Como mudar o logo no kernel 2.6

Esse artigo é para todos que tem vontade de mudar aquele pinguim que fica no canto da tela durante o boot no modo frame buffer. E aí, quer customizar ainda mais o seu Linux?

[ Hits: 24.669 ]

Por: Lincoln Lordello em 18/12/2003


Introdução



Esse texto foi tirado da internet, algumas coisas eu acrescentei, mas não é todo de minha autoria.

Personalizando o logo de boot do Linux 2.6


Colaboração: Alexandre Hautequest

Quando executamos o Linux e ativamos o modo "frame buffer", um pinguim é exibido para cada processador instalado, com um logo dependente da arquitetura da máquina (Intel, Mac, Sun, Mips, etc). Mas fica bacana personalizar a instalação e colocar seu próprio logo no lugar do clássico pinguim.

Para isso, no novo kernel 2.6, três simples comandos resolvem esta personalização:

$ convert meu_logo.ext logo_passo1.ppm
$ ppmquant 224 logo_passo1.ppm > logo_passo2.ppm
$ pnmnoraw logo_passo2.ppm > logo_linux_clut224.ppm


Feito isto, basta copiar o arquivo final logo_linux_clut224.ppm para o diretório linux-2.6/drivers/video/logo e recompilar seu kernel.

O arquivo "meu_logo.ext" pode ser qualquer imagem que seja suportada pelo aplicativo "convert". Se quiser, pode-se utilizar algum editor de imagens, como o GIMP e gravar a imagem direto como PPM. Caso você use o GIMP, somente execute os comandos 2 e 3. Esta imagem também não tem restrição de tamanho, porém imagens muito grandes em altura podem comprometer a visibilidade durante a boot do Linux.

Lembrando também que a imagem será colocada a partir do canto superior esquerdo, se você quiser que a imagem cubra toda a tela você deve criar uma imagem com tamanho correspondente a resolução do seu frame buffer, lembrando de deixar um espaço para o texto durante o boot, caso contrário não será visualizado nada, mas você pode direcionar o texto do boot para outro terminal assim:

No Lilo:

append="console=tty2"

Isso entra em uma linha separada no início do lilo.conf. Coloque junto com os parâmetros que você já tenha, aqui ficou assim:

append="hdc=ide-scsi console=tty2"

No Grub:

kernel /boot/bzImage-2.6.0 ro root=LABEL=/ hdc=ide-scsi console=tty2

Adicione em cada imagem que você tiver para dar boot no seu sistema, caso tenha criado mais de um kernel-2.6.

Quanto à resolução do frame buffer e da imagem, você deve primeiro escolher a resolução certa para o frame buffer:

Resolução     Cores        Código
1024x768      64k          791
1024x768      32k          790
1024x768      256          773
800x600       64k          788
800x600       32k          787
800x600       256          771
640x480       64k          785
640x480       32k          784
640x480       256          769


O código você acrescenta numa linha separada do arquivo do lilo e no grub você acrescenta junto da imagem:

No Lilo:

vga=791 # assim que uso aqui na minha máquina 1024x768x64k

Isso fica numa linha separada no início do lilo.conf.

No Grub:

kernel /boot/bzImage-2.6.0 ro root=LABEL=/ hdd=ide-scsi vga=791 console=tty2

Você adiciona igual ao parâmetro anterior, tudo na mesma na mesma linha.

Caso você escolha uma frame buffer 1024, crie uma imagem que tenha 1024x200, somente altere a resolução vertical para criar uma banner na parte superior da tela. O mesmo serve para resoluções menores como 800x600, a imagem seria então 800x150. Você pode aumentar e resolução vertical, mas lembrando de deixar uma espaço para o texto de boot, caso não queira uma imagem em tela cheia.

Pena que o logo é perdido quando se é trocado de terminal, é configurada nova fonte de teclado ou o período de inatividade é atingido e, com isso, o terminal é posto em espera. Mas ainda assim, é uma modificação bem legal a ser feita.

Espero que esse artigo seja útil e tenham muitos desktops GNU/Linux com telas de boot iradas! Uma pena não ter sido criada uma forma que não precise recompilar o kernel. Estou devendo um tutorial de como fazê-lo para o alvin-lee. Um dia ele sai, estou esperando sair o kernel 2.6 final, aí o artigo vai ficar show de bola!

Eis um screenshot do meu boot (fake, não tenho câmera digital):


Falow!

   

Páginas do artigo
   1. Introdução
Outros artigos deste autor

Instalando fontes TTF de forma fácil com rpm-buid

Instale já o Audacity na sua máquina!

Criando pacotes no Slackware

Nautilus Scripts

Mantendo seu Slackware atualizado

Leitura recomendada

Sistema de arquivos EXT4 no OpenSuSE 11.1

Slamd64: O Slackware para 64 bits

Recompilando kernel 2.6 no Debian Lenny

Guerra Infinita, uma análise da Ciência da Computação

kernel-ck para Arch Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por _rafel_ em 14/01/2004 - 13:49h

mto bom o artigo.....eu sei q estah especificado para o kernel 2.6,mas tem como funcionar no kernel 2.4???

[2] Comentário enviado por lordello em 14/01/2004 - 15:24h

No site Slackware da LinuxBR existe um artigo sobre o lilo no Linux-2.4.
http://slackware.linuxbr.org/dicas/boot.html
Falow!

[3] Comentário enviado por canaman em 04/03/2004 - 09:15h

Quando eu uso o framebuffer na inicialização, o linux não carrega o sisfb, que é o módulo de framebuffer da minha placa (sis630).

[4] Comentário enviado por albertguedes em 19/04/2008 - 20:49h

dica muito boa, apesar de já conhecê-la. Prefiro usar isso ao inves de boot-splashs, não consigo ficar sem ver o que ocorre no boot.

[5] Comentário enviado por yermandu em 06/01/2012 - 14:51h

Muito legal esses passos sempre deram certo para mim

[6] Comentário enviado por cpdrenato em 30/08/2019 - 15:07h

Boa tarde!
Gostaria de sabe se tem como configurar no ubuntu ou debian?
Framebuffer gosto desde do slackware, e gostaria de configurar para versões atuais de linux.

Atenciosamente Renato Lucena
Developer PHP


Contribuir com comentário