Linux e Windows: Quebrando Estereótipos

Neste artigo, André Rosa aponta os demais estereótipos e tabus impostos sob estes sistemas operacionais.

[ Hits: 8.491 ]

Por: André em 14/10/2011 | Blog: http://127.0.0.1


Introdução



NOTA: Todas as informações apresentadas neste artigo foram obtidas na Internet, sendo assim, não ofereço nenhum tipo de garantia ou suporte. Não nos responsabilizamos por qualquer dano ocorrido, tanto na máquina (computador) quanto no software. Siga por sua conta e risco.

NOTA2: É permitida a cópia do conteúdo aqui publicado, desde que o autor seja informado e os créditos sejam mantidos intactos.

Como todos devem saber, há estereótipos pregados por usuários, sejam eles usuários de Linux ou de Windows, cada um tende a falar mal do outro sistema. Fanatismo demasiado nunca é algo positivo, nem mesmo quando o fanatismo é por sistemas operacionais. Basta que você navegue por pelo menos 30 minutos pelos fóruns relacionados à informática, para que você possa constatar o que estou dizendo.

Neste artigo tentarei quebrar alguns destes tabus e estereótipos. Alguns dos estereótipos se alastram por todas as áreas da informática. Afirmações como "Linux é melhor do que Windows", "Usuários de Windows são ignorantes", "Hackers usam Linux" e vice-versa são cada vez mais comuns, o que chega a ser um clichê.

Na área da programação também há tal discrepância, que é recíproca: "C é muito melhor do que Java", "Programadores em Object Pascal (Delphi) são péssimos programadores" etc também são demasiadamente comuns dentre os fóruns de discussão.

As afirmações não tão dóceis vem de ambas áreas, e isso, não só causa um enorme flame, como também confunde usuários leigos, que acabam tendo estas opiniões como certas. Eu dedico este artigo, principalmente, a usuários leigos, para não só passar o que aprendi nesse meu tempo de trabalho com Linux, como também em ratificá-los e alertá-los com relação à estas opiniões errôneas.

O problema nisso tudo é que, nem só de "brigas" entre os distintos sistemas operacionais estes estereótipos se manifestam. Muitas das vezes o mesmo ocorre, inclusive, dentro do próprio Linux. Usuários de Linux brigam entre si. Afirmações como: "Ubuntu é para gente burra", "Slackware é para especialistas e Hackers", "Mint é para leigos" etc também são bastante comuns em fóruns sobre Software Linux e Linux. É algo desanimador, pois somente a comunidade de usuários de Linux brigam entre si. A união faz a força, como diria o ditado, portanto, não há porque criar lacunas entre os usuários de Linux, distinguindo-os pela distribuição utilizada.

Vamos começar quebrando alguns tabus:

O Linux é melhor que o Windows (ou vice-versa)?

R: Ambos sistemas possuem suas vantagens e desvantagens. Apontar quaisquer distribuição Linux ou versão do Windows como melhor, e tornar isso como palavra final seria, sem sombra de dúvidas, um erro.

Usuários de Windows são ignorantes?

R: Definitivamente, não! Muitos especialistas, hackers, professores universitários e experientes da área usam Windows em seu Desktop. E, além disso, muitos usuários de Linux, também usam Windows. Eu mesmo conheço alguns especialistas que usam ambos sistemas. Lembrando que conhecer ambos sistemas é necessário para ser um bom profissional. É uma qualificação e tanto, para o currículo do profissional de TI.

Hackers usam Linux?

R: A resposta acima é válida para esta pergunta. Mas, para refutar, vou esclarecer: se hackers não usassem Windows também, porque tantos peritos forense computacionais dão tanta atenção à ferramentas forense voltadas para plataforma Windows? Se hackers não usassem Windows também, não havia porque se preocupar. E, se hackers não usam Windows, porque criam ferramentas como Nmap, Nessus, WireShark, Acunetix etc para Windows? A resposta está bem aí.

Na área da programação, como também é bastante comum, eu não poderia deixar de comentar:

C é muito melhor do que Java?

R: Não é por aí! Cada linguagem é usada para um determinado propósito. C é uma linguagem médio nível, muito utilizada para desenvolver Sistemas Embarcados, Microcontroladores etc e, acima de tudo, é uma linguagem de uso geral. Java, de modo geral, é uma linguagem portável, que roda em qualquer lugar que tenha uma JVM (Java Virtual Machine) instalada. E, como consequência disso, não consegue acessar determinados recursos oferecidos pelo sistema operacional ou pelo hardware. É aí que entra a linguagem C. As duas linguagens podem ser usadas juntamente (através de JNI, por exemplo), o que resolve este problema e esta discussão.

Programadores em Object Pascal (Delphi) são péssimos programadores

R: Errado! Conheço e trabalho com um programador Delphi que possui mais de 15 anos de experiência com programação, hoje desenvolve em Delphi. Para a área de Automação Comercial, é a melhor linguagem para se usar atualmente. Você pode contar com componentes específicos para tal, como o ACBr, por exemplo, que supre a criação de programas como: Menu Fiscal do PAF-ECF, NF-e, TEF, Boletos, Sintegra, SPED Fiscal/Contábil/PisCofins, etiquetas e impressão de códigos de barra e suporte a diversos modelos de ECFs (impressoras fiscal) de diversos fabricantes como: Daruma, Bematech, Urano, Epson etc. Não posso, no entanto, deixar de comentar também que, a rapidez e agilidade ao desenvolver em Delphi é ímpar, inigualável. Para área de Automação Comercial é, sem dúvida alguma, uma ótima ferramenta.

E, dentro do próprio mundo do Linux, os mais comuns estereótipos:

Ubuntu é para gente burra?

R: Definitivamente, não! Conheci alguns especialistas (alguns aqui no Viva o Linux) que usam Ubuntu. Em 2005 conheci um analista de sistemas que tinha larga experiência com Linux, trabalhava com este desde 99, passou por diversas distribuições consideradas difíceis como Gentoo, Slackware, Debian etc e que hoje em dia usa Ubuntu. Perguntei a ele o porque e ele me disse algo como: "eu não tenho problemas em configurar uma distribuição por inteira, compilar pacotes etc, o problema é a ausência de tempo. Com isso, fui para o Ubuntu, assim posso continuar usando Linux, pois não tenho mais tempo e paciência para configurar tudo aquilo". (sic) E sei que ele estava coberto de razão.

Você pode compilar pacotes em qualquer distribuição, seja ela o Ubuntu, XUbuntu, LUbuntu, Mint etc, só que você tem a opção de usar outras formas mais fáceis de instalação de pacotes, o que é ideal para pessoas que estão com pouco tempo disponível e ainda querem continuar com o Linux. Portanto, mais um tabu desmistificado.

Slackware é para especialistas e hackers?

R: Não. Muitos usuários avançados ainda optam pelo Slackware como distribuição, seja para se manter "no pique", ou por paixão pela distro mesmo. Eu, por exemplo, sou apaixonado pelo Debian, e não troco ele por outra distribuição (passei pelo Gentoo, Slackware, Ubuntu, Conectiva etc). Então a resposta da pergunta anterior (Ubuntu é para gente burra?) serve como resposta para essa pergunta.

E, para finalizar:

Mint é para leigos?

R: Não. De fato, muitos leigos, em fase de aprendizado optam pelo Ubuntu ou pelo Mint, e vão se tornando usuários mais experientes de acordo com o tempo de manuseio da distribuição. O preconceito sofrido pelo Mint é o mesmo sofrido pelo Ubuntu, uma opinião errônea. A resposta da pergunta "Ubuntu é para gente burra?" também é ideal para esta.

Conclusão

Eu espero que o preconceito a generalização e os estereótipos, de fato, acabem ou, ao menos, diminuam pelos fóruns de Linux. Senti a necessidade de escrever este texto, para demonstrar minha tamanha indignação. Este preconceito, inclusive, também está por aqui, pelo fórum do Viva o Linux. Espero ter conseguido passar a mensagem.

André Rosa.

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Introdução ao Fortran (parte 1)

A profissão: Programador

Gerenciamento de programas no Ubuntu através do Synaptic

CrossOver - Programas de Windows em seu GNU/Linux

Trabalhando com classes e métodos em Java

Leitura recomendada

Usando cron e crontab para agendar tarefas

Qual distro escolher

Arch Linux: Uma distribuição otimizada para i686

KDE 4 dentro do Openbox

Fundamentos do sistema Linux - Gerenciadores de inicialização

  
Comentários
[1] Comentário enviado por xerxeslins em 14/10/2011 - 16:01h

Muito bom! Por mim esse artigo merece ficar na lista de artigos em destaque depois que sair da página inicial.

Parabéns. Nota 10.

[2] Comentário enviado por Lwksbc em 14/10/2011 - 16:08h

Belo texto , algumas pessoas só conhece um lado e por não conhecer o outro criticam duramente .


......

[3] Comentário enviado por azk4n em 14/10/2011 - 16:44h

Ótimo artigo, são questões polêmicas hoje em dia.
Eu por exemplo, tenho 2 meses de experiência em Linux e estou usando Slackware sem muitas dificuldades.
Realmente, essa cultura de generalizar as coisas na informática é prejudicial para todos.

[4] Comentário enviado por campusano em 14/10/2011 - 17:54h

Os usuários linux que entenderam o conceito de liberdade não perdem tempo criticando outros sistemas. Usam o seu e pronto. Eu uso Ubuntu 11.04 (o dos burros).

[5] Comentário enviado por removido em 14/10/2011 - 19:26h

ótimo artigo. Realmente é necessário acabar com certos estereótipos. Ninguém é burro por usar este ou aquele Sistema Operacional ou por usar esta ou aquela distribuição.
O que ocorre é que cada um têm o seu gosto, têm aquilo que gosta, e escolhe conforme a sua preferência.

[6] Comentário enviado por albfneto em 14/10/2011 - 21:11h

é muito bom seu artigo, e desmistifica visões pré-concebidas e exageradas, 10.

winusers xingam linux, linuxistas xingam windows, gentoístas e slackmaníacos, falam que com debian e com ubuntu, nada se aprende, dinossauros do Linux xingam as interfaces gráficas, gostam da tela preta etc...

todas visões estereotipadas e pré-concebidas...

a Verdade é essa, cada um usa o que precisa e gosta...

[7] Comentário enviado por azk4n em 14/10/2011 - 21:21h

Complementando..
Falam que no Debian e Ubuntu não se aprende nada, se aprende sim! E muito! Eu aprendi bastante coisa usando meu Ubuntu, tanto que eu coloquei o slack aqui e não tive praticamente nenhum problema! Jamais se deve chamar o Windows de rWindows, etc, pois tenho certeza que alguma vez na vida, todos usaram Windows. Então pra que falar mal do sistema? Críticas são excessóes, mas críticas construtivas. E como disse o colega campusano, quem entende o verdadeiro significado de liberdade não ousa falar mal de nenhum sistema, pois liberdade é isso, usar o que quiser, como quiser. Eu não tenho nada contra o Windows, usei por 4 anos e quase nunca tive problemas. Mas aí eu conheci o Linux, usei, gostei e to aqui. Sem preconceito. E muitas pessoas que falam que a Microsoft é ruim porque cobra pelos sistemas (eu já ouvi e li isso muito), fala da boca pra fora, pois tenho certeza que se essa pessoa criasse um novo sistema, não ia distribuir ele gratuitamente.

[8] Comentário enviado por dennis.leandro em 14/10/2011 - 23:20h

Parabeeens pelo artigo!
Muito bom, ja estou favoritando ele!

Olha, eu comecei com o Debian, sozinho, sem nenhuma ajuda!
Não conhecia o VOL, mas hoje, depois de usar Debian no serviço(Servidor de rede) e em casa, estou muito satisfeito com essa distro e estou buscando cada vez mais conhecimento nesse mundo!

Porém, se as pessoas dizem que com Debian não se aprende, eu discordo!
Por mais que voce mexa, procure e modofique, voce não saberá tudo daquela distro!
E ainda mais do sistema!

Eu tenho certeza que o Linus Torvalds sabe do poder do Linux, porém ele não sabe o poder TOTAL que o Linux tem, e TUDO(realmente tudo) que ele pode fazer!

Mas parabeens pelo artigo!
Abraço

[9] Comentário enviado por removido em 15/10/2011 - 00:07h

André, seu artigo está simplesmente sensacional. Acho que ele pode por um ponto final em muitas picuínhas bobas por causa de distros, sistemas, linguagens de programação etc...

Seria bom se todos pensassem assim :D

[10] Comentário enviado por albertguedes em 15/10/2011 - 02:15h

Muito bom, finalmente um artigo que têm como objetivo ser sóbrio. Esse negócio de que é melhor ou pior sempre foi uma questão de nescessidade, e não de gosto.

[11] Comentário enviado por dbahiaz em 15/10/2011 - 07:57h

Seu artigo é otimo, mais todos nos sabemos que isso não vai mudar! Sabe porque? Já virou "cultura" essa briga ou competição, é o que move, e é dificil de mudar, por isso dentre breve teremos mais uma duzia de topico do tipo: "quem é melhor buntu x slaqueare" ou "Rwin x Linux".

[12] Comentário enviado por izaias em 15/10/2011 - 10:14h

Ôpa! Então podemos mudar um outro conceito: Mac é para gays! rsrs

Pois então vamos praticar os dizeres dos artigo, ficar na retórica é hipócrisia! E de hipocrisia estamos fartos!

Não é só Linux que precisa avançar, nós também.
Gostei do artigo, Andre.

[13] Comentário enviado por iz@bel em 16/10/2011 - 01:12h

Mais uma...

"O Linux é o SO mais difícil que existe"

Depende do nível do usuário. Por exemplo, suponha que seja pedido para que o usuário instale o Google Chrome.

- Se é o 1ª contato do usuário com o computador, ele vai conseguir isso de forma menos traumática se for pelo instalador de programas de uma distribuição Linux...

- Se já tem uma noção, provavelmente é porque já usou o Windows numa Lan house, e ai, o Windows se torna mais fácil, principalmente que é mais fácil encontrar alguém que use o Windows para dar dicas.

Eu não acho o Windows mais fácil, eu acho ele mais prático por ter um suporte familiar ao alcance de todos.
O suporte familiar (aquele primo/vizinho/amigo que entende de informática que todos temos) é quem dita o que é mais fácil, e nesse sentido, o Mac OS é o mais difícil dos SO para quem é leigo...

Parabéns pelo artigo!

[14] Comentário enviado por ninja_gaiden em 16/10/2011 - 07:18h

Bom dia a todos.
Gostaria de parabenizar pelo artigo, e dizer que esta muito bem escrito. Mais a parte que eu mais gostei mesmo foi sobre o Mint ser para leigos.
Realmente para quem nunca teve contato com o Linux seja talvez a melhor opção, entretanto como você citou acima, para quem não dispõe de muito tempo para configurar o pc, e ainda sim não quer larga o Gnu/Linux..........ha uma saida. Mint.
Lembro que meu primeiro Linux foi o Mandrake 9.0 ( tenho os 2 cds ate hoje ),na época era solteiro e não tinha filhos, tinha tempo disponível, mais agora...........só correria. Lembro tambem que para configurar impressora, o escanner e o modem, demorou muito tempo. ( Por mais que tenha usado Windows por muitos anos, Linux era um outro planeta para mim).
Anos depois o avanço do Linux para usuários domésticos foi superior a qualquer outro OS. Quando comprei meu computador com Windows 7, eu simplesmente desinstalei o Windows e instalei o Mint, liguei o computador e pronto ,voilá. Tudo funcionando perfeitamente, somente troquei o OS.
Mais ainda sim quando da algum problema o uso do terminal de comandos e inevitável, mais muito acolhedor, como no meu velho Mandrake. Para esses problemas a VOL e minha sala de aula e voces meus professores.

[15] Comentário enviado por M客¡NhØ §åMµ®å¡ em 16/10/2011 - 11:01h

Parabéns pelo artigo!
Me senti sendo citado em algumas das questões e as respostas à estas foram excelentes.
A primeira distro Linux que instalei em um PC (e que fiquei brincando durante algum tempo mesmo) foi a "Conectiva RedHat - Versão Marumbi"... Um cd obtido junto à revista GeeK, primeira edição, se não me engano... Faz bastante tempo já (o cd já se foi, mas a revista eu tenho até hoje). rsrs
A um bom tempo eu uso, tanto em desktop como em servidores, o Ubuntu.
Não me sinto "burro" por isso!
Também não me sinto "o ser mais inteligente do planeta"!
Simplesmente o Ubuntu me facilitou a vida com relação ao tempo gasto para determinados fins...
Assim como uso outras distros "menos conhecidas" para firewall/proxy/router, por facilitarem a vida na hora de "pôr o serviço no ar"...
Participo de projetos ligados ao Software Livre e nem por isso utilizo somente Linux (no meu caso as distros "para meus firewall's" e o Ubuntu)... Também utilizo (e muito) o Windows, até porque, eu também desenvolvo em Delphi (estava afastado a alguns anos, mas voltei a ativa recentemente).
Um exemplo de um OS baseado no kernel Unix/Linux e administrado por muitos usuários Windows, cuja a facilidade da administração se deu pela programação "for Windows", é o MikroTik... Não sei em que linguagem o Winbox foi escrito, mas poderia muito bem ter sido feito em Delphi...

Bom, mais uma vez, parabéns ao autor do artigo!

[16] Comentário enviado por clodoaldops em 16/10/2011 - 20:12h

Melhor SO é aquele que atende as necessidades do usuario e com o qual ele se sente a vontade.
Tbem gostei!

[17] Comentário enviado por Teixeira em 16/10/2011 - 22:16h

No meu caso, e estranhamente, estou aprendendo Linux por causa do Mint, que em tese deveria ser o mais fácil - e na verdade o é.
No entanto, [b]o meu[/b] quebra toda hora a partir do nada e tenho constantemente de consertar daqui, consertar dali, e exatamente por causa disso estou aprendendo.
Se fosse um Mint "normal" eu certamente não teria necessidade de aprender mais nada.

Comecei a aprender no Basic Linux (baseado na Slackware), porém depois que aprendi a dar os primeiros passos não precisei mais mexer em nada.
Ou seja, depois de entender e corrigir os kernel panic que andei provocando, não tive mais problemas e tudo passou a ser intuitivo.

O Big Linux jamais necessitou de conserto algum (a 4.2 continua sendo a minha distro oficial), e no Ubuntu o único "mistério" que tive de solucionar era a ausência inicial do som.
Outras como OpenSuse, SliTaz, experimentei, e até gostei, porém na hora de escolher elas foram preteridas.

É fácil? É difícil? Tudo depende.
Estou há algum tempo sem me aventurar no Windows, e na semana passada levei uma verdadeira surra do Vista Starter Edition do computador de minha irmã, porque eu já não sabia mais onde ficavam as coisas e que nome tinham naquela versão.

Comparativamente ao Linux, Windows tem de ser desfragmentado com frequência, tem aquele detalhe de antivirus e antitrojans e mais ou menos uma vez por ano ele acaba tendo de ser realmente reformatado. Isso para mim é uma grande chateação.

[18] Comentário enviado por campusano em 16/10/2011 - 22:19h

Hoje atualizei o Ubuntu de 11.04 para 11.10, ainda estou conhecendo as diferenças, mas um probleminha já vi resolvido, quando eu reiniciava o sistema, este ficava em "looping" reiniciando. E agora isso não ocorre mais... bão...
But, a estabilidade do modemzinho TIM está diferente, na versão 11.04 ficou até 7 horas conectado sem cair, nesta versão já caiu algumas
vezes e não conecta automaticamente como na outra...vou esperar mais um tempinho pra ter certeza das coisas.

Ainda existem dinossauros do Unix? Que não gostam de interface gráfica? Noooosa... esses manos então só curtem fotografia usando cameras 35mm, quer dizer, filmes em película... música só fita K7 ou LP... acho que não existe mais isso, é insensato demais..
...
Façam uma analogia com o futebol, já imaginaram se todos os clubes fechassem as portas, menos o corinthians? A torcida iria curtir nos primeiros dias, depois seria um tédio, então ia nascer o corinthians do sul, do leste, do norte...e novamente a rivalidade, as brigas...
...
É necessário coexistir e com respeito um ao outro, quem gosta e pode comprar Windows e seu cortejo de programas, muito bem, que seja um usuário Windows. Assim com o MAC, que dispende ainda mais tutu... E quem está de saco cheio de usar cópias piratas (muitas vezes contaminadas com alguma coisa) sem poder se manter atualizado, então tem a alternativa gratuita, Linux (meu caso). É certo também que
decidi pela mudança motivado pelo excesso de oferta de ataques, todos os dias atualização de anti-vírus, spy-bot, isso cansou.

Quando se decide mudar de sistema, é preciso mudar suas atitudes de usuário também. Jamais meça o potencial de seu novo sistema
comparando-o, imediatamente, com o anterior. Já conheci gente que avaliou o Linux como ruim por não existir Photoshop. Novamente, é preciso
mudar junto com seu sistema. É um novo mundo, novas alternativas, novos conceitos.

Já imaginou se procurássemos na nova namorada a velha namorada? Então por quê estamos com uma nova?
Abraço a todos... e não sigam tudo que o Stallman prega... o mano é xiita demais...

[19] Comentário enviado por isaque_alves em 17/10/2011 - 14:35h

Bom, quanto a conhecer 'ambos', eu só acredito que é muito melhor conhecer um [Open]Solaris e um BSD ou MAC OS do que conhecer apenas Windows e Linux. Apesar de [Open]Solaris, BSD e MAC OS terem uma grande semelhança com GNU/Linux, conhecê-los é utilíssimo. Vai que acontece de ir trabalhar em uma empresa que ao inves do famigerado windows use o visualmente elaboradíssimo MAC OS?

[20] Comentário enviado por removido em 17/10/2011 - 15:38h

Ótimo post. Não serei hipócrita quanto a isso. Eu só tenho preconceito com um tipo de pessoa. Aquelas que limitam a sua inteligência.

[21] Comentário enviado por D3arW4y em 17/10/2011 - 16:16h

parabénms! otimo conteudo

[22] Comentário enviado por DMS_ em 18/10/2011 - 08:41h

Legal, só faltou falar que muitos dos vírus são feitos em C, como o Stuxnet, o vírus feito especialmente para o sistema SCADA, de controle de usinas de enriquecimento de uranio, o vírus é imenso, vários arquivos, com centenas de linhas, simplesmente um trabalho incrivel,
Eu particularmente, acho que os hackers usam Linux, pela liberdade, e pelo conceito de HACKER, que é o interesse pelo conhecimento, independente da plataforma.

[23] Comentário enviado por draggom em 18/10/2011 - 09:57h

companheiros viciados em linux, esta guerrinha de vaidades nunca vai acabar, se eu posso usar uma ferramenta tipo apt-get, yum ou outra qualquer para facilitar a minha vida, porque eu vou complicar o que pode ser simples, também não vou criticar os usuários de distros minimalistas que gostam de configurar tudo na mão, na pontas da unha, tem pessoas que só vivem no fio da navalha, já outros gostam de sombra e água fresca(fedora, ubuntu, mint e biglinux), só que se o cara quer começar a usar linux, eu recomendo que comece com ubuntu ou fedora, quando ele estiver fera, o cão chupando mariola, então use os sistemas minimalistas e quebre a cabeça a vontade.

[24] Comentário enviado por thiagorthomaz em 18/10/2011 - 10:11h

Excelente artigo, comecei no Linux a 2 semanas uso Ubuntu.

Ha Estou empolgado para partir pros sistemas minimalistas e fazer tudo na unha.

Mas por enquanto eu digo que amo meu Ubuntu. hehe'

[25] Comentário enviado por isaque_alves em 18/10/2011 - 11:41h

Bom, havia faltado dizer no comment anterior que a interface gráfica existe para ampliar as possibilidades da CLI.... A cli é hoje muito importante e embora seja possível concatenar comandos em linhas imensas, a GUI é fundamental, não apenas para os novos usuários, como também para os veteranos... O Ubuntu é um ótimo sistema, embora fique claro que na cabeça de grande parte dos usuários de GNU/Linux ele funcionaria como uma 'caixinha de areia para crianças' para aprender a bagunçar sem se arriscar muito, o que não é de todo verdade. Já usei Slackware, Fedora, Gentoo e vejo que todos eles seguem progredindo para um maior aperfeiçoamento oferecendo GUI cada vez mais elaboradas, na tentativa de agradar o usuário final (fato). De qualquer forma, como diria Stallman, qualquer software livre é melhor do que softwares proprietários pelo simples fato de que ele é livre, e acrescento que o modelo evolutivo dos SL os faz muito melhores que qualquer SP. Vantagens e desvantagens devem ser conhecidas, Softwares devem ser conhecidos, porém a ênfase ou a análise sobre 'ser melhor', deve ser feita sobre a natureza do software...

[26] Comentário enviado por bestlinux em 18/10/2011 - 12:22h

Bom, uso Linux desde 2000. Antigamente ficava horas e horas configurando um Desktop com SlackWare + BlackBox, etc..etc..

Hoje em dia, simplesmente não tenho mais tempo para fazer isso. Logo, estou usando o Ubuntu por que de todas as distros, eu considero a mais rapida: instalar e sair usando. Você arruma dor de cabeça se quiser.

[27] Comentário enviado por marcoscsouza em 20/10/2011 - 23:46h

Muito bom o artigo. As respostas foram na medida, parabéns!

[28] Comentário enviado por maiswww em 20/12/2011 - 11:12h


Já foi dito por alguém bem superior à todos nós.
"Somo todos iguais"
Porém com vontade própria e adquirida. Estendida de nossa criação, do que aprendemos e de onde queremos ir. Claro que também de onde viemos, de como foi e é nossa educação (educação = adquirir conhecimento e aplicar o mesmo).
A escolha é sua, não temas, você é livre e você sabe aonde pode chegar, o que pode gastar, e o que precisa utilizar em seu micro. Portanto, use o que achar melhor para você dentro do que você tem e pode ter.
Nunca esqueça que os críticos maliciosos que falam mal de um ou de outro S.O são apenas controlados por emoções pessoais, sociais, empresariais(defendendo por exemplo um software, pois tem renda com o mesmo) e o restante que sofre, mas ai é caso clínico e não computacional.
Defenda o que use dizendo suas qualidades, do produto e não falando mal do outro produto.
Afinal: Cadê a tal "DEMO"cracia... ? sera que é isso mesmo que pensei?
hãmmmmm...
Abraço e Viva o linux, unix, windows, macOS, MAdos e quaisquer que existam.
PS.: "eu sou louco mas sou feliz, muito mais louco é quem me diz".
isso serve para todos... que me chamam burro e se dizem espertos, os que sabem tudo mas não sabem pedir desculpas, os humildes que humilham.
"antes de falar mal de mim, olhe-se no espelho e ai sim verás que tem muito a dizer"

[29] Comentário enviado por LucianoAlexandre em 27/04/2012 - 07:28h

Bem legal esse artigo, mas realmente eu já tinha visto muito desses tabus como c, é melhor que Java, programadores em Delphi não são programadores de verdade, hackers usam Linux e etc.

Mas algo que eu gostaria de sobressaltar é que definitivamente o Ubuntu não é para gente burra pois eu sou Bolsista de IC do CNPq e meu orientador, Doutorando em Engenharia da Computação, é super Inteligente com vasta experiência na área de redes e programação ( com certeza não é burro) e usa o Ubuntu!!!

[30] Comentário enviado por jarlisson em 23/07/2012 - 19:40h

Diria que Slack é pra quem tem tempo e disponibilidade, é uma distro que voce vai tentar usar com o tempo, se tiver tempo ;)
Conheço ótimos professores, especialistas e gente muito inteligente, que usa Mint ou Ubuntu, pois simplesmente não tem tempo de ficar aprendendo a mexer no sistema, mas nao abrem mão do GNU.

Excelente artigo.


Contribuir com comentário