Convertendo MBR para GPT com gdisk

Esse artigo discute a teoria e mostra (um pouco) da prática da conversão de um disco particionado no esquema MS-DOS (MBR) para um esquema de partições GPT.

[ Hits: 36.989 ]

Por: Perfil removido em 20/02/2015


A conversão na prática



A conversão que mostrarei é para fins didáticos. Ela existe no melhor dos mundos onde apenas duas partições primárias serão convertidas em partições GPT. O disco em questão é um West Digital WD400BB-00JH conforme informações obtidas com parted:
Linux: Convertendo MBR para GPT com gdisk
A partição (1) é do tipo 0x83 formatada como ext4 e a partição (2) é do tipo 0x82, formatada como SWAP versão 1. Existe uma área livre (que não aparece na imagem), então, não preciso me preocupar com espaço para o backup da GPT. Observe que o primeiro setor da primeira partição deve começar (start) em 63. Caso contrário, não será possível converter MBR em GPT.

Essas informações podem ser obtidas com o comando "fdisk -l":

# fdisk -l /dev/sdb

Convertendo o disco

Para converter o disco, todas as partições devem estar desmontadas. Isso significa que você pode precisar entrar com um live-CD. Garanta que esse live-CD possui uma versão atualizada de gdisk, pois ele ainda é considerado um programa Beta.

Evite fazer a conversão por acesso remoto (SSH ou PuTTY), pois se a conexão for perdida, resultará em um sistema que não inicializa.

Selecione o disco que será convertido por gdisk com:

# gdisk /dev/sdb

O programa indica que encontrou uma MBR válida e que fez a conversão dela em GPT apenas em memória RAM. Caso queira sair neste momento, digite quit e Enter. Nada será modificado.

***************************************************************
Found invalid GPT and valid MBR; converting MBR to GPT format.
THIS OPERATION IS POTENTIALLY DESTRUCTIVE! Exit by typing 'q' if
you don't want to convert your MBR partitions to GPT format!
Command (? for help):
***************************************************************


Caso queira visualizar os dados da conversão, utilize a opção "print", para mostrar uma listagem da tabela convertida. Caso tenha dúvidas, utilize a opção "help", para obter uma listagem dos comandos válidos em gdisk.

Compare os valores obtidos na listagem de gdisk (em memória) com os valores obtidos com fdisk -l.

Caso tudo esteja dentro do normal, grave as mudanças de modo permanente com a opção "W". Um aviso é emitido antes de efetivar.

Confirme e aguarde o aviso que a operação ocorreu com sucesso. A partir deste ponto, seu disco não pode mais ser manipulado com fdisk ou cfdisk ou qualquer utilitário para particionamento do tipo MS-DOS. De agora em diante, utilize apenas gdisk, cgdisk ou parted, para modificações em GPT.

Aviso: versões antigas de GParted não tem suporte para GPT e resultam em erro. O resultado final pode ser observado na figura a seguir:
Linux: Convertendo MBR para GPT com gdisk
Referências:
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Conceitos básicos
   2. A conversão na prática
Outros artigos deste autor

GPT - Guid Partition Table

Configurando o OpenOffice para edição de texto - swriter/oowriter

pam_mount e CiD - Gerenciamento centralizado dos mapeamentos de unidades de rede no Ubuntu

Instalando o Fedora Core 5 para iniciantes

USB-ZIP - Emulando Zip Drive em Pendrive

Leitura recomendada

Como anda o mundo Linux hoje

A essência de ser Livre

A Internet torna as pessoas inteligentes?

Software livre, capitalismo, socialismo e um possível caminho novo

Minhas experiências com GNU/Linux e o Unity no Ubuntu 13.04

  
Comentários
[1] Comentário enviado por izaias em 20/02/2015 - 20:54h

Artigasso!!!

Não conhecia sequer esse comando "parted" (mostro minhas partições de forma que nunca tinha visto).
VLW Kyetoy !

* Favoritado :)

[2] Comentário enviado por mcnd2 em 24/02/2015 - 23:17h


Ótimo artigo.

Nunca usei partições em GPT.
Até ontem, de quase não resolver o problema que estava no boot do FreeBSD na sdb2 compartilhando o hdd com o Windows Server (que já estava com a tabela de partição como msdos/MBR) na sda, ia me aventurar em criar a tabela de partição em GPT ao padrão freebsd., logo, consegui resolver o problema e não fui a esse 'mundo' para me aventurar, rs!

10 !!!


[3] Comentário enviado por nicolo em 02/03/2015 - 11:40h

Muito bom. Assim eu me animo em comprar discos de 3Tb sem ter que trocar a minha placa mãe.
Artigaço.

[4] Comentário enviado por Michel Noronha em 26/03/2016 - 00:08h

Infelizmente eu cometi esse erro e meu HD esta no formato GPT e agora consigo formatar mais meu HD
Gostaria saber se alguém pode me ajudar a recuperar meu HD.

[5] Comentário enviado por TedKaczynski em 27/11/2016 - 01:35h

" Um backup de dd para uma GPT gera um desastre GPT. Uma GPT também não pode ser apagada com dd, a menos que apague o backup no final do disco também. Esse é um erro comum, o usuário dá um dd para destruir uma GPT e quando reinicia o backup é automaticamente recuperado ou pior o sistema fica com uma MBR válida e um backup de GPT levando a uma situação de erro, onde a pessoa pensa que o disco está danificado, pois não consegue formatar com nenhum sistema operacional."
Curiosamente isso ja aconteceu comigo ... ao instalar e reinstalar o ubuntu no meu notebook com UEFI ..


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts