Criar um pendrive de boot do Linux (Live USB) via terminal

Publicado por Carlos Adriano em 22/03/2016

[ Hits: 3.805 ]

 


Criar um pendrive de boot do Linux (Live USB) via terminal



Saudações!

Muitos programas em modo gráfico de criação de lives USB (pendrives de boot) tem apresentado erros, portanto é uma boa iniciativa executar a tarefa via terminal.

Antes vamos aderir a ideia de que você digitou o comando "sudo su (ubuntu)" ou "su (debian)" e se tornou root no terminal aberto neste exato momento, assim economizamos comandos!

1º passo: identificar o dispositivo.

# fdisk -l

Seu pendrive deve aparecer na lista, de acordo com sua capacidade, exemplo: 8gb deve ter uns 7.5GB como no meu caso.

Feito isso, ele deve ser algo do tipo:
  • /dev/sdb; ou
  • /dev/sdc (no caso de você usar um hd externo ou mais de um pendrive)

2º passo: formatar o dispositivo.

# mkfs.vfat /dev/sdx -I

O x representa a letra de teu dispositivo!

3º passo: certifique-se do caminho da imagem .iso que você irá gravar. Se você está logado no terminal na sua pasta de usuário, dê o comando "ls". Ele irá mostrar se sua .iso já está nesta pasta, se já estiver, prossiga para o próximo passo.

Caso não esteja, para facilitar, copie a imagem para esta pasta ou dê o comando abaixo para saber onde você está navegando no terminal, e cole a imagem nesta pasta.

# pwd

4º passo: gravar a imagem via comando.

Vamos usar dois comandos, o dd e o pv.

No 1º passo tu já identificou o dispositivo usb, no 2º tu o formatou, agora tu vais gravar a imagem para o mesmo destino, que deve ser o caminho abaixo:

/dev/sdx

Mais uma vez, lembrando que o x representa tua unidade a ser gravada.

Comando dd de maneira simples e direta!

# dd if=sua_imagem.iso of=/dev/sdx

Comando pv de forma simples e direta (este comando mostra a barra de progresso):

# pv -EE sua_imagem.iso > /dev/sdx

Recomendações:
  • evite espaços nos nomes das imagens iso, tipo "ubuntu mate 64 bits.iso", dê preferência a "ubuntu_mate_64_bits.iso".
  • identifique com atenção seu dispositivo usb, pois se estiver usando um hd externo e formatar a unidade errada, pode perder seus arquivos!
  • verifique no virtualbox por exemplo, se tua imagem está "dando boot", pois após baixada, ela pode estar corrompida e você nem saber disso.
  • verifique também o MD5SUM do site onde baixou a imagem, assim ajuda conferir a integridade da mesma.
  • caso queira saber mais sobre os comandos, procure, pesquise, leia o manual dos mesmos no terminal, ex.: man pv ou man dd.

Testado com muitas imagens de distribuições Linux.

Outras dicas deste autor

DraftSight - Possível alternativa ao AutoCad

CentOS 7: configurando autologin

Distro "Redo Backup and Recovery" em live-CD/USB - Backup e Restauração

Login Automático e Grub oculto no Debian

Remover Chaveiro de Sessão no Debian 8.3 Jessie Cinnamon

Leitura recomendada

Adicionando seu usuário no arquivo sudoers

Solução para problema com a troca de temas de cursor no Ubuntu

Desativando "saudação de três dedos" (Ctrl+ Alt+Del) em distribuições que usam Upstart

Resolvendo erro ao iniciar o KDE no Slackware 13.37

Bug no controle de volume XFCE 4.4

  

Comentários
[1] Comentário enviado por erisrjr em 23/03/2016 - 12:48h

Ola.

Como irá sobrescrever o conteúdo do disco com o dd ou pv, não necessita "formatar", criar previamente um sistema da arquivos na unidade. Desta forma o passo não não é necessário.

* Aí uma vantagem de softwares como rufus, Yumi e similares, onde nestes é criado um novo sistema de arquivos e instalado na unidade um gerenciador de boot qualquer, e então os dados da imagem são copiados, criadas entradas no gerenciador de boot, porém como o sistema de arquivos é outro, pode ser maior que o da imagem e mesmo conter vários sistemas.
Ao copiar com dd/pv, tera no disco exatamente o mesmo sistema de arquivos da imagem.
------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42

[2] Comentário enviado por CarlosAdriano em 23/03/2016 - 22:42h

Eu até concordaria com você, mas foi graças a usar os comandos dd e pv diretamente sem antes formatar, que eu tive uma gigantesca dor de cabeça com estes programas em modo gráfico.

Eis aqui o resultado:
https://www.vivaolinux.com.br/topico/Dispositivos-Removiveis/Nao-consigo-criar-um-Live-Usb-em-meu-Ub...
.
.
.
Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[3] Comentário enviado por clodoaldops em 25/03/2016 - 11:52h

Eu só uso DD com pendrive formatado em fat32

[4] Comentário enviado por CarlosAdriano em 26/03/2016 - 11:20h

Pra pendrives eu também uso o DD e PV com pendrive formatado em fat32.
Já pra HDs eu uso o PV ou DD direto, e não tive nenhum problema.
Só não recomendo muito, pois o PV e DD copiam o HD inteiro, o espaço usado e livre,
Pra HDs grandes, isso é muita desvantagem, mas pra partições menores, e até HDs pequenos, dá pra usar sem problema.
.
.
.

Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[5] Comentário enviado por erisrjr em 22/04/2016 - 16:36h

Note que dd, pv, dd_rescue e cia LTDA irão sobrescrever tudo o que existir na unidade de destino, logo perdera tempo com isso.

Faça um teste, antes de usar o dd rode o comando

fdisk -l /dev/sdX
^X= letra da sus unidade.

Agora rode o dd ou pv gravando uma imagem para la, e execute novamente o fdisk -l /dev/sdX

Notou que a estritura do disco esta diferente da que era logo apos o mkfs?
Se preferir, visualize graficamente com o gparted, em cada passo e notara que ira sobrescrever o que tinha no disco, ao usar o dd/pv, e logo, não faz diferença criar um sistema de arquivos para ser destruído em seguida.


Exemplo aqui:
mkfs.vfat /dev/sdf -I

fdisk -l /dev/sdf
Disco /dev/sdf: 7,2 GiB, 7747397632 bytes, 15131636 setores
Unidades: setor de 1 * 512 = 512 bytes
Tamanho de setor (lógico/físico): 512 bytes / 512 bytes
Tamanho E/S (mínimo/ótimo): 512 bytes / 512 bytes
Tipo de rótulo do disco: dos

cd /diretorio/muito/louco
dd if=ubuntu-16.04-desktop-amd64.iso of=/dev/sdf


fdisk -l /dev/sdf
Disco /dev/sdf: 7,2 GiB, 7747397632 bytes, 15131636 setores
Unidades: setor de 1 * 512 = 512 bytes
Tamanho de setor (lógico/físico): 512 bytes / 512 bytes
Tamanho E/S (mínimo/ótimo): 512 bytes / 512 bytes
Tipo de rótulo do disco: dos
Identificador do disco: 0x0e0e8e70

Dispositivo Inicializar Início Fim Setores Tamanho Id Tipo
/dev/sdf1 * 0 2902111 2902112 1,4G 0 Vazia
/dev/sdf2 2888004 2892739 4736 2,3M ef EFI (FAT-12/16/32)


*Note que a partição sdf1 de 1,4G vazia, não esta realmente vazia, ali esta o sistema de arquivos da imagem do Ubuntu


isoinfo -d -i /dev/sdf1


Setting input-charset to 'UTF-8' from locale.
CD-ROM is in ISO 9660 format
System id:
Volume id: Ubuntu 16.04 LTS amd64
Volume set id:
Publisher id:
Data preparer id: XORRISO-1.2.4 2012.07.20.130001, LIBISOBURN-1.2.4, LIBISOFS-1.2.4, LIBBURN-1.2.4
Application id:
Copyright File id:
Abstract File id:
Bibliographic File id:
Volume set size is: 1
Volume set sequence number is: 1
Logical block size is: 2048
Volume size is: 725528
El Torito VD version 1 found, boot catalog is in sector 166

Joliet with UCS level 3 found.
SUSP signatures version 1 found
Rock Ridge signatures version 1 found
Rock Ridge id 'RRIP_1991A'
Eltorito validation header:
Hid 1
Arch 0 (x86)
ID ''
Cksum AA 55 OK
Key 55 AA
Eltorito defaultboot header:
Bootid 88 (bootable)
Boot media 0 (No Emulation Boot)
Load segment 0
Sys type 0
Nsect 4
Bootoff AF6CA 718538


------------------------------------------------------
KISS principle, RTFM and STFW = 42

[6] Comentário enviado por CarlosAdriano em 22/04/2016 - 16:46h

Cara, eu concordo contigo.
Já usei o dd e o pv sem usar o mkfs antes.

Só que quando criei esta dica,
Eu havia acabado de ter um problema com o comando pv e dd,

Eu estava realizando a tarefa normalmente, diretamente com os comandos dd e pv,
E o pendrive não se tornava bootável de maneira nenhuma.

Daí, a idéia de usar o mkfs.vfat pra formatar a unidade antes de usar os comandos dd ou pv nela,
E foi só assim que este procedimento funcionou aqui em 2 pendrives que possuo.

Como eu te disse, eu concordo contigo, pois hoje em dia uso o comando pv e dd para backups,
E utilizo-os sem formatar antes.

Mas eis a questão !

O que eu não consegui entender até hoje, está no tópico abaixo,
Porque que neste caso, os comandos pv e dd não funcionaram sem que eu realizasse a formatação antes ?

Tenta ler este tópico, e explicar o que houve:
https://www.vivaolinux.com.br/topico/Dispositivos-Removiveis/Nao-consigo-criar-um-Live-Usb-em-meu-Ub...


__________________________________________
Quer aprender mais sobre Linux ?
http://www.guiafoca.org/

Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.
(Provérbios 3:5)

[7] Comentário enviado por rfqueiroz02 em 15/07/2016 - 19:30h

Valeu, me ajudou mto!!

[8] Comentário enviado por DanielDutra em 15/07/2016 - 21:27h

AMigos, boa noite

Fiz o procedimento, varias vezes conforme foi indicado mas quando eu digito o comando dd if=openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso of=/dev/sdb ele demora cerca de mais de 20 minutos e não conclui o processo e acabo tendo que matar o processo no terminal. E quando digito o comando pv -EE openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso > /dev/sdb ele diz o seguinte: pv: invalid option -- 'E'
Tente `pv --help' para maiores informações.

É necessario o pendrive estar desmontado para fazer o processo?

[9] Comentário enviado por CarlosAdriano em 16/07/2016 - 15:37h


[8] Comentário enviado por iniciantegnu em 15/07/2016 - 21:27h

AMigos, boa noite

Fiz o procedimento, varias vezes conforme foi indicado mas quando eu digito o comando dd if=openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso of=/dev/sdb ele demora cerca de mais de 20 minutos e não conclui o processo e acabo tendo que matar o processo no terminal. E quando digito o comando pv -EE openSUSE-Leap-42.1-DVD-x86_64.iso > /dev/sdb ele diz o seguinte: pv: invalid option -- 'E'
Tente `pv --help' para maiores informações.

É necessario o pendrive estar desmontado para fazer o processo?



Cara seguindo o tutorial deve dar certo, e o pendrive pode estar montado.

Quanto a demora, o dvd do opensuse é bem grande, e o comando DD é bastante lento mesmo, quanto maior o conteúdo mais vai demorar.

Quanto ao comando pv -EE
Algumas distribuições não aceitam a opção -EE então pode usar só o pv sem esta sítaxe.



Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts