Bind9 + Debian Linux 4.0: Configuração de um servidor de nomes interno

Este artigo cobre a instalação e configuração de um servidor DNS interno, que facilita a vida de qualquer administrador de redes. Aqui usamos Bind9 em servidor Debian Linux 4.0.

[ Hits: 40.469 ]

Por: Gustavo Hendrigo Marcon em 14/10/2008


Instalação do Bind9



O DNS é o banco de dados distribuído de traduções de nome para endereço IP. Tecnicamente não é necessário usar nomes de host e de domínio, como www.vivaolinux.com.br, porque é o endereço IP que o computador usa para estabelecer comunicação.

O DNS foi criado para permitir o uso de nomes de domínios mais convenientes. Por exemplo, quando o usuário digita um nome DNS como parte de uma URL em um navegador, a parte do nome é enviada para o servidor DNS para que seja resolvido em um endereço IP. Uma vez encontrado o endereço, ele é usado para se reescrever a URL e obter diretamente a página web.

Um dos servidores DNS mais conhecido é o bind. Nesse exemplo estaremos usando o bind 9, que é uma versão mais atualizada e mais segura deste software.

Vamos a instalação. Atualize sua sources.list:

# apt-get update

Instale o bind 9:

# apt-get install bind9

Executado isto, vamos conhecer e configurar os arquivos usados pelo BIND.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Instalação do Bind9
   2. Arquivos de configuração DNS
   3. Utilidades e checando configurações DNS
Outros artigos deste autor

DansGuardian versões 2.9.3.0 e superiores em Debian 5.01

Adicionando baterias automotivas extras em nobreaks

Servidor proxy autenticado (Squid + DansGuardian + OpenLDAP)

Configuração: Servidor de nomes slave com Bind9 no Debian 4.0

PhpDansAdmin, protótipo de ferramenta web para administração do DansGuardian

Leitura recomendada

Gerenciamento centralizado de usuários de rede com GOSA

Configurando wvdial com Gnome-ppp no Slackware

Instalando e configurando o Java JDK no Slackware Linux

Instalação Kickstart (revisado)

Instalando e configurando o Apache, PHP e MySQL no Slackware 10.1

  
Comentários
[1] Comentário enviado por comfaa em 14/10/2008 - 08:57h

Muito Bom Artigo !!!

Abraços

[2] Comentário enviado por reng.unip em 14/10/2008 - 09:43h

Parabéns pelo artigo, bem útil.

Abraço...

[3] Comentário enviado por doldan em 15/10/2008 - 20:35h

Boa noite, pelo meu pouco entendimento me parece muito bom o tuto, apenas uma pergunta, onde você colocou "internet" é onde coloca-se normalmente o "www", se for, devo digitar no browser "internet.empresa.com.br"?
Grande artigo.

[4] Comentário enviado por comfaa em 16/10/2008 - 07:21h

Doldan,

não digita no Browser não, mas sim no console, mandando PINGAR .....
por exemplo:
# ping www.uol.com.br

irá aparecer:

PING www.uol.com.br (200.221.2.45) 56(84) bytes of data.
64 bytes from 200.221.2.45: icmp_seq=1 ttl=64 time=4.86 ms
64 bytes from 200.221.2.45: icmp_seq=2 ttl=64 time=0.228 ms
64 bytes from 200.221.2.45: icmp_seq=3 ttl=64 time=0.229 ms


[5] Comentário enviado por hendrigo em 16/10/2008 - 08:08h

Doldan, internet.fai.com.br referencia a uma máquina que tenho squid instalado, se vc tem um apache instalado em uma máquina, coloque ex: www IN A 192.168.4.5 no db.empresa.com.br
Quando vc digitar no browser www.empresa.com.br ele referencia a máquina 192.168.4.5 que tem o apache... assim está configurado seu servidor web interno.

[6] Comentário enviado por comfaa em 28/10/2008 - 12:31h

muito bom


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts