Entendendo TCP/IP (Parte 3) - Resolução de nomes

Neste terceiro artigo sobre TCP/IP, vou descrever o processo de resolução de nomes. Mostrarei como configurar
o cliente DNS, bem como a diferença entre nomes Netbios e DNS. Após entendidos os conceitos, passarei a falar
sobre o DNS Server, desde o registro um domínio na Fapesp até a configurações do Bind9, passando pelas
zonas de transferência e questões de segurança.

[ Hits: 40.121 ]

Por: Ricardo Lino Olonca em 07/05/2011


Considerações finais



Entender o processo de resolução de nomes é fundamental para quem administra uma rede de computadores. É muito comum ver "analistas de sistemas" perdendo tempo verificando o Squid e o Iptables, quando na verdade o problema é com o DNS. Antes de analisar o proxy e o firewall, verifique se o endereço com problema existe, se está pingando por IP, e depois de está pingando por nome.

Abaixo seguem alguns links interessantes:

Num próximo artigo pretendo falar sobre o DNS server e seus vários tipos de configuração.

Até a próxima.
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução ao conceito de resolução de nomes
   2. Funcionamento do DNS
   3. Comandos úteis
   4. Nomes Netbios X nomes DNS
   5. Considerações finais
Outros artigos deste autor

Entendendo o TCP/IP

O fim está próximo

Deduplicação com LessFS

Entendendo TCP/IP (Parte 5) - Portas TCP/UDP

Entendendo TCP/IP (parte 4) - DHCP

Leitura recomendada

Como configurar uma rádio virtual no Linux (Fedora Core 4)

Load Balancer com Failover, Perlbal e Heartbeat para servidores web

Enjaulando o Bind9 em um chroot

Navegando anônimo na internet

Desenvolvimento para deficientes visuais na plataforma Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por julio_hoffimann em 07/05/2011 - 18:51h

Oi Ricardo, parabéns!

É muita informação! Obrigado por explicar de maneira didática todos esses conceitos. A série como um todo já está nos meus favoritos. ;-)

Abraço!

[2] Comentário enviado por embura em 28/02/2012 - 13:38h

para usar esses comandos no fedora precisa do pacote bind-utils.

[3] Comentário enviado por sk4d1nh4 em 04/06/2013 - 11:07h

Só uma observação...
Configuramos dois ou mais servidores DNS para consulta para o caso de indisponibilidade de um o outro ser consultado.
O texto informa que se o primeiro nao conseguir resolver o nome ele passa para o segundo e nao funciona bem assim. O segundo servidor só é consultado se o primeiro não estiver disponível. Mas se o primeiro já responder que não conseguiu resolver o nome o erro já é retornado para o sistema operacional.

[4] Comentário enviado por ricardoolonca em 06/06/2013 - 10:17h

Você está correto, sk4d1nh4. É isso mesmo. Um segundo dns só será usado se o primeiro não responder. Se o primeiro responder mas não conseguir resolver o nome, o segundo dns não será usado e uma mensagem de erro será exibida.

Obrigado pela correção.


[5] Comentário enviado por removido em 20/02/2017 - 00:17h

Olá Ricardo.

Apenas uma informação para somar com o conteúdo. você escreveu no artigo que o Linux só consegue fazer até o passo 4 descrito na paǵina 4. Mas se for configurado, ele pode sim fazer os outros passos até a resolução de nomes NetBIOS utilizando o servidor Wins.

Basta configurar o arquivo /etc/nsswitch.conf e incluir uma nova base de dados que será consultada para resolução de nomes, nesse caso o WINS. é lógico que deve existir um servidor wins e o servidor linux deve ter o samba configurado e instalado, além do winbind instalado.

[6] Comentário enviado por ricardoolonca em 20/02/2017 - 10:00h


[5] Comentário enviado por eabreu em 20/02/2017 - 00:17h

Olá Ricardo.

Apenas uma informação para somar com o conteúdo. você escreveu no artigo que o Linux só consegue fazer até o passo 4 descrito na paǵina 4. Mas se for configurado, ele pode sim fazer os outros passos até a resolução de nomes NetBIOS utilizando o servidor Wins.

Basta configurar o arquivo /etc/nsswitch.conf e incluir uma nova base de dados que será consultada para resolução de nomes, nesse caso o WINS. é lógico que deve existir um servidor wins e o servidor linux deve ter o samba configurado e instalado, além do winbind instalado.


Correto. Obrigado pela informação, eabreu. É que geralmente isso não vem configurado por padrão.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts