oft, em torno do Rwindows (eu ja fui assim :( ) parece que ninguém tem interesse em se familiarizar com nada novo, acham que o linux é difícil porque o atalho de mudar a resolução da tela não se encontra no famoso "botão direito>configurações".... Entendem?????

Uma vês, uns amigos começaram uma discussão sobre qual a vantagem de se usar linux ao invés de rwindows, logo um deles depois de um tempo disse "o linux é uma bosta"
dai eu perguntei a ele "você ja usou por um acaso alguma distro do linux????"
A resposta dele "NÂO".....

Como uma pessoa diz que algo é ruim sem ter ao menos usado???????????????

Não sei se vocês compreenderam o meu ponto de vista.....

A aproximadamente 6 meses eu uso linux(ubuntu) e estou plenamente satisfeito. Aprendi muita coisa com vocês e ainda aprendo, porque vocês assim como qualquer outro não nasceram
sabendo... o interesse e força de vontade é o que ajudou a todos da comunidade e ao Linux serem o que são..

Parabéns pelo artigo.

[19] Comentário enviado por ronaldomjunior em 21/01/2009 - 07:36h

Bem lembrado isaque_alves.

Há alguns meses meu irmão, que mora em outra cidade, me ligou desesperado e me disse: "Tô cansado dessa porcaria de windows, é virus toda hora, travamento nas horas mais indesejáveis.... não tem jeito de instalar um linux aqui no meu notebook não?"

Daí eu pensei: "Hora de trazer mais uma "ovelha" pro rebanho", hehehe. Abri minha coleção de distros e pensei sobre qual mandaria pra ele. De cara pensei no ubuntu, mas ele tem um kernel muito pesado e ele poderia se sentir no windows em alguns momentos. Queria algo mais leve, e que pudesse impressioná-lo. Optei então pelo OpenSUSE 11 que está muito amigável também e mandei o cd pra ele mas pensei, "será que ele vai conseguir instalar isso sozinho?".

Tês semanas depois quando fui à casa dele ele estava usando o linux numa boa! Aproveitei e instalei também o compiz-fuison pra dar aquela impressionada e criei uns scripts pra facilitar a vida pra ele, e agora ele está feliz da vida!

E semana passada um amigo nosso que viu o linux dele (com o compiz impressionando) me ligou perguntando se não tinha como mandar um cd pra ele instalar no pc dele!

De grão em grão vai indo...

Como disse, o foco do linux é segurança, mas não quer dizer que o fator amigabilidade está sendo deixado de lado. Estamos tendo grandes avanços nessa parte também.

[20] Comentário enviado por Mateusc em 21/01/2009 - 09:25h

tenha certeza o que falta no linux hoje são usuarios

ajudem a divulgar o SO ( falem, copiem cds)

estou seriamnete pensando em distribuir algumas copias do ubuntu em minha comunidade escolar

[21] Comentário enviado por hugoalvarez em 21/01/2009 - 10:54h

Mais uma discussão filosófica, vamos lá postar mais uma opinião :)

Já faz algum tempo que o Debian (desde a época do Sarge) é o meu sistema operacional número 1. Eu não acho ele uma das 7 maravilhas do mundo para o Desktop, mas posso dizer que tudo funciona bem, tanto no trabalho como em casa eu uso Debian Etch no Desktop que é a nossa discussão aqui, por esporte já testei tb o Centos5.2 e o Ubuntu não me recordo a versão que instalei mas é uma bem recente, sobre o Ubuntu devo dizer que fiquei chocado com as facilidades impostas ao usuário, o Centos também estava bem "bonitinho" e extremamente fácil de usar, mas não abro mão do bom e velho Debian hehehe.

Mas, como nem tudo são flores para os admins linux, mantenho tb uma super-máquina com WIndows XP em casa para sempre me manter atualizado sobre esse mundo, com ela eu escuto minhas músicas no youtube, baixo com vdownloader essas músicas para ouvir no "super" Media Player (Mplayer do linux 10x0 Mediaplayer do Windows), devo dizer que por muitas vezes passo raiva qdo o mouse não me obedece, vc clica 20 vezes e nd, nd uma óva, ele enfileira 20 processos pq vc clicou 20 vezes e não executa o primeiro, impedindo que os outros 19 tb não executem, até travar, se bem que nd que o bom e velho XP não resolva, ctrl+shift+esc -> finalizar processos.

Ou seja, para mim a minha máquina Windows me mantem por dentro do que a Microsoft está fazendo, coisas do tipo Silverlight, aquelas mil funções da rede MSN bonitinhas que os usuários adóram, etc, etc, etc. Então para mim ter uma máquina como Windows é diversão, é como ter um PlayStation2 para rodar uns joguinhos legais sem ter todo aquele trabalho para portá-lo para Linux ou tentar rodar com Wine por exemplo, Windows é um luxo para diversão, é como ter um video-game que vc pode navegar na internet e usar para lazer, para tarefas onde disponibilidade não é um fator fundamental.

Já que falei tudo isso acima, é claro que minha licença é original e assim que o Vista já estier "usável", eu tb comprarei uma licença, afim de poder usufruir de 100% dos serviços Microsoft, pq é isso que eles vendem, a Microsoft vende conforto, é ótimo vc ligar com uma dúvida e eles te atenderem prontamente te passando para especialistas de cada software (e o atendimento não é podre igual o da telefonica que te deixa esperando dias na linha até que vc desiste).

Essa é a minha visão dos dois sistemas, só que o problema não são os sistemas, apesar do Windows ser todo bonitinho e funcional ao usuário ainda sou daqueles que prefere dar ordens do tipo:

sudo makemeasandwich

Independente de preferência por um SO, os usuários de Windows carregam em si uma estigma da preguiça e facilidade que o sistema que durante anos foi líder e ainda é, dá a esses usuários. A própria Microsoft sabe disso, inclusive por parte dos admins WIndows, tanto que no Windows Server 2008 eles inverteram os botões, sabendo que o cara vai ir lá "na febre" e clicar em sim sem nem ler o que está escrito, quem aqui já tiver instalado o novo IIS por exemplo sabe disso, "VOCÊ TEM CERTEZA QUE DESEJA CANCELAR ESSA INSTALAÇÃO?", aí o cabeção que nem leu a msg vai lá e clica em sim, só da segunda vez que ele tenta a instalação ele vai ler a msg, isso é mal de usuário Windows e esses usuários eles tem preguiça de aprender, isso é um fato e é isso que sempre vai impedir o linux de liderar, pq se você pegar e me falar, cara não tem coisa mais fácil do que vc abrir um shell e digitar:

aptitude install mulherpelada

E pronto!!! Está instalada a mulher pelada na sua máquina, o avanço linux com o apt, yum, synaptic ou seja lá qual for a ferramenta foi monstruoso e nenhuma Microsoft vai conseguir tirar esse mérito dos Linuxers, enquanto no Windows vc tem que entrar num google da vida, superdownloads, etc, etc, etc, baixar um software cheio de adwares do google (pq as pessoas precisam de dinheiro para viver) e conviver com eles.

Essa é a diferença entre os dois SOs, o Linux conta com poucos usuários, porém em sua maioria esclarecidos, já tive a oportunidade de ouvir em uma fila de banco:

"Linux já vem com tudo que você precisa, não é igual Windows que tem que ficar instalando office, isso, aquilo"

Tb já me pararam em fila de banco e disseram:

"Oi, o que significa Debian?" (em uma ocasião que eue stava com a camiseta da Debian.org)

Respondi que era uma versão de Linux (tive que responder de forma que a pessoa entendesse, sabe o linux aquele que compete com Windows? vc deve ter ouvido falar rsrs)

E por incrivel que pareça a moça que me perguntou falou, a desculpe a pergunta eu não sabia, é pq meu nome tb é Debian!! E me mostrou a conta telefonica Debian Silva alguma coisa (não me lembro o resto do sobrenome).

Então as pessoas estão vendo o linux, elas sabem que é bom, muitas já aderiram, mas a massa não usa linux por um único motivo, nos tempos modernos só existe um fator que faz o cara não querer usar Linux, a preguiça por adquirir novos conhecimentos se isso custar um esforço ainda que seja mínimo.

Acho que já falei demais,

Até mais amigos.

Hugo







[22] Comentário enviado por mvos em 21/01/2009 - 11:12h

Pois eh concordo em muito com seu artigo parabéns!

A força do linux realmente eh a comunidade. Para o linux crescer precisamos fortalecer a comunidade linux.. trazer mais ovelhas para o rebanho.. aohehaoieaheae

Soh nao precisamos prometer coisas impossiveis aos mais leigos, apenas o que eles podem ter no linux com muito mais qualidade do que tem no windows hoje.

Cara, killall firefox foi muito legal aoeihaoiehaioehaoieaea.. queria ter visto uma coisa assim..

[23] Comentário enviado por odirneto em 21/01/2009 - 11:26h

Gente, agradeço os comentarios. é legal ver a comunidade se manifestando, porque eu tenho um ponto de vista longe do usual: eu não acho o linux perfeito... Alias, ele está longe da perfeição.

Em meu tempo de experiência já usei Ubuntu, Debian, Fedora, CentOS (melhor distro não paga que usei até hoje para servidor) e Red Hat. Pretendo usar outras distros que dizem ser maravilhosas como OpenSUSE em breve. Mas mesmo assim, existem problemas que tem de ser solucionados.

Em casa, uso Fedora 10 (para mim, um super desktop) mas tenho uma partição com Win XP só para rodar jogos, sme mais NADA instalado. Por que esse é um dos defeitos do Linux, ou do mundo em relação ao linux: Hoje em dia é impossivedl, rodar um jogo que nem Team Fortress 2 com a mesma qualidade que ele rodaria no windows, em linux.

[24] Comentário enviado por lbrusca em 21/01/2009 - 12:44h

É Bom o seu artigo, gostei. Porem, gostaria de acrescentar...

A grande maioria dos usuários do Windows o utiliza porque nele sempre encontram um Tutorial Simples para instalar um programa qualquer, tipo next, next, finish. Veja, eu não estou citando isto como uma vantagem para o Windows só gostaria de citar que na verdade o usuário não quer aprofundar seus conhecimentos para utilizar o computador, só quer uma rápida solução para resolver o seu problema. Eles quase sempre ao encontrarem um problema não documentado no Tutorial simples, acabam perdidos e sem suporte.

No Linux os Tutoriais são tecnicos e complexos porque é da natureza da Informátia a complexidade, os usuários do Linux sabem disso, e fazem parte de uma comunidade que não aceita respostas triviais para suas perguntas querem sempre saber mais. Como se diz: "Voce tem sede de que?. A gente quer inteiro e não pela metade".

Estes dois perfis, podem ser definidos: como consumidores e produtores. Usuários do windows são consumidores de Tecnologia. basta olhar o que eles usam no computador (Email, Msn, Jogos, Orkut). Já os usuários do Linux são produtores de Tecnologia, Tudo depende de onde voce quer se colocar.

Exemplo: Procure o nome do Windows nos 500 Maiores computadores do Mundo, voce verá que ele só é citado uma ou duas vezes. Linux é maioria esmagadora. porque? Windows não é o melhor...? não, claro que não. é que Neste Caso só os Tutoriais Complexos dão a informação necessária para os Administradores de Clusters, simplesmente não dá pra montar um cluster de alta performance usando um tutorial next, next, finish .

[25] Comentário enviado por ventrue.w em 21/01/2009 - 13:31h

Ordineto, concorco com vc em em tudo que diz, eu por exeplo se for montar um tutorial, não tenho a mente ligada em que o usuario que va utiliza-lo podera ser alguem que nao sabe fazer nada no Linux...
Mas a MS em si tambem, pegou o projeto do Windows ja pronto, nao criou nada... Esse projeto nao era deles... Eles roubaram, e fizeram um sistema comercial com ele...
Claro que o tiu BILL foi muito inteligente, vendo que o mercado maior é o de usuarios que so querem jogar e acessar seus email... Sendo assim adaptou seu sistema para esses usuarios..

mas como vc mesmo citou, o Ubuntu esta bem proximo dos sistemas microsoft, falta pouco, e acredito que em pouco tempo teremos um sistema simples voltado ao usuario final...

Acredito tambem que a MS criou uma faca de dois cumes no ponto em que fez o sistema voltado a usuarios leigos.. No momento ainda nao no mundo linux nao existe um sistema NEXT NEXT NEXT e por isso as pessoas pagam ou tem de comprar pirata..

A partido do momento em que o linux tiver uma versão NEXT NEXT, o usuario final nao ira querer pagar por uma coisa ao qual ele tem de graça e nesse momento a MS morre....

Claro que a MS ainda tem ao seu lado os ignorantes Executivos aos quais vivem a falar besteiras de eu nao vou deixar meus daods em um sistema que é de graça....

Mal sabe tais executivos em que roda suas contas em bancos e instituições financeiras pelo mundo a fora...

Eu acredito que o Linux nos ultimos 3 anos deu um salto que nao dava a muito.... E acredito que a correria da MS em relação ao vsita e o windows 7 tambem se deve a esse cenario.. O linux esta ganhando mercado, as pessoas estao percebendo que podem utiliza-lo e as melhorias estao vindo...

Não acredito em palavras como a do colega streamer, que havera um ano linux 2006, 2007, 2008.. isso nao vai existir... As pessoas vao migrando e conhecendo as poucos...

E é nesse conhecimento que esta a grande jogada da vez... A partir de que tivermos mais pessoas conhecendo, mais investimento havera no sistema, e mais facilidades surgiram....




[26] Comentário enviado por odirneto em 21/01/2009 - 13:45h

Eu concordo com vocês. O Linux tem tudo para se tornar um grande sistema. Mas ainda falta facilidades nele. Realmente, é muito complicado fazer umas tarefas no linux que no windows são ridiculamente faceis, como descompactar um arquivo. Falta esse lado, apesar de termos vários exemplos que posso passar horas flando de sistemas para desktop, tais como: big linux, ubuntu, fedora, e outros... Linux existem de todas as cores e sabores, desde os mais simples, a versões de recuperação de maquinas, até versões semi-aeroespaciais de tão avançadas, quanto o gentoo.

O windows vista e o 'furor' atras do windows 7 me faz pensar, tambem, se o vista num foi uma jogada para mostrar a adequação da MS. Eles lançam um sistema ruim, e em seguida um otimo, no caso o 7. É aquela coisa, perto de um hondurenho morto de fome, quem comeu um cheeseburger no almoço está extramamente bem alimentado. Pegaram o que quero dizer?

Nao acredito tambem que tenha 1 ano, mas talves uma decada. Até 2010, o linux via crescer levemente. Apartir dai, agora que todo mundo ja percebeu que é hora de tornar os programas mais faceis se a gente quiser ir alem dos usuarios avançados, vai vir o grande BOOM.

[27] Comentário enviado por matux em 21/01/2009 - 14:19h

Bom,
Lí o artigo e gostei da maneira como o assunto foi abordado.
Você considerou pontos históricos que foram marcos decisivos para ambos sistemas operacionais.
Mas se tem uma coisa que eu não suporto são atitudes extremistas. A própria história já nos revelou onde isso acaba nos levando.
Suas considerações são pertinentes e entendi perfeitamente quando você se referiu a facilidade no uso para desktop e as excessiva dificuldade em materiais (artigos, tutoriais, manuais) de suporte para ambientes corporativos. E isso acabou mexendo com o ego de muita gente (os comentários a cima falam por si mesmos).
Digo por experiência própria, usuários técnicos e grupos ou comunidades Microsoft são muito mais extremistas e radicais que o pessoal do open source (Já presenciei cada comentário que vocês nem acreditariam). No entanto temos que considerar um aspecto que acho que seria o divisor de águas neste assunto, por exemplo: A maior parte dos usuários de linux são universitários (Graças a Deus!!) e quando você estuda Andrew Tenembaum em Sistemas operacionais Modernos, onde o mesmo faz diversos comparativos sobre os sistemas UNIX-LIke e o Windows 2000 (Pois apenas este é considerado um sistema operacional com suas características primordiais, até aquela data, desenvolvido pela referida empresa), isso acaba "revoltando" a comunidade open source. Mas a questão é: Para que o linux alcance os desktop será necessário padronização e isto ainda está meio longe de ocorrer. Justamente porque ele pode ser copiado e modificado ao gosto do freguês. Alguém pode fazer isso com o Windows??? No máximo alterar os temas, e algumas operações de performance, mas fica aí. Se o seu vizinho tem o Xp em casa e sabe a solução de algum problema essa mesma proposta servirá para seu primo que mora no Japão. Já no linux a primeira pergunta é: Qual a sua distribuição? Se o cara responder: "Slackware" (A minha favorita), o outro responde: "Ahh...eu sei como funciona no Ubuntu." Isso na minha opinião é o grande diferencial da Microsoft.
Mas uma coisa que eu discordo totalmente e como profissional de TI, isso tem me deixado muito frustrado é que hoje em dia por conta desta "facilidade" que só tem gerado problemas nos dividendos. Todo mundo é se acha especialista em TI só pq conseguiu instalar um anti-vírus. Ou pq comprou um roteador D-link e colocou uma rede wireless compartilhando sua banda larga em casa, com a ajuda de um tutorial na Internet.
Isso me leva a crer numa coisa, num país onde todos querem levar vantagens em tudo, e você pode comprar um software por valores quase que insignificantes em qualquer esquina que praticamente parece um eletrodoméstico, vc liga e ele sai funcionando sozinho. E quando o mesmo der algum problema vc usa a solução format/reinstall FULL, sem gastar quase nada, essa população de usuários domésticos vai querer perder tempo ligando pra uma empresa ESPECILIZADA EM LINUX, e ter que pagar um valor bem mais alto, se comparado ao próprio usuário fazendo o mesmo serviço, até mesmo sem a menor noção com aspectos importantes como segurança, etc, etc. Acho que não.
Só para finalizar, a respeito da empresa que você contratou para realizar o teu serviço. Acho que a atitude de manter um certo sigilo sobre as operações de como fazer e como consertar, algo válido. Porque jamais ví nenhum médico ou advogado escrevendo tutoriais na internet explicando de modo fácil ou tecnicamente, como fazer uma cirurgia no cérebro, ou no coração. Como fazer um tratamento de Câncer em 10 passos. Mas todos querem saber e de graça ainda por cima, como "Instalar um Banco de Dados e fazer replicação", todos querem saber "como criar um filtro anti-spam", ou até mesmo "como criar um servidor de arquivos para armazenar documentos da empresa". Ou "como fazer sua aplicação COBOL rodar no linux". Verdade seja dita:A Informática mudou a vida do planeta, as consequências da utilização dos computadores e de sua potencialidade, assim como a internet mal começaram a ser de fato percebidas. E nos que somos profissionais desta área que julgo ser uma das mais importantes atualmente neste planeta, estamos tão banalizados e tão mal reconhecidos, bem como remunerados.
Espero que cada um de nós possa dar mais valor a esta profissão e cada macaco no seu galho.

[28] Comentário enviado por odirneto em 21/01/2009 - 17:30h

@ matux

Eu creio mesmo que atitudes extremistas sejam ruins. O equilibrado, históricamente, é sempre o melhor. Mas acho que muita gente não entendeu e, como você disse, afetou o ego deles. Mas tambem, convenhamos, se ninguem falar do contra, fica sempre tudo igual. Para os historiadores seriam o fim da historia, pois seria, em tese, o fim dos conflitos economicos que pela dialetica marxista são os motores da historia. Sem conflitos, sem historia. Ou seja, se eu num for contra a mare, que vai ser o criador da antitese que irá contra a tese de linux é perfeito, para a criação de uma nova mentalidade?

Tambem acho irritante todo mundo se achar tecnico em TI, só pq sabe formatar um pc. É irritante isso. Agora, a questão da empresa você tem que lembrar que os médicos, SIM, explicam o que vão fazer quando vão operar o teu cerebro. Eles dizem "vamos cortar aqui e aqui, levantar essa parte, e mecher aqui". Agora, a empresa de TI tercerizada simplesmente vinah, fazia, mal dizia o que tavam fazendo.. era algo mais ou menos assim:

EU: "E ae, opa, tudo bom? como foi o final de semana, tudo bom? o que estamos fazendo em nossos servidores hoje"?
ELES: "firewall"

Entende, nem falavam "ah, vou habilitar um mondulo que vai protejer contra p2p e criar uma lista de max" etc, etc etc. Compreende? Eles nao falavam o que e como iam fazer no cerebro da minha empresa, criando um mistério bobo em cima de um negocio desnecessario, e que só serviu para irritar a parte mais importante do processo: o cliente.

[29] Comentário enviado por Teixeira em 21/01/2009 - 22:49h

Bom artigo!

Alguma coisa no referente à cronologia saiu um pouco distorcida, mas devemos considerar que os primeiros computadores pessoais não tinham propriamente um S.O., mas um Basic gravado em ROM, sendo que os primeiros (da Apple, Radio Schack, etc.) foram desenvolvidos pela então "Micro-Soft" (ainda com hífen).
Os primeiros sistemas operacionais tinham o nome de "sistema operacional de disco" pois sua principal finalidade era a de permitir o acesso a disquetes "flexíveis" de 8" e posteriormente a discos rígidos de tecnologia "Winchester", já com a "incrível" capacidade de 5MB!!.
E isso lá pelos idos de 1970!...

No tocante aos micros da Radio Schack havia vários SOs (comerciais) que se podia escolher, e já então havia aqueles que gostavam mais desse do que daquele.
Isso no entanto jamais criou qualquer tipo de polêmica ou rivalidade entre grupos de usuáruios.
Para o Apple, era possível fazer algumas personalizaçcões que encantavam aqueles que as viam em nosso micro.
E já nos idos de 1970 um Apple já tinha a capacidade de falar, receber comandos de voz, processar sinal de TV e outros "modernismos" que somente agora REssurgiram...
As revistas especializadas viviam cheias de esquemas eletrônicos interessantíssimos.
Um deles controlava as luzes da casa do usuário de forma que, quando ele entrasse de férias, fossem acesas as luzes alternativamente durante a noite, dando a impressão de que havia gente em casa.
(Bem melhor do que deixar a luz da varanda acesa dia e noite, o que evidenciaria que realmente não havia ninguém em casa).

O PC-DOS e o MS-DOS foram "extremamente baseados" no CP/M de Gary Killdall, fundador da Digital Research.
O CP/M era um sistema quase-perfeito, mas a IBM desejava fazer algo excclusivo.

Após o fracasso das negociações com a IBM, Killdall escreveu também o CPM/86 e do DR-DOS (chamado por alguns de "Doutor DOS").
Esse DR-DOS acessava diretamente 4MB de memória, não ficando restrito aos miseros 640KB que foram o padrão do DOS e dos sucessivos Windows durante anos a fio.
E o CP/M86 foi basicamente o mesmo CP/M, reescrito especialmente para o processador 8086, permitindo o acesso a 16 bits por vez (8+8).
Em termos de tecnologia, a DR estava bem à frente de todos os seus (pouquíssimos) concorrentes. No entanto, não resistiu e fechou as portas.

Agora, gostaria de considerar também outros aspectos:
Durante muitos anos, os usuários de DOS e Windows tiveram de recorrer à linha de comandos para resolver problemas típicos, ou ainda para obter melhores resultados.
Por exemplo, aqui vão duas implementaçõs que jamais foram encontradas no Windows:
COPY A: *.* C: /V
e
FC A: *.* C:
onde a primeira efetua a cópia e faz uma verificação para ver se saiu tudo perfeito, sem erros;
e a segunda para comparar a consistência dos arquivos de mesmo nome que constem dos dois volumes A: e C:

Para alguns usuários, esse tipo de utilização não é realmente necessário. Para outros, entretanto, seria essencial.
No tocante a mim, sempre manipulei disquetes e HDs no Windows através da linha de comandos do DOS, por ser mais seguro e mais rápido.
Tem certas horas que um mouse, em vez da ajujdar, atrapalha.
Ele é ótimo para aplicações de natureza gráfica, mas para quem passa o dia digitando lançamentos contábeis, é um verdadeiro inferno.
Mas nossos programadores (que nem sempre são digitadores) fazem com que o pobre coitado do digitador tenha de pegar e soltar o mouse milhares de vezes por dia.
E também fazem a "pegadinha" dos dígitos-de-controle, um recurso completamente desnecessário nos dias de hoje.
Especialmente se for usado o módulo 11 (e SEMPRE é usado tal módulo, apesar de suas gritantes ineficiências).

Aqui também há um divisor de águas no perfil dos assim-chamados "usuários-finais".

Enquanto isso, usuários do Mac, embora paguem muito mais caro e não tenham uma boa quantidade de programas, simplesmente ligam seus computadores e trabalham, sem incomodar a ninguém com filosofias bairristas, e com um nível de "hacking" (ou melhor diria "keystroking") próximo do zero.

C´est la vie, mes amis!

[30] Comentário enviado por dbahiaz em 21/01/2009 - 23:22h

Gostei de ler o seu artigo,Parabéns! Infeslimente não li todos os comentarios, peço desculpas, é que a tela lcd que é uma maravilha, as vezes cansa às vistas.


[31] Comentário enviado por eugeniom em 22/01/2009 - 01:03h

Sr; Odirneto;

Parabéns pela pesquisa do artigo, vou lhe apresentar meu ponto de vista e porque sou LINUX:

Esta semana assistir um discurso de Steve Jobs, o cara da apple; ele dizia que sempre junta os "pontinhos" do que aconteceu na vida dele e que isso é impossível com os "pontinhos" do futuro, é lógico, seria o mesmo que prever o futuro; mas o que Jobs quis salientar é quanto tudo é, magnificamente, imprevisível, não podemos prever o próximo "pontinho" de nossas vidas, mas podemos, pelo menos, exercitar e aprender o que seria se aquele, ou qualquer outro fato não tivesse acontecido.

Acho que estamos vivendo uma grande mudança nos tempos em que muitos "bons valores" foram esquecidos e muita "safadeza" virou regras-do-mercado, as virtudes mais simples já são difíceis de serem encontradas, as pessoas não pensam mais, não analisam, estão irresponsávelmente egoístas, tudo isso é calculado e utilizado pelo mundo capitalista. Vários avanços são freados, várias tecnologias são trancadas e a ignorância do usuário é muito bem vista, financeiramente. Será que alguém consegue calcular o quanto de prejuízo a Microsoft já deu ao mundo? Os benefícios não seriam muito maiores com um OS mais estável? Como saber, esses "pontinhos" só podemos ligar depois...

Por enquanto o Linux já provou que é melhor, já provou que funciona melhor e que seu custo é bem menor, sua complexidade é pelo fato de ser totalmente configurável, que é uma das suas principais qualidades; muita coisa poderia ser melhor, mais padronizado, mais organizado, mas bem feito, mas também não é justo exigir de milhões de colaboradores que façam isso ou aquilo melhor, que deixem de viajar, jantar, passear para melhorar algum tutorial ou artigo, ...e de graça.

O Linux é livre, e o que vejo é que as pessoas que escrevem os tutorias dissem que o fazem para que outras pessoas não passem pela dificuldade que elas passaram, isso é liberdade, não tem pedir nada a ninguém, não são mandados por ninguém, simplesmente escrevem para melhorar a vida dos outros e a única recompensa é ver seu artigo ou tutorial publicado.

Temos que entender que o Linux não é um OS proprietário, é livre.

[32] Comentário enviado por xerxeslins em 22/01/2009 - 12:02h

Artigo nota 10.

Concordo bastante com o artigo, principalmente com a parte que diz que a Microsoft sai ganhando com a pirataria e que as falhas do sistema nesse aspecto são propositais!

Concordo muitíssimo com a parte em que você diz que a ajuda para usuários iniciantes no Linux é difícil, pois a própria comunidade dificulta às vezes. Porém existe muita iniciantiva de vários membros que querem ajudar os iniciantes usando uma linguagem simples e menos técnica também.

Gostaria de observar, porém, que a culpa do não crescimento do Linux também é dos próprios usuário em geral e não tanto dos usuários de Linux. Os usuários que querem apenas usar o computador para jogar, ver e-mail e orkut, são cada vez mais incentivados a entenderem menos de informática, devido a filosofia da Microsoft, que faz com que se acostumem a usuar o sistema sem entender os conceitos envolvidos. Com usuários sem conhecimento em informática, fica mais fácil para a Microsoft empurrar seus produtos já que eles não conseguirão encontrar outras alternativas facilmente - o que exigiria mais conhecimento.

Como dizia a abertura do jogo Mortal Kombat: "Não há conhecimento que não seja poder".


[33] Comentário enviado por albfneto em 22/01/2009 - 12:22h

Para mim, é uma questão de tempo... Ciência e Tecnologia não voltam para trás...
Em breve, quase todas as Distros Linux serão tão fáceis para o usuário leigo, como o é o Windows...
Vejam bem, mesmo entre os Linusers, quem hoje usa um terminal preto, sem X?
quem não gosta de um Compiz Fusion, um Beryl, um Navegador bonito, animações, vídeos, ou um E17, um KDE 4 altamente sofisticados?
Veja acima, post de RonaldomJunior...
Quem vê um Compiz Fusion, quer usar Linux na hora, pq é muito bonito.
Algums até perguntam, dá para fazer isso em Windows? Não dá por causa do uso da memória....
Eu tenho uma instalação Mandriva, aonde , com as teclas CRTL+ALT+seta para a direita ou esquerda, afço o cubo do Compiz, transformado em cilindro, rodar continuamente 360 graus, como se fosse um motor!!!
Mesmo entre os Dinossauros do Linux, os Slackwaremaniacos.... quem não usa Interfaces gráficas?
Mesmo Linus Torvalds, declarou gostar e usar KDE!
Assim como o DOS acabou, os tempos da Tela Preta no Linux também acabaram...
Não sei se concordo que a Comunidade não ajuda. Não esqueçam que a Comunidade Linux é pequena ainda...
Nós , por exemplo do VOL, ajudamos bastante.
Eu sou químico e usuário relativamente experiente, mas muitos aqui do VOL, são profissionais de TI, são programadores e Linuxers e estes ajudam muito...
Basta a vcs verem que o número de novos membros do VOL e pessoas que querem usar Linux, cresce a cada dia.

[34] Comentário enviado por removido em 22/01/2009 - 16:11h

Artigo muito bom.

[35] Comentário enviado por mcnd2 em 22/01/2009 - 20:31h

Parabéns pelo artigo.

Em questão do Windows nunca aprendi a usar o prompt de comando. Meu 1º sistema em meu 1º PC (Pentium 100) foi o Windows 95, mas não sabia nada, então sempre recorria ajuda a um amigo que é analista de sistema. Sim depois de algum tempo mudei de PC e de Sistema para o Windows 98 e depois Windows XP, e até então não sabia nada de DOS, até aprender algumas mínimas coisas. Mais isso não me deixou encabulado com o sistema e aprendi muitas coisas só pela parte gráfica.

Em 2004 tive o primeiro contato com o Linux que comprei em uma banca de jornal que foi o Conectiva 8. Sem muito sucesso e sem conhecimento, comecei a pesquisar na Internet sobre o sistema e de como conseguiria resolver tal problema que até então foi pela tentativa de instalação do Windows XP que consegui detectar o problema de não ter sucesso na instalação do Conectiva 8, a incompatibilidade de memória. Sendo assim como meu conhecimento foi se expandindo um pouco mais particionei o HD e deixei em dual boot o Windows XP e o Conectiva 8 para não ter muitas frustrações naquela época.

Hoje sei um pouquinho de terminal no Linux graças a necessidade de usar em alguns caso ou quase sempre o terminal. Um aprendizado que aprendi no Linux é nunca subestimar o sistema. Fiquei um ano de tentativa para compilar o modem para minha Internet discada e depois de tanto tempo finalmente discou, rsrsrs... hoje uso banda larga pirata, hehehe... então melhorou muito pois não precisei nem esquentar a cabeça para botar para funcionar, o sistema detecta como DHCP automaticamente.

Sim todos nós precisamos nos ajudar. Quem sabe mais sempre ajudar o que sabe menos e o que sabe menos sempre ajudar o que não sabe nada.

Vlw, e que o Sistema Linux seja predominante no Futuro próximo.

[36] Comentário enviado por edsonmsj em 22/01/2009 - 23:47h

Ótimo artigo novamente!

Ao que parece o Linux já está tomando este rumo em termos de Frontends e automação de muitas tarefas, o legal que no linux tudo se soma, as interfaces gráficas ficam mais fáceis com o tempo, mas o bom e velho Shell e arquivos de configuração estão lá.

Em suma, gostaria que o Linux ficasse mais transparente para todos, para que muito mais usuários optem pelo OS e a indústria de Jogos, sejam obrigadas a fazer jogos compatíveis com Linux, a fim de eu finalmente retirar de uma vez por todas esta porcaria de Windows que está ocupando 60 GB do meu HD.

[37] Comentário enviado por removido em 23/01/2009 - 02:51h

Linux = fácil :x
Windows = mais fácil ainda
O que as pessoas pensam = quanto mais fácil melhor

Ninguém é obrigado a conhecer informática, se não for a sua área de atuação, assim como nós (os de TI) não somos obrigados a conhecer outras áreas (eu não quero te que aprender pecuária pra comer carne de boi).

[38] Comentário enviado por luizhacker em 23/01/2009 - 13:29h

Concordem ou não, este artigo só expõe um fato real: A Microsoft só reina porque o windows é o SO mais utilizado no mundo. O windows só é o SO mais utilizado no mundo por que é "bonitinho" é fácil de usar. Qualquer leigo (ou um burro curioso) instala um jogo ou programa no windows, navega na internet, conversa e ainda implementa por ele mesmo medidas de segurança no seu windows (instala lá um AVG-Free em 3 etapas e tá mais ou menos seguro)...
No Linux a história é outra: Tudo requer muitas horas de estudo e concentração.... É disso que o "povão" foge: muitas horas de estudo e concentração! O pivete vai na lanhouse pra mexer no orkut e no msn, nada mais... O dono da lanhouse quer dinheiro fácil: instala o windows, e ele mesmo faz a manutenção!
Desta maneira todo mundo vai usando o windows e sua popularidade vai crescendo cada vez mais...

[39] Comentário enviado por luizhacker em 23/01/2009 - 13:32h

A maior concorrente do Linux é a preguiça dos usuários de computador!

[40] Comentário enviado por marcos.ramos em 23/01/2009 - 15:20h

primeiramente, parabéns pelo artigo!!

fico realmente muito feliz quando vejo artigos desse tipo!

como o amigo subverso disse, eu não quero aprender pecuária pra aprender carne de boi. Imagine um advogado, ou um pedreiro. Trabalharam duro o dia inteiro e quando chegam em casa querem assitir um dvd no seu computador, e então eles descobrem que tem que compilar o codec tal, atualizar lib tal e editar arquivo tal. Tudo isso pra assistir um dvd.

Quando se trata de servidores, se espera que o usuário tenha conhecimentos técnicos, logo, o sistema não precisa dar nada de mão beijada para usuário, apesar de que a facilidade de configuração aumenta a produtividade, mas já é um outro assunto.

Já quando o campo de atuação é o de usuários finais, o buraco é mais embaixo. O cara só que clicar e quer que funcione! Nada mais. Algumas distribuições tem feito isso muito bem, e adivinhe quais são mais usadas?? O ubuntu é uma beleza, marco a caixinha, aperto o botão, digito a senha e pufff!! pronto!!

Falar que Linux é melhor que Windows é errado, são sistemas diferentes, (como já foi dito) com objetivos diferentes. Cada um se destaca em sua área de atuação. Mas no fim das contas, a robustez do linux começa a encontrar a facilidade para os usuários... Creio eu que em breve vamos começar a ver mais pinguins nos computadores por aí a fora.

* usuário final apenas usa o computador, não é questão de ter preguiça, mas porque simplesmente a informática não uma coisa com que eles devam se importar tanto *

[41] Comentário enviado por Ignorante em 23/01/2009 - 17:45h

O artigo foi otimo, "esclarecedor"
mas teve alguns pontinhos que discordo,
Mas parabens

[42] Comentário enviado por librarian em 24/01/2009 - 11:22h

Quando vi a chamada do seu artigo, já fui pronto para contrargumentar qualquer xiitismo de sua parte. Me desculpe. Depois de ler todo o texto, devo dizer que concordo com o núcleo de sua argumentação.

Alguém disse que Linux é fácil. Linux não é fácil. Algumas distros facilitam a interação do usuário com o Linux a ponto de ele ser virtualmente fácil, mas encontrar uma distro que promova uma boa interação é difícil. Aliás, interação com o usuário é para alguns subjetivo. Para estes, Slack é altamente interativo e Ubuntu é imbecilizador (acreditem, já ouvi isso de um slacker). Já eu penso que Ubuntu é recheado de interatividade com o usuário como poucas outras distros são. Mas como gosto por distro é que nem nariz, cada um tem o seu e ninguém deveria meter o dedo no dos outros.

Quando eu falo do Ubuntu, dou um CD, mesmo que o interessado não esteja assim... tão interessado. Quando ele decide instalar, me procura, faço a instalação, e dou suporte E apoio. Sim, os dois. Quando tem problema, vou lá e ajeito, se não dá para ir cato um tuto que seja fácil de seguir e mando (para já ir no dia seguinte ver se conseguiu e se não, por quê). Mantenho por dentro das novidades sobre Linux e Ubuntu, quando sai uma versão nova ofereço um upgrade, e assim a gente conquista mais um.

A comunidade Linux não é pequena, como disse outro. É desinteressada. E preconceituosa. Sabe quando você queria ficar com os caras mais velhos, quando você era aborrecente e eles com três, quatro anos a mais que você? Se eles te escanteavam, por ser mais novo, saiba que é assim que se sente um futuro ex-winuser quando entra em contato com a comunidade. É o cara que se inscreve na lista de uma distro qualquer e já no primeiro email vai escrevendo em miguxês: aÊ GaLeRa! To cumas parada sinixtra aki no SuSi, kem pode mim dá um help? rsrsrs. Se fosse no IRC, /ban *!*@*.domain para ele. Solução? A Comunidade o ignora e abstém-se de responder e se o faz, faz de mau gosto. O problema é que muitos deles não costumam insistir muito, e logo teremos é mais um para dizer que Linux não presta.

Um tópico que muito linuxista não gosta é da analogia com o Windows. Penso se seria do mesmo jeito se não fosse a MS mas a Apple o monopólio? Desktops aí afora imita o Mac-style; a EasyLinux até ensina como transformar visualmente seu Linux num! Mas quando o sujeito faz um tema GTK+ como o Linsta, é um fascínora! Na Prefeitura de Recife, alguns PCs já possuem o BrOffice.org. Se o cara pergunta: Cadê o Word, o Excel, o PowerPoint? você diz: Esses aqui são a mesma coisa -- você errou, porque usuário final pode ser tudo, mas não é besta: ele percebe que não é a mesma coisa. Mas se você diz: é parecido, o sujeito vai ficar tentado a ver se é mesmo. Tente fazer isso com o Linux! Até porque, SO, sim, é tudo igual; a maneira de fazer as mesmas coisas é que muda.

As três grandes religiões operacionais, Windows, Macintosh e Linux, cada uma delas tem seu spread, seu campo de atuação. Mac nunca vai ser tão bom quanto Windows para jogos, Windows nunca vai ser tão quanto Linux para segurança, Linux nunca vai ser tão bom quanto Mac para multimídia. A questão aqui, se for para ficar na filosofia, é ser pragmático.

[43] Comentário enviado por elyssonmr em 24/01/2009 - 22:39h

Como faz muito tempo que não navego no VOL eu havia perdido minha senha, a recuperei somente para deixar meu comentário aqui.
Comecei no linux faz cerca de 1 semana mas tenho dual-boot configurado pelo meu irmão, eu uso o mandriva, ainda uso o windows pois tenho o warcraft 3 e o world of warcraft instalados e curto pakas esses jogos da blizzard (ambos originais, em tese o wow) somente isso me segunda no windows e claro o que você comentou sobre a dificuldade de utilizar o Linux eu tive um bom trabalho pra configurar a minha resolução de tela esses dias mas consegui e agora não esqueço mais como faz.

Belo artigo!

[44] Comentário enviado por aleheavyjack em 24/01/2009 - 23:41h

Tem uma coisa que não sei se vcs chegaram a comentar:

Quantos usuários de windows teriam condições de pegar um CD e simplesmente instalar as janelinhas nas suas máquinas e ficar tudo redondinho?

Olha, se fosse ver, seria uma parcela insignificante.

Eu acho que HOJE umas das grandes diferenças está nisso aí. O Ubuntu, por exemplo, tem que ser INFINITAMENTE mais simples que o Windows, pois terá que ser instalado inteiro pelo usuário (sozinho em casa).

Se fosse para instalar um windows era só chamar o técnico da lojinha da esquina que ele vem pega a máquina e entrega rodando.

Aí vc junta a isso o fato de o usuário já estar acostumado com o windows (inclusive a grande maioria nem sabe que existe outra alternativa). Pronto: acho que está mais do que explicado.

Comecei no Linux com o Ubuntu, no começo do ano passado, e gostei tanto desse universo GNU/LINUX que virou quase um hobby. Hoje estou feliz da vida no Archlinux, considerado "difícil", mas sem grandes traumas não.

Nesta trajetória aprendi a valorizar algumas coisas:

Uma distribuição PLENAMENTE amigável, como o Ubuntu, que ainda tem a genial ideia de ser distribuída de graça, descaradamente voltada a "pegar" usuários windows.

A variedade de distribuições GNU/Linux, cada uma com uma cara e um foco, que dá sempre aquela coceirinha para se mudar de distro e ver "novidades".

E tutoriais hiper amigáveis como particularmente quero destacar os do Hugo Dória no Arch, que tornam possível a pessoas como eu colocar uma distribuição KISS para rodar redondinha.

Mas o foco é o seguinte: se tivesse pessoal técnico aí do lado de casa, dando aquela força legal para o cara colocar o linux na casa dele, logo logo o quadro iria virar. Do mesmo jeito que teria gente que não ia nem querer saber, ia ter também gente que faria a famosa "experiência" e ia simplesmente se apaixonar. E aí, um espalha pro outro... e já viu, não para mais.

Só que a gente vê exatamente o contrário. O pessoal (da loja) que dava suporte windows para mim aqui ficando "assombrado" por eu ter colocado o Linux, e dizendo que acham o windows "MAIS PRÁTICO". (rsssss)

Ou seja: tava na hora mesmo de um artigo deste aí. Parabéns!

[45] Comentário enviado por progerio em 25/01/2009 - 00:10h

Parabens pelo artigo, confesso que quando comecei a usar o Linux em 2007 encontrei varias dificuldades para entender alguns tutorias de determinadas distribuições pois eu queria apenas moldar um sistema para meu PC conforme as minhas necessidades.
Dai como deve ter acontecido no começo de muitos leigos, fui mudando de distros até chegar num ponto comum, o importante que não desiti, como ocorreu com alguns amigos meus e pode ter acontecido com muita gente, e como citou no artigo realmente acredito que o formato que o UBUNTU se apresenta para o usuario leigo facilitando instalação tanto do sistema quanto suas aplicações, tendo maior participação de sua comunidade e do suporte tecnico,deve ajudar muito as pessoas que como eu, enfim, conseguiu uma melhor utilização do sistema.
Confesso que tive receios mas hoje vejo que se as comunidades "de cada distro existente" se unirem o LINUX poderá ter seu tempo de gloria mais rápido do muitos esperam.

[46] Comentário enviado por removido em 25/01/2009 - 00:54h

Librarian. Quando eu disse q linux era fácil foi uma ironia (por isso eu coloquei a carinha :x, entendeu agora?). E mesmo assim, existem pontos de vista contrários ao seu sobre isso, e independente disso a conclusão seria a mesma (percebe?). Mas eu acho que pra vc o importante é contradizer, e não a idéia principal. É uma pena.

[47] Comentário enviado por marcos7oliveira em 25/01/2009 - 21:54h

Cara, me chamem de sem personalidade ou ponto de vista, etc...
Ou sem senso crítico como for...

Mas acabei de ler e reler o artigo.
e
Concordo plenamente com tudo.

To com pouco tempo agora, mas em outra oprtunidade explico o porquê de concordar.



[48] Comentário enviado por edipo.magrelo em 26/01/2009 - 16:44h

é..o artigo foi bom mesmo....quanto ao ponto de se algum OS Linux dominasse igual ao sistema da MS ja pensei nisso tambem ...as vulnerabilidades dele seria descobertas mais cedo..e teria mais brechas de segurança..mais mesmo assim seria muito melhor q qulaquer OS da MS.
Quanto a tutoriais dificies tambem tenho um outro ponto de vista...os usuarios windows estão acostumados com tudo facil...como habilitar e desabilitar check box e quando pegam um how-to com linguagem tecnica eles naum querem nem saber..nem pensam em pesquisar mais...procurar saber o q roda por tras de uma aplicação...ai se recorrem as facilidades da MS.
Do resto da blz.
valew
abraços

[49] Comentário enviado por librarian em 27/01/2009 - 08:32h

@subverso:

Em momento algum deixei passar a impressão que não havia entendido o emoticon colocado. Apenas utilizei o que você tinha escrito (que nem percebi que fora você, só fiz ler os comentários para formar um meu) para esclarecer um ponto de vista meu, sobre a "facilidade do Linux perante o Windows". Sim, eu sei que muitos dos meus argumentos podem ser contrargumentados, e espero isso. Afinal, não é importante para mim contradizer apenas, mas incitar a discussão. E por quê? Se uma tese não tem antítese, não poderá haver nunca uma síntese. Como já dizia o outro, toda unanimidade é burra, uma coisa que linuxistas não são (em sua maioria).

[50] Comentário enviado por removido em 28/01/2009 - 02:47h

librarian

É impossível você ter entendido, por que se tivesse, não teria dito o que disse. A única coisa que você fez foi pegar uma frase do que eu disse, sem se preocupar com o resto.

"Afinal, não é importante para mim contradizer apenas, mas incitar a discussão."

É exatamente o que eu disse. Em vez de se preocupar com a lógica do argumento do outro, você simplesmente contradiz (e por consequência gera discussão) a parte que você quer e ignora o resto. De que adianta incitar uma discussão se você mal considera a lógica do argumento?

E definitivamente, não acredito que toda unanimidade seja burra. Existem grupos, instituições, associações (e etc) no mundo inteiro que são unânimes em determinados assuntos, e nem por isso são burros, independente de haver discordâncias ou não.

E desculpas ao autor por ter saído do assunto...

[51] Comentário enviado por roberdson em 28/01/2009 - 15:10h

Finalmente uma pessoa que concorda comigo!
Cansei de bater nessa tecla... temos que facilitar o uso do Linux...
Eu mesmo já fiz o teste... Se você instalar o Linux na casa de alguém, da uma "enfeitada", e coloca coisas básicas para funcionar tipo: Aquele recurso de mostrar a musica que você está ouvindo... que é extremamente fácil... pronto... tudo está resolvido!
Existem muitas pessoas que nem conhece o Linux, e sistemas Unix, as que já ouviram falar, dizem que "todo mundo fala que é difícil" ...
Quando você mostra a pessoa um sistema amigável e bonito, fácil de usar... A pessoa muda completamente de ideia!
Enfim... otimo o artigo, meus parabéns!

[52] Comentário enviado por roberdson em 28/01/2009 - 15:14h

Ah outra coisa... Quanto a segurança, os sistemas Linux, são mais seguros que os da MS, embora com certeza se mais pessoas usassem, mais falhas e vulnerabilidades seriam descobertas...
Porém não podemos esquecer que sistemas Linux, se desenvolvem num ritmo que chega a ser assustador...
Então essas falhas seriam logo corrigidas...

[53] Comentário enviado por igormp em 03/02/2009 - 12:23h

Cara muito bom mesmo, até falo aqui que ontem vi um membro aqui da vol mesmo implorando ajuda e muitos se levantaram para o ajudar porém outros falaram para o nosso colega para fazer curso acho que todos estão aqui pelo mesmo motivo aprender mais sobre linux e ajudar pessoas a aprender a usa-lo.
muito obrigado por esse artigo mesmo.

[54] Comentário enviado por albertoaalmeida em 04/02/2009 - 10:34h

Caro colega, primeiro quero parabenizá-lo pelo excelente artigo.

Concordo com você desde a primeira até a última linha. Não li todos os comentários, dos que eu tive a oportunidade de ler quero citar o do aldolinux que sem dúvida está coberto de razão em relação a utilização do Windows e linux.

A minha opinião e que se queremos ser profissionais de TI temos que estudar, trabalhar forte e nos empenharmos o máximo. Quanto a escrever artigos didáticos, isso é uma dádiva de bons escritores, e isso que faz você Odir um excelente escritor e que outros escritores possam empenhar em escrever artigos com mais clareza e de fácil entendimento aos menos experientes.

O que tenho a fazer é parabenizá-lo mias uma vez pelo belo trabalho.

Abraços

Alberto Almeida

www.albertoalmeida.blogspot.com



[55] Comentário enviado por removido em 22/02/2009 - 20:55h

o Resto!!!

eita lele!

flw

[56] Comentário enviado por raschadeck em 24/05/2011 - 08:58h

Simplesmente ótimo!

Pra falar a verdade achei meio dramático algumas partes, mas a idéa é essa mesmo...

Iniciei a 3 semanas no ambiente linux na empresa (forçado a iniciar).

E encontrei várias dificuldades... cheguei aqui nesse artigo depois de ler o seu sobre o IPTables (que resolveu meus problemas)

Logo, concordo com o que diz aqui, pq estava desistindo do Linux, mas depois de ler seu ultimo artigo sobre IPTables, mudei de idéia.


É possivel deixar o Linux didatico SIM ! ! !

Espero um dia poder ajudar a comunidade e, principalmente ajudar o Linux.





Ótimo artigo.


flow

[57] Comentário enviado por cr4sh0v3rr1d3 em 05/06/2013 - 19:08h

sem comentários....seu tópico está desatualizado...em 2013 o mercado de pc começou a ruir e perder cada vez mais mercado para tablets e afins....e o linux já é maioria nesse mercado personificado no android que roda o kernel do linux...e atualmente o google já passou da Ms na questão empresa mais valorizada...tem outra em 2013 a ms já lucra processando grandes empresas que tem datacenter lucrativos usando linux para ser processados...ou seja a Ms n é mais empresa de Desenvolvimento de Sistema é prioritariamente uma empresa que lucra com Xbox muito mais que com Windows...e sua renda e prestigio cai a cada dia... o mundo atual dominado por smartphones e tablets esta dominado pelo linux e open source fim de papo.

[58] Comentário enviado por espanholeto em 19/10/2016 - 11:19h

Parabéns Odir! Pela sua didática pouco usual no mundo de TI.

Veja só: Seu artigo de 2009 infelizmente continua atual até hoje! Tô sofrendo horrores para poder trabalhar com iptables, aliás seu artigo ajudou muito. Ou eu sou muito burro ou as pessoas fazem tutoriais para que só as pessoas que entendem do assunto entenderem...

Eu faria a seguinte analogia: O Windows é como os programas de tv: Sabem atrair e manter a atenção das crianças (Até demais).
As escolas são como a comunidade Linux: Continuam a "ensinar" as crianças de uma maneira chata, desinteressante e difícil de entender e depois querem que tirem 10 nas provas.

Ao invés de criarmos Zilhões de distribuições para satisfazer nossa vaidade, deveríamos fazer um esforço conjunto para que uma opção ao Windows fosse realmente viável ao usuário leigo.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts