Criar um pendrive de boot do Linux (Live USB) via terminal

Publicado por Carlos Adriano em 22/03/2016

[ Hits: 40.927 ]

 


Criar um pendrive de boot do Linux (Live USB) via terminal



Saudações!

Muitos programas em modo gráfico de criação de lives USB (pendrives de boot) tem apresentado erros, portanto é uma boa iniciativa executar a tarefa via terminal.

Antes vamos aderir a ideia de que você digitou o comando "sudo su (ubuntu)" ou "su (debian)" e se tornou root no terminal aberto neste exato momento, assim economizamos comandos!

1º passo: identificar o dispositivo.

# fdisk -l

Seu pendrive deve aparecer na lista, de acordo com sua capacidade, exemplo: 8gb deve ter uns 7.5GB como no meu caso.

Feito isso, ele deve ser algo do tipo:
  • /dev/sdb; ou
  • /dev/sdc (no caso de você usar um hd externo ou mais de um pendrive)

2º passo: formatar o dispositivo.

# mkfs.vfat /dev/sdx -I

O x representa a letra de teu dispositivo!

3º passo: certifique-se do caminho da imagem .iso que você irá gravar. Se você está logado no terminal na sua pasta de usuário, dê o comando "ls". Ele irá mostrar se sua .iso já está nesta pasta, se já estiver, prossiga para o próximo passo.

Caso não esteja, para facilitar, copie a imagem para esta pasta ou dê o comando abaixo para saber onde você está navegando no terminal, e cole a imagem nesta pasta.

# pwd

4º passo: gravar a imagem via comando.

Vamos usar dois comandos, o dd e o pv.

No 1º passo tu já identificou o dispositivo usb, no 2º tu o formatou, agora tu vais gravar a imagem para o mesmo destino, que deve ser o caminho abaixo:

/dev/sdx

Mais uma vez, lembrando que o x representa tua unidade a ser gravada.

Comando dd de maneira simples e direta!

# dd if=sua_imagem.iso of=/dev/sdx

Comando pv de forma simples e direta (este comando mostra a barra de progresso):

# pv -EE sua_imagem.iso > /dev/sdx

Recomendações:
  • evite espaços nos nomes das imagens iso, tipo "ubuntu mate 64 bits.iso", dê preferência a "ubuntu_mate_64_bits.iso".
  • identifique com atenção seu dispositivo usb, pois se estiver usando um hd externo e formatar a unidade errada, pode perder seus arquivos!
  • verifique no virtualbox por exemplo, se tua imagem está "dando boot", pois após baixada, ela pode estar corrompida e você nem saber disso.
  • verifique também o MD5SUM do site onde baixou a imagem, assim ajuda conferir a integridade da mesma.
  • caso queira saber mais sobre os comandos, procure, pesquise, leia o manual dos mesmos no terminal, ex.: man pv ou man dd.

Testado com muitas imagens de distribuições Linux.

Outras dicas deste autor

Grub Customizer no Debian, Ubuntu e derivados - Instalação sem PPAs alternativos

USB Audio Controller Adapter no Linux

Login Automático e Grub oculto no Debian

DraftSight - Possível alternativa ao AutoCad

Distro "Redo Backup and Recovery" em live-CD/USB - Backup e Restauração

Leitura recomendada

Como trocar o fundo da tela de login do LTSP do Ubuntu

Instalando o Slackware sem CD

Configurando vídeo no Debian Lenny

Instalando o Eterm sem problemas no Slackware 10

Sombras e transparência real no X11 sem Compiz

  

Comentários
[1] Comentário enviado por erisrjr em 23/03/2016 - 12:48h

Ola.

Como irá sobrescrever o conteúdo do disco com o dd ou pv, não necessita "formatar", criar previamente um sistema da arquivos na unidade. Desta forma o passo não não é necessário.

* Aí uma vantagem de softwares como rufus, Yumi e similares, onde nestes é criado um novo sistema de arquivos e instalado na unidade um gerenciador de boot qualquer, e então os dados da imagem são copiados, criadas entradas no gerenciador de boot, porém como o sistema de arquivos é outro, pode ser maior que o da imagem e mesmo conter vários sistemas.
Ao copiar com dd/pv, tera no disco exatamente o mesmo sistema de arquivos da imagem.
------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42

[2] Comentário enviado por CarlosAdriano em 23/03/2016 - 22:42h

Eu até concordaria com você, mas foi graças a usar os comandos dd e pv diretamente sem antes formatar, que eu tive uma gigantesca dor de cabeça com estes programas em modo gráfico.

Eis aqui o resultado:
https://www.vivaolinux.com.br/topico/Dispositivos-Removiveis/Nao-consigo-criar-um-Live-Usb-em-meu-Ub...
.
.
.
Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[3] Comentário enviado por clodoaldops em 25/03/2016 - 11:52h

Eu só uso DD com pendrive formatado em fat32

[4] Comentário enviado por CarlosAdriano em 26/03/2016 - 11:20h

Pra pendrives eu também uso o DD e PV com pendrive formatado em fat32.
Já pra HDs eu uso o PV ou DD direto, e não tive nenhum problema.
Só não recomendo muito, pois o PV e DD copiam o HD inteiro, o espaço usado e livre,
Pra HDs grandes, isso é muita desvantagem, mas pra partições menores, e até HDs pequenos, dá pra usar sem problema.
.
.
.

Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[5] Comentário enviado por erisrjr em 22/04/2016 - 16:36h

Note que dd, pv, dd_rescue e cia LTDA irão sobrescrever tudo o que existir na unidade de destino, logo perdera tempo com isso.

Faça um teste, antes de usar o dd rode o comando

fdisk -l /dev/sdX
^X= letra da sus unidade.

Agora rode o dd ou pv gravando uma imagem para la, e execute novamente o fdisk -l /dev/sdX

Notou que a estritura do disco esta diferente da que era logo apos o mkfs?
Se preferir, visualize graficamente com o gparted, em cada passo e notara que ira sobrescrever o que tinha no disco, ao usar o dd/pv, e logo, não faz diferença criar um sistema de arquivos para ser destruído em seguida.


Exemplo aqui:
mkfs.vfat /dev/sdf -I

fdisk -l /dev/sdf
Disco /dev/sdf: 7,2 GiB, 7747397632 bytes, 15131636 setores
Unidades: setor de 1 * 512 = 512 bytes
Tamanho de setor (lógico/físico): 512 bytes / 512 bytes
Tamanho E/S (mínimo/ótimo): 512 bytes / 512 bytes
Tipo de rótulo do disco: dos

cd /diretorio/muito/louco
dd if=ubuntu-16.04-desktop-amd64.iso of=/dev/sdf


fdisk -l /dev/sdf
Disco /dev/sdf: 7,2 GiB, 7747397632 bytes, 15131636 setores
Unidades: setor de 1 * 512 = 512 bytes
Tamanho de setor (lógico/físico): 512 bytes / 512 bytes
Tamanho E/S (mínimo/ótimo): 512 bytes / 512 bytes
Tipo de rótulo do disco: dos
Identificador do disco: 0x0e0e8e70

Dispositivo Inicializar Início Fim Setores Tamanho Id Tipo
/dev/sdf1 * 0 2902111 2902112 1,4G 0 Vazia
/dev/sdf2 2888004 2892739 4736 2,3M ef EFI (FAT-12/16/32)


*Note que a partição sdf1 de 1,4G vazia, não esta realmente vazia, ali esta o sistema de arquivos da imagem do Ubuntu


isoinfo -d -i /dev/sdf1


Setting input-charset to 'UTF-8' from locale.
CD-ROM is in ISO 9660 format
System id:
Volume id: Ubuntu 16.04 LTS amd64
Volume set id:
Publisher id:
Data preparer id: XORRISO-1.2.4 2012.07.20.130001, LIBISOBURN-1.2.4, LIBISOFS-1.2.4, LIBBURN-1.2.4
Application id:
Copyright File id:
Abstract File id:
Bibliographic File id:
Volume set size is: 1
Volume set sequence number is: 1
Logical block size is: 2048
Volume size is: 725528
El Torito VD version 1 found, boot catalog is in sector 166

Joliet with UCS level 3 found.
SUSP signatures version 1 found
Rock Ridge signatures version 1 found
Rock Ridge id 'RRIP_1991A'
Eltorito validation header:
Hid 1
Arch 0 (x86)
ID ''
Cksum AA 55 OK
Key 55 AA
Eltorito defaultboot header:
Bootid 88 (bootable)
Boot media 0 (No Emulation Boot)
Load segment 0
Sys type 0
Nsect 4
Bootoff AF6CA 718538


------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42

[6] Comentário enviado por CarlosAdriano em 22/04/2016 - 16:46h

Cara, eu concordo contigo.
Já usei o dd e o pv sem usar o mkfs antes.

Só que quando criei esta dica,
Eu havia acabado de ter um problema com o comando pv e dd,

Eu estava realizando a tarefa normalmente, diretamente com os comandos dd e pv,
E o pendrive não se tornava bootável de maneira nenhuma.

Daí, a idéia de usar o mkfs.vfat pra formatar a unidade antes de usar os comandos dd ou pv nela,
E foi só assim que este procedimento funcionou aqui em 2 pendrives que possuo.

Como eu te disse, eu concordo contigo, pois hoje em dia uso o comando pv e dd para backups,
E utilizo-os sem formatar antes.

Mas eis a questão !

O que eu não consegui entender até hoje, está no tópico abaixo,
Porque que neste caso, os comandos pv e dd não funcionaram sem que eu realizasse a formatação antes ?

Tenta ler este tópico, e explicar o que houve:
https://www.vivaolinux.com.br/topico/Dispositivos-Removiveis/Nao-consigo-criar-um-Live-Usb-em-meu-Ub...


__________________________________________
Quer aprender mais sobre Linux ?
http://www.guiafoca.org/

Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[7] Comentário enviado por rfqueiroz02 em 15/07/2016 - 19:30h

Valeu, me ajudou mto!!

[8] Comentário enviado por DanielDutra em 15/07/2016 - 21:27h

AMigos, boa noite

Fiz o procedimento, varias vezes conforme foi indicado mas quando eu digito o comando dd if=openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso of=/dev/sdb ele demora cerca de mais de 20 minutos e não conclui o processo e acabo tendo que matar o processo no terminal. E quando digito o comando pv -EE openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso > /dev/sdb ele diz o seguinte: pv: invalid option -- 'E'
Tente `pv --help' para maiores informações.

É necessario o pendrive estar desmontado para fazer o processo?

[9] Comentário enviado por CarlosAdriano em 16/07/2016 - 15:37h


[8] Comentário enviado por iniciantegnu em 15/07/2016 - 21:27h

AMigos, boa noite

Fiz o procedimento, varias vezes conforme foi indicado mas quando eu digito o comando dd if=openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso of=/dev/sdb ele demora cerca de mais de 20 minutos e não conclui o processo e acabo tendo que matar o processo no terminal. E quando digito o comando pv -EE openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso > /dev/sdb ele diz o seguinte: pv: invalid option -- 'E'
Tente `pv --help' para maiores informações.

É necessario o pendrive estar desmontado para fazer o processo?



Cara seguindo o tutorial deve dar certo, e o pendrive pode estar montado.

Quanto a demora, o dvd do opensuse é bem grande, e o comando DD é bastante lento mesmo, quanto maior o conteúdo mais vai demorar.

Quanto ao comando pv -EE
Algumas distribuições não aceitam a opção -EE então pode usar só o pv sem esta sítaxe.

[10] Comentário enviado por paulocruzme em 17/01/2017 - 01:08h

muito útil, já que os novos notebooks não vem leitor de cd/dvd.

[11] Comentário enviado por delonhenrique em 07/06/2017 - 01:19h

Obrigado pelo post consegui criar um pendrive funcional depois de 1 dia inteiro tentando, mas, tenho uma dúvida, é possível criar uma área persistente nesse pendrive para poder rodar o Ubuntu Live e não perder minhas configurações downloads etc.?
Se possível como proceder?

Obrigado.

Edit: Na verdade só funcionou o teste de memória, ele apresenta o seguinte erro quando tento entrar pelo LIve:
Booting kernel failed: invalid argument

Usei a distribuição atualmente disponível no site do ubuntu: ubuntu-16.04.2-desktop-amd64.iso

Alguém poderia me ajudar com o erro ou indicar uma distro, mesmo que não seja Ubuntu, que funcione Live no pendrive? (preferencialmente com região persistente, programo em C, seria excelente ter todos meus códigos em um lugar só junto com o sistema operacional).

Obrigado.

[12] Comentário enviado por codgolivre em 03/10/2017 - 23:22h

bela dica sempre uso e da sempre certo...
muito obrigado



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts