SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional [RESOLVIDO]

1. SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional [RESOLVIDO]

Rafael Coelho de Figueiredo
RafaelFigueiredo

(usa Ubuntu)

Enviado em 30/05/2018 - 13:45h

Pessoal, gostaria de tirar de saber se é melhor instalar um sistema operacional em um SSD SATA 3 ou em um Pendrive 3.0. Atualmente eu não tenho HD no meu notebook e uso o Ubuntu em um pendrive 3.0, mas queria saber se em um SSD o sistema ficaria mais rápido. Pelo que li, um Pendrive 3.0 pode chegar a 600MB/s e um SSD SATA 3 vai chegar entre 500MB/s e 550MB/s. Obrigado!


  


2. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional

Alberto Federman Neto.
albfneto

(usa Sabayon)

Enviado em 30/05/2018 - 13:54h

Olha, a velocidade é quase igual (no uso, não notará 50Ms de diferença) e ambos dispositivos são caros.... pq Pendrives USB 3 são caros.

para uma instalação permanente, eu usaria um SSD interno.... pq SSD é um " tipo de HD".

Agora, para uma instalação portátil, prefira o pendrive. Vantagem é que terá um SO portátil.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: Sabayon, Gentoo, openSUSE, Mageia e OpenMandriva.


3. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional

Eduardo Avila
Eduamaro

(usa Linux Mint)

Enviado em 30/05/2018 - 15:37h

Não amigo.. Usb 3.0 tem uma velcidade PICO TEORICA de 600mb/s. Na prática não passa dos 120mb/s, sendo muito positivo, 200mb/s. Um ssd sata 3 é com certeza muito mais rápido, principalmente em escrita aleatória. (beneficiando o estado quando o sistema está rodando).
Fora que a sata é um controlador dedicado que não sofre influencia de outros periféricos e tem um fornecimento de energia melhor. Fora que pela minha experiencia pessoal os estados de hibernação e suspenção não funcionam em usb, já que o laptop desativa elas nesses estados, como no s3.
Fora que a escrita é mais lenta ainda que a leitura, ou seja deve ser uns 60-100mb/s. Um ssd meia boca, facilmente faz uns 170mb/s de escrita e uns 150mb/s de leitura.
Fora que o emmc do usb (o chip de memória) tem um lifespan (vida-útil) bem menor que o emmc de um ssd, que é preparado para sofrer muito mais escritas e leituras, tendo assim uam vida muito mais longa.

Mas porque não utilizar um hd sata 3? Eles costumam sair bem mais baratos que um ssd, e tem uma vida útil muito maior que qualquer ssd basicamente, e ainda tem muito mais espaço.

Fora que um ssd qualquer costuma ter entre 120 e 240gb, enquanto a maioria dos pendrives usb 3.0 deve ter entre 8 e 64gb e custar muito mais caro.

Se você tiver acesso a um pc com windows, teste um ssd, um hd sata, e um pendrive usb 3.0 com o programa crystal disk mark. Você vai ver que o ssd se sai melhor em escrita, leitura, escrita e leitura aleatória (algo que não é medido na hora de vender os usbs 3.0), escrita em blocos 4k, etc.


4. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional [RESOLVIDO]

Rafael Coelho de Figueiredo
RafaelFigueiredo

(usa Ubuntu)

Enviado em 30/05/2018 - 15:41h

albfneto escreveu:

Olha, a velocidade é quase igual (no uso, não notará 50Ms de diferença) e ambos dispositivos são caros.... pq Pendrives USB 3 são caros.

para uma instalação permanente, eu usaria um SSD interno.... pq SSD é um " tipo de HD".

Agora, para uma instalação portátil, prefira o pendrive. Vantagem é que terá um SO portátil.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: Sabayon, Gentoo, openSUSE, Mageia e OpenMandriva.


Obrigado pela resposta! Mas o que devo considerar de diferente em uma instalação portátil e uma permanente? Apenas a mobilidade? Pq hoje eu prefiro ter total mobilidade do meu sistema operacional.

Mais uma coisa, me falaram algo sobre wear leaving, TLC e sobre desgaste da vida útil do pendrive. Mas já vi falando em alguns sites que mesmo assim demoraria anos para acabar a vida útil do pendrive. Vc poderia me explicar um pouco melhor sobre esses temas?


5. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional

Eduardo Avila
Eduamaro

(usa Linux Mint)

Enviado em 30/05/2018 - 16:00h

RafaelFigueiredo escreveu:

albfneto escreveu:

Olha, a velocidade é quase igual (no uso, não notará 50Ms de diferença) e ambos dispositivos são caros.... pq Pendrives USB 3 são caros.

para uma instalação permanente, eu usaria um SSD interno.... pq SSD é um " tipo de HD".

Agora, para uma instalação portátil, prefira o pendrive. Vantagem é que terá um SO portátil.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: Sabayon, Gentoo, openSUSE, Mageia e OpenMandriva.


Obrigado pela resposta! Mas o que devo considerar de diferente em uma instalação portátil e uma permanente? Apenas a mobilidade? Pq hoje eu prefiro ter total mobilidade do meu sistema operacional.

Mais uma coisa, me falaram algo sobre wear leaving, TLC e sobre desgaste da vida útil do pendrive. Mas já vi falando em alguns sites que mesmo assim demoraria anos para acabar a vida útil do pendrive. Vc poderia me explicar um pouco melhor sobre esses temas?


Então, caso você queira uma certa portabilidade pode comprar uma case usb 3.0, e usar o ssd sata 3 no seu note, e quando for usar fora dele, colocar o ssd na case de hd externo usb 3.0. Eu comprei uma dessas por 11 reais no mercado livre e é muito boa.

Sobre o desgaste, muito dos chips de grandes marcas de pendrives demorariam anos para estragar considerando-se a utilização normal, ou seja, no máximo uma copia de arquivos grandes aqui e alí, sem ficar com muita escrita e leitura simultânea (como um hd e um ssd fazem, com o sistema operacional multitarefas), e também levam em conta a geração de calor de um uso normal. Quando você coloca a instalação no pendrive usb 3.0, cada pequeno processo está basicamente a cada segundo acessando (lendo e escrevendo) várias informações no usb, cada programa que você abre, carrega na ram também, cada informação, arquivo salvo, tudo isso é uma escrita constante no usb, se tiver uma partição swap nele, pior ainda, aí é dado sendo escrito toda hora mesmo e com alta intensidade.
O que ocorre é que você está completando muitos ciclos muito rapidamente, e o calor gerado (mesmo que só internamente, em alguns usbs não sai muito para fora, pois eles não são desenhados para dissipar normalmente muito calor), ele aquece muito e isso vai desgastando o chip dele. Fora que entre copiar ou remover ou ler um arquivo vez ou outra e toda vez que ele for ligado, houver uma escrita e leitura constante tem uma grande diferença em números.

Eu já fiz o teste, na verdade passei 2 anos com dois notes sem hd. O meu principal, um netbook, velho conhecido aqui do fórum, tinha como hd um sandisk usb 3.0 de 32gb. Esse rodava windows sem memória paginada. Durou 8 meses. Ao mesmo tempo eu tinha um pendrive da mesma marca e tamanho com ubuntu 12.,04 (se não me falha a memória), e este durou 1 ano, depois nem na bios reconhecia mais. A mesma coisa com um pendrive hp, também usb 3.0 que usei no outro notebook, um pentium dualcore. Todos tinham uma porta usb 3.0. No segundo sandisk (o que rodava ubuntu), eu tirei todo o plástico da carcaça dele, e o chip em sí, esquentava demais. Não só isso, mas quando eu encostava algo gelado e metálico, como um dissipador ou até uma chave, ele reduzia um pouco a temperatura e parecia ganhar velocidade.

Acabei nessa brincadeira perdendo muitos arquivos e alguns pendrives. Essa discussão é antiga e vem desde a época dos compact flash que a galera instalava windows 2k e windows xp. Porém a maioria não usava tempo suficiente ou só instalava o dos e quase não usava e não se provava muita coisa, diziam que demoraria anos para "fechar" os ciclos dos compact flash. A mesma coisa ocorria.

Esta afirmação que demoraria anos para desgastar o emmc, é referente aos ssds, que de fato durariam uns 5-7 anos com escrita e leitura normal (não moderada, mas nem abusiva). Ou seja, realmente levariam anos para gastar de vez um ssd. Um hd pode durar muito mais se ele não sofrer quedas, choques, temperaturas extremas, etc.

Se você necessita de portabilidade eu recomendaria comprar um ssd de 120gb ou um hd de 1tb (ambos de 2.5''), que acabam saindo o mesmo preço, e uma case para hd externo usb 3.0, como a de 11 reais que comprei. No meu caso eu tenho um ultrabook com um ssd de 120gb, com windows 7 instalado (porque é um saco instalar o windows em usb), um hd de 320gb com kubuntu + uma partição para dados e um outro hd, um de 1tb. Ambos os hds estão em cases de hd externo usb 3.0. Eles tem a portabilidade, durabilidade, e não sofrem de aquecimento. Se eu quiser posso colocar eles de volta nos notebooks de onde vieram e ainda por cima carrego bastante dados aqui.

Um ciclo de leitura/escrita ocorre quando os bits no chip são mudados um certo número de vezes, normalmente associado com o equivalente à você enxer a memória do emmc, e apagar tudo, isso completaria um ciclo (mas pode mudar de fabricante para fabricante). Ou seja digamos que o seu usb tem 32gb. Se você copiar dois arquivos de 16gb e depois apagar eles, lá se vai um ciclo. Com as várias escritas e leituras que o sistema operacional faz, rapidamente se vão ciclos e ciclos.
Normalmente em diversas fabricantes, os usbs quando completam um certo número de ciclos, eles bloqueiam a escrita e ficam read only (apenas leitura) para preservar os seus dados, e não há normalmente como reverter isso, já que eles estariam há alguns ciclos de realmente sumir todos os dados e não escrever nem ler mais.
No caso com os meus sandisks, ambos só pararam de funcionar, com o hp, o linux começou a reclamar que não conseguia escrever e que o sistema estava readonly (nem o navegador funcionava, pois ele "baixa" a página da web, e não havia como escrever), e então eu ví que os seus ciclos úteis tinham chegado no limite da fabricante. Eu fiz backup do que tinha de importante nele e por fim jogquei ele fora mesmo.

Se você cuidar bem do ssd, não ficar compartilhando 100gb de torrents (por exemplo) todos os dias, ele vai durar muitos e muitos anos. E é bom utilizar um sistema operacional que suporte o trimm para manter a velocidade e saúde do emmc por mais tempo. O windows xp, por exemplo não suporta trimm, alguns linuxes muito antigos também não. Porém a maioria, se não todos os sistemas atualizados nos últimos 8 anos, suportam trimm.

Se quiser um caso clássico de problemas com emmc, procure o de celulares android, que costumam usar esse tipo de memória, tanto é que eles ficam bem mais lentos com o tempo, principalmente os celulares da samsung da época do galaxy s2, que vinham com chips emmc afetados pelo chamado "brick bug" onde qualquer comando de apagar os bits (não só sinalizar como livres, mas de fato escrever zeros) poderia engatilhar o problema e todo o emmc perdia toda a memória "brickando" o telefone. A samsung, como sempre ao invés de resolver o problema, só joga um band-aid na rachadura da repreza, ou seja, desativou o trimm nos androids 4.1.2, 4.0, 4.2, 4.3 e 4.4 dela. Aí os celulares, com em torno de 1 anos de uso, se tornavam carroças. Fora isso, os chips insanos (os que sofrem do brick bug), perdiam muito da vida útil pela escrita constante nos mesmos locais (pela falta do trimm e outros comandos que eram removidos) e acabavam morrendo coisa de 2 anos depois.

Eu mesmo tenho um s2 com o chip insano, mas instalei uma custom rom que tem um comando trimm e outros, feitos num algoritmo especial desenvolvido pela galera que fazia essa rom, e ele reduz bastante (mas não elimina) o risco de "brickar" o emmc. Porém esse mesmo s2, já está com o emmc muito gasto, o dono anterior sempre deixou ele com o 4.1.2 da samsung sem trimm, por isso, o emmc está bem gasto, e perdeu bastante velocidade. Talvez ele dure coisa de mais 1-2 anos.


6. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional [RESOLVIDO]

Alberto Federman Neto.
albfneto

(usa Sabayon)

Enviado em 30/05/2018 - 17:50h

A resposta mais correta é a do EduAmaro, não sou especialista. De fato, nem tenho pendrive USB 3 e tenho um só SSD,
Obrigado pelas correções, Edu.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: Sabayon, Gentoo, openSUSE, Mageia e OpenMandriva.


7. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional [RESOLVIDO]

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 30/05/2018 - 18:16h

-tenho um ssd no notebook e roda muito mais rápido que live-usb no pendrive que começa travar após mais de 1-2 horas de uso



8. Re: SSD SATA 3 ou Pendrive 3.0 para Sistema Operacional

Rafael Coelho de Figueiredo
RafaelFigueiredo

(usa Ubuntu)

Enviado em 30/05/2018 - 22:30h

Eduamaro escreveu:

RafaelFigueiredo escreveu:

albfneto escreveu:

Olha, a velocidade é quase igual (no uso, não notará 50Ms de diferença) e ambos dispositivos são caros.... pq Pendrives USB 3 são caros.

para uma instalação permanente, eu usaria um SSD interno.... pq SSD é um " tipo de HD".

Agora, para uma instalação portátil, prefira o pendrive. Vantagem é que terá um SO portátil.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Albfneto,
Ribeirão Preto, S.P., Brasil.
Usuário Linux, Linux Counter: #479903.
Distros Favoritas: Sabayon, Gentoo, openSUSE, Mageia e OpenMandriva.


Obrigado pela resposta! Mas o que devo considerar de diferente em uma instalação portátil e uma permanente? Apenas a mobilidade? Pq hoje eu prefiro ter total mobilidade do meu sistema operacional.

Mais uma coisa, me falaram algo sobre wear leaving, TLC e sobre desgaste da vida útil do pendrive. Mas já vi falando em alguns sites que mesmo assim demoraria anos para acabar a vida útil do pendrive. Vc poderia me explicar um pouco melhor sobre esses temas?


Então, caso você queira uma certa portabilidade pode comprar uma case usb 3.0, e usar o ssd sata 3 no seu note, e quando for usar fora dele, colocar o ssd na case de hd externo usb 3.0. Eu comprei uma dessas por 11 reais no mercado livre e é muito boa.

Sobre o desgaste, muito dos chips de grandes marcas de pendrives demorariam anos para estragar considerando-se a utilização normal, ou seja, no máximo uma copia de arquivos grandes aqui e alí, sem ficar com muita escrita e leitura simultânea (como um hd e um ssd fazem, com o sistema operacional multitarefas), e também levam em conta a geração de calor de um uso normal. Quando você coloca a instalação no pendrive usb 3.0, cada pequeno processo está basicamente a cada segundo acessando (lendo e escrevendo) várias informações no usb, cada programa que você abre, carrega na ram também, cada informação, arquivo salvo, tudo isso é uma escrita constante no usb, se tiver uma partição swap nele, pior ainda, aí é dado sendo escrito toda hora mesmo e com alta intensidade.
O que ocorre é que você está completando muitos ciclos muito rapidamente, e o calor gerado (mesmo que só internamente, em alguns usbs não sai muito para fora, pois eles não são desenhados para dissipar normalmente muito calor), ele aquece muito e isso vai desgastando o chip dele. Fora que entre copiar ou remover ou ler um arquivo vez ou outra e toda vez que ele for ligado, houver uma escrita e leitura constante tem uma grande diferença em números.

Eu já fiz o teste, na verdade passei 2 anos com dois notes sem hd. O meu principal, um netbook, velho conhecido aqui do fórum, tinha como hd um sandisk usb 3.0 de 32gb. Esse rodava windows sem memória paginada. Durou 8 meses. Ao mesmo tempo eu tinha um pendrive da mesma marca e tamanho com ubuntu 12.,04 (se não me falha a memória), e este durou 1 ano, depois nem na bios reconhecia mais. A mesma coisa com um pendrive hp, também usb 3.0 que usei no outro notebook, um pentium dualcore. Todos tinham uma porta usb 3.0. No segundo sandisk (o que rodava ubuntu), eu tirei todo o plástico da carcaça dele, e o chip em sí, esquentava demais. Não só isso, mas quando eu encostava algo gelado e metálico, como um dissipador ou até uma chave, ele reduzia um pouco a temperatura e parecia ganhar velocidade.

Acabei nessa brincadeira perdendo muitos arquivos e alguns pendrives. Essa discussão é antiga e vem desde a época dos compact flash que a galera instalava windows 2k e windows xp. Porém a maioria não usava tempo suficiente ou só instalava o dos e quase não usava e não se provava muita coisa, diziam que demoraria anos para "fechar" os ciclos dos compact flash. A mesma coisa ocorria.

Esta afirmação que demoraria anos para desgastar o emmc, é referente aos ssds, que de fato durariam uns 5-7 anos com escrita e leitura normal (não moderada, mas nem abusiva). Ou seja, realmente levariam anos para gastar de vez um ssd. Um hd pode durar muito mais se ele não sofrer quedas, choques, temperaturas extremas, etc.

Se você necessita de portabilidade eu recomendaria comprar um ssd de 120gb ou um hd de 1tb (ambos de 2.5''), que acabam saindo o mesmo preço, e uma case para hd externo usb 3.0, como a de 11 reais que comprei. No meu caso eu tenho um ultrabook com um ssd de 120gb, com windows 7 instalado (porque é um saco instalar o windows em usb), um hd de 320gb com kubuntu + uma partição para dados e um outro hd, um de 1tb. Ambos os hds estão em cases de hd externo usb 3.0. Eles tem a portabilidade, durabilidade, e não sofrem de aquecimento. Se eu quiser posso colocar eles de volta nos notebooks de onde vieram e ainda por cima carrego bastante dados aqui.

Um ciclo de leitura/escrita ocorre quando os bits no chip são mudados um certo número de vezes, normalmente associado com o equivalente à você enxer a memória do emmc, e apagar tudo, isso completaria um ciclo (mas pode mudar de fabricante para fabricante). Ou seja digamos que o seu usb tem 32gb. Se você copiar dois arquivos de 16gb e depois apagar eles, lá se vai um ciclo. Com as várias escritas e leituras que o sistema operacional faz, rapidamente se vão ciclos e ciclos.
Normalmente em diversas fabricantes, os usbs quando completam um certo número de ciclos, eles bloqueiam a escrita e ficam read only (apenas leitura) para preservar os seus dados, e não há normalmente como reverter isso, já que eles estariam há alguns ciclos de realmente sumir todos os dados e não escrever nem ler mais.
No caso com os meus sandisks, ambos só pararam de funcionar, com o hp, o linux começou a reclamar que não conseguia escrever e que o sistema estava readonly (nem o navegador funcionava, pois ele "baixa" a página da web, e não havia como escrever), e então eu ví que os seus ciclos úteis tinham chegado no limite da fabricante. Eu fiz backup do que tinha de importante nele e por fim jogquei ele fora mesmo.

Se você cuidar bem do ssd, não ficar compartilhando 100gb de torrents (por exemplo) todos os dias, ele vai durar muitos e muitos anos. E é bom utilizar um sistema operacional que suporte o trimm para manter a velocidade e saúde do emmc por mais tempo. O windows xp, por exemplo não suporta trimm, alguns linuxes muito antigos também não. Porém a maioria, se não todos os sistemas atualizados nos últimos 8 anos, suportam trimm.

Se quiser um caso clássico de problemas com emmc, procure o de celulares android, que costumam usar esse tipo de memória, tanto é que eles ficam bem mais lentos com o tempo, principalmente os celulares da samsung da época do galaxy s2, que vinham com chips emmc afetados pelo chamado "brick bug" onde qualquer comando de apagar os bits (não só sinalizar como livres, mas de fato escrever zeros) poderia engatilhar o problema e todo o emmc perdia toda a memória "brickando" o telefone. A samsung, como sempre ao invés de resolver o problema, só joga um band-aid na rachadura da repreza, ou seja, desativou o trimm nos androids 4.1.2, 4.0, 4.2, 4.3 e 4.4 dela. Aí os celulares, com em torno de 1 anos de uso, se tornavam carroças. Fora isso, os chips insanos (os que sofrem do brick bug), perdiam muito da vida útil pela escrita constante nos mesmos locais (pela falta do trimm e outros comandos que eram removidos) e acabavam morrendo coisa de 2 anos depois.

Eu mesmo tenho um s2 com o chip insano, mas instalei uma custom rom que tem um comando trimm e outros, feitos num algoritmo especial desenvolvido pela galera que fazia essa rom, e ele reduz bastante (mas não elimina) o risco de "brickar" o emmc. Porém esse mesmo s2, já está com o emmc muito gasto, o dono anterior sempre deixou ele com o 4.1.2 da samsung sem trimm, por isso, o emmc está bem gasto, e perdeu bastante velocidade. Talvez ele dure coisa de mais 1-2 anos.


Obrigado pela explicação! Super completa!!
Então, não vou mais usar o USB 3.0., mas gostei da ideia do case usb 3.0.

Eu quero mais performance e velocidade, não preciso tanto de espaço.

Eu achei esse teste de comparação bem legal!

http://ssd.userbenchmark.com/Compare/SanDisk-SSD-Plus-240GB-vs-Kingston-A400-240GB/m25612vs3953

Por fim, decidi pegar o SSD Samsung 850 Pro V Nand de 256GB.

Obrigado a todos! Vou fechar o tópico.






Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts