BC: A sua calculadora programável no Linux

Você já pensou em automatizar operações de cálculo? Em fazer um script onde você possa definir funções, constantes e outros? O bc pode ser a solução. Nesse tutorial, veremos como escrever programas simples com ele.

[ Hits: 124.862 ]

Por: Renan Birck Pinheiro em 21/05/2006 | Blog: http://renanbirck.blogspot.com


Conceitos para a criação de pequenos programas com o bc



No tópico 4, apareceu o comando "define". Mas afinal, o que o comando faz?

Ele simplesmente define uma função.

Dentro dele podemos usar os elementos acima citados, além destes:
  • auto : define uma variável local.
  • print : mostra mensagens na tela. (equivalente ao printf em C)
  • return : retorna um valor. Deve ser usada no final do programa, para retornar o resultado final dele.
  • { } (colchetes) têm o mesmo significado que na linguagem C. Eles servem para agrupar várias operações, de modo que estas sejam executadas de uma vez só.
  • if:
    if (expressão) operação1 else operação2

    Se o resultado de 'expressão' não for 0, executa operação1, senão executa operação2 (se presente).

  • while:
    while (expressão) operação
    Enquanto a expressão não chegar a zero, executa operação. Também pode-se sair do loop executando um comando 'break' dentro dele.

  • for:
    for (inicialização; condição; incremento) { operação }

    inicialização é executado antes de entrar no loop.
    condição é testada cada vez que o loop é executado. Se ela for zero, o loop quebra. Depois, incremento é executado. A operação de incremento deve modificar o valor usado no loop for.

    Como podemos notar, a linguagem é bem semelhante ao C. Porém, não há nenhum elemento parecido com o 'goto' ou o 'switch', o que a torna bem limitada.

  • quit:
    Só deve ser usado em modo interativo. Assim que 'quit' for encontrado, o bc sai. (ver curiosidade no item 2) Em programas devemos usar 'halt'.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Conhecendo o bc (modo interativo)
   3. Conhecendo os comandos matemáticos do bc
   4. Construindo funções
   5. Curiosidade: números grandes
   6. O bc como uma linguagem de programação
   7. Conceitos para a criação de pequenos programas com o bc
   8. Alguns exemplos
   9. bc e shell scripts
Outros artigos deste autor

SIMH: Recriando um pouco da história

A tecla mágica SysRQ

Utilizando o X-Deep32 para rodar programas Linux em máquina Windows

MySQL + Amarok: dupla poderosa

Leitura recomendada

Terceira experiência com o Basic Linux

Saiba como ativar dois ou mais fbpagers no Fluxbox

Remastersys: Crie seu próprio Live-CD do Ubuntu Linux

Montando um workstation de desenvolvimento web em GNU/Linux

FwLogWatch - Analisando Registros do IPtables

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fernandoiury em 21/05/2006 - 08:23h

Excelente, meus parabéns cara.. o artigo ficou ótimo!!
Nem imaginava que o bc era isso tudo!

abração, parabens mais uma vez e obrigado pela contribuição!

[2] Comentário enviado por leonardoamorim em 21/05/2006 - 12:29h

Parabéns, muito bom esse artigo.

[3] Comentário enviado por hlegius em 21/05/2006 - 12:31h

Ótimo! Artigo nota 10, cara!
Linguagenzinha poderosa hein ?! Excelente para aplicações matemáticas!

Obrigado pelo artigo, realmente ficou excelente!
Abraços!

[4] Comentário enviado por allanhc em 21/05/2006 - 12:45h

Muito bom artigo mesmo viu. Muito bem explicado. E o assunto realmente muito util.

Conhecia por alto mas nunca usava, agora vou criar um define.bc ao meu gosto e vou até usar-lo.

Parabéns
Abraços

[5] Comentário enviado por PCMasterPB em 21/05/2006 - 13:57h

Parabéns, o artigo mostra muitas curiosidades do bc. Vai ser bom como referência. Té mais. ;D

[6] Comentário enviado por Century_Child em 21/05/2006 - 19:33h

Uma coisinha que ficou de fora do artigo: vocês podem colocar, no .bashrc, uma linha tipo 'alias bc=~/defines.bc', para facilitar a vida de vocês.

[7] Comentário enviado por tenchi em 02/04/2007 - 10:01h

Kra, muito bom esse artigo.
Muito poderosa essa ferramenta. Eu já usava ela para coisas mais simples, inclusive coisas aprendidas neste artigo, mas só agora estou comentando.
Quanto à deficiencia da linguagem pela falta do goto, eh uma benção que a linguagem não tenha esse comando ...... ;-)

Excelente artigo, já está em favoritos.

[8] Comentário enviado por kabalido em 15/04/2008 - 12:52h

Ótimo artigo. Muito bom mesmo.
Valeu!

[9] Comentário enviado por Lael em 18/06/2008 - 17:39h

hasusausuahsu

[10] Comentário enviado por crimelordz em 30/10/2011 - 00:37h

Não posso definir este artigo de outra forma que não seja: MARAVILHOSO.

[11] Comentário enviado por removido em 27/12/2014 - 22:44h

Legal!Nem sabia que existia isso no ubuntu!

[12] Comentário enviado por karson em 14/06/2017 - 06:23h

Nossa, deu pra entender de uma vez , agora meu shell passou a ser mais útil


Contribuir com comentário