Usando o Linux com o driver VESA

Publicado por Matheus Santana Lima em 22/08/2006

[ Hits: 16.063 ]

 


Usando o Linux com o driver VESA



Estou escrevendo esta dica às 2:30 da manhã para relatar como é simples e fácil a utilização de drivers VESA em sistemas Linux. Mas antes gostaria de contar o porque estou escrevendo este artigo.

Hoje em dia é necessário, mesmo que para fins didáticos, usarmos em alguns casos sistemas operacionais antigos. Mas o grande problema é que muitos deles não reconhecem os hardwares mais novos facilmente, temos como exemplo clássico as placas de vídeo modernas, que não são suportadas pelos sistemas antigos que caíram em desuso. Alguns sistemas operacionais como o Windows, por default, no caso de não reconhecer o dispositivo de vídeo da máquina, carregam a interface gráfica básica através do módulo genérico VESA, que é compatível com quase todas as placas de vídeo atuais. Mas como fazer com que os sistemas Linux carreguem o servidor X através deste driver quando a placa de vídeo não é reconhecida? Simples e este é o foco desta dica.

Para que você entenda como funciona a interface gráfica nos sistemas Unix/Linux, leia abaixo esta explicação.

O X Window System, chamado de X11 ou X, é um sistema gerenciador de janelas que funciona num esquema cliente-servidor. Foi criado no Massachusetts Institute of Tecnology (o mesmo do polêmico laptop de 100 dólares) como um exercício acadêmico no Projeto Athena. Ele funciona assim: existe um servidor que gerencia o display local (vídeo, mouse, teclado) e um cliente, que são programas que utilizam o servidor X para criar a interface para o usuário. Os mais conhecidos no mundo Linux são o KDE, Gnome, WindowMaker e Fluxbox. A comunicação entre cliente e servidor é feita através de um protocolo de rede TCP/IP comum, possibilitando que você processe uma aplicação em uma máquina e a mostre em outro dispositivo. Agora imagine o poder que o X Window tem! E o melhor, ele é multiplataforma!.

Usei para ativar o driver VESA o Conectiva 10, que não reconheceu a placa de vídeo Intel Mobile 915GM/PM/GMS/910GML Express. A primeira coisa que devemos fazer é logarmos como root no console que foi carregado. Lembrando que isto é feito em modo texto. Não foi possível ilustrar estes processos devido ao fato de não ser possível carregar o servidor X.

Depois de logar como root, vá no diretório raiz:

# cd /

E digite:

# X -configure

Será criado o arquivo XF86Config.new no diretório /root/. Este arquivo é um arquivo base, que serve de base para o trabalho de configuração dos drivers do display (vídeo, teclado, monitor e mouse) da máquina.

Agora é necessário substituir o atual arquivo XF86Config, que esta no diretório /etc/X11/, pelo arquivo criado acima. No Conectiva 10 o arquivo de configuração é chamado de XF86Config-4 (isto pode variar de acordo com a sua distribuição, mas provavelmente o nome seja parecido com este). Digite o seguinte no console:

# mv /root/XF86Config.new /etc/X11/XF86Config-4

(mude de acordo com o arquivo de sua distribuição)

O sistema perguntará se você deseja sobrescrever o arquivo existente. Confirme esta opção. Agora para carregar o servidor X:

# startx

E pronto, já temos o KDE rodando numa boa no Conectiva 10.

Espero que esta dica seja útil para que você possa configurar de maneira mais fácil sua interface gráfica, sem ter que ficar quebrando a cabeça no console.

Lembre -se, esta não é uma solução final, procure no site do fabricante o driver ideal para seu hardware. Com este driver não será possível obter o máximo de desempenho de sua placa/dispositivo de vídeo.

Comentem esta dica. Comentários são sempre bem vindos para podermos melhorar a cada dia.


Abraços a todos
Matheus Santana Lima
matheusslima@yahoo.com.br

Outras dicas deste autor

Comandos rápidos para Mozilla/Firefox

Resolvendo problemas com adaptador bluetooth no Ubuntu 9.10

Problema com ícone de rede no Ubuntu 8.10

Problemas com VNC no Ubuntu

Leitura recomendada

Guia VOL: “como encontrar o que eu quero ???”

Cliente X remoto

Ubuntu Budgie 18.04 LTS Released

Criar áreas de trabalho - Ubuntu + Compiz

DSSI-VST: Como rodar instrumentos virtuais VST no Linux

  

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts