Instalando Squid a partir do código fonte

Este artigo visa ensinar a iniciantes como instalar o Squid pelo código fonte. Apesar das principais distribuições Linux manterem versões pré-compiladas do Squid em seus repositórios, muitas vezes precisamos de recursos que não foram habilitados na compilação. A saída é compilar o Squid "no braço".

[ Hits: 42.578 ]

Por: Ronaldo Moraes Junior em 01/02/2010


Compilando o Squid



Extraia o arquivo com o código fonte e entre no diretório extraído pelo terminal. O comando:

# ./configure --help

Mostra todos os parâmetros aceitos para a compilação. Se você procura por uma funcionalidade muito específica do Squid, procure aqui sobre como habilitá-la. Anote em um local todos os parâmetros desejados. No meu caso estou utilizando os seguintes parâmetros:

# ./configure --prefix=/usr --enable-shared --enable-icmp --enable-delay-pools --enable-sll --enable-linux-netfilter --enable-auth=basic --enable-basic-auth-helpers=NCSA,LDAP,SMB

Onde:
  • --prefix=/usr = indica o local onde o Squid será instalado. Com isso o arquivo de configuração estará em /usr/etc/squid.conf. De acordo com o FHS (Filesystem Hierarchy Standard), que determina os padrões para sistemas Unix, aplicativos que não são de uso exclusivo do sistema devem ir neste local, portanto seguirei a norma. ;p
  • --enable-shared = habilita bibliotecas compartilhadas
  • --enable-icmp = habilita suporte a icmp
  • --enable-delay-pools = habilita os delay pools, que servem para controle de banda da internet
  • --enable-ssl = habilita suporte a ssl
  • --enable-linux-netfilter = habilita suporte ao proxy transparente com o firewall do Linux
  • --enable-auth=basic = habilita suporte a autenticações
  • --enable-basic-auth-helpers=NCSA,LDAP,SMB = determina quais os métodos de autenticação estarão disponíveis.

Suas necessidades podem exigir mais parâmetros ou menos, mas a nível de aprendizado estes já são o suficiente.

O script de configuração demora apenas alguns segundos. Caso alguma dependência para a compilação esteja faltando no sistema, os erros aparecerão aqui, portanto leia as últimas linhas para se certificar de que tudo ocorreu como se espera e, em caso de problemas, as dependências faltantes estarão listadas. Ao terminar execute o comando "make" para efetivamente compilar o código.

O make demora bem mais. Ao terminar instale com o comando "make install". Este último sempre deve ser executado como root.

Como dito anteriormente, o arquivo de configuração do Squid estará em /usr/etc/squid.conf. Este é o arquivo "padrão" e possui uma descrição detalhada sobre todas as opções do Squid. Renomeie o squid.conf para squid.conf.old ou algo assim e crie um novo squid.conf com seu editor favorito. No meu caso gosto do Vim:

# mv /usr/etc/squid.conf /usr/etc/squid.conf.old
# vim /usr/etc/squid.conf


Agora com um novo arquivo em branco podemos configurar o Squid.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução, pré-requisitos e obtendo o Squid
   2. Compilando o Squid
   3. Configurando o Squid
   4. Mais algumas dicas
   5. Conclusão
Outros artigos deste autor

WebHTB - Controle de banda de internet

DVDAuthor: Como autorar DVDs no Linux

Leitura recomendada

SQUID: Autenticação em banco de dados MySQL cruzando IP/MAC/USUÁRIO e SENHA

Proxy transparente com Squid 2.6 e FWBuilder

ECache - O cache efetivo

Squid + Bridge + TProxy no CentOS 5.4

SQUID autenticado - Bloqueando o acesso dos usuários por grupos

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fate em 02/02/2010 - 17:50h

Ótimo, posso aplicar este artigo em qualquer distro. Assim deveriam ser todos os artigos do VOL.

nota 10


Contribuir com comentário