Guia Pós-Instalação do Slackware - edição 2015

Este artigo é uma atualização dos artigos que já publiquei sobre o tema, bem como uma discussão sobre práticas e heresias que podem facilitar a vida de um slacker.

[ Hits: 54.280 ]

Por: Luís Fernando C. Cavalheiro em 08/09/2015 | Blog: https://github.com/lcavalheiro/


Slackpkg: o gerenciador de pacotes oficial do Slackware



Antes de falar sobre o slackpkg, cumpre trazer o martelo dos deuses para despedaçar mais um mito: Slackware nunca teve um gerenciador de pacotes. Na verdade ele sempre teve: o pkgtool, que gerenciava os pacotes instalados no sistema antes da adoção do slackpkg. O que o Slackware nunca teve e nunca terá é um programa oficial que resolva automaticamente as dependências. Mito detonado, vamos ao slackpkg.

Presente no Slackware desde a versão 13.0, o slackpkg é uma ferramenta que permite sincronizar a instalação da distro com um espelho da distribuição. Sincronizar é a palavra chave aqui: o slackpkg irá fazer downgrades se necessário para que a versão do pacote instalada no computador seja exatamente a mesma daquela encontrada no espelho.

Ele gerencia os pacotes no sentido que ele reconhece quais estão instalado e quais não estão, consegue instalá-los e removê-los. O slackpkg é, na verdade, um script que usa as funcionalidades do pkgtool e suas principais ferramentas (installpkg, upgradepkg e removepkg). Curiosidade: foi escrito por dois brasileiros: Evaldo Gardenali (aka UdontKnow) e Roberto Batista (mais conhecido como PiterPunk).

Para usá-lo é preciso antes de mais nada configurar um espelho e a lista negra. O slackpkg permite que apenas um único espelho esteja configurado para uso. Edite o arquivo /etc/slackpkg/mirrors e descomente um e apenas um dos vários espelhos listados de acordo com a versão do Slackware instalada em seu computador. Eu recomendo fazer uso do espelho do Slackbuilds.org ou do espelho mantido por Eric Hameleers, mais conhecido como AlienBOB. Os espelhos são agrupados de acordo com a versão, isto é, você vai encontrar sob o título Slackware-14.1 todas os espelhos dessa versão do Slack. Existe ainda o grupo slackware-current, que são os espelhos que contém os pacotes oficiais mais atuais disponíveis para a distro. Escolha um espelho de sua preferência e descomente um E APENAS UM. Você pode escolher entre usar um espelho da versão atual da distribuição ou um espelho do slackware-current, contendo pacotes mais atuais, mas você não pode ter mais de um espelho descomentado nesse arquivo. Se você descomentar mais de uma linha, o slackpkg irá chiar, dizendo que só pode trabalhar com um espelho por vez.

Após configurar o espelho em /etc/slackpkg/mirrors, é preciso configurar a lista negra em /etc/slackpkg/blacklist. Neste arquivo você listará todos os pacotes que por alguma razão o slackpkg deve ignorar. Isso significa que o slackpkg não instalará, desinstalará ou atualizará o pacote enquanto o nome dele estiver na lista negra. Para facilitar sua vida, a lista negra aceita expressões regulares, portanto uma linha tal como:

[0-9]+_SBo

Colocará na lista negra todos os pacotes que em alguma parte de seus nomes possuam a expressão "_SBo", o que calha de ser todos os pacotes instalados via scripts SlackBuilds obtidos em http://slackbuilds.org.

Configurados o espelho e a lista negra, agora é hora de ver os principais comandos do slackpkg:

# slackpkg update # Serve para pegar a lista dos pacotes disponíveis no espelho configurado
# slackpkg install-new # Serve para instalar os pacotes disponíveis no espelho, mas que ainda não foram instalados no computador
# slackpkg upgrade-all # Serve para atualizar os pacotes instalados no computador com os pacotes disponíveis no espelho, MESMO QUE ISSO SIGNIFIQUE UM DOWNGRADE
# slackpkg clean-system # Serve para desinstalar quaisquer pacotes instalados no computador que não estejam listados no espelho selecionado
# slackpkg blacklist # Envia automaticamente um ou mais pacotes para a blacklist

Antes de usar o slackpkg, é preciso executar o primeiro comando para montar a lista dos pacotes disponíveis no espelho configurado. A principal função do quarto comando é limpar o sistema automaticamente de quaisquer pacotes instalados por fora e que, porventura, estejam causando algum problema.

Ainda não é hora de reiniciar o computador! Se seu sistema for 32 bits, ou se você não quiser configurar o multilib em seu sistema 64 bits, pule a página 7 do artigo. Do contrário, se você quiser habilitar o multilib em seu Slack64, sigam-me os bons!

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução: por que usar Slackware?
   2. Pré-requisitos para a instalação do Slackware e cenário desejado para a pós-instalação
   3. Localização
   4. Kernel Genérico
   5. Slackpkg: o gerenciador de pacotes oficial do Slackware
   6. Multilib: compilando e executando programas para 32 bits no Slackware64
   7. Conexão com a internet, configuração de NTP, criação de usuário comum e ativando modo gráfico
   8. Heresias: slackpkg+ e sbotools
   9. Conclusão e referências
Outros artigos deste autor

google-drive-ocamlfuse - Monte seu Google Drive usando o FUSE

Claws Mail: o cliente de correio eletrônico que morde!

Conexões Wireless com DHCP no Slackware - Configuração à moda antiga

Habilitando multilib no Slackware - Atualizado e simplificado

WindowMaker forever: instalando o fork -crm no Slackware 13.37

Leitura recomendada

Acessando o celular Siemens MC60 no Linux

Configurando 2 (dois) links ADSL no mesmo servidor

KDE em um PC "primitivo"

Configurando o CACIC (parte 2)

Servidor DNS (bind9) em Debian Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por xerxeslins em 08/09/2015 - 23:20h


Nem li ainda mas já favoritei! Assim que possível lerei com carinho e atenção que o texto merece.

[2] Comentário enviado por zezaocapoeira em 09/09/2015 - 04:50h

Salve mano . Parabéns pelo trabalho .

O Slackware aqui vai completar 2 anos em funcionamento . Tudo funcionando dentro dos conformes .

Obrigado pela atenção , salve !!!

[3] Comentário enviado por danniel-lara em 09/09/2015 - 09:28h


Parabéns pelo Artigo muito bom mesmo
ficou muito tri

[4] Comentário enviado por Freud_Tux em 09/09/2015 - 12:30h

Belo artigo.

Só estou esperando a próxima versão sair ;).

T+

[5] Comentário enviado por lcavalheiro em 09/09/2015 - 13:14h


[4] Comentário enviado por Freud Tux em 09/09/2015 - 12:30h

Belo artigo.

Só estou esperando a próxima versão sair ;).

T+


Então, no Slackware as coisas não mudam tanto assim. Se não acontecer nada medonhamente assustador, só em 2017 ou 2018.

PS.: eu me referia a uma nova versão do artigo :-)

[6] Comentário enviado por willian.firmino em 09/09/2015 - 15:46h


[4] Comentário enviado por Freud Tux em 09/09/2015 - 12:30h

Belo artigo.

Só estou esperando a próxima versão sair ;).

T+


Vai com o Slackware Current, já esta bem estável, e provavelmente não terá tantas mudanças até a proxima versão, que deve estar no forno, acho que até mês que vem sai.

[7] Comentário enviado por tsuriu em 10/09/2015 - 00:23h

Mestre lcavalheiro, artigo simplesmente magistral...
Isso era o incentivo que eu necessitava para voltar ao Slack, essa semana ainda o farei. Gostaria se possível, alguém saberia informar se o Skype pode ser instalado normalmente, mesmo usando o PulseAudio?! Pois da última vez que tentei não consegui fazer o áudio funcionar...

[8] Comentário enviado por lcavalheiro em 10/09/2015 - 01:08h


[7] Comentário enviado por tsuriu em 10/09/2015 - 00:23h

Mestre lcavalheiro, artigo simplesmente magistral...
Isso era o incentivo que eu necessitava para voltar ao Slack, essa semana ainda o farei. Gostaria se possível, alguém saberia informar se o Skype pode ser instalado normalmente, mesmo usando o PulseAudio?! Pois da última vez que tentei não consegui fazer o áudio funcionar...


PulseAudio nem a pau, Juvenal! Use o apulse, já está no slackbuilds.org. Eu uso o Skype de boa por aqui usando o apulse :-)

[9] Comentário enviado por Creto em 10/09/2015 - 19:39h


[1] Comentário enviado por xerxeslins em 08/09/2015 - 23:20h


Nem li ainda mas já favoritei! Assim que possível lerei com carinho e atenção que o texto merece.


xerxeslis e cavalheiro, eu que demoro uma decada para logar aqui, quando venho faço logo o trivial;
http://i.imgur.com/AN5NsD1.png

E completo, concordo em numero, grau e genero com todo o texto, mas destaco essa parte aqui:
"Pegue um tiozão que usou o Slack 3.0 lá atrás em 1996 e coloque-o de repente no Slack Current e ele vai saber exatamente o que fazer para administrar a máquina. "

É vi isso não apenas no cara astronauta não, vi isso na Mageia também que diz zelar pelo seu KDE e tudo nela é totalmente fora do lugar, não sou nenhum usuário intermediário ao menos, mas sou daquele que fuça em tudo que é pasta e afins do Linux.

[10] Comentário enviado por xerxeslins em 14/09/2015 - 15:37h


"Não há a necessidade de reaprender como usar a distro só porque um empresário quebrador de sistemas operacionais e metido a astronauta decidiu mudar a bagaça até as entranhas, por exemplo"

Ri nessa hora!

[11] Comentário enviado por Root_ em 15/09/2015 - 09:16h

Muito bom o artigo, parabéns pela escrita. Senti ali um sentimento negro quanto ao Gnome. Pior que quando tentei utilizá-lo no slackware ele bugava muito. Porém, aqui no archlinux e na versão 3.16.3 tive que mudar bem meu conceito. Estou gostando muito da interface. Com a utilização de alguns plugins, no meu caso está quase perfeito. E claro, não está imune a bugs...

[12] Comentário enviado por cytron em 15/09/2015 - 13:42h

Tem um fato que me deixou intrigado, na parte do kernel-generic, como é que vai ser inserida a entrada no LILO sendo que não tem uma edição ao lilo.conf???

[13] Comentário enviado por lcavalheiro em 15/09/2015 - 16:37h


[12] Comentário enviado por cytron em 15/09/2015 - 13:42h

Tem um fato que me deixou intrigado, na parte do kernel-generic, como é que vai ser inserida a entrada no LILO sendo que não tem uma edição ao lilo.conf???


Então... Eu fui reler o trecho ao qual você fez referência e percebi que faltou o trecho final do comando. Como eu tenho poderes de "Bob" Dobbs aqui no VOL eu já corrigi a parte faltosa e agora sim o comando escreve o trecho relevante no /etc/lilo.conf. Agradecido por notar a falha.

[14] Comentário enviado por lcavalheiro em 16/09/2015 - 12:33h


[11] Comentário enviado por Root_ em 15/09/2015 - 09:16h

Muito bom o artigo, parabéns pela escrita. Senti ali um sentimento negro quanto ao Gnome. Pior que quando tentei utilizá-lo no slackware ele bugava muito. Porém, aqui no archlinux e na versão 3.16.3 tive que mudar bem meu conceito. Estou gostando muito da interface. Com a utilização de alguns plugins, no meu caso está quase perfeito. E claro, não está imune a bugs...


GNOME pra mim é o que você vê quando abusa de substâncias psicoativas...

[15] Comentário enviado por lcavalheiro em 16/09/2015 - 13:51h

Próximo artigo: QEMU no Slackware. Aguardem!
--
Luís Fernando Carvalho Cavalheiro
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta

[16] Comentário enviado por doradu em 17/09/2015 - 10:48h


"por que quando eu removo o Evince de uma instalação Debian, por exemplo, eu sou obrigado a desinstalar até o systemd? Por que se eu tento tirar o PulseAudio na maioria das distros eu levo tanto o KDE quanto o GNOME juntos? Se eu quero instalar o Okular no GNOME, eu não deveria precisar instalar todo o KDE junto, deveria?"

agora acordei pro mundo Linux, ainda este ano migrarei para o Slackware

tou no Fedora (estava com o Gnome mas passei pro XFCE);
quando desinstalei o Nautilus (pq o Firefox cismava em abrir o nautilus mesmo o FM padrão ser o Thunar), qual minha surpresa (pois fiz o 'autoremove') quando reiniciei e vi q o background tinha sumido (o supra-sumo da limpeza) pois o 'autoremove' levou junto o Xfdesktop!!!

excelente artigo

[17] Comentário enviado por BrunoMorais em 18/09/2015 - 14:46h

Ótimo artigo, favoritado!

[18] Comentário enviado por otaviobrito77 em 20/09/2015 - 18:12h

Parabéns, ótimo artigo.
Sua linguagem carregada da filosofia slack me convenceram a migrar do arch.
Tenho 2 meses de slack, utilizando o current.
Muito bom. Apanhei um pouco para instalar o kdenlive e outras coisas, mas compensa demais. Principalmente, sem ter necessidade de baixar milhares de dependências de araque.

[19] Comentário enviado por mvforce em 21/09/2015 - 08:00h

Artigo muito bom, mas um pouco radical.

[20] Comentário enviado por lcavalheiro em 23/09/2015 - 09:56h

Agradecido pelos comentários, senhores
--
Luís Fernando Carvalho Cavalheiro
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta

[21] Comentário enviado por lcavalheiro em 02/10/2015 - 17:28h

Atualização: caso você use o Firefox ou o Thunderbird no Slackware, você pode traduzi-los para pt-BR (na verdade para qualquer idioma) com os dois scripts:
http://www.vivaolinux.com.br/script/Localizador-nao-interativo-do-Mozilla-Firefox-para-Slackware
http://www.vivaolinux.com.br/script/Localizador-nao-interativo-do-Mozilla-Thunderbird-para-Slackware
--
Luís Fernando Carvalho Cavalheiro
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta

[22] Comentário enviado por andrelds em 03/10/2015 - 20:30h

Muito bom, era isso que eu precisava para testar o Slackware hehe.
Só estou com algumas duvidas:
- Eu baixei o Slack64 Current, é preciso fazer a parte do Kernel Generics?
- Fiz a parte do multilib mas está dando erro: Uknown commad 'mirrors/people/alien/multilib/current'.
Uknown command 'multilib-current'
Será que digitei errado?
Valeu, Ótimo artigo.

[23] Comentário enviado por lcavalheiro em 04/10/2015 - 16:40h


[22] Comentário enviado por andrelds em 03/10/2015 - 20:30h

Muito bom, era isso que eu precisava para testar o Slackware hehe.
Só estou com algumas duvidas:
- Eu baixei o Slack64 Current, é preciso fazer a parte do Kernel Generics?
- Fiz a parte do multilib mas está dando erro: Uknown commad 'mirrors/people/alien/multilib/current'.
Uknown command 'multilib-current'
Será que digitei errado?
Valeu, Ótimo artigo.


Kernel Generic é opcional porém altamente recomendado porque melhora o desempenho da máquina. Quanto ao multilib, você digitou o comando errado.

[24] Comentário enviado por andrelds em 06/10/2015 - 22:43h


[23] Comentário enviado por lcavalheiro em 04/10/2015 - 16:40h


[22] Comentário enviado por andrelds em 03/10/2015 - 20:30h

Muito bom, era isso que eu precisava para testar o Slackware hehe.
Só estou com algumas duvidas:
- Eu baixei o Slack64 Current, é preciso fazer a parte do Kernel Generics?
- Fiz a parte do multilib mas está dando erro: Uknown commad 'mirrors/people/alien/multilib/current'.
Uknown command 'multilib-current'
Será que digitei errado?
Valeu, Ótimo artigo.

Kernel Generic é opcional porém altamente recomendado porque melhora o desempenho da máquina. Quanto ao multilib, você digitou o comando errado.


Aee, é que não tinha configurado o teclado e o ' estava `
Fiz o tutorial do começo ao fim, muito obrigado, finalmente vou poder testar essa distro :)
Só falta instalar o openbox e ir configurando tudo para aprender.
Obrigado novamente :)

[25] Comentário enviado por Bellak em 05/05/2016 - 03:16h

instalei o elilo (porque uso uefi).
como entao posso configurar-lo para usar o kernel generic ?
obrigado

[26] Comentário enviado por r_carreiro em 15/07/2016 - 17:06h

Mito!

[27] Comentário enviado por removido em 27/07/2016 - 08:30h

Eu tenho um netbook que sempre que ligo data e horário estão desconfigurados,mas fazendo essa configuração do ntp o problema desapareceu.

[28] Comentário enviado por removido em 14/11/2017 - 16:52h

Olá lcavalheiro

O artigo Guia Pós-Instalação do Slackware - edição 2015 está totalmente ou parcialmente desatualizado?

Se sim, o que mudou?

[29] Comentário enviado por LckLinux em 19/03/2020 - 11:43h

Muito bom esse artigo; generoso (!!). Instalei o Slackware (14.2) no meu laptop LG S 425 e estou aproveitando a reclusão forçada (Covid-19), imposta como precaução aos professores da rede pública, para finalmente me aprofundar nessa distribuição para poder conhecê-la (uso o Arch Linux / Debian no PC de mesa e não passo de um usuário mediano apaixonado por Linux e por pesquisa, leitura, investigação, ler, ler, tentar entender.... e o Slackware me parece pedir isso, muito).
Novamente, gratidão por ter compartilhado um texto tão generosamente explicado.

Força sempre \o/


Contribuir com comentário