Computação de alto desempenho

Este artigo escrito por Marcos Pitanga nos insere no conceito de clusterização, nos explicando o que é um cluster, para que serve, suas aplicações, custos e também nos apresenta o projeto MultiPinguim, assim como os passos para sua implementação.

[ Hits: 55.463 ]

Por: Marcos Pitanga em 17/07/2003


Projeto MultiPinguim - computação de alto desempenho



Autor: Marcos José Pitanga Alves
Engenheiro de Redes
pitanga@domain.com.br

A utilização de clusters da classe Beowulf vêm crescendo rapidamente como alternativa de escolha para construção de sistemas de alto desempenho para computação paralela. O rápido avanço no desenvolvimento de microprocessadores e de redes de altíssimas velocidades com componentes de fácil disponibilidade no mercado favorecem a construção deste ambiente.

O objetivo deste artigo é prover as informações necessárias à construção de um multicomputador de baixo custo e alto desempenho para utilização em ambientes acadêmicos e comerciais.

O primeiro cluster de microcomputadores nasceu em 1994 na NASA-GSFC, onde se pesquisava uma solução com custo viável para resolver problemas computacionais típicos encontrados na ciência espacial. A agência espacial necessitava de um equipamento que processasse na ordem de um gigaflop, o que significa um bilhão de operações em ponto flutuante por segundo.

Entretanto, um supercomputador com este nível de desempenho custava em torno de um milhão de dólares, o que era considerado um investimento muito alto para ser utilizado somente por um grupo de pesquisadores. Os pesquisadores Sterling e Donald J. Becker decidiram então interligar 16 computadores pessoais, cada um contendo um microprocessador 486, usando o sistema operacional Linux e uma rede padrão Ethernet.

Usado para as aplicações cientificas, este conjunto atingiu a marca de 70 megaflops. Naquela época esta velocidade não era muito baixa se comparado aos pequenos supercomputadores comerciais disponíveis. O valor total da construção desta plataforma foi de U$ 40.000,00 ou 10% do preço de uma máquina comercial, em 1994, com desempenho equivalente.

Na conferência de supercomputação de 1996, patrocinados pelo IEEE (Institute of Eletrical and Eletronic Enginners) e ACM (Association for Computing Machinery), a NASA e o Departamento de Energia Americana demonstraram dois clusters:
  • Hyglac, construídos por pesquisadores do California Institute of Technology and the Jet Propulsion Laboratory.
  • e o Loki, construído pelo Los Alamos National Laboratory.
Cada cluster era composto de 16 microprocessadores Intel Pentium Pro e alcançou a marca de um gigaflop por segundo com um custo menor que U$ 50.000,00 (cinqüenta mil dólares).

Em novembro de 1999, outro cluster da mesma classe, o CPlant (Computational Plant) da Sandia National Laboratory, foi classificado em 44º lugar na lista dos 500 computadores mais rápidos do planeta.

A vantagem da relação custo/desempenho atraiu também a atenção de grandes corporações, que planejavam usar clusters para tarefas muito complexas como decifrar o código genético humano.

Podemos citar como vantagens da utilização de um cluster:
  • A utilização de componentes de fácil disponibilidade, tornando a solução independente de fornecedor permitindo diminuição de custos e facilidade de manutenção.
  • Continuidade tecnológica, uma vez que componentes atualizados são facilmente encontrados no mercado.
  • Flexibilidade de configuração, permitindo adequar a capacidade do cluster a aplicação e ao orçamento.
  • Escalabilidade, permitindo anexar mais computadores escravos ao sistema quando houver a necessidade de aumento da carga de processamento.
  • Alta disponibilidade, uma vez que cada computador escravo é uma unidade independente e, se algum deles falhar não afeta os demais ou a disponibilidade geral do cluster.
Graças à padronização e larga disponibilidade das bibliotecas como o MPI e o PVM, a maioria das aplicações as utiliza como padrão de camada intermediária (Middleware). As aplicações paralelas que utilizam o MPI podem ser portadas facilmente de um IBMâ RS/6000 ou Crayâ T3E para o cluster MultiPinguim. Isto é um dos principais motivos da rápida migração destes caríssimos sistemas paralelos proprietários para os clusters de alto desempenho e de baixo custo.

A escolha dos computadores que irão compor o cluster recai na escolha do tipo de processador, números de processadores por máquina, tamanho e velocidade da memória cache externa (L2), velocidade do barramento, projeto do subsistema de memória, e a velocidade do barramento.

O tipo de rede a ser utilizada também influencia diretamente o desempenho do sistema. Soluções como GigaNetâ e Myrinetâ garantem melhor desempenho que os padrões Fast-Ethernet e Gigabit Ethernet mas pode não ter a melhor relação custo/desempenho.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Projeto MultiPinguim - computação de alto desempenho
   2. O Cluster MultiPinguim
   3. Passos para implantação do MultiPinguim
   4. O Futuro dos clusters classe Beowulf
Outros artigos deste autor
Nenhum artigo encontrado.
Leitura recomendada

PHPIDS - PHP Intrusion Detection System, deixe seu site livre de intrusos!

Resumo da Norma ISO/IEC 13335-3

Ping - O que há por trás?

Proteção utilizando fail2ban contra ataques do tipo

Análise de Malware em Forense Computacional

  
Comentários
[1] Comentário enviado por repolho em 18/07/2003 - 10:52h

vale a pena reslatar outro site interessantissimo
http://ha.underlinux.com.br/

[2] Comentário enviado por mologni em 26/01/2005 - 05:26h

Excelente artigo Marcos.

Para os demais leitores recomendo lerem também os artigos sobre MOSIX: www.mosix.org e openmosix.sourceforge.net.

[]'s...

[3] Comentário enviado por fag_oliv em 15/03/2007 - 09:03h

Ola pessoal ... existe openmosix para kernel 2.6.17 ou 2.4.33, ou softwares de simples configuração para a mesma finalidade.

[4] Comentário enviado por hemersonmilano em 19/03/2009 - 13:18h

Excelente artigo,
Todos artigos do Marcos Pitanga estão me ajudando muito.

O Marcos tem uma excelente didática e conhecimento.

Valeu Marcos pela ajuda.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts