Instalando Oracle 10G

Seguem os procedimentos para realizar a instalação do Oracle 10G seguindo o padrão para a criação de diretório OFA.

[ Hits: 63.616 ]

Por: Breny Ricardo Martins Coelho em 19/08/2008


Procedimento para instalação



Procedimento para a instalação do banco de dados Oracle 10.2.0.

Todos os procedimentos descritos aqui foram executados no Linux CentOS 4.4, sendo um equipamento Dell PowerEdge 2900 Dual Core com 4 GB de Memória, Hard Disk de 160 GB SCSI RAID 1, utilizado somente para o banco de dados.

Criando o usuário oracle

Para criar o usuário devemos utilizar o comando useradd e em seguida alterar a senha do mesmo com o comando passwd. Abaixo a linha que deve ser executada no bash:

# useradd oracle
# passwd oracle
(escolha uma senha)

Criando os grupos necessários

Após criar o usuário oracle e definir uma senha para o mesmo, será necessário criar dois grupos de sistema no Linux, chamados de "dba", onde os usuários que poderão administrar o Oracle poderão se logar como sysdba serão adicionados e o outro grupo "oinstall" que será o grupo responsável pela instalação do Oracle.

Após a criação desses dois grupos é necessário adicionar o usuário oracle nestes com uma certa prioridade. Seguem as linhas necessárias para realizar esse procedimento:

# groupadd dba
# groupadd oinstall
# usermod -g oracle -G oinstall,dba oracle


O comando usermod especifica que o usuário oracle possui o grupo oracle como o principal e os grupos oinstall e dba como grupos secundário para o usuário oracle.

Download dos arquivos necessários

Oracle 10G 10.2.0: Caso você não possua o cadastro no site da Oracle, será necessário realizá-lo.

O Oracle utilizado nesse artigo é a versão Standard Edition 10G - 10.2.0, não cheguei a testar com as versões posteriores, mas para realizar o download do arquivo para instalação da versão 10G é necessário ir até este link:

http://www.oracle.com/.../oracle10g/htdocs/10201linuxsoft.html

Observe que este link é para um release posterior ao utilizado aqui, mas provavelmente os procedimentos sejam os mesmos.

Copie esse arquivo para o /home/oracle e utilize o unzip para descompactá-lo.

Observação sobre a biblioteca libaio, na versão do Linux CentOS 4.4 a libaio não é 100% compatível com o Oracle em questão e por esse motivo foi instalado a libaio-0.3.105-2.i386. Cheque em seu sistema qual é o libaio utilizado com esse comando:

rpm -qa | grep libaio

Será retornado o libaio instalado.

Teste com a versão mencionada acima ou mais atual.

Configurando as variáveis de ambiente do usuário oracle

Abaixo estão as definições para as variáveis de ambiente do usuário oracle que devem ser salvas no arquivo: /home/oracle/.bash_profile

PATH=$PATH:$HOME/bin
ORACLE_BASE=/home/oracle/u01/db; export ORACLE_BASE
ORACLE_HOME=$ORACLE_BASE/oracle/product/10.2.0; export ORACLE_HOME
export ORACLE_SID=tbsa
NLS_LANG=ENGLISH.WE8ISO8859P1
export DISPLAY=:0
TMP=/tmp; export TMP
LD_LIBRARY_PATH=$ORACLE_HOME/lib:/lib:/usr/lib:; export LD_LIBRARY_PATH
CLASSPATH=$ORACLE_HOME/JRE:$ORACLE_HOME/jlib:$ORACLE_HOME/rdbms/jlib; export CLASSPATH
LD_ASSUME_KERNEL=2.4.1; export LD_ASSUME_KERNEL
export PATH=$PATH:$ORACLE_HOME/bin:/usr/sbin

Após adicionar essas linhas no arquivo informado, realize um logoff com o usuário oracle, pois as mesmas só serão ativadas quando o usuário se logar no sistema.

Definindo parâmetros no kernel sem a necessidade de recompilação

Será necessário adicionar as linhas abaixo no arquivo /etc/sysctl.conf e salvar o arquivo. Após esse procedimento execute o comando "sysctl -p" para aplicar as alterações.

# Alterações necessárias para a utilização do Oracle
kernel.shmmax = 719405056
kernel.sem = 250        32000   100     128
net.core.rmem_default = 262144
net.core.rmem_max = 262144
net.core.wmem_default = 262144
net.core.wmem_max = 262144
net.ipv4.ip_local_port_range = 1024     65000

Criando os diretórios OFA

Esse processo de instalação segue o OFA (Optimal Flexible Architecture) e para isso criaremos os diretórios no home do usuário oracle, o DBCA já realiza esse processo, mas é sempre bom entender o significado desses diretórios.

O primeiro diretório a ser criado dentro do home do oracle u01, ficando /home/oracle/u01, esse diretório é conhecido como o ponto de montagem pela arquitetura Oracle e o ideal seria que criássemos um diretório u02 em outro disco rígido, mas nesse caso criaremos somente um ponto de montagem, pois eu possuo somente um disco rígido funcionando com RAID 1, o ideal é ter dois ou três discos com cópia desses diretórios em cada um deles, isso tende a diminuir o custo de acesso do banco.

O segundo diretório a ser criado dentro do /home/oracle/u01 é o diretório db, esse diretório será utilizado como base do banco de dados Oracle, perceba que essas regras de criação de diretório não é obrigatória, mas caso no futuro você deseje instalar o Oracle em um servidor que possua dois ou mais discos rígidos, ela o ajudará bastante, pois imagine, que você pode criar a mesma estrutura de diretório nesses novos discos e separar os arquivos de dados e control files entre esses diretórios nos dois discos, aumentando a performance do banco e diminuindo o ponto de retenção entre alguns arquivos. Após criar esse diretório, o caminho completo para ele ficará assim: /home/oracle/u01/db/

Criaremos agora o diretório oracle, dentro do diretório /home/oracle/u01/db, esse diretório é utilizado para identificar o usuário dono do Oracle, ficando o caminho completo dessa forma: /home/oracle/u01/db/oracle/

Criaremos agora o diretório com o nome da versão do oracle que estamos instalando dentro do diretório: /home/oracle/u01/db/oracle/, ficando o caminho completo assim: /home/oracle/u01/db/oracle/10.2.0/

Todos esses diretórios informados acima são criados automaticamente pelo utilitário DBCA, pois o DBCA segue o padrão de nomes OFA.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Procedimento para instalação
   2. Instalando o Oracle
Outros artigos deste autor

Criando disquetes de inicialização

Política de segurança com o Samba

Configurando uma OpenVPN com o BRMA

OpenLDAP e Samba (redundância)

Criando um banco de dados para obter ajuda do sistema

Leitura recomendada

Processo de replicação de SCHEMA no Oracle

Instalando Oracle 10g R2 no CENTOS 5 x86-64

Oracle XE 11.2 no Slackware 14.0 64 bits - Instalação e configuração

Instalação do Oracle Database 10g R2 no Debian Etch 4

Oracle 10g: Startup automático

  
Comentários
[1] Comentário enviado por renato.leite em 19/08/2008 - 13:06h

mt bom o Artigo

[2] Comentário enviado por wendelhp em 20/08/2008 - 09:33h

muito fraco o artigo.

não cobre erros comuns, os parametros do kernel (kernel.shmmax, shmall e etc), não explica os parametros do bash profile, não fala de limits para execucao de arquivos do limits.conf e se quer, explica o que é SGA, SID e etc..

este artigo é original do wiki do CentOS que por sua vez, foi copiado deste aqui:
http://ivan.kartik.sk/oracle/install_ora10gR2_redhat.html

[3] Comentário enviado por genixsky em 24/06/2011 - 22:36h

Refiz o artigo com mais detalhes, para verificar a nova versão, acesse:
http://genixsky.blogspot.com/2011/06/oracle-10g-configuracao-e-instalacao-no.html


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts