Já fez seu "BACKUP" hoje? Não? Então vamos conversar sobre isso

Este artigo é apenas uma breve conversa sobre os famosos "backups", que às vezes só lembramos de fazer quando ocorre algum problema. Então vamos lá...

[ Hits: 17.983 ]

Por: Perfil removido em 28/01/2011


Vamos falar um pouco sobre "BACKUP"



Na maioria das instalações as informações armazenadas nos computadores valem mais do que os próprios computadores. Elas também são muito mais difíceis de serem substituídas. Proteger essas informações é uma das tarefas mais importantes do administrador de sistema (e, infelizmente, a mais tediosa).

Há centenas de maneiras criativas e não tão criativas de perder dados. Bugs de software rotineiramente corrompem arquivos de dados. Muitos usuários apagam acidentalmente o trabalho de suas vidas. Hackers e funcionários descontentes apagam discos. Problemas de hardware e desastres naturais derrubam salas de máquinas inteiras.
Se executados corretamente, os backups (também conhecidos como "dumps") permitem a um administrador restaurar um sistema de arquivos (ou qualquer parte de um sistema de arquivos) à condição em que ele se encontrava no momento do último backup.

Os backups têm de ser realizados cuidadosamente e em um cronograma rígido. O sistema de backup e a mídia de backup também precisam ser testados regularmente para verificar se estão funcionando corretamente. A integridade de fitas de backup por exemplo, afeta diretamente o objetivo de uma empresa.

Os administradores de sistema precisam entender o que os backups devem realmente fazer, e não o que eles querem que os backups façam.

Vamos listar algumas boas práticas.

Execute todos os backups a partir de uma máquina

Muitos utilitários permitem realizar backups pela rede. Embora haja alguma perda em termos de desempenho ao fazer backup dessa maneira, o aumento na facilidade de administração vale a pena. Depois de quebrar um pouco a cabeça, descobrimos que o melhor método é executar um script em uma localidade central que faça o backup de cada máquina, você pode utilizar um outro software para automatizar esse processo.

Todos os backups devem ir para o mesmo dispositivo de backup. Se seu sistema for muito grande para ter o backup feito por um único dispositivo, você ainda deve tentar manter o seu sistema de backup o mais centralizado possível.

A centralização facilita a administração e permite verificar a integridade do backup. Dependendo da mídia de backup que estiver utilizando, você poderá colocar mais de um dispositivo em um servidor sem afetar o desempenho.

Rotule sua mídia

Rotule cada parte da sua mídia de backup de forma clara e completa, pois se necessário outras pessoas devem entender o que foi feito, uma mídia não rotulada é uma mídia de rascunho. Rotule diretamente cada parte da mídia para identificar seu conteúdo.

Nos casos, grave informações detalhadas como listas de arquivos e datas de backup. Você tem de ser capaz de restaurar os arquivos. Rotule a mídia de modo correspondente, listando os sistemas de arquivos nela contido, o formato de backup, a sintaxe exata dos comandos utilizados para criá-los e quaisquer outras informações necessárias para restaurar os arquivos.

Selecione um intervalo de backup razoável

Quanto maior a frequência dos backups, menor a quantidade de dados perdida em uma falha. Entretanto, os backups utilizam recursos do sistema e tempo de administrador. Você deve fornecer integridade de dados adequada a um custo razoável de tempo e material.

Em sistemas muito utilizados, geralmente é apropriado fazer backups dos arquivos todo dia de trabalho. Em sistemas que são utilizados menos intensamente ou nos quais os dados são menos voláteis, talvez você decida que fazer backup várias vezes por semana é suficiente.

Faça backups diários se ajustarem em uma parte da mídia

Em um mundo perfeito poderíamos fazer backups diários de todos os sistemas em uma única fita. Mídias de alta densidade como DLT, AIT e LTO tornam esse objetivo prático para algumas instalações.

Você pode automatizar o processo montando sua mídia de backup diariamente antes de deixar o trabalho e de permitir que algum programa execute o backup para você. Dessa maneira, os backups ocorrem em um horário em que os arquivos provavelmente não ficarão mudando e os backups têm impacto mínimo sobre os usuários.

À medida que nossos hábitos de trabalho mudam e a telecomutação torna-se mais popular, o intervalo das "boas" horas para fazer backup está diminuindo. A julgar por nossos queridos logs, vemos que entre 3h:00 e 6h:00 da manhã é a melhor hora, lógico que isso em alguns casos. Agora fazer backup de 80TB de dados em três horas, meu amigo, sem condições.

Outro problema importante é a rápida expansão de espaço em disco que resultou em reduções no preço de discos rígidos. Você não pode mais comprar um desktop com menos de 100GB de espaço em disco. É muito fácil a quantidade de arquivos disponibilizados on-line superar sua capacidade de backup.

Se não for possível colocar todos os seus backups diários em uma mídia, você tem várias opções:
  • Comprar um dispositivo de backup de maior capacidade
  • Comprar um empilhador ou biblioteca e alimentar com várias mídias num único dispositivo
  • Mudar a sequência dos backups
  • Criar um script mais inteligente
  • Usar vários dispositivos de backup

Proteja seus backups

Proteja suas mídia de backups, ela contém todos os dados de sua empresa e podem ser lidas por qualquer um que tenha acesso físico a elas. Você não só deve manter suas mídias fora do local de trabalho como também mantê-las a sete chaves.

Se você utiliza um recurso de armazenamento comercial para essa finalidade, a empresa com a qual você negocia deve garantir a confidencialidade das mídias sob seus cuidados.

A criptografia de mídia de backup é uma opção a ser levada em consideração. Muitos utilitários comerciais de backup tornam a criptografia relativamente simples. Por outro lado, você deve certificar-se de que as chaves de criptografia não podem ser perdidas ou destruídas e que estão disponíveis para utilização em uma emergência.

Algumas empresas sentem tanto a importância dos backups a ponto de fazerem duplicatas, o que realmente não deixa de ser absolutamente um ótima ideia, ou seja, resumindo um "backup do backup".

Alguns podem até falar: " Mas já fiz o backup no servidor tá sussa, não preciso fazer isso, não tem perigo de perder os arquivos", e se do nada quando você chega na sua sala, o seu servidor de backup (aquele lembra?), está assim como na figura, aí eu te pergunto "E agora?", mas calma não fique desesperado, ainda.

Verifique suas mídias

Com certeza já ouvimos muitas histórias de terror sobre administradores de sistemas que não viam problemas em seus regimes de backup a não ser depois de uma falha grave no sistema. É essencial monitorar continuamente o seu procedimento de backup e verificar se ele está funcionando corretamente.

Erros de operadores arruínam mais backups do que qualquer outra coisa. A primeira verificação é fazer com que o software de backup tente reler a mídia imediatamente depois de ele ter finalizado o backup.

Varrer uma mídia para verificar se ela contém o número de arquivos esperado é uma boa verificação. Seria melhor se todas as mídias fossem varridas, porém isso não parece prático para uma grande empresa que usa centenas de mídias por dia.

Você deve tentar periodicamente restaurar a partir da mídia aleatória para certificar-ser de que a restauração ainda é possível. De vez em quando, tente restaurar de uma parte de uma mídia antiga.

Um verificação relacionada é examinar se você pode ler as mídias em um hardware diferente do seu. Se a sala de máquinas pegar fogo, não adiante muito saber se o backup poderia ter sido lido em uma mídia que agora está destruída.

Proteja seus dados para backups

Com os discos tão baratos e novas arquiteturas de armazenamento tão confiáveis, é tentador não fazer backup de todos os nossos dados. Um arquitetura de armazenamento sensata - projetada em vez de criada desordenadamente à medida que surge a necessidade de aumento de espaço em disco - pode colaborar muito para tornar os backups mais tratáveis.

Comece fazendo um inventário de suas necessidades de armazenamento:
  • Os diversos tipos de dados com os quais sua instalação lida
  • A frequência necessária para atender a um nível de perda de dados esperado
  • Os limites políticos sobre os quais são distribuídos

Use estas informações para projetar a arquitetura de armazenamento de sua instalação com backups e tendo crescimento potencial em mente.

Prepare-se para o pior

Depois de ter estabelecido um procedimento de backup, explore a situação do pior caso: sua instalação foi completamente destruída. Determine o nível de dados que serão perdidos e quanto tempo levaria para ter o sistema no ar novamente (incluindo o tempo que levaria para adquirir hardware novo). Lembre do seu backup, não é somente na empresa que podem acontecer problemas!

Referências:
  • Guia do administrador Linux- 2ª Edição - Pearson

Agradeço a todos pela atenção, até a próxima.

Viva o Linux, porque nós amamos a Liberdade!

Lembrando que isso é apenas uma conversa resumida, podem acrescentar mais informações, sugestões etc.

   

Páginas do artigo
   1. Vamos falar um pouco sobre "BACKUP"
Outros artigos deste autor

Resumo do documentário Revolution OS

Linux Terminal Server - LTS

Lucaschess: software para base de dados, jogar e treinar xadrez

Instalando Wine no Slackware 14.0

Gerenciamento centralizado de usuários de rede com GOSA

Leitura recomendada

Como criar stage4 do seu Gentoo

Empacotando Cliente Copy no Slackware - Como ganhar 20 GB de armazenamento em nuvem

Clonezilla - Gerando e restaurando backups completos (Parte I)

Backups remotos com rSync e chaves SSH

Aumentando Resize (Tamanho) do HD Virtual VMDK - Debian 8 Jessie

  
Comentários
[1] Comentário enviado por bughead em 28/01/2011 - 08:29h

É ... ontem cheguei em casa e, devido a um problema no telhado do meu prédio, tive uma infiltração bem no meio da sala. Resultado? MacBook cheio de água ... :/

Um bom sistema de backup é salvador nessas horas!

[2] Comentário enviado por dapaz em 28/01/2011 - 10:00h

Artigo bem elaborado, mas o que mim intriga no linux, são seus sistemas de arquivos. Que falham com qualquer queda de energia.

[3] Comentário enviado por brunotec em 28/01/2011 - 10:38h

Legal! Muito boa explicação sobre backup cara!

@dapaz

eu não tenho certeza mas acredito que falhas em sistemas de arquivos linux após quedas de energia só acontecem mesmo com o ext2, pois no ext3 e ext4 esse erro me parece que não ocorre mais!

um abraço.

[4] Comentário enviado por g.r.f.j em 28/01/2011 - 15:45h

Muito boa explicação. Teremos um outro artigo com a parte prática?

[5] Comentário enviado por izaias em 28/01/2011 - 19:05h

Gostei de seu trabalho, Thalysson.
É praticamente um mini-curso sobre as vantagens do backup e seu gerenciamento.

Favoritado!

[6] Comentário enviado por paulorvojr em 28/01/2011 - 23:16h

Bom artigo, é sempre bom refletir! valeu!!

Ainda mais quando isso ocorreu no meu antigo trabalho, rsrs os caras são mto noobs rsrsr....

artigo na parte prática nem precisa, tem muitos ae, o que o administrador tem que saber qual sua necessidade

flexibilidade de backup (ou seja qualquer mané faz backup e restaura sem saber uma linha sequer de shell?)
Temos soluções pagas e gratuitas como bakula, amanda, comodo

Ou soluções proprias, como fazer backup para fitas magneticas (usando /sbin/mt), ou usando tar -cf....
mas um cara leigo jamais saberia usar, so ensinando.

existem soluções em fita(dat, lto3, etc), soluções em RAID5, usando rsync remoto, backup em cloud(nuvens), backup em hd externo usb, robos de backup, storages da dell, hp.

ou seja infinitas oportunidades.

Novamente depende da necessidade, geralmente são; flexibilidade, confiabilidade, agilidade, configuravel, se voce por na planilha cada um desses 4 paradigmas o com maior pontuação vence.

Paulo Roberto Junior
www.paulojr.info
http://www.vivaolinux.com.br/~paulorvojr
blog.paulojr.info | @paulo_robertojr

[7] Comentário enviado por removido em 29/01/2011 - 02:51h

Fala pessoal. Boa noite !


Fico muito grato pelos comentários.

@bughead - Lamento pelo MacBook, tive um cliente que passou por isso também.

@dapaz - Como nosso amigo (brunotec) falou, realmente poderia existir estes problemas com sistemas de arquivos mais antigos,
hoje mesmo acho muito difícil (mas não impossível) de acontecer este tipo de problema.

@brunotec - Valeu mesmo cara. Boa explicação também!

@g.r.f.j - Que bom que gostou. Sobre outro artigo, como estou meio sem tempo agora, fica um pouco difícil.
Mas tenha certeza que você encontra muitos artigos aqui no VOL, falando sobre este assunto, e ensinando passo a passo.
Como sempre, o pessoal manda muito bem nestes artigos.

@Izäias - Fala camarada, valeu também. Ainda queria ter colocado mais informações, mas a correria aqui não deixa hehe.

@paulorvojr - Ótimas informações você acrescentou. Valeu cara.


Bom galera desculpa a demora para postar algo, hoje fui atender um cliente justamente com este problema.
O cliente tem 5 servidores, entre eles Firewall,DNS,AD e assim vai. O problema foi no Windows 2008 Server,
para ser mais exato no AD. Quando pergunto sobre o Backup, o cliente é que me pergunta "Que backup ?",
simplesmente ele não tinha nem tipo de Backup, nada mesmo. Para a sorte dele consegui ressuscitar o AD do 2008 Server,
com + ou - 2 mil usuários cadastrados. E ainda implementei o bacula. Enfim problema resolvido, e to cansado pra caramba hehe.


Agradeço a todos. E qualquer coisa estamos por aqui.

Vamos que vamos !


Abraço pessoal.

[8] Comentário enviado por mcnd2 em 29/01/2011 - 21:57h

Muito bom. Resumido e bem explicado.

Parabéns pelo artigo.

[9] Comentário enviado por removido em 29/01/2011 - 22:01h

Fala M¢Nd². Valeu mesmo cara.


Abraço.

[10] Comentário enviado por fmpfmp em 31/01/2011 - 11:48h

Na minha empresa o backup é feito num HD Externo de 1TB, e como você falou temos um servidor de backup somente destinado a esse fim com scripts que fazem backup automático. Realmente, é uma das tarefas mais chatas de um administrador de redes. É o tipo de coisa que você precisa cuidar o tempo inteiro, mas que as pessoas só lembram quando acontece um problema.

Uma coisa importante que você não mencionou no artigo foi com relação a backups remotos. Apesar de no Brasil banda larga ainda ser artigo de luxo eu acredito que seja uma tendência pro futuro. Pode ser que você faça backup todo dia certinho, mas e se entrar um ladrão e roubar todos os equipamentos ou se acontecer um incêndio na sua empresa? Você falou sobre serviço comercial de backup, mas tenho certeza que a maioria das empresas não tem grana e nem pensa nessa possibilidade.

É sempre bom lembrar as pessoas da importância disso.

[11] Comentário enviado por removido em 31/01/2011 - 12:16h

Ótimas informações você acrescentou fmpfmp, só lembrei disso quando já tinha terminado o artigo hehe. Mas valeu mesmo por lembrar.




Abraço

[12] Comentário enviado por pink em 31/01/2011 - 19:05h

Parabéns!!! Bom, claro e extremamente bem escrito.
O que seria de nós, sem o backup? Muitos só dão valor ao backup depois que perdem informações importantes, artigos como esse incentivam a realização do backup.
Bjos.

[13] Comentário enviado por removido em 02/02/2011 - 01:05h

Oi princesa. Obrigadooooo !!!!!!

Ah nem fale, o que seria mesmo hehe.


Bjão.

[14] Comentário enviado por JulioCD em 06/02/2011 - 02:29h

Uso Ubuntu desde a versão 7.04 (uns 4 anos) e nunca tive problemas com arquivos, nunca perdi um arquivo.

[15] Comentário enviado por jonaseduardodias em 02/05/2011 - 10:59h

Thalysson,

Muito bom o seu artigo. Estou iniciando na área de proteção de dados e achei muito interessante seu trabalho. Também escrevi um artigo e fundei uma comunidade sobre backup aqui no VOL.
http://www.vivaolinux.com.br/comunidade/Netbackupprotecao-de-dados
e também escrevi um pequeno artigo sobre backup:
http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Backup-e-Restore-para-iniciantes/?pagina=1

Se você quiser participar será uma honra tê-lo como membro.

abçs.

Jonas.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts