Live do Ubuntu com programa PartImage como Ferramenta para Backup do Windows 7

Vamos abordar de forma rápida, para os Linux Users que dão suporte a informática a usuários Windows 7. Não vou entrar em muitos detalhes quanto a Windows 8 ou Windows 10, pois basicamente o procedimento é o mesmo.

[ Hits: 5.098 ]

Por: Carlos Adriano em 16/05/2016


Introdução



Saudações!

Vamos abordar de forma rápida, para os Linux Users que dão suporte a informática a usuários Windows 7. Não vou entrar em muitos detalhes quanto a Windows 8 ou Windows 10, pois basicamente o procedimento é o mesmo.

Vamos lá! Vamos considerar efetuar a tarefa em uma máquina virtual, depois é só repetir os passos em máquinas físicas.

Ao criar a máquina virtual para o Windows 7, crie um HD com 30GB por exemplo, instale o Windows 7 nesta máquina virtual, mas na hora de instalar, crie uma partição com 14GB (para Windows) e uma com 16GB para backup.

Eventualmente será criada uma primeira partição de 100MB para a pasta boot do Windows, devendo ficar desta forma, (Linuxmente falando).
  • sda1 - ntfs 100MB (para Boot)
  • sda2 - ntfs 14GB (para Windows)
  • sda3 - ntfs 16GB (para salvar Backup)

Porque criar a partição de backup maior? Para dar mais liberdade pra trabalhar caso necessário. Salvar drivers e programas para Windows etc.

Instale o Windows 7 na partição de 14GB. Ao terminar a instalação, verifique se o sistema iniciou.

Estando tudo ok, você deve ter algo tipo abaixo, dentro do Windows:
  • C: 14GB
  • D: 16GB

Agora inicie um Live CD/DVD/USB do Ubuntu, no meu caso usei Lubuntu, por ser bem leve.

Já dentro do live cd, abra o terminal e vamos começar a trabalhar...

Torne-se root:

sudo su

Instale o programa PartImage:

# apt-get install partimage

Verifique seu particionamento:

# fdisk -l /dev/sda

Você deve ver algo do tipo:
  • /dev/sda1 100MB
  • /dev/sda2 14GB
  • /dev/sda3 16GB

Antes de prosseguirmos, vamos criar um diretório para montagem e vamos montar a unidade sda3 neste diretório para salvar os backups.

Para criar o diretório:

# mkdir /mnt/hd3

Para montar:

# mount /dev/sda3 /mnt/hd3

Ou, se preferir:

# mkdir /mnt/hd3 && mount /dev/sda3 /mnt/hd3

Agora, neste exemplo abordaremos duas formas de backup da mbr.

Salvando só 446 bytes salvaremos o gerenciador de boot do sistema, que está gravado na MBR, sem alterar em nada na tabela de particionamento.

Salvando 512 bytes, estamos salvando o gerenciador de boot do sistema 446 bytes, a tabela de particionamento 64 bytes e a Boot Signature 2 bytes.

Para salvar somente o gerenciador de boot gravado na MBR, usamos o comando abaixo:

# dd if=/dev/sda of=/mnt/hd3/mbr-446.img bs=446 count=1

Para salvar a MBR completa:

# dd if=/dev/sda of=/mnt/hd3/mbr-512.img bs=512 count=1

Vamos criar também uma MBR doida, mais adiante vamos entender porque:

# dd if=/dev/sda3 of=/mnt/hd3/mbr-446-doida.img bs=446 count=1

Agora abra o PartImage:

# partimage

Dentro do programa, crie um backup da partição sda1 e um backup da partição sda2, salvando as imagens no diretório /mnt/hd3, que é referente a partição sda3.

Após isso, você já tem um backup do seu sistema.

Agora a fase dos testes!

1. Vamos destruir a partição de boot sda1 de 100mb e ver o que acontece!

Execute o comando dentro do terminal do Linux:

# mkfs.ntfs /dev/sda1

Reinicie a máquina e certifique-se que o Windows não inicia mais.

Agora vamos usar o PartImage para restaurar o Windows em poucos minutos!
  1. Reinicie o live do Ubuntu.
  2. Instale novamente o PartImage.
  3. Crie o diretório /mnt/hd3 (de preferência, para dar continuidade ao procedimento).
  4. Monte a partição sda3 no diretório /mnt/hd3.
  5. Abra o PartImage e restaure a partição sda1 (que você detonou) a partir do backup que você salvou na partição sda3, no diretório /mnt/hd3/.
  6. Reinicie a máquina, e seu sistema deve iniciar normalmente!

E aí, funcionou!?

2. Vamos destruir a partição do Windows sda2 de 14GB e ver o que acontece!

Execute o comando dentro do terminal do Linux:

# mkfs.ntfs /dev/sda2

Reinicie a máquina e certifique-se que o Windows não inicia mais!

Agora vamos usar o PartImage para restaurar o Windows em poucos minutos novamente!
  1. Reinicie o live do Ubuntu.
  2. Instale novamente o PartImage.
  3. Crie o diretório /mnt/hd3 (de preferência, para dar continuidade ao procedimento).
  4. Monte a partição sda3 no diretório /mnt/hd3.
  5. Abra o PartImage e restaure a partição sda2 (que você detonou), a partir do backup que você salvou na partição sda3, no diretório /mnt/hd3/.
  6. Reinicie a máquina e seu sistema deve iniciar normalmente!

E aí, funcionou!?

3. Vamos destruir a MBR, só os 446 bytes referentes ao Gerenciador de Boot, e ver o que acontece!

Lembra que criamos um arquivo chamado, mbr-446-doida.img?

Fizemos isso, para copiar um pedaço da partição sda3, que não tem nada haver com a MBR do disco inteiro /dev/sda.

Agora vamos inserir o backup da partição sda3 no disco inteiro sda.

Resultado? Vamos destruir o gerenciador de boot.

Execute:

# dd if=/mnt/hd3/mbr-446-doida.img of=/dev/sda bs=446 count=1

Reinicie a máquina e você deve ver algo bem esquisito na tela, e é óbvio, seu Windows não vai iniciar de jeito nenhum!

Desta vez, vamos usar o comando dd para restaurar a MBR em poucos minutos!
  1. Reinicie o live do Ubuntu.
  2. Instale novamente o PartImage.
  3. Crie o diretório /mnt/hd3 (de preferência, para dar continuidade ao procedimento).
  4. Monte a partição sda3 no diretório /mnt/hd3.
  5. Restaure o backup da MBR com os 446 bytes do Gerenciador de Boot.

Para restaurar o backup da MBR:

# dd if=/mnt/hd3/mbr-446.img of=/dev/sda bs=446 count=1

Após realizar este procedimento, pode reiniciar a máquina e conferir!

E aí, funcionou!?

Dica útil

Se você já tem clientes fixos, provavelmente de tempos em tempos eles voltam, então aqui vai a dica.

Você pode criar a partição sda3 como ext4, desta forma o Linux Live a enxerga normalmente, e você pode trabalhar tranquilamente, mas o Windows não a enxerga, e você pode deixá-la guardada em oculto do Windows e até do próprio dono da máquina (a não ser que ele seja um Linux User :D ).

Considerações finais

Você deve estar se perguntado, pra que esse trabalho todo? Quem formata computadores o tempo todo sabe muito bem como isso é útil.

Não tem nada melhor que, ao invés de perder mais de 2 horas instalando um sistema, drivers, programas etc, simplesmente entrar em um Live USB Linux, e com menos de 10 minutos, ter um sistema completamente restaurado!

Até a próxima!

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Hardware ou Software: Conflitos

Segurança em Redes Wifi: Hacking x Defesa!

Utilizando Ubuntu live-CD/USB para backup com PartImage

Segurança no Linux: Antivírus, Firewall, Wine - Mitos e Verdades

CentOS 7 - Guia prático pós-instalação

Leitura recomendada

Backups com Amazon S3

Backup do Linux utilizando cliente do IBM Tivoli

Backups remotos com rSync e chaves SSH

Como criar stage4 do seu Gentoo

Bacula Server 7.0.3 com PostgreSQL no Debian

  
Comentários
[1] Comentário enviado por morvan em 17/06/2016 - 08:58h

Bom dia.
Carlos Adriano e demais; passei bom tempo utilizando o PartImage. Mas o deixei em prol do FsArchiver (http://www.fsarchiver.org/Main_Page).
A principal razão para a troca foi o fato de o PartImage ser orientado a bloco, enquanto o seu "rival" é orientado a arquivos. Dentre as vantagens da cópia orientada a arquivos está a de podermos recuperar uma partição maior para uma menor (digamos que eu fiz um salvamento de uma partição de 30GB e só havia 11GB efetivos utilizados; no primeiro eu não posso utilizar como destino uma partição de 20GB. No segundo, posso. Além de o FsArchiver me permitir extrair diretórios e até arquivos individuais, se necessário). Sugiro testá-lo. Ele pode ser baixado e pode ser utilizado a partir de CD de Recuperação, como o RescueCD.
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

[2] Comentário enviado por CarlosAdriano em 17/06/2016 - 09:44h


[1] Comentário enviado por morvan em 17/06/2016 - 08:58h

Bom dia.
Carlos Adriano e demais; passei bom tempo utilizando o PartImage. Mas o deixei em prol do FsArchiver (http://www.fsarchiver.org/Main_Page).
A principal razão para a troca foi o fato de o PartImage ser orientado a bloco, enquanto o seu "rival" é orientado a arquivos. Dentre as vantagens da cópia orientada a arquivos está a de podermos recuperar uma partição maior para uma menor (digamos que eu fiz um salvamento de uma partição de 30GB e só havia 11GB efetivos utilizados; no primeiro eu não posso utilizar como destino uma partição de 20GB. No segundo, posso. Além de o FsArchiver me permitir extrair diretórios e até arquivos individuais, se necessário). Sugiro testá-lo. Ele pode ser baixado e pode ser utilizado a partir de CD de Recuperação, como o RescueCD.
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.


Bom dia meu caro,

Cara eu nunca usei CDs de Recuperação, nunca tive muita paciência de aprender usar estas ferramentas, sei que tem muitas ferramentas bacanas, e que vale a pena aprender, vou deixar aqui na minha lista de aprendizado com certeza, valeu aí .

Eu particularmente só utilizei o partimage pois ele me pareceu prático, e pela facilidade de poder ser carregado num live cd da família do Debian,
fora que enquanto eu uso ele, eu posso navegar e fazer outras tarefas, hehe

Mas valeu a dica, nunca tinha ouvido falar desta ferramenta.
Anotado aqui.

Valeu

[3] Comentário enviado por morvan em 17/06/2016 - 10:11h


[2] Comentário enviado por CarlosAdriano em 17/06/2016 - 09:44h

Bom dia meu caro,

Cara eu nunca usei CDs de Recuperação, nunca tive muita paciência de aprender usar estas ferramentas, sei que tem muitas ferramentas bacanas, e que vale a pena aprender, vou deixar aqui na minha lista de aprendizado com certeza, valeu aí ...
Mas valeu a dica, nunca tinha ouvido falar desta ferramenta.
Anotado aqui.

Valeu

Bom dia.
Carlos Adriano, vale a pena tentar utilizar os "rescueCD´s", pois são aquele tipo que você passa a tê-lo sempre consigo. No caso do RescueCD, meu favorito (http://www.sysresccd.org/SystemRescueCd_Homepage), tem, a exemplo dos demais, a opção de instalá-lo em um chaveiro USB, o que o torna veloz, no boot, além do fato de evitar a queima de mídias ópticas. Eu utilizo o RescueCD em um "pendrive" antigo, de 1GB e o boot é fenomenalmente rápido. Sugiro a todos, pois com ele resolvo muitos pepinos no dia a dia.
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

[4] Comentário enviado por CarlosAdriano em 17/06/2016 - 10:18h


[3] Comentário enviado por morvan em 17/06/2016 - 10:11h


[2] Comentário enviado por CarlosAdriano em 17/06/2016 - 09:44h

Bom dia meu caro,

Cara eu nunca usei CDs de Recuperação, nunca tive muita paciência de aprender usar estas ferramentas, sei que tem muitas ferramentas bacanas, e que vale a pena aprender, vou deixar aqui na minha lista de aprendizado com certeza, valeu aí ...
Mas valeu a dica, nunca tinha ouvido falar desta ferramenta.
Anotado aqui.

Valeu

Bom dia.
Carlos Adriano, vale a pena tentar utilizar os "rescueCD´s", pois são aquele tipo que você passa a tê-lo sempre consigo. No caso do RescueCD, meu favorito (http://www.sysresccd.org/SystemRescueCd_Homepage), tem, a exemplo dos demais, a opção de instalá-lo em um chaveiro USB, o que o torna veloz, no boot, além do fato de evitar a queima de mídias ópticas. Eu utilizo o RescueCD em um "pendrive" antigo, de 1GB e o boot é fenomenalmente rápido. Sugiro a todos, pois com ele resolvo muitos pepinos no dia a dia.
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.


Entendido, valeu então meu caro !
Vou deixar aqui na minha lista, muito bom.

Eu cheguei usar alguns rescueCD´s, mas foi há um bom tempo atrás, e quando usei, eram aqueles lives baseados no windows, que não tinham documentação, e tinham um monte de ferramentas que eu nem sabia pra que serviam. Depois disso achei inútil estes "rescueCD´s".

Atualmente eu tenho mais o intuito de aprender usar as ferramentas de um modo mais aprofundado,
Mesmo que as vezes sejam ferramentas simples, eu prefiro aprender utilizar bem.

Pelo que vi este rescueCD´s que tu passou tem documentação, vou verificar aqui.
Valeu meu caro,


até a próxima.

[5] Comentário enviado por josef em 27/07/2016 - 20:40h

Morvam, você poderia informar onde podemos achar documentação sobre o FsArchiver?


[6] Comentário enviado por morvan em 27/07/2016 - 20:52h

[5] Comentário enviado por josef em 27/07/2016 - 20:40h
Morvam, você poderia informar onde podemos achar documentação sobre o FsArchiver?

Olá, Josef. Boa noite.
Acesse a "Home" do projeto ( http://www.fsarchiver.org/Main_Page ); lá tem um Guia Rápido ( http://www.fsarchiver.org/QuickStart ). O help da ferramenta é de muita valia, também, pois contém um bom tutorial para salvamento e para extração de arquivos (sim, podem ser extraídos arquivos e diretórios).
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

[7] Comentário enviado por josef em 30/07/2016 - 06:01h

obrigado


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts