Window Maker 0.95.4 no Debian Testing - Instalação, configuração e dicas

Este artigo ensina a compilar, instalar, configurar e personalizar o Window Maker 0.95.4 (lançado em 03/01/2013), usando o Debian Testing como base, mas com o intuito de ser igualmente válido para qualquer distribuição séria e estável.

[ Hits: 42.071 ]

Por: Luís Fernando C. Cavalheiro em 07/02/2013 | Blog: https://github.com/lcavalheiro/


Instalando o WMaker



Ao contrário do Slackware, que já possui as ferramentas necessárias para a compilação do código-fonte instaladas por padrão, no Debian e em seus derivados, pode ser preciso instalar os pacotes build-essential, libxmu-dev e libxmu-headers antes de iniciar o processo.

Faça essa instalação e continue a leitura do artigo.

* Nota: eu não vou ensinar uma pessoa a instalar um pacote usando o apt-get, isso seria o cúmulo da falta de dignidade.

Após instalar o pacote necessário, vamos fazer uma gambiarra necessária para a compilação. Rode os comandos abaixo, para criar a ligação simbólica que o código-fonte do Window Maker usa para essa biblioteca:

# cd /usr/lib/x86_64-linux-gnu
# ln -s libXmu.so.6.2.0 lXmu


Download do código-fonte

Abra uma janela do terminal de sua preferência e rode o comando:

wget http://windowmaker.org/pub/source/release/WindowMaker-0.95.4.tar.gz

Descompacte o código-fonte com o comando:

tar -zxvf WindowMaker-0.95.4.tar.gz

Isso vai criar um diretório chamado "WindowMaker-0.95.4" no diretório atual, entre nele usando o comando:

cd WindowMaker-0.95.4/

Configurar o código-fonte

Para isso, rode o comando:

./configure --prefix=/usr --enable-modelock --enable-xinerama --enable-silent-rules --enable-xrandr

O "prefix", neste caso é fundamental, do contrário, o WMaker será instalado em /usr/local/bin e o gerenciador de login será incapaz de inicializá-lo.

** Eu habilito o XRandR por questão de gosto pessoal, mas há ocasiões em que ele pode ser mais dor de cabeça do que solução. Teste no seu sistema: se ao final da sopa de letrinas aparecer uma mensagem dizendo que há suporte para a extensão do XRandR tudo bem, não deu problema. Se não houver suporte, elimine a opção "--enable-xrandr" e rode o comando novamente.

O próximo passo é terminar a compilação. Rode o comando:

make

Se tudo correr bem, e graças à gambiarra lá em cima de criar a ligação simbólica certa correrá, rode agora:

# make install

Configurando o login

Após instalar o WMaker, é preciso configurar o gerenciador de login de modo a permitir que o usuário use o novo gerenciador de janelas instalado. Crie um arquivo com um nome qualquer usando a extensão ".desktop" (eu usei "wmaker.desktop") em /usr/share/xsessions e cole o seguinte conteúdo nele:

[Desktop Entry]
Encoding=UTF-8
Comment=Lançador no GDM para o gerenciador de janelas Window Maker
Name=Window Maker
Exec=/usr/bin/wmaker
Type=Application

Configurando o teclado

Vamos deixar o teclado pronto para uso. Crie um diretório "xorg.conf.d" em /etc/X11 (caso ele não exista), e nesse diretório crie um arquivo chamado "90-keyboard-layout.conf".

Neste arquivo, cole o conteúdo a seguir:

Section "InputDevice"
Identifier "Keyboard1"

Driver "keyboard"
Option "XkbRules" "xorg"
Option "XkbModel" "abnt2"
Option "XkbLayout" "br"
Option "XkbVariant" "abnt2"
Option "XkbOptions" "abnt2"
EndSection

Observação: Caso você use o teclado padrão americano, substitua "abnt2" por "intl", e "br" por "us".

Para terminar a configuração do teclado, abra o arquivo $HOME/.xinputrc e deixe todas as linhas que você encontrar por lá comentadas. Comente as que não estiverem, se necessário. Isso vai acabar com o reconhecimento do layout do teclado pelo run_im, o que definitivamente não é necessário depois que você configura o Xorg do jeito certo.

Neste momento, o básico do WMaker já estará instalado em seu sistema. Mas apenas o básico não adianta, vamos já providenciar a instalação de vários aplicativos úteis para este gerenciador de janelas na próxima página deste artigo.

As próximas configurações podem ser feitas antes de usar o WMaker pela primeira vez.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Instalando o WMaker
   3. Instalando Dockapps
   4. Pré-configurações antes de iniciá-lo
   5. Configuração: WPrefs (parte 1) e autostart
   6. Configuração: Visão geral do Menu de Aplicativos
   7. Configuração: O Clip e a docagem
   8. Configuração: Personalizando o WMaker
   9. Palavras finais
Outros artigos deste autor

Emulador Mednafen - Instalação e configuração

Narrando sessões de RPG de mesa online usando droll e IRC

Instalação e configuração do QEMU + AQEMU no Slackware

WindowMaker forever: instalando o fork -crm no Slackware 13.37

google-drive-ocamlfuse - Monte seu Google Drive usando o FUSE

Leitura recomendada

Configurando um servidor de backup Bacula

Arch BSD - Instalação em VirtualBox

Instalando Slackware através de outro HD corrigindo os pacotes

Balanceamento de carga com 2 links no MikroTik

Aprimoramento de Desempenho da Instalação Debian (parte 2)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 07/02/2013 - 13:58h

Excelente artigo Dino! Até me animei a voltar a usar o Window Maker.

[2] Comentário enviado por albfneto em 07/02/2013 - 14:00h

Mais um Artigo seu, favoritado.
Eu também gosto de Window Maker, já atualizei o meu
do sabayon e do gentoo.
eu tb tenho um artigo sobre ele:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Os-bons-tempos-voltaram-Revivendo-e-revisitando-o-WindowMaker/

De fato, é muito leve, o Window Maker inteiro, segundo ví na Internet, tem o tamanho do Konqueror...

é tão leve, que na minha opinião, em computadores novos, atuais, poderia ser usado como interface gráfica em servidores, invés de sem interface gráfica alguma.

[3] Comentário enviado por Arthur_Hoch em 07/02/2013 - 14:27h

Muito bom, parabéns, vou ter que dar uma reconfigurada no WM agora.

[4] Comentário enviado por madrugada em 07/02/2013 - 14:29h

Nota 10 mano!
Só uma pergunta, porque aquele Dock se chama CLIP? rsrs
É zueira, não ficou dúvidas. Se eu tivesse acesso a um artigo desse quando iniciei no Slack(2009) e comecei a testar as várias alternativas de WM, talvez tivesse me aprofundado mais no WMaker. Aliás, creio que até o Sr Torvalds, se tivesse um pé no Wmaker ou algum *box, não choraria tanto as mudanças dos ambientes KDE/Gnome.
Parabéns!!!

[5] Comentário enviado por izaias em 07/02/2013 - 14:31h

Luís,

Encontrei um aviso que talvez ocorra com outros também .

Quando aplico: # cd /usr/lib/x86-linux-gnu (sistema 32-bits)
Retorna como arquivo não encontrado. E isso ocorreu no openSUSE e no Slack 14 (pasme!).
-------------

No mais, excelente trabalho.
Tô loko pra testar aqui, ô meu!


* Detalhe: Não sabia que o WM tinha sido criado por brasileiro.
Muito bom saber disso!

[6] Comentário enviado por albfneto em 07/02/2013 - 14:46h

Uma coisa curiosa sôbre o Window Maker, ele é Retro, é do tempo da Tela Preta...

houve um tempo que os computadores eram tão pequenos, que as vezes era necessáriodesligar as animações do já levíssimo Window Maker,

quando era muito pesada a aplicação,
era necessário mesmo fechá-lo, ir para "tela preta".

Hoje qualquer micro, mesmo antigo, vai rodá-lo e ele é interessante para quem tem Celeron, Semprom Velho, micro de 256 mega etc...

e não quer ficar sem uma interface gráfica bonita, pq bem configurado, ele é bonito.

[7] Comentário enviado por madrugada em 07/02/2013 - 15:31h

Esses dias tinha um aqui que tinha um pc com 128MB de Ram, mas ele preferiu tentar o Slitaz. O Slack com WMaker e midnith comander iria bem.

[8] Comentário enviado por leandro em 07/02/2013 - 15:58h

Excelente tutorial. Anda tomo coragem e testo o WMaker algum dia, rs.

+10!

Mudando de assunto:


[5] Comentário enviado por izaias em 07/02/2013 - 14:31h:

* Detalhe: Não sabia que o WM tinha sido criado por brasileiro.
Muito bom saber disso!


Se não me engano, o mesmo Alfredo Kojima também desenvolveu o Synaptic. Na época era um front-end para o APT do saudoso Conectiva Linux (que usava pacotes RPM), agora, um pacote indispensável em distros deb.

[9] Comentário enviado por madrugada em 07/02/2013 - 16:26h


[8] Comentário enviado por leandro em 07/02/2013 - 15:58h:
[...]Só não entendo a atitude de certas pessoas invejosas de rebaixarem a nota de um artigo deste porte. E o pior: nem tem a coragem de comentar e dizer o porque da nota[...].

Ou por sacanagem(mais provável), ou porque a opção padrão é "8", mas convenhamos que tem de ser de Q.I. bem limitado pra usar essa última como desculpa.

[10] Comentário enviado por izaias em 07/02/2013 - 16:33h

Pinguins, deixem a inferioridade com quem habita com ela. rsrs
Isto nao tira o brilho e importancia do artigo.
---------------------------------

Instalei com sucesso no Slack!
Desculpem a falta de acentuacao, ainda nao configurei o teclado.
Mas isso vou deixar pra mais tarde.

Depois que estiver pronto, posto uma screenshot.

[11] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:05h

Gente, obrigado pelos elogios. Este artigo consumiu um bom tempo porque a proposta é que tudo fosse instalado por compilação, e eu me vi obrigado a ficar resolvendo os detalhezinhos de biblioteca ausente, e coisas do tipo. Lembrem-se: eu não sou acostumado com um sistema pelado para compilação como o Debian, mas nada que muita pesquisa e algum bom senso não resolvesse.
E por que compilação? Simples, porque sempre há quem prefira o bleeding edge. Funcionalmente há poucas diferenças entre o WMaker 0.95.2 (versão nos repositórios do Debian) e o 0.95.4. Outra coisa: talvez alguém se aventurasse a compilar o WMaker por conta própria e então esbarrasse no problema daquela biblioteca. E há ainda aquela questão: os mais jovens não conhecem o WMaker. Ainda que exista um refisefuquis do MS Ubuntu baseado no WMaker (disponível em http://wmlive.sourceforge.net/)...

Vamos agora às respostas específicas:

Izaías, realmente o criador do WMaker foi um brasileiro, mas o Alfredo se afastou para cuidar especificamente do Synaptic. Hoje em dia quem toca o WMaker pra frente é outro brasileiro, Carlos R. Mafra (por isso o nome do fork, -crm). Quando ao comando cd que você comentou, eu realmente não testei este artigo (ainda) no Slackware, e - dura e triste verdade - a maioria dos amigos por aqui prefere distros Debian-like, nas quais o diretório certamente existirá.
Sobre a acentuação, aquela dica do arquivo 90-keyboard-layout.conf funciona em qualquer distro que use o X.Org, e em qualquer interface gráfica.

Leandro, se o Synaptic é indispensável eu não sei. Prefiro o dselect.

[12] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:15h

Próximo assunto: Midnight Commander ou netiqueta?

[13] Comentário enviado por Arthur_Hoch em 07/02/2013 - 17:46h

Vou fazer um comentário mais longo sobre este teu excelente artigo, eu gostei do wallpaper, não sabia que você lia André Noel é um dos melhores sites de piada que ainda se pode ler, outra você colocou meu nome ali vou querer direitos autorais é claro (pelo nome arhhhg),
Eu já sabia boa parte que você escreveu, uns 2/3 por ai +/-. Será com certeza muito útil para quem for se aventurar com o WM, si bem que agora vai estar todo mastigadinho aqui.

Este teu vicio por Gnome é impressionante, ao contrario eu já gosto mais da queles temas mais quadrados do tempo do Ariri Pistola, não sei porque mais é interessante alguém como eu gostar disso, vai ver porque minha primeira imagem de um OS foi assim. Enfim eu acho WM foi feito para ser customizado se não ele não ia ser tão robusto certo? Não é porque ele e velho (Sua resposta). Eu sei que ele é velho foi um piada né shuahsuahushaush.


[12] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:15h:

Próximo assunto: Midnight Commander ou netiqueta?


aiaiai. Que tal fazer netiqueta e mandar para todos os tópicos em caps shauhsuhasuhuahs...


Bom agora vou tomar um café. (Hihihi)

[14] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:58h


[13] Comentário enviado por Arthur_Hoch em 07/02/2013 - 17:46h:

Vou fazer um comentário mais longo sobre este teu excelente artigo, eu gostei do wallpaper, não sabia que você lia André Noel é um dos melhores sites de piada que ainda se pode ler, outra você colocou meu nome ali vou querer direitos autorais é claro (pelo nome arhhhg),


Não leio apenas o Vida de Programador, leio também o Vida de Suporte. Ainda espero o dia em que eles vão se juntar para uma produção especial: Alonso x Gérson.

Este teu vicio por Gnome é impressionante, ao contrario eu já gosto mais da queles temas mais quadrados do tempo do Ariri Pistola, não sei porque mais é interessante alguém como eu gostar disso, vai ver porque minha primeira imagem de um OS foi assim. Enfim eu acho WM foi feito para ser customizado se não ele não ia ser tão robusto certo? Não é porque ele e velho (Sua resposta). Eu sei que ele é velho foi um piada né shuahsuahushaush.


Particularmente eu odeio o GNOME, mas adoro os temas GTK (que na verdade foram desenvolvidos para o Gimp). Mas eu trabalho com o que eu tenho em mãos, e no Debian isso significa GNOME...


[12] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:15h:

Próximo assunto: Midnight Commander ou netiqueta?

aiaiai. Que tal fazer netiqueta e mandar para todos os tópicos em caps shauhsuhasuhuahs...


Na verdade, a idéia é mandar para os tópicos com perguntas óbvias, que um STFW poderia resolver facilmente. A netiqueta considera perguntas como "como instalar o Google Chrome no MS Ubuntu", óbvias demais, uma falta de decoro, e autoriza a chuva de coices e patadas.


Bom agora vou tomar um café. (Hihihi)


Você no café e eu no mate aqui.

[15] Comentário enviado por madrugada em 07/02/2013 - 18:00h


[12] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 17:15h:

Próximo assunto: Midnight Commander ou netiqueta?


Que tal a dobradinha " Midnight Commander + mcedit"?
Obs.: escrevendo já do Wmaker-0.95.3:-)

[16] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 18:07h

Midnight Commander + mcedit, essa é uma boa pedida.

[17] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/02/2013 - 18:35h

Totalmente off-topic... mas é interessante como artigos como estes convocam todos os dinos de suas tocas ;-)

[18] Comentário enviado por Jvek em 07/02/2013 - 21:36h

Ótimo artigo.

Velho, diz àê, o que tu acha do Mate [http://mate-desktop.org/]?

[19] Comentário enviado por nandosilva em 07/02/2013 - 21:50h

Nota 10 pelo seu artigo. Já usei muito o wmaker por anos, gosto muito dele, mas hoje em dia estou usando o desktop xfce4, primeiro foi pelo slackware, agora estou pelo xubuntu pra variar um pouco o visual. Meus ambiente gráfico preferido é o Window Maker e Xfce4.
Nota: Se usar o wmaker evite executar aplicaçãoes feita pra KDE4 ou Gnome, pois senão todo desempenho e leveza oferecido pelo mesmo vai embora, já que será carregado um monte de libs deste ambiente podendo ficar até mais pesado do que a execução completa destes ambientes caso você não tenha um computador bem potente.

[20] Comentário enviado por azk4n em 07/02/2013 - 23:14h

Excelente artigo!
O WMaker é uma das poucas interfaces gráficas que ainda não testei...

Favoritado..

[21] Comentário enviado por lcavalheiro em 08/02/2013 - 01:23h


[18] Comentário enviado por Jvek em 07/02/2013 - 21:36h:

Ótimo artigo.

Velho, diz àê, o que tu acha do Mate [http://mate-desktop.org/]?


O único mate que eu gosto é a erva verde que vai dentro da cuia ;-)

[22] Comentário enviado por albfneto em 08/02/2013 - 08:27h

O legal do Linux é quem cada um pode usar o que gosta,isso é Liberdade.

Como eu falei, como o Cavalheiro, eu gosto de Window Maker, já por exemplo,

o GNOME3 não me vai! rsrsrs, gosto dos aplicativos de GNOME, mas a interface gráfica do GNOME novo, não.

já o MATE eu gosto muito.

Veja como Linux tem para todos os gostos!
A nota do Artigo não foi rebaixada, ela tá 10!

[23] Comentário enviado por Jvek em 08/02/2013 - 12:31h

Orra esse Mate àê é bão demais!

[24] Comentário enviado por xerxeslins em 08/02/2013 - 16:40h

Nunca usei... sou relativamente novo no Linux e a minha primeira distro foi Ubuntu. Mas vendo este artigo eu fiquei com vontade de testar. Até instalalei no Lubuntu! mas achei estranho... falta de costume mesmo. Mesmo assim, o artigo é excelente. Nota 10 e favoritado.

[25] Comentário enviado por lcavalheiro em 08/02/2013 - 22:13h


[24] Comentário enviado por xerxeslins em 08/02/2013 - 16:40h:

Nunca usei... sou relativamente novo no Linux e a minha primeira distro foi Ubuntu. Mas vendo este artigo eu fiquei com vontade de testar. Até instalalei no Lubuntu! mas achei estranho... falta de costume mesmo. Mesmo assim, o artigo é excelente. Nota 10 e favoritado.


Então... Depois que eu vi um refisefuquis do MS Ubuntu que era um LiveCD com o WMaker, não existe a desculpa da idade. O WMaker é pra todo mundo, não apenas pros arcaicos, mezozóicos e contemporâneos do surgimento da vida na terra ;-)

Ah, e pelo menos em idade você é mais velho que eu, então...

[26] Comentário enviado por pinduvoz em 09/02/2013 - 00:34h

Vocês, que têm 30 anos ou menos, são crianças (rsrsr).

E quanto ao artigo, nunca antes tinha entendido como funcionava esse tal de WMaker.

Agora, após ler o artigo, sei o que ele é, o que ele faz e como ele faz.

Muito bom!

Até estou me animando a experimentar, mas sem compilação.

---

Instalei aqui no 13.04 alpha e recebi aquela janela com os três ladrilhos e já com um wallpaper do Debian.

Agora vou ver se brinco com ele no Carnaval.

[27] Comentário enviado por mcnd2 em 09/02/2013 - 17:03h

...no meu caso, fui testar em um VM mais ao chegar no determinado passo,

[b]./configure --prefix=/usr --enable-modelock --enable-xinerama --enable-silent-rules --enable-xrandr[/b]

ele me retorna:

[i]checking for fontconfig library... ./configure: line 13574: fontconfig: command not found
not found
./configure: line 13589: xft: command not found
checking for xft-config... no
checking for the Xft2 library... not found

ERROR!!! libXft2 is not installed or could not be found.
Xft2 is a requirement for building Window Maker.
Please install it (along with fontconfig) before continuing.

mcnd2@debian:~/WindowMaker-0.95.4$[/i]

O pacote libxft2 já está instalado !???

===============

"Quando aplico: # cd /usr/lib/x86-linux-gnu (sistema 32-bits)
Retorna como arquivo não encontrado"

Igual ao resultado do @izaias.
O que fiz foi criar o diretório, rS! não sei se vale mas...

[28] Comentário enviado por lcavalheiro em 09/02/2013 - 22:06h


[27] Comentário enviado por mcnd2 em 09/02/2013 - 17:03h:

...no meu caso, fui testar em um VM mais ao chegar no determinado passo,

[b]./configure --prefix=/usr --enable-modelock --enable-xinerama --enable-silent-rules --enable-xrandr[/b]

ele me retorna:

[i]checking for fontconfig library... ./configure: line 13574: fontconfig: command not found
not found
./configure: line 13589: xft: command not found
checking for xft-config... no
checking for the Xft2 library... not found

ERROR!!! libXft2 is not installed or could not be found.
Xft2 is a requirement for building Window Maker.
Please install it (along with fontconfig) before continuing.

mcnd2@debian:~/WindowMaker-0.95.4$[/i]

O pacote libxft2 já está instalado !???

===============

"Quando aplico: # cd /usr/lib/x86-linux-gnu (sistema 32-bits)
Retorna como arquivo não encontrado"

Igual ao resultado do @izaias.
O que fiz foi criar o diretório, rS! não sei se vale mas...


Qual distro você usa?

EDIT: um atalho. Descobre onde no seu computador está a libXmu.so.6.2.0 e cria a ligação simbólica sugerida no link apontando para o mesmo diretório. Por exemplo, vamos supor que libXmu.so.6.2.0 esteja em /etc/pqp/instalacaodemerda/todacagada/libXmu.so.6.2.0. Crie o vínculo simbólico sugerido no artigo no mesmo diretório /etc/pqp/instalacaodemerda/todacagada/

[29] Comentário enviado por mcnd2 em 11/02/2013 - 00:18h

Uso Debian...

Vou fazer o sugerido...

[30] Comentário enviado por thadeu em 13/02/2013 - 17:05h

Talvez não seja o melhor lugar para comentar mas... alguém aí conhece e faz uso diário do Awesome (no debian o pacote é awesome e awesome-extra)?

[31] Comentário enviado por lcavalheiro em 13/02/2013 - 22:51h


[30] Comentário enviado por thadeu em 13/02/2013 - 17:05h:

Talvez não seja o melhor lugar para comentar mas... alguém aí conhece e faz uso diário do Awesome (no debian o pacote é awesome e awesome-extra)?


O que é o Awesome?

[32] Comentário enviado por izaias em 15/02/2013 - 20:33h

WMaker testado e aprovado!

É a interface mais leve que já usei.
Tudo configurado e funcionado à toda!
---------

Uma coisa, cada interface tem sua característica própria.
Não adianta querer suplantar aquilo que veio para ser leve, prático e rápido.

O WMaker é assim!

[33] Comentário enviado por lcavalheiro em 15/02/2013 - 21:57h


[32] Comentário enviado por izaias em 15/02/2013 - 20:33h:

WMaker testado e aprovado!

É a interface mais leve que já usei.
Tudo configurado e funcionado à toda!
---------

Uma coisa, cada interface tem sua característica própria.
Não adianta querer suplantar aquilo que veio para ser leve, prático e rápido.

O WMaker é assim!


O WMaker é uma das interfaces mais leves que existem. Mais leve que ele, só o Blackbox (o pai de todos os *box) ou o próprio Midnight Commander (que funciona superbem como interface). Não é estranho você colocar o WMaker à toda e se ver usando menos de 1% da RAM com ele.

[34] Comentário enviado por c4rl em 15/02/2013 - 23:15h

Nostálgico!!!!!

Muito bom o artigo, parabéns.

[35] Comentário enviado por harlleysathler em 23/02/2013 - 20:09h

Muito legal o artigo! Estou tentando replicar aqui, no Ubuntu. Uma dúvida: Onde consigo os dockapps já compilados? Não estou dando sorte tentando compilá-los na mão...

[36] Comentário enviado por lcavalheiro em 23/02/2013 - 20:14h


[35] Comentário enviado por harlleysathler em 23/02/2013 - 20:09h:

Muito legal o artigo! Estou tentando replicar aqui, no Ubuntu. Uma dúvida: Onde consigo os dockapps já compilados? Não estou dando sorte tentando compilá-los na mão...


Como o MS Ubuntu é na verdade um Debian Sid modificado, existem já alguns (mas não todos) dockapps já empacotados e disponíveis nos repositórios da distro. Pesquise pelo nome do dockapp em http://packages.ubuntu.com.

[37] Comentário enviado por gianpaolo em 30/04/2013 - 12:36h

Para aqueles que não sabem o NeXT Step (de onde saiu o OpenSTEP e a inspiração para o WMaker) foi a base para o desenvolvimento do Acqua (OSX). A NeXT foi a empresa que Jobs fundou após deixar a Apple e que alguns anos depois foi comprada pela mesma e que fez com que Jobs retornasse a ela. O OSX é inteiramente inspirado no NeXT e não no System 7 (MacOS Classico) como mta gente pensava que fosse. Quem ja teve a oportunidade de usar o Rhapsody DR2 pode perceber que a GUI é o OpenSTEP com a carinha do OS Classico.

[38] Comentário enviado por lcavalheiro em 21/05/2013 - 15:07h

Atualização: no Debian 7 não precisa comentar o arquivo $HOME/.xinputrc, já que o sistema não o usa mais.

[39] Comentário enviado por lcavalheiro em 07/10/2013 - 16:44h

Atualização: é possível usar um gerenciador de composições com o Window Maker. Experimente o compton.

[40] Comentário enviado por marceloteixeira em 19/11/2013 - 19:19h

Excelente artigo.

[41] Comentário enviado por edersonhonorato em 01/02/2014 - 13:14h

Muito bom o artigo!

Usei o WindowMaker por muitos anos num pentium(100\133\166Mhz) que eu tinha. Inclusive o PC foi pro lixo com ele instalado num debian sarge.

Muito leve, sem frescuras e os docks eram seu diferencial...

Infelizmente, depois do abandono do Alfredo Kojima a interface ficou parada no tempo, e talvez essa equipe que retomou o projeto deveria realmente repensar a interface.

Talvez, uma evolução sem gambiarras da interface aqua(originada do NextStep inspiração do WM) seria bem vinda.
Com certeza se fosse feito um esforço nesse sentido eu voltaria à usa-lo como padrão...

Utilizo um iMAC no meu dia a dia(com o mavericks), mas considero o linux ainda muito mais versátil em termos de sistema operacional.
Minha carência hoje no linux é a interface gráfica, que depois do kde 3 e gnome clássico não consegui me adaptar a nenhuma inteiramente.

De qualquer forma, sinto saudades dos sábados operando meu debian pelo WindowMaker e ajudando os novatos e compartilhando as experiências nos fóruns de linux pela internet.

Parabéns.

[42] Comentário enviado por lcavalheiro em 03/02/2014 - 13:05h


[41] Comentário enviado por edersonhonorato em 01/02/2014 - 13:14h:

Muito bom o artigo!

Usei o WindowMaker por muitos anos num pentium(100\133\166Mhz) que eu tinha. Inclusive o PC foi pro lixo com ele instalado num debian sarge.

Muito leve, sem frescuras e os docks eram seu diferencial...

Infelizmente, depois do abandono do Alfredo Kojima a interface ficou parada no tempo, e talvez essa equipe que retomou o projeto deveria realmente repensar a interface.

Talvez, uma evolução sem gambiarras da interface aqua(originada do NextStep inspiração do WM) seria bem vinda.
Com certeza se fosse feito um esforço nesse sentido eu voltaria à usa-lo como padrão...

Utilizo um iMAC no meu dia a dia(com o mavericks), mas considero o linux ainda muito mais versátil em termos de sistema operacional.
Minha carência hoje no linux é a interface gráfica, que depois do kde 3 e gnome clássico não consegui me adaptar a nenhuma inteiramente.

De qualquer forma, sinto saudades dos sábados operando meu debian pelo WindowMaker e ajudando os novatos e compartilhando as experiências nos fóruns de linux pela internet.

Parabéns.


Eu ainda uso muito o WM, justamente por ele me lembrar meus primeiros dias no GNU / Linux. Eu lembro como o Slack 4.0 ia redondinho em qualquer máquina com WM...

[43] Comentário enviado por albfneto em 21/09/2014 - 14:53h

Esse artigo seu é muito útil. ajuda a configurar WindowMaker, em qualquer distro.
Também uso, acho prático, leve, bonito e eficiente.
em micros novos, atuais, nem precisa se preucupar com a RAM e ainda dá para usar o máximo de cores e as
animações.
ele inteiro, é do tamanho do Konqueror.
Window Maker é fantástico, pena que muitos Iniciantes em Linux não conhecem.

[44] Comentário enviado por gongo.soco em 28/11/2014 - 08:53h

Por que será que não consigo abrir o WM numa resolução maior que 1024x768? Apesar dos outros gerenciadores de janela estarem configurados para resoluções maiores.

[45] Comentário enviado por lcavalheiro em 28/11/2014 - 16:14h


[44] Comentário enviado por gongo.soco em 28/11/2014 - 08:53h:

Por que será que não consigo abrir o WM numa resolução maior que 1024x768? Apesar dos outros gerenciadores de janela estarem configurados para resoluções maiores.


Como está seu xorg.conf (ou um arquivo qualquer que você tenha para configurar o vídeo sob o xorg)? O WM não possui nenhum meio gráfico pra fazer a configuração da resolução. Então você precisa configurá-la corretamente no xorg OU configurá-la on the fly via xrandr

[46] Comentário enviado por marceloteixeira em 15/07/2015 - 17:28h

Excelente artigo. Adoro o WMaker. Só estou apanhando para colocar as opções de Reiniciar e Desligar no menu, para qualquer usuário.

[47] Comentário enviado por marceloteixeira em 15/07/2015 - 18:26h

Usei essa dica para gerar o menu : wmgenmenu > $HOME/GNUstep/Defaults/WMRootMenu ! Sensacional! Apesar do Menu sair em inglês, é bem simples de colocar tudo em português.

[48] Comentário enviado por marceloteixeira em 15/07/2015 - 21:52h

Resolvi o problema do Shutdown/Reboot instalando o dockapp wmshutdown !


Contribuir com comentário