Abrindo arquivos TNEF

Quem nunca abriu o Thunderbird, o Evolution ou outro cliente de email que não o Outlook e se deparou com um anexo chamado "winmail.dat", o qual você não consegue abrir? Neste artigo irei demonstrar como fiz para converter este anexo novamente para o formato enviado pelo remetente.

[ Hits: 26.881 ]

Por: Júlio Henrique em 25/02/2007


Introdução



Você chega pela manhã, abre seu cliente de correio e, anexo em uma mensagem, está um arquivo chamado "winmail.dat".

Você acha que o arquivo veio corrompido... Então, questiona o remetente, e descobre que ele lhe enviou uma planilha, um documento de texto, ou mesmo um inocente JPEG, e não este monstro chamado "winmail.dat". E se ele tentar lhe reenviar o arquivo, lá estará a criatura novamente, sorrindo para você, na sua caixa de entrada.

Ao questionar outra vez o remetente, você descobre que ele utiliza o Microsoft Outlook 2000 (ou outro posterior), enviando emails em formato Rich Text.

Você recorre ao Google e chega ao artigo da Microsoft em http://support.microsoft.com/kb/197064/EN-US/, que o ensina como configurar o Outlook para enviar email em texto puro e, portanto, sem o winmail.dat.

Mas, seria realmente interessante solicitar que todas as pessoas com quem troca email alterassem sua configuração?

Novamente no Google, você descobre alguns utilitários que lêem o arquivo e extraem seu conteúdo. Isso resolve a questão!

Mas você também é o Administrador da Rede. Seria interessante instalar um destes programas nas máquinas dos seus usuários que enfrentassem o mesmo problema?

Mais um programa para suportar, para verificar atualizações... Além disso, estamos aí para facilitar a vida dos usuários... Então, talvez fosse interessante fazer algo no Servidor para que o arquivo já chegasse decodificado aos usuários.

Pois bem: existe um script em Perl que, com alguns módulos, realiza a conversão deste arquivo e entrega o(s) anexo(s) diretamente no email.

O Servidor de Correio utilizado foi o Sendmail, em conjunto com algumas regras simples do Procmail; porém com algumas modificações, acredito que seja possível utilizar outro MTA.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Download do script e instalação dos módulos
   3. Configuração do Procmail
   4. Conclusão e "abaixo assinado"
Outros artigos deste autor

Futuro do software livre após as eleições

Integração MRTG e RRDTool

Monitoração de tráfego com MRTG

Leitura recomendada

A importância do DNS reverso

Sendmail sem complicações

Gerando estatísticas do seu servidor de email utilizando o isoqlog

Usando Spammer e SpamDomains no sendmail

Configurando servidor IMAP

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 25/02/2007 - 16:44h

parabens pelo artigo,vc escreve bem,continue assim

[2] Comentário enviado por removido em 25/02/2007 - 16:46h

ah,tentei aqui,tive alguns programas com o perl,mas ja ta tudo resolvido :)

[3] Comentário enviado por jackson jdr em 18/04/2007 - 22:54h

Muito bom ;)

[4] Comentário enviado por paulorvojr em 13/05/2009 - 12:55h

So a microsoft para complicar a vida, o que estava tudo certo vem ela e complica, concordo que a ideia é boa, os winmail.dat (tnef) é usado para preservar a estrutura da formatação do email, cores, fonte, imagens, anexos tudo, e com isso ele gera um pacote e cria um extensão, so que a mancada ou MARKETING da microsoft é crio uma extensão que somente outlooks 2003, exchanges e outlooks da vida entendem, ai o nosso pobre postfix, sendmail, qmail não entende e temos que criar formas para ajeitar.
Bastava a microsoft ser amiga e criar um tipo de arquivo ou ideia que fosse compativel com tudo, é o que a maioria de softwares livres fazem, a ideia de hoje é compatibilidade e portabilidade, viver isolado da problema.


bom artigo !! uso postfix e ja usava esse método do perl dos cban.com

abraços


Contribuir com comentário