Linux Básico - Parte II

Este artigo é a continuação do primeiro e fala de compactadores, filtros, permissões e processos do sistema Linux.

[ Hits: 57.586 ]

Por: Ricardo Rodrigues Lucca em 10/07/2003 | Blog: http://aventurasdeumdevop.blogspot.com.br/


Permissões



Tudo em Linux é arquivo e todo arquivo precisa de três coisas: dono, grupo e permissões. Aqui nós veremos como funciona as permissões (rwx) e como alterá-las. Bem, vamos pegar um arquivo comum no Linux para o exemplo (/etc/fstab).

$ ls -la /etc/fstab
-r--r--r--    1 root     root          639 Mar 15 15:35 /etc/fstab

As permissões são os 10 primeiros caracteres desta linha. Sendo que o primeiro é apenas um caracter para informar se é um arquivo(-), um link(l), um diretorio(d)...

Agora a permissão:
r--r--r-- diz que todo mundo terá permissão de leitura.
As permissões são formadas da seguinte forma: os três primeiros caracteres dizem o que o dono pode fazer, as três seguintes o que pessoas do mesmo grupo podem fazer e as últimas três é para caso a pessoa não se enquadre nas outras duas anteriores. Os três últimos caracteres é para "outros".

Existem 3 tipos de permissões básicas:
  • r -> Leitura
  • w -> Escrita
  • x -> Execução
Assim, lendo a permissão "r--r--r--" estamos dizendo que o dono poderá apenas ler, membros do mesmo grupo terão apenas acesso de leitura e outras pessoas poderão apenas ler ele.

Agora, a permissão "rwx--x-r--" diz que o dono terá acesso de leitura, escrita e execução. Pessoas do mesmo grupo poderão apenas executar e outras pessoas apenas ler.

Mudando Permissões


Para mudarmos as permissões de arquivos temos que usar o comando chmod. Para que isso ocorra corretamente precisamos saber alguns parâmetros:
  • u -> referente ao dono
  • g -> referente ao grupo
  • o -> referente a outros
  • a -> referente a todos
Fora isso, a grosso modo, precisamos saber que "+" dá permissão e "-" tira. As permissões possíveis já foram citadas por isso vamos à exemplos:

$ chmod u=rwx,g=x,o=x teste
$ chmod a+rwx, g-rw, o-rw teste
$ chmod a+rwx, go-rw teste


Na primeira linha estamos dizendo que as permissões do dono devem ser totais, do grupo e outros apenas execução. Na segunda linha, damos permissões totais a todo mundo e, depois, retiramos as permissões de escrita e leitura do grupo e outros. E, na terceira linha, temos uma outra forma de fazer o que esta na segunda linha (não garanto que funcione). No final, as três linhas devem gerar a mesma permissão: rwx--x--x.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Processos
   2. Montar / Desmontar & Link
   3. Tipos, comparações e busca de arquivos
   4. Combos
   5. Permissões
   6. Compactadores
   7. Filtros
   8. Concluindo
Outros artigos deste autor

Como recuperar a senha o root

Ponteiros void na linguagem C (parte 2)

Aprendendo a utilizar o GNU Debugger (parte 1)

Uma pequena análise do Gentoo Linux

Conceitos sobre o X-Window

Leitura recomendada

Kernel 4.0 no Debian, Linux Mint e Ubuntu - Atualização rápida

Bash - O interpretador de comandos

Instalação de um Servidor Web

Ubuntu Studio 10.04 conheça e instale

As mais frequentes pesquisas no Google sobre Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por arknoid em 20/08/2003 - 17:57h

Put grila! não fala nem das permissões especiais mais deixa pra mim que sbre isso eu faço um artigo! Alguém sabe estou precisando de algo do tipo!

[2] Comentário enviado por arknoid em 20/08/2003 - 17:58h

FAzer o que vamos pro google!

[3] Comentário enviado por Zurk em 26/05/2004 - 20:13h

Pelo visto to vendo que vou ter que estudar muito ;)

[4] Comentário enviado por marcosvalente em 14/06/2004 - 02:31h

GOSTEI DA MATÉRIA Í AGORA QUE VI VC É O JLLICCA
TU É MUITO LEGAL BRIGA COM TODO MUNDO.

[5] Comentário enviado por marcosvalente em 14/06/2004 - 02:42h

POXA ESTAVA GOSTANDO DE TODOS SEUS ARTIGOS, MAS ESTE É BOM PRA QUEM JÁ SABE O MOTIVO DOS REDIRECIONAMENTOS, APRENDI COMO FAZER MAS NÃO SEI QUAL A UTILIDADE DE DIRECIONAR UM COMANDO PARA OUTRO OU UM SAIDA DE UM COMANDO PARA UM DISPOSITIVO SE PUDER ME ENSINAR
OBRIGADO.

[6] Comentário enviado por marcosvalente em 14/06/2004 - 02:50h

ÓTIMO TUTORIAL

[7] Comentário enviado por marcosvalente em 14/06/2004 - 02:58h

LEGAL

[8] Comentário enviado por jllucca em 14/06/2004 - 19:59h

Opa, marcosvalente!

Certo... Redirecionar um comando é útil quando precisamos executar um comando baseado no comando anterior. Não tem muito o que dizer...

Redirecionamos ele com ">>" quando queremos criar/concatenar um arquivo. O arquivo recebe tudo que for iria ser jogado na "stdout"(saida padrão).

Utilizamos ">" quando não queremos concatenar e sim criar/sobrescrever um arquivo existe. Mesmo caso que o anterior. Podendo ser usado como desvios(fazer não exibir erros porexemplo "2>/dev/null").

Utilizamos " | " quando o comando depende do anterior exemplo disso é um paginador.

Espero ter conseguido ti dar exemplos de utilidade.

[]'s
PS: Eu não brigo com todo mundo não. Só gosto de deixar claro meu ponto de vista.

[9] Comentário enviado por jpsfla em 09/04/2007 - 21:40h

kra...
pra um iniciante em linux como eu...
esse tutor ajudou i muito...
bem explicadinho...
vlw...

[10] Comentário enviado por mateusfreak em 09/11/2012 - 13:36h

Ótimo artigo, porem dar exemplo de floppy ja está mega ultrapassado. vejo com frequencia aqui no VoL usarem exemplos de /mnt/floppy.

Vamos dar exemplo de Pendrive, HD externo, afinal somos modernos, somos LINUX.

Abs!

[11] Comentário enviado por mateusfreak em 09/11/2012 - 13:44h

Poxa, otimo artigo, direto e util! Parabens cara!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts