Criando um mirror do Conectiva para uma rede interna

A atualização dos micros de nossa rede privada pode acabar gerando um tráfego desnecessário que, dependendo do link e do provedor, irá onerar o custo final da internet. Neste artigo vou mostrar uma das maneiras de resolver este problema, criando um mirror dentro de nossa própria rede.

[ Hits: 21.201 ]

Por: hermes nunes pereira junior em 20/02/2006


Configurando o servidor ftp



O apt, usado pelo Conectiva Linux 10, usa como método de transferência dos pacotes do mirror para o computador local o ftp, além do http.

Para fazer o servidor de ftp, eu usei o proftpd, que é muito fácil de ser configurado. Nesse link tem um ótimo artigo sobre a configuração:
A única alteração que fiz no proftpd.conf foi alterar o diretório padrão do user anonymous, para que ele caísse direto no diretório do Conectiva.

Procurei pela linha onde ele configura o diretório do usuário anonymous e mudei o diretório padrão:

#<Anonymous /srv/ftp>
#  User                         ftp
#  Group                        ftp
#  DirFakeUser                  on
#  DirFakeGroup                 on
#  RequireValidShell            off
#  UserAlias                    anonymous ftp
#  MaxClients                   10 "Sorry, max %m users -- try again later"
#  MaxClientsPerHost            2 "Too many simultaneous connections"
#  DisplayLogin                 welcome.msg
#  DisplayFirstChdir            .message
#  AccessGrantMsg               "Anonymous access granted for %u."
#
#  # Write disabled in anonymous chroot
#  <Limit WRITE>
#    DenyAll
#  </Limit>
#
#</Anonymous>

Troquei:

<Anonymous /srv/ftp>

por:

<Anonymous /opt/pub/Conectiva>

e descomentei as outras linhas.

Na linha:

#  MaxClients                   10 "Sorry, max %m users -- try again later"

eu troquei o 10 por 20, que é o número de meus micros na rede:

MaxClients                   20 "Sorry, max %m users -- try again later"

Cuidado com o parâmetro:

#  # Write disabled in anonymous chroot
#  <Limit WRITE>
#    DenyAll
#  </Limit>

Deixei comentado, pois não quero que meu diretório tenha permissão de escrita por anonymous.

Estamos quase terminando, só falta agora configurar o /etc/apt/sources.list do cliente.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução - Problemas: A vida de um administrador de rede não é mole!
   2. Construindo o mirror
   3. Configurando o servidor ftp
   4. Configurando o cliente
Outros artigos deste autor

Uma breve introdução ao Audacity

Instalação e configuração do LTSP 5 no Ubuntu 11.04

Usando o Linux como um studio de gravação (parte 1)

Instalando e configurando um sistema RAID 1 no Debian Lenny

Instalando o CMS Joomla

Leitura recomendada

Conhecendo o LXDE

A Vida no Shell

SliTaz: pequeno, rápido, estável e fácil de utilizar!

Processos no Linux

Gtk-Qt Engine: temas Qt em aplicações GTK

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 20/02/2006 - 18:11h

esta idéia é muito ineteressante também para as demais distros, principalmente se a conexão for discada...
Poderia também ser aplicada ao ubuntu etc...

[2] Comentário enviado por dupotter em 21/02/2006 - 09:43h

mto boa a idéia, assim que conseguir padronizar todas minhas estações com CentOS, vou utilizar esta dica, favoritos já!

[3] Comentário enviado por kernel_sys em 22/02/2006 - 13:35h

muito bom cara, gostei mesmo da ideia, valeu..abraço

[4] Comentário enviado por pcnmota em 22/02/2006 - 17:18h

Parabens Hermes... sempre ajudando a comunidade... VC contribui muito amigo.

[5] Comentário enviado por thiago83 em 24/02/2006 - 08:12h

qto de espaço este mirror ocupa no seu hd??

cheers, Thiago.

[6] Comentário enviado por marcaoguitarra em 24/02/2006 - 10:25h

dá pra fazer isso para as estações windows ta,bém????

[7] Comentário enviado por hnpjunior em 24/02/2006 - 17:18h

Oi marco,

Windows não né? Que eu saiba só linux.

Thiago,

Eu tinha feito inicialmente do conectiva 8, 9 e 10, gastei por volta de 16 gigas.

Valeu

[8] Comentário enviado por bestmoor em 28/02/2006 - 13:35h

muito boa dica , meus parabéns .
Aposto que alem de resolver o problema do limite de transferencia o apt se tornou muito mais rapido.
Valeu


Contribuir com comentário