Fim da versão LTS do KDE Neon

1. Fim da versão LTS do KDE Neon

Mário Gomes
Bagepa

(usa Arch Linux)

Enviado em 13/05/2021 - 23:11h

https://blog.neon.kde.org/index.php/2021/04/06/the-end-of-lts-edition/

Há mais de 3 anos, retrocedemos em relação à nossa Edição Plasma LTS. Ele nunca se encaixa perfeitamente na maneira como o neon do KDE funciona como um produto, nem como um projeto. O Plasma ficou preso no passado, enquanto o resto do sistema continuou avançando rapidamente, resultando em uma experiência do usuário menos brilhante e um enorme custo de manutenção. Ao mesmo tempo, sempre foi a edição menos usada.

Consequentemente, decidimos tirar a única conclusão natural e encerrar o suporte para a edição do KDE Neon Plasma LTS em 01-07-2021.

Para usuários que desejam absolutamente usar o Plasma LTS, recomendamos que você olhe para uma das distribuições reais do LTS, como Kubuntu LTS ou openSUSE Leap, que tentam manter um sistema estável como um todo, não apenas o desktop.

Se você preferir ficar com o Neon, o que é claro que preferiríamos, você terá que mudar para a Edição do usuário de Neon normal do KDE. Criamos um guia útil para isso, disponível no Wiki do KDE UserBase - https://userbase.kde.org/Neon/LTS/EOL



  


2. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Ryuk Shinigami
Ryuk

(usa Nenhuma)

Enviado em 14/05/2021 - 09:52h

A versão LTS do plasma é a 5.18, e de fato nunca usei o KDE neon com a versão LTS. O bom do KDE neon é justamente ter as mais recentes novidades do plasma saídas direto do forno... heheh!!!

Gosto do KDE neon pra ficar antenado nas novidades do KDE plasma, que em geral tem trazido diversas melhorias. Mas, infelizmente, isso também tem seus problemas... não dá pra ter garantias de estabilidade. Já tive que fazer reinstalações frequentes desde que comecei a usá-lo há alguns anos.

É um dilema difícil de resolver: ter um sistema atual e menos estável, ou ter estabilidade e ficar de fora das novidades!? :\


3. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 14/05/2021 - 10:03h

Cabe usuário decidir o que mais atende suas necessidades: estabilidade ou novidade?
Eu prefiro estabilidade das versões LTS para usar como distribuição principal
Mas isso não me impede de ter uma partição de testes para instalar as versões não LTS



4. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Ryuk Shinigami
Ryuk

(usa Nenhuma)

Enviado em 14/05/2021 - 10:08h

clodoaldops escreveu:

Cabe usuário decidir o que mais atende suas necessidades: estabilidade ou novidade?
Eu prefiro estabilidade das versões LTS para usar como distribuição principal
Mas isso não me impede de ter uma partição de testes para instalar as versões não LTS


Pois é, também adoto essa prática. Tenho o meu bom e velho Debian "stable" com XFCE numa partição, pro que der e vier. Na outra partição de testes uso distros "instáveis" só pra não perder as novidades! ;)


5. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 14/05/2021 - 10:15h

Aqui eu tenho LinuxMint num HDD e um SSD com 2 partições para testar as instáveis



6. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Mauricio Ferrari
mauricio123

(usa Slackware)

Enviado em 15/05/2021 - 13:40h


Pra mim não vai fazer diferença. Eu uso o KDE mas não o KDE Neon. Pelo que entendi, há muito esforço para manter uma versão que nem é tão usada em relação a outra. Eles só fizeram as contas.

___________________________________________________________
Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento



7. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

LinuxWalker
Delusion

(usa Debian)

Enviado em 15/05/2021 - 16:51h

Ryuk escreveu:
É um dilema difícil de resolver: ter um sistema atual e menos estável, ou ter estabilidade e ficar de fora das novidades!? :\


Acho que o caminho é esse mesmo que você descreveu. Eu também sempre tenho 2, 3 ou mais distros na mesma máquina...
Mas para mim a estabilidade é também um paradoxo. Tanto estabilidade quanto novidade têm seu preço.
Se você tem um sistema rolling (Arch, debian testing, opensuse tumbleweed, etc), não precisa ficar testando cada lançamento de nenhuma distro, pois são apenas snapshots do teu sistema rolling. Por exemplo, o ubuntu é só um "freeze" de algum momento do debian testing + alguns pacotes da unstable. Dessa forma, no sistema rolling as novidades + bugs + resolução de bugs vem normalmente a cada update. E não são tantos assim. Não me lembro a última vez que tive de dar reboot e usar o sistema "estável" porque o debian testing bugou.
Enquanto isso, na versão "estável", também tem bugs não resolvidos, a diferença é que os bugs são conhecidos e já tem gambiarras prontas na rede para contorná-los. Vejo um sistema estável como um sistema previsível; não com ausência de problemas. Por isso, em todo caso, esse conceito só se justifica no contexto de empresas, servidores, ou em hardware bem específico, não no contexto do user doméstico. Para mim o preço mais caro de usar versões "estáveis" de qualquer distro é ficar de fora de funcionalidades. Por exemplo, o xfce 4.16 é bem diferente do 4.14 e por aí vai.
Por tudo isso, já não me importo com o rótulo de um lançamento, se é estável ou não, apenas analiso se estou confortável nele; tanto faz :)


Linux User # 624552


8. Re: Fim da versão LTS do KDE Neon

Mauricio Ferrari
mauricio123

(usa Slackware)

Enviado em 16/05/2021 - 22:48h


Delusion escreveu:

Ryuk escreveu:
É um dilema difícil de resolver: ter um sistema atual e menos estável, ou ter estabilidade e ficar de fora das novidades!? :\


Acho que o caminho é esse mesmo que você descreveu. Eu também sempre tenho 2, 3 ou mais distros na mesma máquina...
Mas para mim a estabilidade é também um paradoxo. Tanto estabilidade quanto novidade têm seu preço.
Se você tem um sistema rolling (Arch, debian testing, opensuse tumbleweed, etc), não precisa ficar testando cada lançamento de nenhuma distro, pois são apenas snapshots do teu sistema rolling. Por exemplo, o ubuntu é só um "freeze" de algum momento do debian testing + alguns pacotes da unstable. Dessa forma, no sistema rolling as novidades + bugs + resolução de bugs vem normalmente a cada update. E não são tantos assim. Não me lembro a última vez que tive de dar reboot e usar o sistema "estável" porque o debian testing bugou.
Enquanto isso, na versão "estável", também tem bugs não resolvidos, a diferença é que os bugs são conhecidos e já tem gambiarras prontas na rede para contorná-los. Vejo um sistema estável como um sistema previsível; não com ausência de problemas. Por isso, em todo caso, esse conceito só se justifica no contexto de empresas, servidores, ou em hardware bem específico, não no contexto do user doméstico. Para mim o preço mais caro de usar versões "estáveis" de qualquer distro é ficar de fora de funcionalidades. Por exemplo, o xfce 4.16 é bem diferente do 4.14 e por aí vai.
Por tudo isso, já não me importo com o rótulo de um lançamento, se é estável ou não, apenas analiso se estou confortável nele; tanto faz :)


Linux User # 624552


É o melhor que se tem a fazer.

___________________________________________________________
Conhecimento não se Leva para o Túmulo.
https://github.com/MauricioFerrari-NovaTrento







Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts