Xen - xl.conf - Configuração do Host

Esse artigo é a tradução livre sobre o arquivo de configuração xl.conf. Esse arquivo é o local para armazenar as configurações sobre as opções da pilha de ferramentas (toolstack) utilizada por xl conforme versão 4.5.

[ Hits: 2.357 ]

Por: Perfil removido em 23/11/2015


xl.conf



Sintaxe:

Esse arquivo de configuração consiste de uma série de valores do tipo chave=valor. O campo valor pode assumir os seguintes tipos:
  • "STRING" - Uma cadeia de caracteres, limitada por aspas simples ou duplas.
  • NUMBERS - Um valor numérico representado em decimal, em octal (usando o prefixo 0) ou hexadecimal (usando o prefixo 0x).
  • BOOLEAN - Um número que representa falso (0) ou verdadeiro (qualquer outro valor inteiro).
  • [VALUE, VALUE, ...] - uma lista de valores dos tipos acima. Listas devem ser homogêneas e não podem ser aninhadas.

Opções:

autoballon="off" | "on" | "auto"
  • Quando ativado (on) xl reduzirá automaticamente o total de memória do domínio zero em favor de outros domínios.
  • Quando desativado (off) xl não reduzirá a memória do dom0.
  • Quando definido como auto o gerenciamento da memória (auto-ballooning) será desativado se a opção dom0_mem foi fornecida na linha de comando. Se você usa a opção dom0_mem deliberadamente, configure autoballon para auto ou off para evitar conflitos.

run_hotplug_scripts=BOOLEAN - Se os scripts hotplug são desativados eles serão chamados por udev, tal como era em versões anteriores. Com essa opção ativada os scripts hotplug são lançados diretamente por xl.

lockfile="PATH" - Define o caminho do arquivo de travamento utilizado por xl para serializar certas operações. O padrão é /var/lock/xl.

vif.default.script="PATH" - Configura o caminho do script utilizado por hotplug para definir dispositivos de rede virtuais. O padrão é /etc/xen/scripts/vif-bridge.

vif.default.bridge="NAME" - Configura o nome do dispositivo de ponte (bridge) utilizado para definir dispositivos de rede virtuais. O padrão é xenbr0.

vif.default.backend="NAME" - Configura o nome do back-end utilizado por dispositivos de rede virtuais. O padrão é 0.

vif.default.gatewaydev="NAME" - Configura o gateway padrão utilizado pelos dispositivos de rede virtuais. O padrão é none.

remus.default.netbufscript="PATH" - Configura o script padrão utilizado por Remus para gerenciar/configurar o buffer de rede. O padrão é: /etc/xen/scripts/remus-netbuf-setup.

output_format="json | sxp" - Configura o formato padrão utilizado por xl quando estiver "imprimindo" as definições de uma máquina virtual. O padrão é JSON. O formato legado SXP - S-Expression-like é uma alternativa.

blkdev_start="NAME" - Configura o nome do primeiro dispositivo de bloco utilizado para alocar temporariamente a pilha de ferramentas. O padrão é xvda.

claim_mode=BOOLEAN - Se essa opção estiver ativa quando o visitante é criado garantirá que a memória estará disponível para o visitante. Esse é um problema agudo em hosts com memória provisionada além da real e usam tmem ou possuem self-ballon ativado (esse é o padrão). O mecanismo de self-ballon pode inflar ou esvaziar o balão de memória de modo muito rápido, e o total de memória livre (que pode ser consultado com xl info) não pode ser corretamente determinado. Quando reivindicação (claim) de memória está ativa, uma reserva de memória é configurada. Isso, por si só, já reduz a memória dos domínios e pode fazer com que o valor disponível chegue a zero. Deste modo, se a reserva não pôde ser feita a criação de novos visitantes falha imediatamente.

Observe que, para ativar visitantes que usam tmem é necessário provê tmem no hypervisor e também na linha de comando do kernel Linux.

Observe que se a reclamação (claim) não ocorre se a opção superpages for utilizada na configuração do visitante. Consulte xl.cfg(5). O padrão é ativado (1).
  1. Nenhuma reclamação é feita. A memória é povoada durante a criação do visitante e pode falhar se estiver exaurida.
  2. A memória normal e um pool de páginas efêmeras (tmem) é utilizado quando calculando se há ou não memória suficiente para lançar um visitante. Isso garante um retorno imediato se há ou não memória.

Grato,
Kyetoy

   

Páginas do artigo
   1. xl.conf
Outros artigos deste autor

Montando o cache de DNS

Funtoo Linux - Arquivo /etc/boot.conf

Linux: For Human Beings?

Atualizando do Slackware 9 para 10.0

Um tour pelos visualizadores de imagem para Linux

Leitura recomendada

Configuração fácil de um servidor PPP

Como configurar o Apache com PHP e SSL de um jeito mais seguro e sem complicações

Modem PCTEL AMR PCI no Slackware 10.1

Fontes True Type no Slackware (sem xfstt e ttmkfdir)

Criando um tema de apresentação no Mandriva

  
Comentários

Nenhum comentário foi encontrado.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts