Debian no Exército

1. Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 21/07/2016 - 23:25h

Tive a impressão por um ou dois autores que encontrei de que Debian é usado no Exército.
http://www.novatec.com.br/autores/luizantoniojacquesnoal/

Por que não outra distribuição?



  


2. Re: Debian no Exército

ctw6av
ctw6av

(usa Nenhuma)

Enviado em 21/07/2016 - 23:30h

Algum preconceito contra debian ?

Zueira... acho que por praticidade rsrsrsrs

EDIT: Acho que na politica é usado ubuntu na ultima versão.



----------------------------------------------------------
Debiano com uma pitada de slack
----------------------------------------------------------


3. Re: Debian no Exército

Pythonux
bielinux

(usa Ubuntu)

Enviado em 21/07/2016 - 23:51h

Qual o problema?
Queria que fosse um Windows?


4. Re: Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 01:09h

1. Eu uso Debian.

O problema não é com Debian.
O problema não é com Windows©.

Por que não outra distribuição como Fedora ou openSUSE?
Ou outra não citada.

Servidores Red Hat ou CentOS.
Geralmente as empresas gostam destes.
E os professores dos cursos dizem muito isto.
Não que Exército seja uma área bem aberta.

É uma coisa que faz pensar.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem direita, nem esquerda. Quando se trata de corrupção o Brasil é ambidestro.
(anônimo)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden



5. Re: Debian no Exército

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 02:34h

Vê esse link:
https://www.debian.org/users/gov/exercitobrasileiro


6. Re: Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 02:51h

RLFontan escreveu:

Vê esse link:
https://www.debian.org/users/gov/exercitobrasileiro


Mas isso não muda o fato de não referirem a ele como um sistema voltado mais a empresas.

De fato na LPIC é pedido Debian e um Red Hat like.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem direita, nem esquerda. Quando se trata de corrupção o Brasil é ambidestro.
(anônimo)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden



7. Re: Debian no Exército

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 04:14h

listeiro_037 escreveu:

Mas isso não muda o fato de não referirem a ele como um sistema voltado mais a empresas.



Daí já entra outra questão que sempre me deixou bugado no mundo Linux : se uma distro é tipo "stable" é voltado para empresas? Se é tipo testing é voltado para usuários?


8. Re: Debian no Exército

Rogerio Leiro Fontan
RLFontan

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 04:19h

A propósito, apenas para somar informação, se eu não me engano quem implantou o Debian no exército foi o João Eriberto de Mota Filho, que é envolvido com o Debian até o pescoço.

João Eriberto Mota Filho é oficial de Cavalaria do Exército Brasileiro. Gerente de Rede e de Segurança em Rede do Gabinete do Comandante do Exército. Professor da Pós-graduação em Perícia Digital na Universidade Católica de Brasília (UCB). Autor dos livros Linux & seus servidores (2000), Pequenas redes com Microsoft Windows (2001), Descobrindo o Linux (3a edição em 2012) e Análise de tráfego em redes TCP/IP (2013). Mantenedor Debian, empacotando diversos programas. Membro do time de Forense do Debian.


Fonte: https://novatec.com.br/autores/eribertomota/

Será que o motivo é mais simples do que pensamos?




9. Re: Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 04:38h

Deixei o link do Noal porque nele estava bem explícito a adoção de Debian no parque por iniciativa.
Isto sem contar que ele diz ter passado por várias distros até adotar Debian.
É o que impressiona mais: depois de vários eis o Debian.

Agora quanto ao Eriberto, o link não diz explicitamente que ele implantou apesar dele ser desenvolvedor Debian.
Daí não quis arriscar de dizer que tem dedo dele, apesar de todas as evidências apontarem para tal.
Falta saber quem chegou antes, ele ou o Noal.

Os livros dos dois são ótimos.
Servem para LPIC apesar de não serem orientados para tal.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem direita, nem esquerda. Quando se trata de corrupção o Brasil é ambidestro.
(anônimo)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden



10. Re: Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 08:40h

Eu ouvi falar sobre este livro do Noal ano passado, em uma aula de informática básica sobre Windows aqui perto, mas eu nem fiquei pra ouvir.

Já os livros do Eriberto "Descobrindo o Linux" e suas edições eu já tinha ouvido falar anos atrás, tanto que no meu breve emprego de teacher eu recomendava a trilogia dele para os iniciantes no curso básico de Linux, além de outros materiais.
Realmente são livros muito bons, particularmente eu não cheguei a terminar as duas ultimas edições, mas são livros que abrangem o básico, desde o bem básico mesmo de modo que forneça todo o conhecimento necessário para um usuário comum de Linux (e até mesmo usuários de outros sistemas) poder administrar, configurar e entender mesmo como funciona um Linux.

Como é um material muito extenso desde a primeira edição os alunos não liam nem a metade então consequentemente eu acabava substituindo o material pelo meu bem mais resumido (até porque quem procura esses cursos de Linux aqui na cidade, é só pra ter um "diploma" de curso e por no currículo, os realmente interessados mesmo eram menos de 50/% da classe).

"Iniciou-se em Linux em 1998 com a distribuição Caldera, passou pelas distribuições Slackware e Suse e trabalhou por algum tempo com Red Hat e Conectiva a nível de servidores e com Fedora e Ubuntu em estações de trabalho." ...


Acho que a questão de o Debian ter sido escolhido pelo Noal deve-se ao fato de ser uma distro de fácil uso, uma distro que mesmo o usuário leigo, se pesquisar, estudar e procurar entender consegue instalar e configurar.

Eu posso me equivocar em relação ao que vou dizer agora, mas vejamos... eu não conheço o cara, e nem sei da vida pessoal dele, mas convenhamos que; 18 anos é muito tempo pra conhecer apenas 8 distribuições GNU/Linux, sem comentar também que o Livro dele "Linux para Linuxers" é um livro para iniciantes em Linux abordando alguns aspectos de desktop e server, até ai tudo bem... sem querer desmerecer o superior do cara, mas pra quem mexe com Linux a mais de 10 anos, ter passado apenas por 8 distribuições e escrito um livro para iniciantes abordando os conceitos básicos exclusivamente usando apenas Debian em seus servidores me parece uma pessoa com um conhecimento um tanto limitado, e limitado por opção.

Não que quem use Debian em desktop/server station seja limitado, não é isso que eu quero dizer! Mas, veja só;
para escrever um livro abordando os conceitos básicos na administração/configuração de servidores e falar apenas de Debian é um tanto desanimador, para mim.

O livro seria melhor (eu li algumas partes) se os conceitos básicos fossem difundidos e discutidos para outras distribuições Linux também, como por exemplo os sistemas para servidores mais comuns como CentOS, Red Hat (Fedora Project, Oracle Linux), openSUSE Server, Ubuntu (?), e não só Linux mas Unix-like também como os BSDs mais conhecidos além de outros Unix, e me arrisco a dizer que até mesmo abordar sistemas antigos em um livro atual, como os extintos Solaris (que inclusive, era muito usado em servidores corporativos SPARC e x86 até o ano de 2000/2002) e o atualmente extinto OpenSolaris (que foi baseado no fonte original disponibilizado pela Sun em meados de 2005, visando um sistema software completamente open source, aproximando ainda mais pessoas comuns e corporações de um mundo Unix opensource, descontinuado e esquecido totalmente em 2009 por motivos desconhecidos), com certeza renderia muitas outras páginas interessantes e enriquecedoras também.

Voltando ao assunto Eriberto Debiano HAHA, o ultimo livro dele, o de redes lá (que eu não estou recordando do nome) é um que eu li uns trechos e é um livro que todo estudante de redes recomenda (não só por ser em português e de fácil entendimento), e eu também recomendo a leitura deste livro como base, pra quem sei lá; pensa em fazer algum superior em redes de computadores ou é interessado mesmo. Porque é um livro que trata do básico da administração de redes em sistemas Linux, um conhecimento que se adquiri naturalmente com o interesse e a prática, mas para o iniciante leigo que é interessado e busca conhecimentos que precedem o seu, é um excelente livro.

//EDIT, se algum dia eu for trampar no exército, vou instalar um BSD bem lindo no meu server :)
--
Just bring us some beers, and then we can talk about our systems. :)



11. Re: Debian no Exército

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 22/07/2016 - 11:24h

Agora fiquei na dúvida de qual livro é melhor: o do Noal ou o de servidores do Morimoto.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem direita, nem esquerda. Quando se trata de corrupção o Brasil é ambidestro.
(anônimo)

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden



12. Re: Debian no Exército

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 22/07/2016 - 11:27h

Usou a distribuição cujo implantador do sistema mais se identificava e dominava
Uma sábia escolha na minha opinião





01 02