"A VERDADE" sobre PC Chips e ECS

Publicado por Sergio Teixeira - Linux User # 499126 em 18/11/2009

[ Hits: 20.166 ]

 


"A VERDADE" sobre PC Chips e ECS



Tenho assistido a inúmeras discussões envolvendo essas duas marcas e me senti na obrigação de desmistificar esse assunto por vezes tão polêmico.

Fabricando placas-mãe voltadas a um mercado que visa baixos custos (também chamado de "low end"), essas duas indústrias conseguiram para si uma posição praticamente imbatível.

Realmente, ninguém consegue um "computador de pobre" por um preço melhor, onde a economia por vezes é maior que R$ 150,00 apenas na placa-mãe (com o que se economiza apenas nesse item, já dá para comprar uma webcam razoável, um mouse e um teclado medianamente robustos).

Quando falamos em computador de pobre estamos longe de pretender desprestigiar essas empresas. Na verdade, quem tem uma utilização básica de um computador (navegar na internet, editar textos, fazer planilhas) realmente não precisa de um equipamento "topo de linha", e é exatamente aí que se destacam PC Chips e ECS, duas organizações de respeito no mercado mundial.

Entre termos um Rolls Royce, uma Ferrari, uma Lamborghini ou um Fusca para usar no dia a dia, o mais lógico será optarmos pelo velho Fusca, apesar de todos esses automóveis terem 4 rodas, motor, cabine, bancos, volante, câmbio e uma porção de outras coisas em comum.

Muitos usuários e até mesmo técnicos e montadores preferem a ECS em detrimento da PC Chips, ou vice versa. Mas a realidade é que quando uma dessas coirmãs lança uma motherboard, a outra lança outra rigorosamente igual, porém com uma nomenclatura diferente, um verniz de cor diferente e peças plásticas de coloração diferente.

Esse fenômeno se torna evidente no momento em que precisamos baixar a BIOS de uma motherboard PC Chips e ficamos engasgados com o site deles, muito pouco atencioso, e que demora demais para carregar (sobretudo em conexão discada).

O melhor site da PC Chips é o americano (www.pcchipsusa.com) e não o da ilha de Formosa (www.pcchips.com.tw), mas o ideal mesmo é ir direto ao site da ECS, formalmente "Elitegroup Computer Systems" (www.ecs.com.tw)

Vejam dois exemplos de equivalência direta:

A PC Chips P17G-1333 é rigorosamente a ECS 945GCT-M21333; E a veterana M810DLU é a mesma ECS K7-SOM+

Essas placas usam chipsets da SIS (Silicon Integrated System), e por esse motivo muitas vezes são chamadas de "placas SIS" (da mesma forma que muitos usuários dizem que têm um computador SAMSUNG, por causa da marca do monitor...).

Não é fácil conseguir uma tabela de equivalência entre motherboards dessas empresas. Todavia existem compatibilidades em mais de 90% das placas fabricadas por ambas. Percebe-se que são compatíveis simplesmente ao compará-las a olho nu (o layout é o mesmo, o chipset é o mesmo, as características elétricas são as mesmas). E, é claro, através de um bom e confiável benchmark.

Um técnico de hardware ou montador experiente saberá de outras equivalências, além dessas que estou apontando aqui. E se observarmos bem os próprios sites, apesar das cores serem diferentes, constataremos que até mesmo o template é bem parecido...

Outras dicas deste autor

Mais uma mini-distribuição: SliTaz GNU/Linux

Usando o Rosegarden no Basic Linux (BL3)

Brincando com HTML - tag MARQUEE

Brincando com HTML - Jogo dos carrinhos

Um pouco sobre bits e bytes

Leitura recomendada

Proteção simples de CPUs e equipamentos eletrônicos contra maresia

Alterando o tamanho das fontes dos navegadores

Proteção do hardware

Overclock em placas de vídeo NVIDIA

Utilizando o plano GPRS da Claro no Linux

  

Comentários
[1] Comentário enviado por luizvieira em 18/11/2009 - 06:44h

E interessante notar, por experiencia propria, que mesmo com usuarios que utilizam seus micros para o basico: internet, planilha, textos e etc, ja tive problema demais com placas PC Chips. O normal era, depois de seis meses que o a pessoa comprava o computador, invariavelmente me procurava com sua placa mae queimada...
Infelizmente so posso considerar isso baixa qualidade dos componentes e metodologia empregadas em sua manufatura.
Muito bom o artigo, e realmente isso ocorre: por conta do valor, a maioria dos usuarios prefere um computador mais barato em detrimento da qualidade (chamo isso de economia burra).

[2] Comentário enviado por removido em 18/11/2009 - 07:02h

Salve Teixeira! Eu venho instalando Linux há quase 10 anos em pcs com essas placas, notadamente as 598 (K6-2) e 748 (Celeron/PIII) e não posso reclamar. Vejo as ASUS e Gigabyte com melhores olhos, mas estas PCChips nunca me deixaram na mão. Aliás, o PC de mãe, que agora roda Ubuntu 9.04, montei em 2004, com uma PCChips, tá lá orgulhosão até hoje, com mais memória, o mesmo HD e mesmo processador, e com um sistema operacional melhor... :-)

Tenho um amigo que me trará um Desknote da ECS (na prática é um notebook sem bateria, por isso desknote -- igual meu Dell, sem bateria rsrs) para instalarmos o UKK para ele (consegui converter mais um rsrs).

É como você disse... Pro dia a dia, elas são boas, não adianta querer forçar pra outra coisa.

PS. Eu tenho um Fusca...rsrs

[3] Comentário enviado por Teixeira em 18/11/2009 - 08:52h

Um cuidado muito grande que se deve ter nao e` exatamente com a QUALIDADE das placas Pc Chips ou ECS de primeira linha, mas sim com os REFUGOS encontrados notadamente no Paraguai, aonde chegam produtos refugados pelos fabricantes, e que sao vendidos nos Estados Unidos em grandes lotes para a latinoamerica ( traducao filosofica = "banana republics" ).

A maioria dessas placas de baixa qualidade ( e ate` defeituosas ) chega ate` nos "por baixo" da Ponte da Amizade ( via bote ).
Temos de considerar que o montador que adquire placas refugadas o faz com a nitida intencao de economizar - ele mesmo - o maximo possivel. Entao ele economizara` tambem na fonte, no HD, nas memorias, no processador, no cooler, na ventuinha, fazendo desse conjunto o maior balaio-de-gato possivel.

No entanto, as placas de origem legitima, ja distribuidas diretamente em nosso pais sao plenamente confiaveis.
Tanto que a Pc Chips comecou a distribuir por aqui tambem seus produtos voltados para o mercado "high-end".
Infelizmente, com a pesadissima carga tributaria tupiniquim nao da` para manter precos competitivos.

A proposito, tambem no Paraguai se podem encontrar produtos de primeira linha.
Mas tem de procurar, senao...

[4] Comentário enviado por albfneto em 18/11/2009 - 10:23h

Já tive um micro com uma PC Chips razoável.

O problema é a dificuldade de ativar 3D nos chipsets VIA ou SIS, mas Linux 2D até dá, fica bonito, só não tem aquelas firulas e enfeites, que por sinal eu gosto, como mostram meus screennshots.

agora tenho um config bem mais hi-tech,já tem uns dois anos,mas funciona, e'uma asus com nvidia 8600 GT off board, Athlon X2 duplo núcleo, dois anos, mas tem performance e roda tudo inclusive 3D, jogos, cálculos.

[5] Comentário enviado por aroldobossoni em 18/11/2009 - 21:23h

Pra mim ECS e PC Chips ñ quero nem dado. se ganhar eu vendo e com uma placa de outra marca usada. Não é simplesmente por ter elas um desempeno baixo é por darem muito defeito mesmo. Miséria pouca é besteira ou compro um produto que me atende ou não compro.

Sei que tem muita gente que discorda completamente de mim, por isso que ainda se vende muitas dessas placas. Respeito as diversas opiniões. Porem essa é a minha.

OBS: Já tive mais de 20 placas desses e tive muita dor de cabeça.

[6] Comentário enviado por junior.corazza em 18/11/2009 - 21:29h

na verdade a PCChips é uma segunda linha da ECS, eu tambem uso bastante essas placas... mas se voce perceber bem o ECS tem um pouco mais de qualidade nos capacitores, trilhas e afins. NA verdade a ECS está fazendo otimas placas, alguma aprovadas pelo site "Clube do Hardware" que é bem enjoado pra aprovar essas placas. Existe tambem uma fabricante brasileira chamada PHITRONICS que pega as placas da Pcchips/ECS, colokam uma cor e um nome diferente e vende aki no Brasil por um preço bem razoavel, particularmente eu adorei... montei uma lan-house e usei 12 placas dessas e acreditem fazem mais de 2 anos e nunca tive um problema sequer! O modelo usado foi a AM2N1K-M.

[7] Comentário enviado por lcnrj em 19/11/2009 - 11:40h

Uso uma PC Chips modelo A15g, com o ubuntu 8.04 compiz ativado vuze e amarok com uso initerruptos, firefox um em cada face do cubo. Antigamente comprava placas de marcas melhores ( como Abit KT&A-Raid e asus ) , mas pro que eu uso não faz muita diferença. Prefiro investir em HD e internet.
A instalação do linux foi instantenea incluindo o driver nvidia.

[8] Comentário enviado por dbahiaz em 19/11/2009 - 23:21h

Já tive uma ECS, e graças a Deus conseguir passar pra frente rss. Não que estava com problemas... mais sinceramente essas placas são capadas de tudo, o desempenho era horrivel, nem atualizar bios resolve, pra não jogar fora vendi a preço de banana e comprei uma DFI, que já esta indo pro ano 4, com over e tudo.

[9] Comentário enviado por rogeriojlle em 20/11/2009 - 02:29h

.... mas sim com os REFUGOS encontrados notadamente no Paraguai, aonde chegam produtos refugados pelos fabricantes ...

Alguém já viu "refugo" da HP ou Dell ?

Vendem produtos sabidamente defeituosos e querem alegar mais o que?

[10] Comentário enviado por Teixeira em 21/11/2009 - 21:00h

No caso da Dell e da HP (e outros) existem os produtos chamados comercialmente de "refurbushed";
Esse termo complicado significa no frigir dos ovos tratar-se de produto recuperado geralmente pela fábrica ( no popular: "GUARIBADO" ).

Produtos "recuperados" comumente encontrados no mercado a preços convidativos são impressoras, cartuchos de toner e de inkjet, monitores de video (existe uma marca famosíssima que no princípio trabalhava exclusivamente com refurbished materials, e sempre foi considerada pelos tupiniquins como sendo "a melhor" marca de monitores de video - Adivinhem qual é?...).

Eu tinha um "tio-torto" que recuperava baralhos usados em cassinos. Os jogadores costumavam fazer pequenas marcas com a unha na beirada das cartas interessantes. Aí ele aparava, limpava com benzina, reembalava e revendia (hmm... será que eram "refurbished playing cards"?).

Existem até mesmo roupas recuperadas e vendidas como novas, nos Estados Unidos. Aqui noissa legislação é mais apertada. O que não significa que não haja também um jeitinho brasileiro para contornar as coisas...



Contribuir com comentário