Usando partições e sistemas de arquivos

Este artigo está dividido em quatro partes: Introdução sobre partições e sistemas de arquivos; Criando partições e sistemas de arquivos; Montando e desmontando sistemas de arquivos; Gerenciando partições e sistemas de arquivos.

[ Hits: 127.871 ]

Por: Cristian Alexandre Castaldi em 02/01/2006


Montando e desmontando sistemas de arquivos



3.1. mount


O comando mount é usado para montar arquivos de sistemas no Linux, ou seja, ele é utilizado para montar um dispositivo na hierarquia do sistema de arquivos do Linux podendo aceitar outros casos de uso. As opções mais usadas são:
  • -a Monta todos os dispositivos especificados no arquivo /etc/fstab que não tem a opção noauto selecionada.
  • -r Monta o sistema de arquivos com permissão somente de leitura.
  • -w Monta o sistema de arquivos com permissão de leitura e gravação.
  • -o Especifica as opções de montagem. Elas podem ser: auto, noauto, ro, rw, exec, noexec, user, users, nouser, sync, async, dev, nodev, suid, nosuid, defaults, remount, atime.
  • -t tipo - Especifica o tipo de sistema de arquivos do dispositivo. Eles podem ser: adfs, affs, autofs, coda, coherent, cramfs, devpts, efs, ext, ext2, ext3, hfs, hpfs, iso9660, jfs, minix, msdos, ncpfs, nfs, ntfs, proc, qnx4, reiserfs, romfs, smbfs, sysv, tmpfs, udf, ufs, umsdos, vfat, xenix, xfs, xiafs.

Vamos a um exemplo prático, a sintaxe é a seguinte:

mount opções dispositivo diretório

# mount -text3 /dev/sdb3 /mnt/particão1

Com o comando "df" podemos ver o dispositivo /dev/sdb3 montado no diretório /mnt/particão1 e o espaço utilizado pelo sistema de arquivos, mais adiante veremos as suas funcionalidades. Observe:

# df -h
Filesystem	Size	Used	Avail	Use%	Mounted on
/dev/sda3	1.4G	62M	1.2G	5% 	/
/dev/sda1	45M	5.9M	37M	14%	/boot
/dev/sda5	3.7G	659M	2.8G	19%	/usr
/dev/sda6	463M	38M	402M	9%	/var
/dev/sda7	942M	17M	877M	2%	/tmp
/dev/sda8	3.1G	33M	2.9G	2%	/home
/dev/sdb3	463M	8.1M	431M	2%	/mnt/particão1

Para montar partições Windows:

# mount -tvfat /dev/hdb3 /mnt/windows98
# mount -tntfs /dev/hdb4 /mnt/win2000


(serve p/ XP e Windows 2003)

Para montar o CDROM:

# mount -tiso9660 /dev/cdrom /cdrom

(ou /mnt/cdrom)

Para montar unidades de disquetes:

# mount -text3 /dev/fd0 /floppy

(ou /mnt/floppy)

3.2 umount


O comando umount é utilizado para desmontar os dispositivos montados pelo comando mount. Ele pode ser usado com as seguintes opções:
  • -r Em caso do umount falhar remonta o dispositivo com permissão somente de leitura.
  • -a Desmonta todos os dispositivos listados no arquivo /etc/mtab, que é mantido pelo comando mount como referência de todos os dispositivos montados.
  • -t tipo Desmonta somente os dispositivos que contenham o sistema de arquivos especificado.
  • -f Força a desmontagem do dispositivo.

Vamos ver como ele funciona:

# umount /mnt/particão1
# df -h
Filesystem	Size	Used	Avail	Use%	Mounted on
/dev/sda3	1.4G	62M	1.2G	5% 	/
/dev/sda1	45M	5.9M	37M	14%	/boot
/dev/sda5	3.7G	659M	2.8G	19%	/usr
/dev/sda6	463M	38M	402M	9%	/var
/dev/sda7	942M	17M	877M	2%	/tmp
/dev/sda8	3.1G	33M	2.9G	2%	/home

3.3 /etc/fstab


O arquivo /etc/fstab é usado pelos sistemas Linux para determinar onde as partições são montadas e qual o ponto de montagem de cada uma, automaticamente, na inicialização do sistema operacional. O arquivo /etc/fstab possui os parâmetros sobre as partições que são lidos pelo comando mount. Ele é composto e dividido da seguinte maneira:

Dispositivo (Primeira Coluna) - Partição a ser montada. Ex: /dev/hda2

Ponto de Montagem (Segunda Coluna) - Especifica o diretório em que a partição será montada. Ex: /mnt/particão1.

Tipo (Terceira Coluna) - Determina o tipo de sistema de arquivos que será usado na partição a ser montada. Pode ser: ext2, ext3, reiserfs, msdos, vfat, iso9660, nfs, ntfs, swap, proc entre outras.

Opções (Quarta Coluna) - Especifica as opções usadas com o sistema de arquivos. Pode ser:
  • auto - Especifica que o dispositivo deve ser montado na carga do sistema.
  • noauto - Especifica que o dispositivo não seja montado na carga do sistema.
  • ro - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão somente de leitura.
  • rw - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão de leitura e gravação.
  • exec - Especifica que o sistema de arquivos será montado com permissão de execução de arquivos.
  • noexec - Especifica que o dispositivo não seja montado com permissão de execução de arquivos.
  • user - Permite que qualquer usuário monte o sistema de arquivos, mas proíbe outros de desmonta-lo.
  • users - Permite que qualquer usuário monte e desmonte os sistemas de arquivos.
  • nouser - Especifica que somente o superusuário pode montar e desmontar os arquivos de sistema.
  • sync - Habilita a transferência de dados síncrona no dispositivo.
  • async - Habilita a transferência de dados assíncrona no dispositivo.
  • dev - Dispositivo especial de caracteres.
  • suid - Habilita que os executáveis tenham bits do suid e sgid.
  • nosuid - Especifica que os executáveis não tenham bits do suid e sgid.
  • defaults - Especifica as opções de montagem como rw, suid, exec, auto, nouser e async.

Freqüência de Backup (Quinta Coluna) - O comando dump consulta o arquivo etc/fstab para saber quais sistemas de arquivos devem ser copiados. Se for 1 ele faz o backup se for 0 ele assumirá que o sistema de arquivos não precisa ser copiado.

Checagem de disco (Sexta Coluna) - Determina se o dispositivo deve ou não ser checado na carga do sistema pelo fsck. Se for 0 o sistema de arquivos não será checado, o número 1 deve ser usado para checar a partição raiz ( / ) e a partir do 2 em diante depois do sistema raiz, ou seja, os outros sistemas de arquivos devem ter esse campo a partir de 2 fazendo seqüência de acordo com o número de partições que você quiser montar.

Observe um exemplo do arquivo /etc/fstab:

# <Sist. Arq.>  <Ponto Mont.>   <tipo>  <opçõess>  <dump>  <passo>
/dev/sda3  /        ext3    errors=remount-ro  0  1
/dev/sda2  none     swap    sw                 0  0
proc       /proc    proc    defaults           0  0
/dev/fd0   /floppy  auto    user,noauto        0  0
/dev/cdrom /cdrom   iso9660 ro,user,noauto     0  0
/dev/sda1  /boot    ext3    defaults           0  2
/dev/sda5  /usr     ext3    defaults           0  2
/dev/sda6  /var     ext3    defaults           0  2
/dev/sda7  /tmp     ext3    defaults           0  2
/dev/sda8  /home    ext3    defaults           0  2

Para finalizar, vamos adicionar uma das partições criadas anteriormente para ser montada automaticamente, em um determinado diretório, na inicialização do sistema.

# vi /etc/fstab

Na última linha do arquivo adicionei a seguinte entrada de dados:

/dev/sdb2   /mnt/particão1   ext3   defaults      0   3

Quando o sistema for inicializado a partição será montada automaticamente, observe a saída do comando "df -v":

# df -v
Filesystem  1k-blocks   Used      Available    Use%   Mounted on
/dev/sda3   1438920   62472     1303356      5%    /
/dev/sda1   46636      5986       38242     14%    /boot
/dev/sda5   3842376   674044   2973144     19%    /usr
/dev/sda6   474443      38429     411517      9%    /var
/dev/sda7   964500      16440     899064      2%    /tmp
/dev/sda8   3296840   32828     3096536      2%    /home
/dev/sdb2   1968620   32828     1835788      2%    /mnt/particão1

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Criando partições e sistemas de arquivos
   3. Montando e desmontando sistemas de arquivos
   4. Gerenciando partições e sistemas de arquivos
   5. Bibliografia
Outros artigos deste autor

Trabalhando com shell e variáveis de ambiente

Gerenciando quotas de disco

Autenticando usuários

Servidor CVS: Instalando, configurando e gerenciando no Linux

Lynis: Sistema de auditoria e segurança para Linux

Leitura recomendada

Stripe no LVM

Controlando projetos com o fantástico CVS

Criando um servidor CVS

Sistemas de arquivos para GNU/Linux

GIT: Controle de versões distribuído para projetos de software

  
Comentários
[1] Comentário enviado por halquimista em 02/01/2006 - 08:59h

Parabens pelo artigo! Acabo de esclarecer muitas dúvidas minhas em relação a partições! Principalmente na configuração do fstab!
Parabens!!!

[2] Comentário enviado por agk em 05/01/2006 - 09:17h

Olha fazia tempo que não via artigos tão bem escritos, você está realmente de parabéns. Apesar de se obter essas informações em man pages, esse artigo reune e explica uma série de detalhes referentes a particionamento e montagem das partições.
Eu sempre tive dúvidas em relação a quais opções usar no fstab, após ler o artigo ficou bem mais claro. Mesmo assim, ainda tenho algumas dúvidas, não sei se cabe perguntar aqui, mas vamos lá.
No caso específico de dispositivos usb, como eu faço a configuração deles no fstab, essa é uma dúvida antiga que tenho, considerando que já consegui fazer com que os dispositivos montem automaticamente, mas apenas o usuário root tem permissões de leitura/escrita.
Acredito que seja algum problema de configuração no fstab, mas como configurar isso?
Eu utilizo assim no fstab:
none /proc/bus/usb usbfs defaults 0 0

Quando um dispositivo usb é inserido o usbfs cria o dispositivo em /dev, então presumo eu que esse dispositivo deva ser criado com permissões suficientes para que os usuários "comuns" do sistemas possam acessá-los.
Eu tentei diversas configurações, todas sem sucesso:
none /proc/bus/usb usbfs uid=0,devgid=100,devmode=077,umask=0000 0 0
none /proc/bus/usb usbfs default,devuid=1000 0 0
none /proc/bus/usb usbfs uid=0,devgid=1000,devmode=0660 0 0
none /proc/bus/usb usbfs devmode=0666 0 0

Tem alguma forma de se especificar as permissões para a criação de devices através do fstab?
Bem o artigo está excelente, desculpa o tamanho do comentário.
Se alguém puder me ajudar, desde já agradeço, [ ]'s.

[3] Comentário enviado por crildo em 09/01/2006 - 23:14h

agk tente essa entrada no /etc/fstab

none /proc/bus/usb usbdevfs users,ro ou rw 0 0

Para maiores informações dê uma olhada nesse site aqui:
http://www.linux-usb.org/USB-guide/x173.html

[4] Comentário enviado por capeleiro em 12/01/2006 - 13:29h

Cara.
Parabéns.
Realmente um excelente arquivo, prático e de bom entendimento, para mim que sou iniciante no Linux , foi um achado. Realmente estes são so tutoriais que valem a pena ser lidos .
Valeu,
Abraços.

[5] Comentário enviado por removido em 22/01/2006 - 13:52h

Aí Crildo mandou bem nesse artigo, além de muito bem escrito e elaborado explicou muito bem deixando claro para muita gente que necessita desse artigo. Espero que continue assim; logo vou escrever meu primeiro artigo para a comunidade e vou me espelhar no seu belo trabalho para não fazer feio. Fui.....

[6] Comentário enviado por DHRS em 08/06/2006 - 10:40h

Buenas. Colega!

Parabéns mesmo, como já colocado pelos colegas acima. Este artigo informa a todos de uma maneira clara e simples, assim as dúvidas podem ser esclarecidas de formarápida e fácil.

Um grande Abraço. []'s-Gurizito-

[7] Comentário enviado por Skilo em 04/07/2006 - 14:45h

Ei cara, realmente o artigo esta bem esclarecedor, parabéns.

Agora queria lhe pedir uma ajuda com relação ao servidor de arquivos que alguns amigos meus estão montando:

eles conseguiram instalar o slack 10.2 em um dos 3 hds SCSI e agora os outros dois hds não estão visiveis na interface gráfica do slack, o=como eu faço para poder enxergar os outros hds para fazer o espelhamento?

[8] Comentário enviado por carlinux em 01/11/2006 - 09:18h

Cara esse seu artigo me ajudou muito nesse início de convivio com Linux, me tirou diversas dúvidas a respeito de partições!!!!!!!!!!!!!


Abraço

[9] Comentário enviado por pbasque em 04/01/2007 - 11:52h

crildo , parabéns. Ficou shou o artigo. uma leitrua bem clara e compreensilvel.

Só uma problema pelo qual estou passando, precisei trocar o hd de um cliente por conta do espaço em disco insuficiente. Adicionei um disco novo de 80 GB Tenho um RH9 instalado devidamente no hda
hda1 = /boot
hda2 = /
hda3 = /home

porem tem um outro disco de 40 " meu antigo disco" instalado na secondary master

seria meu hdc, e esse disco é quem esta instalado a algum tempo atraz, com todo o sistema, tbm é um RH9, com Grub partionado da mesma maeira que o de 80 Gb.
O que não estou conseguindo fazer é montar esse disco de 40

tentei
" mount /dev/hdc2 /mnt/disco-antigo "
" mount /dev/hdc3 /mnt/disco-antigo "

mas não montou
A secondary está funcionando com certeza
acho q está faltando algo na sintaxe, tentei colocar no final "-ext3"
OBS todas as portições estão formatadas como EXT3

Se alguem tiver uma dica agradeço.

até mais e obrigado.

[10] Comentário enviado por rbn_jesus em 23/03/2007 - 17:04h

Estou com um problema em LVM, creio que vc possa me ajudar...
tenho uma configuração lvm em apenas 1 dispositivo, da seguinte forma:
xda1 - /boot - ext3
xda2 - lvm (lvm1 - / - ext3; lvm2 - swap)

como recupero as informações da 1ª partição do lvm neste despositivo?

[11] Comentário enviado por lucasa em 21/06/2007 - 14:29h

Estou querendo criar uma partição escondida (hidden) do tipo Fat32.
Mas procurei na internet e não achei como criar este tipo de partição, só com o uso de programas proprietários como o Partition Magic.
Meu objetivo mesmo é conseguir montar as partições escondidas no linux em um HD USB, mas que estas partições escondidas não possam ser detectadas por meu aparelho de DVD com entrada usb.
O problema é que o dvd não pode tratar dispositivos com mais de uma partição.
Obridado por qualquer informação. Sou um usuário avançado mas não sei o q fz :-/.

[12] Comentário enviado por icefusion em 22/10/2007 - 15:37h

Muito bom artigo brother....parabéns mesmo.....continue assim...

[13] Comentário enviado por fasseabra em 23/09/2008 - 22:34h

Mto bom - estou estudando p/ um Concurso e ja me abriu bem a mente.
É isso ai - Vlw


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts