Captive-NTFS com kernel 2.6

Muitos, inclusive eu, utilizam esta "maravilha" que é o captive-ntfs, porém poucos conseguem fazer com que o captive funcione com os kerneis mais novos, como os da família 2.6. Na verdade trata-se de uma imcompatibilidade com o Lufs e é o que vamos tentar resolver aqui.

[ Hits: 32.486 ]

Por: Wainer Chiari em 09/03/2006


Aviso



Este artigo é sobre um problema encontrado na instalação do módulo "Lufs", necessário para que o Captive-Ntfs funcione corretamente.

A solução aqui apresentada, modifica o kernel e seus fontes, sendo assim um processo um pouco difícil, e que ao meu ver, só deve ser executado por usuários avançados, e (ou) que tenham experiência o suficiente para resolver possíveis problemas ocasionados por tais modificações.

Também aviso que esta solução não tem garantias de sucesso e funcionamento.

São necessários conhecimentos técnicos, voltados para compilação e instalação de kernel, e como o escopo do artigo é resolvermos tal problema, infelizmente não vou poder cobrir de maneira detalhada os processos de instalação e desinstalação dos software e até mesmo do novo kernel.

Não desencorajo, de maneira alguma, os usuários mais novos, mas aviso que o processo é coberto de maneira avançada e técnica. Então, só aconselho seguir com os processos aqui descritos se você for um usuário Linux experiente ou um aventureiro pronto a encontrar obstáculos.

À batalha! :P

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Aviso
   2. O Captive
   3. O problema
   4. A solução
   5. Depois da gambiarra
Outros artigos deste autor

Gerando pacotes no Slack com o checkinstall

Gtk-Qt Engine: temas Qt em aplicações GTK

Configurando sua máquina para tocar vários sons ao mesmo tempo

LILO gráfico e animado no Slackware

O útil comando "du"

Leitura recomendada

Cotas de Disco

Criando um servidor CVS

Recuperando senha de administrador Windows NT/2000/XP/ com o Slax e Captive

Proxy reverso com Apache + cache + compactação + estatísticas

jmtpfs - Enviando arquivos (MTPS) Android para Debian 9

  
Comentários
[1] Comentário enviado por agk em 09/03/2006 - 14:41h

Humm, realmente muito interessante esse seu artigo, parabéns.
Eu tive exatamente esse problema com o Lufs (Linux userland File System), acho que é assim que escreve, depois de muito empenho eu consegui fazer funcionar, mas a minha decepção foi tamanha que jamais recomendei pra ninguém essa solução.
A velocidade era uma das causas, as vezes levava mais de 20 segundos para abrir umas pasta. Outro problema era renomear, copiar e deletar arquivos. Eu deletava um arquivo, e alguns segundos depois dava um ls e ele estava de volta.
Para mim pareceu uma solução completamente bugada e sem condições de uso, tanto que fiz uma partição fat32 para contornar o problema e continuei a usar a minha ntfs como readonly.
Vou testar essa solução do artigo, depois eu posto o resultado aqui.

[2] Comentário enviado por agk em 09/03/2006 - 14:44h

Verifiquei no meu Kernel 2.6.8 e já existe a linha que eu deveria adicionar.

[3] Comentário enviado por agk em 09/03/2006 - 15:03h

Fiz os procedimentos descritos no artigo, exceto recompilar o kernel, porque o módulo lufs está funcionando corretamente.
Como você colocou no fstab para carregar a partição automaticamente no e com permissão para os users?

[4] Comentário enviado por Token em 10/03/2006 - 05:11h

Prefiro usar o NTFS nativo e oficial do Kernel 2.6. Você não sabia que é possível? É mais seguro, sempre atualizável, há suporte para escrita e gravação, etc...

Tô fora de softwares de terceiros.

Para ativar o módulo NTFS no kernel.

$cat /usr/src/linux/.config|grep NTFS
CONFIG_NTFS_FS=m
# CONFIG_NTFS_DEBUG is not set
# CONFIG_NTFS_RW is not set

E depois .... "mount -t ntfs /dev/hda1 /mnt/ntfs"

Simples.

[5] Comentário enviado por agk em 10/03/2006 - 09:00h

Token, acho que você está enganado quanto ao suporte de escritado do módulo ntfs do kernel.
Segue a descrição dele contida no menu de configuração do Kernel:

CONFIG_NTFS_RW:

This enables the partial, but safe, write support in the NTFS driver.

The only supported operation is overwriting existing files, without
changing the file length. No file or directory creation, deletion or
renaming is possible. Note only non-resident files can be written to
so you may find that some very small files (<500 bytes or so) cannot
be written to.

While we cannot guarantee that it will not damage any data, we have
so far not received a single report where the driver would have
damaged someones data so we assume it is perfectly safe to use.

Note: While write support is safe in this version (a rewrite from
scratch of the NTFS support), it should be noted that the old NTFS
write support, included in Linux 2.5.10 and before (since 1997),
is not safe.
This is currently useful with TopologiLinux. TopologiLinux is run
on top of any DOS/Microsoft Windows system without partitioning your
hard disk. Unlike other Linux distributions TopologiLinux does not
need its own partition. For more information see
<http://topologi-linux.sourceforge.net/>
It is perfectly safe to say N here.

Resumindo:
Você tem suporte a gravação sim, mas apenas para alterar arquivos, ou seja, não poderá criar arquivos novos, e mesmo assim é um suporte limitado a manter o arquivo com o mesmo tamanho.
O NTFS do Kernel do Linux funciona perfeitamente para leitura, mas sinceramente, para gravação ele é praticamente inútil.
[ ]'s.

[6] Comentário enviado por removido em 11/03/2006 - 11:41h

Bem legal esse artigo, mas eu achei outra solução. Ao invés de usar o lufs, eu instalei o FUSE, que pode ser encontrado no Sourceforge. Foi bem fácil, não precisei recompilar kernel nem nada, quer dizer, pelo menos pra mim funcionou. Eu acho que vale a pena tentar.

[7] Comentário enviado por rodrigodlima em 18/03/2006 - 14:13h

Muito bom artigo!
Estou utilizando o Ubuntu 5.10 Breezer, precisei apenas baixar e instalar o Captive. Aqui funcionou perfeitamente. Não precisei instalar o Lufs. Acredito que por default, ele carregou o módulo Fuse na hora da montagem. Olha só:
rodrigo@ubuntu:~/captive-static-1.1.7$ sudo mount -t captive-ntfs /dev/hda1 /mnt/drive-c/
/usr/libexec/captive-fusermount: Notice: Created FUSE device: /dev/fuse
/usr/libexec/captive-fusermount: Notice: Loaded Linux kernel module FUSE: /sbin/modprobe fuse

Tá funcionando blz!

[8] Comentário enviado por jldomingos em 14/03/2007 - 10:37h

Sem desmerecer o captive, achei o ntfs-3g foi milhões de vezes mais fácil e estável de usar. O captive me deu muita dor de cabeça e com os fontes do FUSE e do NTFS-3G em poucos minutos consegui gravar numa partição NTFS arquivos de vídeo que totalizavam quase 200GB, onde o captive abortava no primeiro arquivo realmente grande que encontrava. Por melhor que o captive possa ser, o NTFS-3G se mostrou uma jóia pra mim. Abraço galera !


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts