Desabilitando o indexador de arquivos Baloo no KDE Plasma

Publicado por Luís Fernando C. Cavalheiro em 21/03/2018

[ Hits: 3.293 ]

Blog: https://github.com/lcavalheiro/

 


Desabilitando o indexador de arquivos Baloo no KDE Plasma



Seres humanos e ubunteiros, aqui começa mais uma Dica do Dino® trazendo para todos vocês a alegria de usar um bom, velho, sujo e fedorento terminal. Hoje eu decidi experimentar o KDE Plasma, já que me fizeram uma propaganda ótima dele, e em menos de uma hora de uso eu notei que o meu Slackware estava tão lento quanto um Debian-like desenvolvido por um astronauta quebrador de sistemas operacionais e cujo o nome significa "eu não sei GNU/Linux" em um idioma africano qualquer. Como um bom Dino®, revirei o computador até descobrir o vilão.

O KDE Plasma possui um serviço de indexação de arquivos chamado Baloo, que é tão gordo, pesado e lento quanto o urso homônimo da animação Disney. Não é de hoje que os usuários reclamam sobre a voracidade que esse serviço possui em consumir recursos de máquina, e não é de hoje que essas reclamações são ignoradas pela equipe do KDE. Aqui no meu computador esse ubunteiro bateu nada mais, nada menos, do que 50% de consumo de RAM e 45% de processamento. O pior que eu não poderia desinstalar esse pedaço de Fedora porque o Dolphin não executa sem ele. Legal, né?

Para a sorte de todos os envolvidos, o Dino® sempre consegue chegar a uma solução simples que envolve o uso casual de um terminal - essa pequena coisa que marca a distinção entre win-users e GNU/linuxers. Enfim, vamos aos procedimentos?

Removendo o Baloo da inicialização automática

Esse é simples. Execute os comandos:

# rm /etc/xdg/autostart/baloo_file.desktop
# touch /etc/xdg/autostart/baloo_file.desktop


O touch é para garantir que o KDE não tente recriar o maldito arquivo.

Modificando o $HOME/.config/baloofilerc

O arquivo $HOME/.config/baloofilerc contém todas as configurações que o Baloo usa. Para desabilitar o indexador de arquivos do Shuttleworth, é preciso apagar o conteúdo do $HOME/.config/baloofilerc e substituir por:

[Basic Settings]
Indexing-Enabled=false

[General]
first run=false

Matando o ser divino de vez

Para finalizar o procedimento, nada como um uso maroto de:

rm -rf ~/.local/share/baloo
$ kill -9 $(pidof baloo_file)
$ kill -9 $(pidof baloo_file_extractor)


Reinicie o computador imediatamente após a execução desses comandos. Voilá! Adeus Baloo!

Conclusão

E é isso, senhores, aqui termina mais uma Dica do Dino®, que deseja a todos vocês um sonoro GET SLACK OR DIE!!!

Outras dicas deste autor

Slackpkg: escolha qual programa usar para fazer o download de dados

Steam no openSUSE 13.2 64 bits sob o Xfce

Desativando o "freeze" no Linux Educacional

Configurando o controle do Xbox no Fedora 21

Traduzindo Firefox para pt_BR no Slackware 14.0

Leitura recomendada

Instalação de placas de vídeo NVIDIA GeForce 9500 GT, Dell E1911b AMD e de quebra o GNOME

Imagem customizada na parte superior do cubo do Compiz

Como extrair arquivos compactados no Debian 7

Configurando o libinput na unha

KDE 4.1.1 no Slackware Linux 12.1 em 3 passos

  

Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts