Qual distro nos falta?

1. Qual distro nos falta?

Marcos Baesse
marcosbaesse

(usa openSUSE)

Enviado em 16/09/2015 - 00:59h

Fala galera!
Ultimamente, é muito simples encontrar 'novas' distros. Mas no geral, elas não se diferenciam muito, apesar disso não subestimar suas utilidades.

Se fossemos sair deste padrão de trocar o 6 por meia dúzia, qual distro vocês acham que seria interessante encontrar no distrowatch hoje?

Minha opinião:
Sei que o SteamOS é voltada pra games, mas também sei que o seu objetivo é incentivar as grandes empresas a portarem seus games pro nosso pinguim, por isso só roda, por padrão, games portados pro Linux.
Mas acho que seria interessante uma distro tendo o wine como foco, uma que já oferecesse o máximo de recursos e configurações instaladas (seria praticamente um windows(wine) sobre o kernel linux) para a pessoa só instalar os jogos da Steam do windows no sistema, sem nem perceber tanto a necessidade de se configurar bibliotecas para o game ser bem emulado.

Bem, e vocês, o que acham que seria necessário como distribuição hoje?


  


2. Re: Qual distro nos falta?

Eris Ribeiro Junior
erisrjr

(usa Arch Linux)

Enviado em 16/09/2015 - 08:00h

MBaesse escreveu:

Fala galera!
Ultimamente, é muito simples encontrar 'novas' distros. Mas no geral, elas não se diferenciam muito, apesar disso não subestimar suas utilidades.


Muitas vezes apenas o tema do desktop, um ou dois softwares e um punhado de scripts obscuros e mal documentados.
Sejamos francos, a maioria das "distribuições" existentes hoje não passam de remasterizações, algo que era feito até mesmo no Windows a alguns anos, onde alguém mudava o tema e lançava um "Windows <Insira um nome qualquer> edition".


Se fossemos sair deste padrão de trocar o 6 por meia dúzia, qual distro vocês acham que seria interessante encontrar no distrowatch hoje?

Qualquer uma das principais distribuições atende bem a maioria dos usuários. Tanto é verdade, que as novas "distribuições", não costumam durar mais que poucos anos e mesmo as que conseguem avançar, não o fazem sem superar muitas dificuldade. Pois além da falta de recursos, no fundo, não existe nelas algo realmente único, que ganhe a simpatia de seus usuários por longa data.

E vejo nisso um dos possíveis motivos do Ubuntu parecer querer ser diferente das demais, viver inventando algo para criar uma identidade, algo que o diferencie do resto. .

Minha lista de sistemas recomendados contem "apenas":
Ubuntu e derivados oficiais (Edubuntu, Xubuntu etc), Linux Mint.
Red Hat, CentOS, Scientific Linux, Fedora.
SUSE/openSUSE
Debian, Knoppix
Mageia
Arch Linux, Gentoo, Slackware

*Isso sem contar os BSD's e algumas poucas distribuições de uso especifico, que possuem boa documentação, politica de segurança e suporte.

Note que algumas das distribuições acima possuem mais de uma versão ou "spins" para instalar em diversos tipos de ambientes e ainda dispõem de repositórios de software muito amplos, de forma que não enxergo situação onde um dos sistemas listados não atenda.
Talvez para usuários com alguma deficiência física, como a visual (Um dos motivos do knoppix fazer parte da minha lista).


Minha opinião:
Sei que o SteamOS é voltada pra games, mas também sei que o seu objetivo é incentivar as grandes empresas a portarem seus games pro nosso pinguim, por isso só roda, por padrão, games portados pro Linux.
Mas acho que seria interessante uma distro tendo o wine como foco, uma que já oferecesse o máximo de recursos e configurações instaladas (seria praticamente um Windows(wine) sobre o kernel linux) para a pessoa só instalar os jogos da Steam do Windows no sistema, sem nem perceber tanto a necessidade de se configurar bibliotecas para o game ser bem emulado.

Bem, e vocês, o que acham que seria necessário como distribuição hoje?


Wine é um recurso interessante, mas ele desestimula o desenvolvimento de aplicações nativas, desenvolvidas especificamente para Linux.
Eu o considero importante, principalmente para ajudar a resolver questões pontuais, mas se tornarem ele uma forma padrão ou muito difundida de instalação de software, o Linux e outros ambientes que usem ele, não passariam de uma forma de proporcionar um ambiente Windows com outro kernel, quase um ReactOS.

O SteamOS é algo legal, mas sera útil mais para as maquinas da Valve e quem queira montar uma Steam Machine, não como um ambiente completo. Eu julgo interessante mesmo é o client rodar em qualquer distro e principalmente, que o Linux aumente seu numero de usuários "gamers", para que haja mais interesse por parte dos desenvolvedores na plataforma.

*Repito o que ja "disse" em outras oportunidades, o que o Linux precisa a esta altura é de investimento em marketing para atrair usuários, e softwares de qualidade para uso geral. No mundo corporativo onde isto existe e com os investimentos da Red Hat, IBM, SUSE e mais recentemente da Canonical, Linux vai muito bem.

Mas falta fazerem o mesmo no desktop, a canonical esta tentando a algum tempo e espero que tenham folego e perseverança até conseguirem. Senão, a coisa só andara quando alguém muito maior resolver encarar o Linux como plataforma para uso geral (Google?), mas se demorar muito, com a aparente grande possibilidade do sistema operacional acabar uma commodity, isso pode não chegar a ocorrer caso a Microsoft resolva abrir o código do Windows ou mesmo o disponibilize gratuitamente, focando em outros softwares e principalmente em serviços.


Respondendo sua pergunta de forma mais direta:

Não falta uma distro "matadora" ou boas opções de ambientes, já temos excelentes opções para quase tudo que você imaginar. Precisamos sim é de mais marketing(Muito) e uma relação melhor, uma integração entre quem produz as distribuições e os interessados em usar Linux como plataforma de desenvolvimento para aplicações diversas, sejam estes empresas ou não.


------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42


3. Re: Qual distro nos falta?

Clodoaldo Santos
clodoaldops

(usa Linux Mint)

Enviado em 16/09/2015 - 08:05h

-como não sou gamer, nem trabalho com edição de audio/video/imagens... para mim que sou um usuário desktop comum... não falta nada... distribuições como ubuntu, fedora e mageia me atendem perfeitamente... 100% satisfeito com meu linuxmint



4. Re: Qual distro nos falta?

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 16/09/2015 - 08:48h

MBaesse escreveu:

Fala galera!
Ultimamente, é muito simples encontrar 'novas' distros. Mas no geral, elas não se diferenciam muito, apesar disso não subestimar suas utilidades.

Se fossemos sair deste padrão de trocar o 6 por meia dúzia, qual distro vocês acham que seria interessante encontrar no distrowatch hoje?

Minha opinião:
Sei que o SteamOS é voltada pra games, mas também sei que o seu objetivo é incentivar as grandes empresas a portarem seus games pro nosso pinguim, por isso só roda, por padrão, games portados pro Linux.
Mas acho que seria interessante uma distro tendo o wine como foco, uma que já oferecesse o máximo de recursos e configurações instaladas (seria praticamente um windows(wine) sobre o kernel linux) para a pessoa só instalar os jogos da Steam do windows no sistema, sem nem perceber tanto a necessidade de se configurar bibliotecas para o game ser bem emulado.

Bem, e vocês, o que acham que seria necessário como distribuição hoje?



Bom dia,

" Mas acho que seria interessante uma distro tendo o wine como foco, uma que já oferecesse o máximo de recursos e configurações instaladas (seria praticamente um windows(wine)."


Deus me livre e guarde disso.....wine!!. O que tiver que fazer no Windows faça, não traga para o Linux. Hoje, quase 0 as coisas que faço por lá. E não quero traze-lo para cá. [ Água e Óleo não se misturam e nem devem!! ]

Olha, isso já existe em "remasterizações". O Ultimate Edition por exemplo é um. Esse derivado do Ubuntu já oferece não só o Wine como muitas outras coisas além de bastante pacotes 'desatualizados'. Esses dias atrás, estive testando a versão 4.2 que é baseada no 14.04 LTS. Tive que desabilitar umas 15 PPAs NATIVAS que haviam sido descontinuadas para evitar erros constantes que apareciam.

Há realmente um "caminhão" de distros como o Eris Ribeiro já vos disse. Porém, mesmo que nasçam novas por aí, duvido que se mantenham.....

Realmente, de mais de 300 distros por aí, apenas umas 10 são "sólidas". O resto é dor de cabeça......infelizmente!!


Att,
Jbaf 2015
Fedora 21,22(MATE), Ubuntu LTS(GNOME 2)
https://getfedora.org/pt_BR/


5. Re: Qual distro nos falta?

Ruan
ru4n

(usa Debian)

Enviado em 16/09/2015 - 09:12h

Não nos falta nenhuma distro; já estamos cheio delas.

O que precisamos é de qualidade de software. Parar de perder tempo fazendo remasterizações e dedicar todo o tempo para aperfeiçoar o que já existe.



6. Re: Qual distro nos falta?

Ruan
ru4n

(usa Debian)

Enviado em 16/09/2015 - 09:35h

[...] E vejo nisso um dos possíveis motivos do Ubuntu parecer querer ser diferente das demais, viver inventando algo para criar uma identidade, algo que o diferencie do resto. . [...]


Esse é um exemplo de baixa qualidade de software. Ao invés da Canonical investir no próprio produto, corrigindo os bugs (que não são poucos), implementando recursos que ainda estão em falta, prefere investir em marketing. Exemplo: o Unity até hoje não oferece possibilidade de criar um atalho para aplicativo no Desktop, obrigando o usuário a recorrer a softwares de terceiros. Claro que ir até /usr/share/applications e arrastar um arquivo .desktop para a área de trabalho resolve o problema, mas isso é deslegante e um usuário novo não saberia onde fica a pasta /usr. Lembrando que para o usuário comum, a INTERFACE É O SISTEMA. Apesar disso, o Unity evoluiu muito desde a sua primeira aparição em 2011. Atualmente, a Canonical só tem foco em smartphones, enquanto o seu produto principal esta largado.



7. Re: Qual distro nos falta?

Francisco Dourado
doradu

(usa elementary OS)

Enviado em 16/09/2015 - 10:42h

doradu escreveu:


bom, pra quem gosta da Microsoft, lá vai:

http://itsfoss.com/microsoft-announces-linux-os/

Miux




Happy april first!!

(olhem a data do post)


8. Re: Qual distro nos falta?

Luís Fernando C. Cavalheiro
lcavalheiro

(usa Slackware)

Enviado em 16/09/2015 - 11:05h

Eu acredito que não nos faltem distros. Temos as estáveis (Slackware, Gentoo, openSUSE), temos as distros para diversão (Fedora, Debian, Mageia) e temos as bugadas (*buntus). Precisa de mais?
--
Luís Fernando Carvalho Cavalheiro
Public GPG signature: 0x246A590B
Só Slackware é GNU/Linux e Patrick Volkerding é o seu Profeta


9. Re: Qual distro nos falta?

LinuxWalker
Delusion

(usa Debian)

Enviado em 16/09/2015 - 11:58h

Concordo que não falta. É preciso apenas melhorar as que já existem. Acredito que, quem tem capacidade, conhecimento e vontade de melhorar distros pode se engajar em qualquer projeto que queira contribuir, pois mesmo aquelas fechadas, como RH ou Suse têm a versão da comunidade.
Além disso, mesmo entre as distros grandes, não há muitas diferenças. Se você tem uma mínima noção de ambiente gráfico, não notará nenhuma diferença entre as mais de 100 remasters.
Apesar disso, acho válido o desenvolvimento e alteração nos ambientes gráficos, mas isso não requer uma nova distro. Veja quantos ambientes o gnome3 pariu. Dos filhos dele eu sou muito fã do cinnamon, apesar de toda a crítica a ele por users mais avançados. Nem por isso preciso usar LinuxMint :P . Mint não é ruim, mas eu namoro outras distros.

bom e produtivo dia a todos!

--------------------------------------------------------------------------
Atualmente fã de: Antergos, Xubuntu, Fedora, Sabayon.



10. Re: Qual distro nos falta?

Perfil removido
removido

(usa Nenhuma)

Enviado em 16/09/2015 - 12:55h

wudze escreveu:

Concordo que não falta. É preciso apenas melhorar as que já existem. Acredito que, quem tem capacidade, conhecimento e vontade de melhorar distros pode se engajar em qualquer projeto que queira contribuir, pois mesmo aquelas fechadas, como RH ou Suse têm a versão da comunidade.
Além disso, mesmo entre as distros grandes, não há muitas diferenças. Se você tem uma mínima noção de ambiente gráfico, não notará nenhuma diferença entre as mais de 100 remasters.
Apesar disso, acho válido o desenvolvimento e alteração nos ambientes gráficos, mas isso não requer uma nova distro. Veja quantos ambientes o gnome3 pariu. Dos filhos dele eu sou muito fã do cinnamon, apesar de toda a crítica a ele por users mais avançados. Nem por isso preciso usar LinuxMint :P . Mint não é ruim, mas eu namoro outras distros.

bom e produtivo dia a todos!


+1
Exato, e bom dia a você também!!! :-)

--------------------------------------------------------------------------
Atualmente fã de: Antergos, Xubuntu, Fedora, Sabayon.




Att,
Jbaf 2015
Fedora 21,22(MATE), Ubuntu LTS(GNOME 2)
https://getfedora.org/pt_BR/


11. Re: Qual distro nos falta?

Eris Ribeiro Junior
erisrjr

(usa Arch Linux)

Enviado em 16/09/2015 - 20:22h

doradu escreveu:

doradu escreveu:


bom, pra quem gosta da Microsoft, lá vai:

http://itsfoss.com/microsoft-announces-linux-os/

Miux




Happy april first!!

(olhem a data do post)


A Microsoft ja teve um Unix por algum tempo, o Xenix. Agora estão trabalhando para adicionar um cliente e servidor SSH nativo ao power shell (Para o futuro Windows Server 2016 acredito). Então, vai que...


------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42


12. Re: Qual distro nos falta?

Eris Ribeiro Junior
erisrjr

(usa Arch Linux)

Enviado em 16/09/2015 - 21:31h

ru4n escreveu:

[...] E vejo nisso um dos possíveis motivos do Ubuntu parecer querer ser diferente das demais, viver inventando algo para criar uma identidade, algo que o diferencie do resto. . [...]


Esse é um exemplo de baixa qualidade de software. Ao invés da Canonical investir no próprio produto, corrigindo os bugs (que não são poucos), implementando recursos que ainda estão em falta, prefere investir em marketing. Exemplo: o Unity até hoje não oferece possibilidade de criar um atalho para aplicativo no Desktop, obrigando o usuário a recorrer a softwares de terceiros. Claro que ir até /usr/share/applications e arrastar um arquivo .desktop para a área de trabalho resolve o problema, mas isso é deslegante e um usuário novo não saberia onde fica a pasta /usr. Lembrando que para o usuário comum, a INTERFACE É O SISTEMA. Apesar disso, o Unity evoluiu muito desde a sua primeira aparição em 2011. Atualmente, a Canonical só tem foco em smartphones, enquanto o seu produto principal esta largado.


O marketing a que me refiro é na verdade para o "grande publico", como as propagandas da Microsoft e Google durante o intervalo do JN aqui e do "Super Bowl" e programas de grande audiência nos Estado Unidos. Não apenas na mídia especializada, onde me parece inclusive, as aparições da Canonical/Ubuntu serem atualmente menores do que eram quando iniciaram o desenvolvimento do Ubuntu. Além disso, as comunidades em torno do Ubuntu, me parecem menos ativas também(Pode ser impressão de um espectador esterno, claro).

A busca deles por uma interface uniforme e mais voltada para dispositivos moveis é uma tendencia que a Microsoft e a Apple também vem seguindo no Windows e OSX/iOS (E o google diz que fara com Android e ChromeOS). Analisando as constantes pesquisas apontando a diminuição das vendas de PC's, me parece uma decisão natural de alguém que esta "de olho" no mercado e não vejo os problemas do Unity maiores que os do Windows ou OSX, que também tem arestas a aparar e estão em constante mudança, mesmo que de forma gradativa.

Outra coisa é a questão da canonical diferenciar seus produtos, mesmo entre os fabricantes de dispositivos com o Android isso ocorre, onde vários possuem interfaces personalizadas. Então eles quererem algo único que identifique e diferencie o Ubuntu, não me parece nada demais também.

Um ponto onde acho que poderiam melhorar bastante, é na relação com empresas e pessoas interessadas em desenvolver e utilizar o Ubuntu em seus negócios. A microsoft por exemplo, possui um forte programa de treinamentos e convênios com muitas instituições de ensino, além de uma enormidade de informações e até mesmo cursos nos sites deles, talvez copiando este modelo a canonical consiga mais pessoas para suportar e desenvolver para o Ubuntu, o tornando um ambiente cada vez menos de nicho e sim de uso geral. Ja que a aparente ideia de apostar que apenas a comunidade de Software Livre bastaria para isso, não foi o suficiente para levar o Ubuntu a um publico grande o suficiente para o destacar entre os usuários comuns, consumidores de tecnologia apenas.




------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42



01 02



Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts