Guia introdutório do Linux IV

Continuamos com nossa série de artigos introdutórios. No artigo anterior preparamos a instalação do sistema. Agora, com o sistema instalado, destacaremos o que torna o Linux tão fantástico. E então, começaremos o uso do Linux.

[ Hits: 49.873 ]

Por: Juliao Junior em 02/08/2007


Rodando comandos



Você não terá dificuldade com o uso básico do Linux. Usando o GNOME ou KDE, terá as mesmas facilidades que encontra, por exemplo, no Windows. 'Mexa' nos programas, olhe os menus e use as ferramentas disponíveis. Não nos alongaremos sobre tal ponto, pois se você está migrando para Linux, provavelmente será fácil.

Vamos falar sobre algo mais importante. Antes de surgirem os ícones e as janelas nos monitores de nossos computadores, era preciso digitar comandos para fazer qualquer coisa. Em sistemas UNIX, de onde vem o Linux, os programas usados para interpretar e gerenciar os comandos eram conhecidos como a 'shell'.

Não importa qual distro Linux você usa, sempre terá disponível a shell. A shell oferece uma forma de rodar programas, trabalhar com arquivos, compilar programas, operar o sistema e gerenciar a máquina. Embora a shell seja menos intuitiva que uma interface gráfica (GUI), a maioria dos usuários experientes em Linux considera a shell como mais poderosa que GUI. Existem diferentes tipos de shell. A que trabalharemos aqui é chamada bash shell, muito comum no mundo Linux.

Há muitas formas de usar a shell. As três mais comuns são o prompt, a janela do terminal e o terminal virtual.

Se o seu Linux não tiver interface gráfica ou se ela não estiver funcionando no momento, você verá o prompt após o login. Se você já usou o DOS, parece com isso. E teclar comandos no prompt é a forma de interagir com a máquina.

O prompt padrão para um usuário 'normal' é um símbolo de moeda:

$

O prompt padrão para um super-usuário (root, aquele com permissão para 'tudo' no sistema) é uma cerquilha (jogo da velha):

#

Na maioria dos sistemas Linux os símbolos $ e # são antecedidos pelo username do usuário, o nome da máquina e o diretório onde você se encontra. Pode-se mudar o prompt para mostrar o que você quiser,

Há uma infinidade de coisas a fazer no prompt, mas começaremos com apenas alguns comandos simples.

Usando uma janela de terminal

A maioria das distros incluem um painel no botão que inicia um terminal virtual, onde você pode usar a shell. Terminal virtual é uma forma de ter shells fora do ambiente gráfico. Você tem a 'sensação' que está usando uma outra máquina, sem ambiente gráfico. E a maioria das distros disponibiliza tais terminais virtuais.

Pressione Ctrl+Alt+F1 e você estará no primeiro terminal virtual. Pressione Ctrl+Alt+F2 e estará no segundo terminal virtual e assim por diante até Ctrl+Alt+F6. Para voltar para o ambiente gráfico, pressione Ctrl+Alt+F7.

Quando você 'entrar' no sistema, estará no seu diretório /home, ou seja, /home/usuário. Se pedir para abrir algum arquivo ou salvá-lo, a shell usará o diretório atual como referência. Qualquer opção diferente disto, deve ser explicitamente indicada.

Para ver em qual o diretório você está trabalhando atualmente, tecle o comando pwd:

$ pwd
/etc

Em nosso exemplo acima, o diretório atual é '/etc'. Para saber o seu diretório home, tecle o comando echo, seguido da variável $HOME:

$ echo $HOME
/home/bart

A saída indica que o diretório home é /home/bart. Se você quiser mudar do diretório atual para outro, use o comando cd. Para mudar do diretório atual para um subdiretório 'outro' (ou seja, um diretório dentro do diretório atual), digite

$ cd /outro

Para mudar do diretório atual para o diretório home, basta digitar o comando cd sem nenhuma outra opção:

$ cd

Pronto! Não interessa o diretório atual, você será levado ao seu diretório home.

E para saber o que há no diretório atual? Use o comando "ls". Ele lista os arquivos, e você ainda pode usar algumas opções úteis. A opção -l inclui um conjunto detalhado de informações de cada arquivo, a opção -s inclui o tamanho do arquivo - mas é melhor acrescentar a opção h para tornar o tamanho compreensível:

$ ls -sh

No exemplo acima os arquivos serão listados e será dado o tamanho de cada arquivo no formato normal: Kbytes e Mbytes.

Algo importante a lembrar sobre Linux é que além de ser um sistema multiusuário ele também é multitarefa. Quando falamos 'multitarefa' significa que vários programas podem estar rodando ao mesmo tempo. Cada exemplar de um programa que está rodando é chamado de 'processo'. Você pode listar os processos que estão rodando, assim monitorando o sistema e parando processos, se necessário.

Para saber quais processos estão rodando, os recursos utilizados e qual o usuário 'dono' do processo, use o comando ps:

$ ps -ax

Para sair da shell, simplesmente digite exit e tecle ENTER:

$ exit

Lembre também que a grande maioria dos comandos possuem opções, as quais alteram o comportamento do comando (por exemplo, temos o caso visto acima do comando 'ls'). Você encontrará muitos comandos no diretório '/bin'. Use o comando ls para ver uma lista de tais comandos:

$ ls /bin

Depois disso, use o comando 'man' para ver o que cada comando realiza. O comando man mostra a página de manual do comando desejado:

$ man comando

No exemplo acima, você seria levado para a página manual do comando 'comando'.

É claro que aqui falamos apenas de alguns comandos muito simples que você pode usar. Existem centenas de comandos disponíveis, alguns mais úteis ou comuns, outros nem tão conhecidos. Aqui, apenas buscamos familiarizá-lo com o uso dos comandos.

Mas vamos discorrer sobre tais comandos em nosso próximo artigo. No próximo artigo desta série, vamos nos aprofundar no uso da shell e de comandos. Até lá !!

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Linux - por que tão fantástico?!
   2. Importantes questões
   3. Rodando comandos
Outros artigos deste autor

Introdução ao Linux: O editor de texto Nano

Convertendo formatos de vídeo/áudio

Processing - Programação para dispositivos móveis

SystemRescueCd - Corrigindo o sistema e recuperando dados

Baixando ISOs-Linux em altíssima velocidade

Leitura recomendada

Introdução ao Ubuntu - Instalação de programas e outras dicas

Guia (nem tanto) Introdutório do Linux

MATE Desktop 1.16.0 [GTK3] no Slackware

Atualização do ZappWM 4.0 Beta (Window Manager)

Concatenação, conexão e recursividade de comandos no GNU/Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por tuxSoares em 02/08/2007 - 23:48h

Olá boa noite!

Gostei de ler seu artigo, apesar de a 3 parte ser meio batida, mas a primeira parte do artigo foi sensacional, onde voce conseguiu capitar muito bem a idéia de se usar linux, nada de fanatismo, longe disso, o linux está aí, assombrando os outros SO`s.

Vlw, e continue contribuindo para a comunidade.
Abraco

[2] Comentário enviado por f_Candido em 08/08/2007 - 20:37h

Muito Bom. Ajudou bastante. Pra quem esta iniciando é uma mão na roda, ou melhor, no teclado.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts