Crise de distro!

Você nunca fica 100% satisfeito com uma distro e fica testando várias distros diferentes, instalando e reinstalando, formatando várias vezes o HD sempre em busca da distro perfeita sem nunca a encontrar? Se sua resposta for sim, parabéns, você tem crise de distro. =/

[ Hits: 12.535 ]

Por: Xerxes Lins em 14/07/2010 | Blog: https://goo.gl/uu8OUX


Crise de distro!



Introdução

Você nunca fica 100% satisfeito com uma distro e fica testando várias distros diferentes, instalando e reinstalando, formatando várias vezes o HD sempre em busca da distro perfeita sem nunca a encontrar? Se sua resposta for sim, parabéns, você tem crise de distro. =/

O objetivo do artigo é ajudá-lo a lidar com a crise de distro. O autor do artigo sofre de crise de distro desde que começou a usar Linux.

Por um momento pensei que tinha encontrado a distro ideal, Slackware, depois achei que seria Arch, Debian, Gentoo (embora nunca tenha durado muito tempo com essa), Sabayon, Ubuntu, entre outras.

Essa perturbadora indecisão sobre que distro ter como a principal pode muito bem ser chamada de "crise de distro".

Pode ver neste tópico de 2009 a minha indecisão:
Apesar de eu ter marcado o tópico como resolvido (tinha escolhido sidux), isso teve efeito temporário. Poucos dias depois a crise reapareceu. Já cheguei a formatar meu HD uma vez por dia durante três dias seguidos e também mais de uma vez por dia. Tive uma fase (antes de começar no atual emprego) em que formatava o HD no mínimo uma vez por semana. Um amigo chamou isso de "fumaçar o HD".

Talvez você pergunte: "por que formatar tantas vezes o HD ao invés de usar o VirtualBox?", acontece que eu usava o VirtualBox às vezes, mas eu instalava no HD porque acreditava que estava fazendo a instalação definitiva.

Loop Infinito

Como existem muitas distribuições Linux os usuários mais curiosos tentam encontrar aquela que é a "sua cara". Muitos encontram uma, mas só por um momento, para pouco depois ficarem insatisfeitos novamente.

Esse mal não afeta usuários Windows pelo fato de que não há diversos "sabores" de Windows. A crise de distro afeta principalmente usuários domésticos que possuem tempo livre o suficiente para experimentar a grande variedade de distros. Muitas podem ser vistas em:
Quem tem a crise de distro nunca se satisfaz com uma distribuição e, vez ou outra, volta a reinstalar uma distro que já foi testada antes! O usuário com crise de distro sempre raciocina assim: "enquanto eu não encontrar a distro perfeita, continuarei testando outras distros". Mas como ele nunca encontra a distro perfeita fica preso num loop infinito.

Se você está com crise de distro perceba que enquanto você acreditar que existe uma distro perfeita, você nunca irá parar de buscar porque, na verdade, como já deve ter intuído em algum momento, não há distro perfeita! Essa ideia de perfeição está na sua cabeça e ela muda constantemente.

Pode ser que hoje você queira uma distro fácil de instalar e configurar (Ubuntu), mas pode ser que amanhã você ache mais importante uma distro extremamente flexível (Funtoo).

Outra forma de sair do loop é tentar ver com mais clareza a questão do apego a uma distro. Já vi gente falando da sua distro de forma bem emotiva. Por exemplo:

"Que tipo de monstro insensível seria eu se não experimentasse o Ubuntu como ele naturalmente é?"

O leitor pode ler o texto completo em:
Sim, claro que se trata de um recurso estilístico do autor, mas em parte isso reflete o sentimento de apego que muitos tem em relação à sua distro predileta sem levar em conta onde ela é melhor aplicada.

Tente pensar que uma distro é apenas uma personalização do Linux sujeita a falhas e que nenhuma é boa o suficiente para resolver todos os problemas. Umas são melhores para servidores, outras para desktop, outras mais estáveis, outras mais modernas etc. Cada uma tem pontos fortes e fracos.

Que critérios você quer que a sua distro atenda? Que tipo de usuário você é? Para quê ela será utilizada? Definir o que quer fazer com ela o ajudará a encontrar uma distro boa (apenas para esses critérios). Mudando-se os critérios, a distro provavelmente deixará de ser tão boa e uma outra poderá se tornar atraente para esses novos critérios. A culpa quase sempre não é da distro, como o autor do blog disse:

"Foi o Slackware quem pediu, e resolvi jogar na cara dele todas as frustrações"

Mas é do próprio usuário que mudou os seus critérios.

Conclusão

Atualmente estou usando Salix, uma distro simples e estável baseada em Slackware e que usa XFCE (embora eu tenha ficado tentado a instalar Salix com LXDE, pois acabei de ver que foi lançado). Não tenho mais ilusões de que um dia encontrarei a distro definitiva. Mas por enquanto Salix está atendendo minhas necessidades.

Toda crise é também, de certa forma, uma oportunidade de crescimento. Em se tratando de Linux, o usuário com crise de distro talvez obtenha um pequeno, porém significativo aprendizado. Não se tornará um usuário avançado, mas terá uma visão mais ampla sobre o Linux e suas potencialidades.

Caso você sofra de crise de distro espero que consiga sair desse loop infinito após uma sincera reflexão. Espero que este artigo o ajude de alguma forma. Lembre-se: não há distro ideal para todas as situações.

Abraço.

   

Páginas do artigo
   1. Crise de distro!
Outros artigos deste autor

Shadow Era: Jogo de cartas colecionáveis para Android

Tema com cores vivas para Xfce no Xubuntu 12.04

Como instalar o Compiz no Zenwalk e no Slackware de forma fácil

KISS vs. HUG

elementary OS Luna: linda, mas serve para sua mãe?

Leitura recomendada

Configure o Linux para sua avó!

Apresentando o Linux Mint LXDE Edition

Dpkg, Gnome, kernel, bin, rpm... maravilhoso Linux!

Zenwalk 5.2 - Minhas impressões

Apresentando e instalando o Ubuntu Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por lucasrca em 14/07/2010 - 03:41h

Há muito tempo atrás, fui obrigado a usar um server RedHat no trabalho. Uso Slackware desde 1996. Você não tem noção de como eu odiava a distribuição RH antigamente.

Mas, hoje, é diferente. Ela é estável e tem suporte eficiente (o que é importante para corporações).

Mudou o gestor, pediu pra instalar o Conectiva 6 (literalmente uma tragédia).

Mas, em casa, nunca abandonei o Slackware. Robusto, estável e seguro. Não tenho do que reclamar.

Atualmente, por motivos de compartilhamento de micro com minha mulher, uso o Ubuntu no desktop e sinto muita falta do Slack.

O Ubuntu é, realmente, travado. E a versão 10.04 ficou mais ainda. Mas, gosto não se discute.

Resumo da ópera:
- Quer um servidor robusto, firewall, proxy ou IDS/IPS? (FreeBSD, OpenBSD ou Slackware).
- Banco de Dados? (RedHat/e os supracitados)
- Desktop for dummies? (Ubuntu/Kubuntu/etc)

[2] Comentário enviado por pinduvoz em 14/07/2010 - 07:41h

Minha "crise de ditro" é virtual (vmware), já que gosto de testar mas não tenho paciência de instalar definitivamente.

É muita coisa para experimentar, especialmente no primeiro ano de contato com o Linux. E a curiosidade, como dizem, mata.

Mais um bom e bem-humorado artigo do inteligente XL.

[3] Comentário enviado por kbcasagrande em 14/07/2010 - 08:11h

Primeiramente...muito interessante seu artigo....
Eu vivo em crise de distro.... mas já faz 2 meses que uso o archlinux no meu note e estou satisfeito....
mas já passei por slackware, debian, fedora e até ...em tempos remotos....o ubuntu

acho que vou usar o arch por mais um bom tempo... mas ando fazendo testes com gentoo em maquinas virtuais....

[4] Comentário enviado por projeto_cem em 14/07/2010 - 09:13h

Eu tenho esse problema também, mas o meu maior problema é com o computador.

Eu sempre quis ou usar o Debian ou o Ubuntu no meu Notebook, porém essas distros não configuram automaticamente o vídeo (xorg) e ai eu testei mais de 30 Linux e Unix no meu Notebook e os únicos que funcionaram o vídeo (sem eu configurar) foram: Puppy, OpenSolaris e Opensuse (e o Mono), mas tem um pequeno problema, o Puppy é muito básico e mesmo funcionando o vídeo não me agradou, o OpenSolaris é muito pesado, ele demorava muito para carregar e como eu sou novo em Linux não sabia nem instalar programas e o Opensuse era a única distro que eu achei leve e fácil de usar (fácil até de mais). No fim das contas eu fiquei com o Opensuse.

Eu nunca estava satisfeito com o Opensuse, pois tudo que eu mais uso (VirtualBox e Apache) não funcionava direito, eu tentava instalar o VirtualBox novo e ele dava problema de Kernel, eu instalei mais de 5 Kernels e quando eu achei que um desses iria funcionar "para sempre" no dia seguinte ele para de rodar de novo o VirtualBox. Enfim eu tinha que usar o Ruindows 7 para fazer isso (outro lixo, mas funcionava o que eu precisava).

Não ficava nem 3 meses com o Opensuse, pois ele ficava lento e dava uns erros ao instalar atualizações e vai lá a formatar o computador.

Um belo dia resolvi instalar o Debian no Notebook, instalei tudo bonitinho, mas na hora de subir o ambiente gráfico, cadê??? Isso que nem o Grub tinha reconhecido o Ruindows, tive que tirar o Debian e instalei o Ruindows novamente.

Depois eu tentei instalar o Ubuntu (detalhe: em outro monitor, pois o meu ficava chuviscando), eu configurei ele para usar o driver VESA mesmo, mas outra péssima noticia, o video ficava quadriculando, no final das contas era problema de resolução...xD

Agora eu estou com o Ubuntu (com o GRUB todo feio), pois além de ser a distro que eu sempre quis usar ele é bem fácil de instalar programas e configurar. Agora me resta saber achar e instalar um driver de vídeo para o meu Notebook.

Um dia eu quero usar o Debian para configurar o sistema "na mão" (não tão na mão quanto configurar um Gentoo ou Slackware)...xD e realizar o meu sonho de rodar o cubo e mostrar para os meus amigos que usam o Ruindows o que eles estão perdendo....=D

Eu sou meio "usuário" (por que você acha que eu uso o Ubuntu? xD) ainda, nunca usei outros Linux por mais de 1 mês (Slackware, Archlinux, Gentoo, Mandriva, entre outros) então não sei como eles se comportariam, mas quem sabe um dia eu comece a usar um Slackware ou Debian, nunca se sabe. =D

[5] Comentário enviado por jborda em 14/07/2010 - 09:43h

Cara, "Crise de Distro" nunca tive não, mas já testei algumas, não apenas as distros em si, mas também interfaces gráficas.
Já usei slackware, fedora (1), red hat, enlightenment(16 e 17), lindows(acho que é isso), gentoo, dreamlinux, e gnome, xfce, windowmaker, fluxbox

Atualmente (quatro anos) o ubuntu com kde me atende muito bem, e com ele resgatei alguns usuários windows coisa que era difícil com meu querido slackware.

Bom artigo mano, parabéns!

[6] Comentário enviado por Fabio_Farias em 14/07/2010 - 09:48h

Amigo xerxeslins
Muito bacana seu artigo. Parabéns!
A minha crise de distro durou pouco. De verdade só usei Ubuntu e Fedora por aproximadamente uma semana. Mas desde que conheci o openSuSE (sem pedradas, por favor) posso dizer que resolvi meu problema. É claro que ela não é perfeita, mas me atende no que preciso. Claro que já "testei" muitas outras em máquinas virtuais ou em rápidas instalações (coisa de poucas horas). Mas foram instalações só para conhecer, sem aprofundar.
Abraços e mais uma vez, parabéns!

[7] Comentário enviado por jborda em 14/07/2010 - 09:48h

Sabe porque acontece isso(Crise de Distro)?
Porque nós temos opções, quando testa uma e nela não funciona algo(tipo placa de vídeo) nós procuramos outra que funcione e por ai vai.
Já os usuários das janelinhas ou ficam xingando que não funciona ou chama um técnico que vai formatar a máquina e resolver pra ele.

[8] Comentário enviado por junior em 14/07/2010 - 09:51h

O fato é que todo usuário Linux teve, tem ou terá uma crise de distro.
Não há como fugir.

Muito difícil alguém começar com uma distro e ir com ela até o fim da vida, por n motivos:
- Distro descontinuada.
- Falta de atualizações.
- Suporte
- etc, etc, etc...


[9] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 09:57h

Eu tive a crise(hehehe) no começo quando usei Ubuntu, Debian e slackware, mas quando conhecia o Arch fiquei com ele :)
Estou usando o Arch a mais de 1 ano.

[10] Comentário enviado por reideer em 14/07/2010 - 11:29h

Eu comecei com isto (crise) lá em 2004, usei kurumin, percebi que não era bem o que eu procurava, afinal eu queria usar definitivamente, aí usei o conectiva, aí me aconselharam o slackware (melhor conselho que tive na vida linux), usei ele por um bom tempo, aprendi o básico para fazer funcionar o computador sempre que desse problema, aí fui trabalhar numa empresa que seguia a linha RedHat, me apaixonei pelo fedora, achei o máximo instalar software através do yum, achei o máximo nunca precisar configurar o xorg (aliás, ficar chutando configuração), descobri o script easylife (maravilha do preguiçoso), nunca tive problemas com grub, nunca tive problemas com vídeo. Sempre consigo instalar todas as novidades, quando não consigo, entro no rpm.pbone.net ou no rpmfind.net e acho o que preciso, até me esqueci da última vez que precisei compilar algo (acho que foi a instalação do QMAIL).

Mas isto é particular de mim, sei que tem gente que se acerta com Ubuntu (acho que é uma tentativa falha de fazer algo tao bom quanto kurumin), outros com Opensuse (usei ele por 3 meses e num belo dia ele resolveu não funcionar mais sem eu ter feito alteração).

[11] Comentário enviado por L!N5X em 14/07/2010 - 11:52h

Desde de quando comecei a usar linux, não tive esse problema. No inicio eu usei o ubuntu e incrivelmente não me adaptei, depois passei para o slack, gostei mais faltava recursos necessários para deixá-lo "redondo" ai pensei vou de debian já que serve como base para muitas outras distro e até hoje ela é minha distro principal.

E POR ENQUANTO NÃO TROCO ELA POR NENHUMA OUTRA.

[12] Comentário enviado por douglas.giorgio em 14/07/2010 - 11:55h

vcs não tem ideia doq eu passei com essas crises

comecei com o kurumin, ai fui p Slackware "queria acelerar conhecimento, mas foi fail." fui p mandriva "amor a primeira vista", fui p ubuntu "legal, mas nao gotei da aparencia do grub e pq só tinha o gnome" fui p kubuntu "a msm coisa mas só tinha o kde", fui p slackware "não consegui mecher direito", fedora "achei instavel", redhat enterprise "muito voltado a servidor", FreeBSD "não consegui nem particionar o hd kkkkk", de volta ao mandriva "dessa vez a versão powerpack, foi a melhor distribuição que ja vi mas tive problemas na hora atualizar para a proxima versão", ai passei p gentoo, repeti varias vezes o ubuntu e fedora, peguei solaris e opensolaris, backtrack, mandriva, slackware, kubuntu, freebsd "novamente fail" etc.

ou seja usei varias distribuições que cheguei a irritar e abandonei sistemas unix, e voltei p windows

ai voltei com ubuntu "atualizei e achei ruizinho perto do mandriva" e fui p mandriva, ai passei por quase todas as distribuições novamente e tentei novamente encarar o slackware "finalmente conseguir me adaptar com a compilação,compilação e compilação de programas" graças ao slackware aprendi muita coisa e comecei a gostar cada vez mais e mais do linux


depois de alguns anos consegui usar o FreeBSD e fiquei ate bobo quando descobrir as ports que cheguei a abandonar o linux e ficar somente com o FreeBSD

dpois fiquei somente com Windows "jogos", slackware "dia a dia", FreeBSD "estudos"

ai saiu a versão 10.4 "64bits em dvd" do ubuntu e tentei substituir o slackware "na boa, odiei, muito limitado na instalação e achei o mandriva free mais forte", e voltei p slackware

troquei de pc e peguei placa de video ATI, nao soube lidar direito com isso e fui p mandriva

hj nao tenho mais problema nenhum com drivers ati em linux e o mandriva está tão bem que decidi fica com ele definitivamente

meu aprendizado está bem devagar com o mandriva e estou pensando em ir p redhat ou slackware, mas o que ja me adaptei msm foi com o FreeBSD

RESUMINDO!!!

não adianta falar que ubuntu é o melhor de todos, pode ser p vcs mas p mim ja tentei varias vezes e varias versões e não gostei, só achei bonito mas não ligo p isso e só trocar o tema, icones e wallpaper que ja resolve

não só com o ubuntu, mas com outras distribuições tbm, ateh com o mandriva e slackware eu fico um pouco insatisfeito

como sempre dizem, distribuição não se discute e ponto final.

[13] Comentário enviado por j.c.luz em 14/07/2010 - 12:31h

Rapaiz ,e eu k achava que era o unico!!!

Comecei com fedora ,passei para o ubuntu ,onde fiquei bom tempo ,mas por
curiosidade e graças a sua dica instalei o slackware 13,mas nao tive muita paciência com ele
e agora estou com o debian,que nao dou conta d por minha placa de rede p funfa d jeito algum
mas vou tentar me manter com ela agora. :)
Amigo xerxeslins,
Legal seu artigo.
Parabéns!!

[14] Comentário enviado por Nilodanx52 em 14/07/2010 - 12:34h

Eu tenho ainda um pouquinho desse tipo de crise.... =-D
Usei: Kurumin7 - Ubuntu ([7.10, 8.10, 9.04] [agora um live do 10.04 pra mostrar o linux aos meus clientes]) - Fedora 10, 11, 12 - Biglinux - kalango - Mandriva - Slackware [aonde eu mais me agradei com o kde 3.5 »»» saldades...] - DSL - Sabayon.

Ufa!!! usei tudo isso em um ano!!! pouca coisa pra muitos aki né!!! kkk Porem eu estou no Arch Linux e meus progetos futuros são: Usa o freebsd, gentoo, sabayon em um not ou no playsrtation2

[15] Comentário enviado por xerxeslins em 14/07/2010 - 12:41h

douglasfim,

você definitivamente tem (ou teve) crise de distro. Apresentou todos os sintomas.

kkkkk

[16] Comentário enviado por xerxeslins em 14/07/2010 - 12:47h

douglasfim,

como você sobrevive com o freebsd? quero dizer... não falta pacotes? flashplayer e outros? ele não é complicado para deixar redondo para desktop?

[17] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 12:56h

Muito bom

[18] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 13:05h

douglasfim

realmente você tem os sintomas da crise...kkkkkkk

[19] Comentário enviado por hlmerscher em 14/07/2010 - 14:03h

É meu caro Xerxeslins, saí a poucos dias de uma crise de distro, acho que saimos no mesmo período... rsrs

O meu caso foi o seguinte, comecei com linux no inicio de 2008, instalei o Mandriva, 3 meses depois fui para o Kubuntu, um tempo depois instalei o Fedora e continuei com o mesmo um tempinho, havia gostado dele. Mas ao trocar o hd da minha máquina não consegui instalar o Fedora pois tinha, acho que tem ainda, um bug com o Anaconda, o instalador, referente ao modelo do hd com "/" no meio do nome do modelo, não instalou por nada. Me dei por vencido e decidi instalar o Debian, que ficou instalado por um bom tempo.

Comprei um notebook e voltei ao Fedora, enquanto isso o Debian continuava no desktop. Alguns meses depois tirei o Debian do desktop e troquei pelo Slackware, o qual gostei muito por ter o completo controle, mas era demasiado demorado instalar e configurar algum software menos utilizado, então alguns meses depois voltei o desktop para Debian, e troquei meu Fedora do notebook pelo Debian também. Estava tudo uma maravilha até eu ir precisando de softwares mais atualizados, que me fez migrar para o Arch, fiquei um mês com este, e mudei por conta do grande volume de atualizações somado aos vários bugs diversos que apareciam, eu conseguia resolve-los mas perdia tempo e como estou fazendo faculdade somado ao fato que tenho der dar atenção a minha noiva nos fins de semana, acabo ficando sem tempo, e voltei ao Fedora na versão 11, continuei no Fedora até a versão 12 até sair o Ubuntu Lucid Lynx, o qual instalei e fiquei por 4 meses.

Sempre me limitei a testar apenas as distros mãe e evitar as variações das mesmas, testava estas mas no Virtualbox onde testei várias mas só me parecia uma distro mãe com alguns apetrechos e tema diferente, algumas foram o GoblinX, Zenwalk, Ekaaty, Unity, Biglinux, OpenSuse, pQui, Sabayon, etc. Nada me satisfazia. Até que ví numa edição não tão antiga da revista Espirito Livre uma entrevista com o criador do Linux Mint e essa distro ocupando um ranking excelente no Distrowatch, resolví dar uma chance a mesma.

Estou muito satisfeito com a mesma, consegue ser completamente compatível com o Ubuntu e ainda assim manter uma identidade própria, sem falar que me parece ainda mais rápida e estável que o Ubuntu. Não tive problema algum com o Mint até hoje, vai fazer uns 20 dias que instalei e acho que ela vai continuar por um longo período, talvez nunca desinstale, pois não faz ideia de como estou satisfeito com a mesma. Experimentem, vale a pena!

Abraço a todos.

[20] Comentário enviado por xerxeslins em 14/07/2010 - 14:13h

hlmersche,

lamento informar mas você em breve vai trocar o Mint =x

você tem crise de distro, certamente!

rsrsrs

brincadeira.

Espero que seja feliz com o Mint =]

[21] Comentário enviado por izaias em 14/07/2010 - 15:22h

Legal e divertido seu artigo!

[22] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 16:14h

Tenho essa bendita crise rsrs

A minha não é tão "grave", já testei muitas distros, e a única que está instalada no meu PC é o Slackware.

Bom, também gosto muito do Ubuntu pela facilidade e suporte, e também pela quantidade de pacotes pré-compilados vistos na internet.

Porém, essa ídeia de instalar tudo pela intenet é o que não me agrada. Os pacotes para o Slackware vem completo; nada de separar os sources (*-dev) dos arquivos binários como acontece com os pacotes do Debian, isso resulta em numero maior de dependências não satisfeitas. Gosto de instalar programas do modo Windows/Mac; baixando e instalando manualmente no sistema, para depois salvar o programa em um pen-drive/CD/DVD e, posteriormente em uma nova instalação do sistema, já tenho tudo que preciso guardado em um CD.

O problema é que com o tempo, o Slackware cança. Instala em poucos minutos, mas perde-se algumas horinhas para confgurar coisas básicas do sistema...

Enfim, enquanto não achar uma distro "a minha cara", fico com o sistema preguiçoso rsrs

Abraços!

[23] Comentário enviado por hlmerscher em 14/07/2010 - 16:25h

kkkk... Gostei da piada!

Se a crise atacar de novo, irei me abster, pelo menos até que terminar a faculdade... kkk, porque não dá pra ficar instalando e configurando os softwares de desenvolvimento que uso com tanta frequência.

Uma vez ouvi uma frase, mas não lembro onde, acho que foi no guiadohardware.net, que dizia que toda distribuição linux é igual e quando ficamos muito experientes com elas basta escolhermos a que o logo nos agrade mais já que não importa qual estaremos utilizando, iremos fazer as mesmas coisas... rsrs


[24] Comentário enviado por rafael.klock em 14/07/2010 - 17:23h

Poxa, não sabia que existia esses tipos de crise. hasusahuash
Uso ubuntu e Fedora, mas com o ubuntu, consigo fazer tudo que preciso.

falow

[25] Comentário enviado por pael em 14/07/2010 - 17:45h

Parei com isso faz tempo XD instalei o FreeBSD no meu desk e fiz um dual-boot no meu note, archlinux e OpenBSD kkkk
Mas quando sair o fedora 14 talvez eu volte a ter crise de distro kkkk

[26] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 17:45h

Ótimo artigo Xerxes, eu também tenho (ou tinha) essa "crise de distro"... já testei: Debian, Ubuntu (e suas variantes), Mandriva, Fedora, Linux Mint, Slackware, Slax, Gentoo (só via liveCD), Damn Small Linux.

Bom a primeira distro que eu usei foi a Damn Small Linux, pelo limite da minha máquina (Um K6-II com 64MB), a primeira distro que eu tive em mãos foi o Mandriva 2006.0 qual eu tenho até hoje.

A minha obsessão era tanta em testar várias distros que eu tinha em média 25 distros (algumas diferentes versões de uma mesma distro), mas enfim eu sempre usava uma distro e voltava para
o Slackware (a primeira distro que eu comprei ;-)), e assim foi a até usar definidamente o Slackware
no meu último computador (que é um notebook), mas como o HD do meu note estragou então eu uso o Ubuntu 9.10 via Live CD para acessar a internet. (Na qual eu estou redigindo este texto)

Se um dia eu abandonar o Slackware, com certeza eu irei para uma distro K.I.S.S. sem problemas. ;-)

Enfim o seus artigos se parecem muito com a minha linha de raciocinio.

Parabéns, pelo artigo.
Jean Landim.


[27] Comentário enviado por jotah em 14/07/2010 - 19:01h

É, no momento minha "crise de distro" tá estabilizada, só que tenho uma instalação com debian lenny, fedora e arch (tem um windows também, pra joga joguinho, ué!). O debian é o queridinho, ta lá com samba, squid, e mais uma duzia de scripts diversos, é minha distro segura, a unica com a qual não experimento doideiras. O fedora, bom esse uso por gostar do jeitão profissional que tem, e até um tempo atrás por ter sempre os pacotes mais fresquinhos, em relação ao debian. E por ultimo o arch, esse logo de cara já foi pro hd sem passar por maquina virtual nenhuma antes, adorei a distro, é meu laboratório de bizarrices, tanto que volta e meia tenho de reinstalar o sistema. Com isso sanei (?!!) minha "crise de distro". Pelo menos no desktop, hehehe, porque no momento minhas duvidas estão voltadas pras distros "live-usb". Quem será que fica no meu pendrive. Por enquanto to com slitaz, mas já passaram por ele kurumim-ligt, slax, goblin-x, puppy, e até o o arch+lxde. Eita que esse negócio de software livre termina com o tempo livre de qualquer curioso. Ótima postagem, abraço a todos.

[28] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 19:19h


Acho que também sofro disso, excetuando-se pelas rpm-like, das quais pouco usei, já testei de tudo.

Minha distro principal é o Debian, seguido do Arch Linux, fora essas duas gosto do sidux e do Mint. Atualmente tenho instaladas: Debian, Sabayon, Arch, sidux e Ubuntu.

Uma coisa é certa, o Debian sempre será minha distro principal e como dito acima pelo colega, o Arch é o meu laboratório de "bizarrices" ( i like AUR ).

Se o camarada não quer sofrer desse "mal" ou volta pro Janela$ ou que seja um bitolado. Há muita coisa boa em cada distro, não existe uma que seja perfeita, apenas haverá a que lhe atenderá melhor por esse ou por aquele motivo.

A razão de tudo isso chama-se liberdade de escolha, existe isso no outro S.O?

Até gostaria de experimentar o CentOS ou o Mandriva, mas sabe como é né às vezes bate uma preguiça.... quem sabe nas próximas férias.

[29] Comentário enviado por removido em 14/07/2010 - 19:28h

A distro "perfeita" existe, e é a cara do usuário!
http://www.linuxfromscratch.org/

:-D rsrs

[30] Comentário enviado por willian.firmino em 14/07/2010 - 20:31h

EU já tenho a minha definitiva. Slackware testei muitas distros e sempre voltei para o Slackware então percebi que voltava para ele por que era a unica que me atendia como eu realmente queria, hoje tenho 2 Desktops, 1 notebook e maquina no trabalho todas rodando Slackware 13.1 todas com kde 4.4.5 a estabilidade é absurda. os servidores de arquivos de meu trabalho são centOS e o web vamos migrar para Slackware 13.1 para rodar aplicações Django.

[31] Comentário enviado por mcnd2 em 14/07/2010 - 21:21h

Muito loco esse artigo XL.

Todos já tiveram ou ainda vai ter essa crise, pois enquanto houver opções concerteza haverá curiosidade, pelo menos em testar para ver se é melhor a que você usa atualmente.

Parabéns pelo Artigo...

Operação "USE GNU/LINUX DEBIAN" eu apoio.

rsrsrs...

[32] Comentário enviado por sansimon em 14/07/2010 - 23:29h

Tenho uma placa mãe e um hd só para minhas crises de distro , isto é normal e até saudável. Quando se tem a diversidade do GNU/Linux.
No notebook estou usando o Linux Mint desde a versão 6 e estou gostando , é uma distro bem pragmática.

saudações.

[33] Comentário enviado por cirofsouza em 14/07/2010 - 23:49h

Eu tbm já fui e já voltei: experimentei Ubuntu, Slax, Dreamlinux, Sabayon, Damm Small Linux, Satux (que veio no computador no meu pai) e fiquei no Slackware mesmo que foi a minha primeira distro (fui arrojado hein?!?!?!).

Uma vez um colega meu me falou: mulher, futebol, política e distro não se discute!

É isso... Quem manda o Linux ser tão diversificado e te dar a liberdade de "encontrar sua tampa da panela, ou melhor, sua distro do seu HD".. rsrsrsrs

[34] Comentário enviado por fernandoamador em 15/07/2010 - 06:50h

Ainda não tive uma crise de distro porque as distribuições que utilizei/uso (Conectiva, Debian, Ubuntu, RedHat) atenderam todas as minhas necessidades. Mais ja conheci pessoas que utilizavam o debian, desistalaram e instalaram o fedora e depois voltaram para o debian. E isso não foi só um vez. Parabéns pelo artigo.

[35] Comentário enviado por nicolo em 15/07/2010 - 07:32h

O artigo é inspirado, um equívoco inspirado. O problema que leva a busca frenética não é de distro, é de um linux que não existe.
O Linux não foi feito para desktop, e pouca gente se toca que a demanda dos usuários de desktops é diferente da demanda dos usuários de
servidor e que o usuário doméstico é muito mais enjoado que o suuário corporativo que está sendo pago e tem que usar a ferramenta que o patrão colocou.
Em casa o usuário é rebelde não leva desforo pra casa, ou melhor não aceita desaforo dentro da sua própria casa; chuta uma distro sem cerimônia
e instala outra como se fosse possível obter outro Linux.
Eu mesmo tento não atirar para todos os lados, mas já fiz isso e ainda dá uma vontade insana de fazê-lo novamente, Só há um linux, a culpa
geralmente não é da distro.
Agora não tenho certeza se o artigo é um equívoco, ou ser era isso que o autor queria dizer e ficou constrangido.

[36] Comentário enviado por douglas.giorgio em 15/07/2010 - 08:39h

kkkkk

pois é galera, isso é de lei, todos que usam linux a anos ja teve problemas com isso

como o jeanladin falou
"Se um dia eu abandonar o Slackware, com certeza eu irei para uma distro K.I.S.S. sem problemas. ;-)"

a distribuição mais facil e a melhor p iniciantes que ja vi ou o mandriva, eu no inicio nao conseguia usar o ubuntu e nem as outras distro, a unica distribuição que me puxou p lado linux foi o mandriva

atualmente estou com o mandriva instalado, mas nem estou usando, estou com muita falta do slackware, inclusive ja estou baixando ele novamente, mas tbm quero testar o redhat novamente

[37] Comentário enviado por JoseRenan em 15/07/2010 - 09:13h

que usuario nunca sofreu dessa crise, atualmente estou usando kubuntu, antes eu usava ubuntu, já usei biglinux, kurumin, mandriva, tentei o sabayon mas enfim decide ficar quieto um pouco
essas mudanças me deixam com desconforto

[38] Comentário enviado por xerxeslins em 15/07/2010 - 10:03h

nicolo,

é isso mesmo. só não esclareci que só existe um Linux. Porém, não pensei nessa questão de que Linux não foi feito para desktop. Mas é isso mesmo, a crise surge quando o usuário busca uma distro (um linux) que não existe.

[39] Comentário enviado por removido em 15/07/2010 - 11:47h

Bom, concordo que o Linux não foi feito mesmo para desktop, mas hoje em dia, creio que o Linux já está pronto para desktop, o que falta mesmo é programas de qualidade (leia-se "proprietários") disponíveis para essa plataforma.

O FreeBSD, um sistema voltado para servidores, serviu como base para o Mac OS X, que é geralmente utilizado como desktop.

[40] Comentário enviado por douglas.giorgio em 15/07/2010 - 12:02h

então linux está pronto p desktop e servidores isso vai depender da distribuição e é a msm coisa com os sistemas BSD, FreeBSD e OpenBSD é voltado a servidores e DesktopBSD, PC-BSD para desktops

tanto linux e BSD estão preparados p desktop e servidores

até o mac ja está preparado p servidores, afinal te uma versão voltada p servidores

[41] Comentário enviado por removido em 15/07/2010 - 12:29h

Sim, Douglas.

Esqueci de mencionar que meu post anterior foi direcionado ao usuário final , que utiliza o PC para coisas básicas; o Mac OS X e o Ubuntu Linux (digo o Ubuntu por ser a distro mais famosa), substituí muito bem o Windows como desktop.

[42] Comentário enviado por asmayr em 15/07/2010 - 15:17h

Dei uma olhada nos comentários e parece que há uma clara opção monogâmica. Depois de experimentar várias distros acabei por fazer uma opção por duas. Tenho dual boot com Ubuntu 10.04 e Fedora 13. Esta opção foi por uma questão prática: tinha muita dificuldade em usar os data-shows da universidade (são vários modelos diferentes) a partir do Ubuntu (mesmo nas versões anteriores). O Fedora reconheceu até agora todos e não me dá amolação. "Briguei" um tempo para fazer pelo Ubuntu, mas a solução que encontrei é tranquila e resolve efetivamente o meu problema.
Talvez, para encerrar, a questão deva ser colocada em termos de necessidade: o que de fato eu preciso? ou, se preferir, sob que perspectiva posso abordar o meu problema? E o mais é apenas paixão...
Abs

[43] Comentário enviado por claudiojoliveira em 16/07/2010 - 15:53h

Parabéns Xerxes pelo artigo, mandou bem velho.
Identifiquei-me muito com tudo isso, sou uma crise de distro ambulante, tanto que já estou na abstinência de testar outra, veja só:
Sou apaixonado pelo Slackware, comecei em maio de 2006 no mundo Linux, tive a felicidade de participar do Linux World Conference & Expo neste mesmo ano, ao lado do prédio da Microsoft na Berrini, nosso professor Jefferson nos levou lá. no meu treinamento na Impacta, usamos debian, no começo achei que era a distro da minha vida, mas ao utilizá-la por um pequeno período, logo vi que se trata de uma ótima distro, mas não era o que eu queria, o que me atacava nela são os pacotes obsoletos, sim, obsoletos, de tanto cuidado que eles têm com novas versões, as estáveis se tornam obsoletas. Foi aí que começou minha crise, e vive em chamas até os dias atuais.
Tanto que quando vi em seu perfil que usava Salix, logo me bateu uma abstinência que já estou com meu torrent a todo vapor.
Gostaria de saber, se possível, de há várias opções de softwares disponíveis para ele e se está na nossa língua ou está em en_US? Você conhece algum tutorial que dê uma luz na instalação?
Desculpe-me a intromissão velho, mas vi que vc manja muito.
Abraços a todos os linuxers e a vc Xerxes, como dizem, gosto, política, futebol e distro não se discutem!!!
Hushushushus.

[44] Comentário enviado por xerxeslins em 16/07/2010 - 16:52h

claudio,

Salix é Slackware com XFCE como ambiente padrão, que usa slapt-get como gerenciador de pacotes. Fora isso não há diferença.

Lembra Zenwalk, mas é mais fiel ao Slack,

Se vc gosta de Slack, vai instalar o Salix facilmente. O processo é praticamente igual.

=)

[45] Comentário enviado por paulorvojr em 16/07/2010 - 18:30h

Bom artigo, parabens, mas não existe crise de distribuição, o que há é necessidade.

Se uma distribuição contêm o que você deseja, você mantem ela, até mesmo se ela faltar algo ou oferecer menos suporte, mas se ela passa a não ter o que você no dia a dia acha primordial, você troca.

Esse lance de experimentar e ficar meses com uma distribuição é para novatos, que tem preguiça ou falta de conhecimento, de migrar o tal software que ele tinha na outra distribuição.

Ou quando ele entra numa roda de amigos que usa o Linux Versão xp, versão OSX , versão BSD rsrsrs, gosto é gosto.

É sempre bom conhecer uma grande quantidade, mas aprofundar mesmo, o quanto menos melhor, pois senão você nunca se especializa em uma, ou duas.

Por final, so sobrevive bem distribuições com apoio comercial ou financeiro, o resto morre em poucos anos, volto a frizar, linux não vive de vento, vive de dinheiro.

Ai vai meu time:

Banco de dados robusto: RedHat, CentOS
Infraestrutura, web, samba, squid, essas coisas: Slackware, Ubuntu
Desktop ou servidores de teste: Ubuntu, Fedora


O resto?.... comercialmente e profissionalmente falando, funciona, mas suporte, gente usando, e tudo mais?, deixa a desejar. Ou seja, não entra no time.



[46] Comentário enviado por claudiojoliveira em 16/07/2010 - 19:07h

Obrigado Xerxes, vou instalar o Salix, o XFCE não me agradou muito, mas somente o instalei e testei, não utilizei muito para obter uma opinião concreta, vou ver no que vai dar.
Parabéns pelos seus artigos, desde agora, virei leitor assíduo.
Abraços e um ótimo final de semana.

[47] Comentário enviado por removido em 16/07/2010 - 20:59h

Xerxes, o pior de tudo é crise de Ambiente Gráfico, eu comecei com kde, testei o gnome, testei o XFCE, mudei para o fluxbox, testei o openbox, testei o blackbox, mudei para o XFCE, mudei para o gnome por alguns dias, voltei para o kde, voltei para o gnome, voltei para o XFCE e permaneci até consegui deixar o LXDE com hotkeys e autostart...

[48] Comentário enviado por TcarayLove em 18/07/2010 - 20:34h

Eu por sorte não tive essa crise.
Eu usava o windows xp, depois passei pro vista e depois pro 7, mas o linux me conquistou, muito mais leve, rapido e pratico, eu ja tinha testado o Kurumim a algum tempo atras, mas como acabou o suporte, instalei o linux ubuntu. totalmente incrível e acho que não vou mudar de distro!!

[49] Comentário enviado por roderico em 19/07/2010 - 02:59h

Já tive crise de distro; com o tempo entendí que de um jeito ou de outro distro nenhuma vai satisfazer completamente: primeiro porque o ser humano é assim! Se contenta por pouco tempo... Eu gosto da facilidade o 'buntu mas não tenho internet, então sempre acabo recorrendo à uma distro mais "preenchida" no quesito codecs, etc... Então recorrí ao BigLinux. Mas a consequência é sempre a MINHA customização, independente de qual eu estou usando (que no meu caso é instalação do fluxbox, Linm, orpheus, qemu e CIA).

[50] Comentário enviado por danielpita em 19/07/2010 - 03:00h

já testei e fiquei(tem mais de 5 anos isso) o kurumin, na mesmo época experimentei slack, mas nem cheguei a ficar.
depois de protestos em casa, volta do janelas, tem um ano e meio que adquiri um notebook que veio com mandriva(novidade pra mim).
usei por causa do wifi. coloquei o debian, testei fedora(novidade pra mim) e ubuntu. acabei deixando o debian e só usando internet via cabo por quase um ano...

com a chegada de um roteador, e a compatibilidade do ubuntu, acabei de coloquei o 9.10 junto com o Lenny e estou bem.
até que eu configure tudo(wifi e impressora), vou continuar com o ubuntu e debian juntos, apesar de gostar do Debian por tudo que ele oferece.

acredito que duas distros não é desnecessário, quando a que você mais gosta deixa a desejar em algo, você abre espaço pra mais uma e utiliza as duas de acordo com a necessidade/vontade. pelo menos achei nessa escolha a maneira de estar sempre com o GNU/Linux...

abraços a todos!

[51] Comentário enviado por g.r.f.j em 19/07/2010 - 12:55h

Genial esse artigo!

Comigo tudo começou a mais ou menos 2 anos, sempre gostei de sistemas operacionais, testava uns mais acabava não dando certo, já usei:

Windows: Xp(32 e 64 bits), Vista, 7(32 e 64 bits);
linux: Ubuntu, Fedora(32 e 64 bits), BigLinux, Debian;
Open-Solaris;
Mac OSX Leopard(não consegui usar).

Sempre ia e voltava para windows até que decidi ficar com uma distribuição linux, comecei com ubuntu, porém não consegui instalar a placa wi-fi, procurei uma distribuição um pouco mais complexa fui para o Debian, pela primeira vez fiquei mais de 1 mês com uma distribuição Linux e não tenho nenhuma vontade de voltar para Windows.

Semana passada fui tentar atualizar o kernel do Debian, acabou não dando certo, tive que formatar.

Fiquei sabendo que o Slackware é muito bom, então estou baixando para instalá-lo em outra máquina para testar, pois no meu notebook uso o Debian.

É isso aí pessoal, começei com uma crise de sistemas operacionais e depois fui para a de distribuições. ;)





[52] Comentário enviado por warhammer em 19/07/2010 - 13:57h

Caramba, comigo é totalmente diferente! Tenho minhas duas distribuições favoritas, Debian e Arch, mas sofro de uma crise dos ambientes gráficos. Sempre quero testar todos que aparecem, e acabo ferrando o sistema várias vezes, mudando inclusive o gerenciador de login, do KDM, pra GDM, LXDM ou até Entrance. Tento encontrar o ambiente gráfico perfeito, que atenda todas as minhas necessidades, a ao mesmo tempo, não seja pesado.

As vezes uso KDE 4.4 e me vejo o sistema usando 700mb de RAM(Sendo que tenho 1GB), e fico pensando em instalar o E17 ou Blackbox.

Atualmente uso Window Maker e estou feliz, atende as minhas expectativas.

[53] Comentário enviado por pardalz em 20/07/2010 - 15:49h

ah.. eu so tenho crise em deixar sempre atualizado.. sempre que acaba de lançar uma versao nova do ubuntu (eu demorei para chegar nele) eu ja atualizo sem demora...
Porém acho que todos linuxinianos ja sofreram dessa tal crise, nem que seje por pouco tempo.. mas ja sofreram

artigo legal. vlw

[54] Comentário enviado por douglas.giorgio em 20/07/2010 - 16:53h

na verdade atualizar o sistema não é uma crise, e sim uma prevenção, correção, compatibilidade ou coisa do tipo, crise de distro é quando estamos usando uma distro e do nada vem uma coisa em nossas cabeças dizendo que deve usar outra distro pq é melhor ai vai só piorando e muitas vezes voltamos na msm distribuição que estavamos no inicio

eu msm estou em uma crise dessa, estou com o mandriva rodando 100%, mas msm assim acho ele muito solido na personalização, e quando vou p outra acontece algo semelhante

muitas vezes estamos usando uma distribuição com 99% de satisfação e sempre queremos uma 100% que na verdade nao existe por enquanto "poia ainda nao achei kkkk"

[55] Comentário enviado por xerxeslins em 20/07/2010 - 17:11h

douglasfim,

isso mesmo! você sabe do que estou falando... é um agonia mental... uma insatisfação estranha, mesmo quando o sistema está redondinho. por falar nisso, voltei para o Slackware. Acho que vou ficar com ele (tomara que sim!).


[56] Comentário enviado por stremer em 22/07/2010 - 14:58h

o problema já foi falado... o pessoal pensa em distro como um sistema totalmente diferente, mas no final é tudo linux... o problema da crise é procurar um linux que não existe...
Acho que a distro é mais na questão dos programas que você precisa se estão disponiveis naquela distro... sua politica de atualização do sistema se é compativel com a distro... e a maneira de gerenciar seu sistema.
Nenhum sistema é perfeito... acho que cabe encontrar a que melhor lhe atende... eu já passei por diversos linux (Slackware, Red Hat, Fedora, Debian, Ubuntu, etc)... Tbem já utilizei FreeBSD... hoje estou utilizando Arch Linux. Ele é perfeito ? NÃO... mas atualmente É O MELHOR NO QUE PRECISO, pois tem os programas que preciso, suas atualizações são pouco dolorosas (PacMan, rolling release), suas configurações através de poucos arquivos textos são simples e faceis... eu prefiro fazer muita coisa na unha (meu linux é lotado de scriptizinho que eu crio para minhas tarefas), gosto de programas atualizados...

[57] Comentário enviado por removido em 06/08/2010 - 12:50h

xerxeslins, resolvi minha crise de distro quando eu decidi que ia fazer a minha própia distro. Quando eu estava escrevendo o manifesto, vi que precisava era desencanar as vezes eu usava o Slackware, por que eu pensava "Poxa, eu vou ser melhor em coisa X se usar o Slackware" pois bem ledo engano, por que se eu for bom em admin, ou programação... Não vai ser uma distro que vai me dizer isso, e sim o modo. E além do que GNU/Linux é código aberto, se você quer saber o que rola por dentro do software é só ler os fontes e por também ser livre todo mundo tem direito de escolha. Álias, por que o Debian e o Slack tem milhares de seguidores, sendo tão diferentes?


Abraço.

[58] Comentário enviado por sudopp em 25/09/2010 - 06:50h

xl, belo artigo, tambem sofro deste mal ou bem, nao sei, vivo trocando de distro no meu notebook, mas sempre volto pro debian, antes sempre voltava pro ubuntu, mas ultimamente ja nao sei mais o que quero, facilidade? praticidade? instalador que resolve dependencias? distro do zero, tipo arch, gentoo, lfs, debian basico, slack basico? sempre falta alguma coisinha que por falta de conhecimento, nao consigo afinar a instalacao, no comeco usava linux para falar pros outros que sabia sobre linux, ou computacao, mas que bobagem! como eu era bobo! hoje ja nao faco mais isso, ainda bem! ja usei mac osx86 aqui mas como nao consegui funcionar o som desisti,
mas acho que isso nao tem nada haver, porque fiquei com vontade de instalar o win7, e esta ele no desktop. fora isso tem o gnome, kde, flux, xfce, lxde e outros, nao tem fim? teve epocas de kernel mais rapido, Kolivas, onminilash, e vai configuracao de kernel, ai um belo dia fui na casa o meu primo, e vi um winxp inacreditavel, veloz demais, meu primo (tem experiencia em linux) fucou no xp ate o limite, e tudo pelo prompt, eu achava que nao era possivel isso, a verdade e que se voce se dedicar a uma so coisa com muita vontade vai ficar expert! vi que e bobagem essa coisa de linux, windows, mac, minix, bsd e outros, o importante e gostar da ciencia do computador. no momento estou com debian e absolute com gnome instalado no notebook e no desktop xp, win7 e gentoo. totalmente louco, ja nao sei mais do que gostar? caso pra psicanalista, psicologo?

[59] Comentário enviado por VanX-IInX em 28/09/2010 - 18:39h

Estou com crise de distro desde que tive um problema com o Disco Virtual do Ubuntu e comecei a tentar encontrar outra distribuição alternativa a essa que eu gostasse mais. :)

[60] Comentário enviado por bopa em 29/05/2011 - 19:45h

xerxeslins, prazer falar com voçê, sou ubunteiro e resolvi instalar o arch linux no pc (segui aquele tuto seu "mamãe quero arch"). Porem depois da instalação o arch não reconheceu o dual boot e eu acabei desinstalando o arch depois quem não bootou mais foi o ubuntu e precisei reinstalar o ubuntão novamente. Estou já procurando o motivo do não boot do ubuntu (acho que é porque o grub do arch é versão 0,97 e do ubuntu 1,99) e sobre o assunto da "crise" eu não tenho mania de procurar instalar distros no pc não até porque até fevereiro desse ano eu era um "feliz" usuário de internet discada e vivia de "xpezão" mas já apaixonado pelo linux desde o dia que comprei meu primeiro e único pc em fevereiro de 2007 que veio com um negócio chamado metasys (uma distro) e fui voando numa lanhouse que eu conhecia o dono e falei "-parceiro eu comprei um pc e veio um negocio chamado linux o que é isso?" e ele "- amigo, linux é igual windows só que gratuito." Porém infelizmente não pegava internet discada. E também nunca esqueço-me do dia que eu baixei a distro puppy linux 4.30 (em setembro de 2009) bootei o livecd (105 mb +-) e acessei a primeira vez a internet no linux pelo meu finado modem sm56 (poxa meu irmão quando eu vi o navegador abrindo o site da globo eu sai correndo e pulando pela casa) dali em diante eu sabia que um dia ia ser só linux no hd.

[61] Comentário enviado por devauxcl em 25/01/2013 - 14:01h

Eu tenho realmente uma crise de distro!! Testei muitas distros: Linux Mint 6,9,13 e 14,DSL,Lubuntu 12.04,Kubuntu 6.06 e 12.10,Fedora 9,17 e 18 (minha distro atual) Ubuntu 7.10,8.10,9.04,10.10 e 12.10,Slackware 12.2,Kurumin,Satux,Debian,entre outras

[62] Comentário enviado por ronaldo13 em 08/08/2013 - 14:29h

Nesse meio tempo, mais ou menos 1 mês (estou desempregado), tenho testado diversas distro em meu laptop P6200 Presario cq43:

Mint XFCE, Mint KDE, Fedora Spin Games, Ubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Salix, Antix, Crunchbang. Já usei em outros o bodhi, sparky, puppy, opensuse, free-bsd.

Tentei o Archlinux e nao consegui, archbang tbm não. Deu uns bugs e como meu HDD está com multiboot - Windows 8, Ubuntu e mais um.

Legal que nesses testes, aprendi a reparar o boot com o boot-repair, pois algumas distros somem com o windows e o ubuntu!! hehe

Ainda vou conseguir fazer o archlinux funcionar nesse notebook, gostei muito dele quando instalei num dell d520.

[63] Comentário enviado por henriqfc em 10/09/2014 - 21:53h

Rapa, é [*****] mesmo. O importante é curtir a distro que está usando.

[64] Comentário enviado por dk_ em 31/12/2014 - 09:20h

Acho que essa crise de distribuições, acontece na maioria dos usuários de Linux, no começo o cara tem um dual boot com o Windows, depois ele tira e coloca duas ditros e vai testando.

Na minha experiência com Linux, descobri que gosto de coisas praticas, distribuições que tenho menos trabalho, como o Ubuntu ou openSUSE. Embora eu tenha testado o Arch Linux por uns 6 meses e adorei, mas tive que formatar e deu uma preguiça danada para configurar novamente, e voltei para o Ubuntu.

O problema do virtualbox, é que para o cara testar adequadamente uma distribuição dessas mais novas com interface mais pesada, é que ele tem que ter um PC com, pelo menos, uns 8 de RAM, para deixar no mínimo 3 GB para VM. Para quem tem um PC com 4 GB de RAM é difícil testar um distros com KDE, Unity, Gnome, pois você tem que deixar pouca RAM para VM.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts