Transmissão de dados via telemetria: uma opção de comunicação remota

Este artigo se propõe a explicar para o leitor o princípio básico da transmissão de dados via telemetria, como funciona e suas possíveis utilidades. Atualmente o Brasil ainda está engatinhando na produção dessa tecnologia, mas com a globalização esse cenário vem mudando.

[ Hits: 130.880 ]

Por: Dornelles Vissotto Junior em 26/11/2004


Introdução



A transmissão remota de dados é, hoje em dia, um recurso fundamental para alguns setores. Com o forte desenvolvimento econômico e com os avanços da tecnologia, a necessidade de uma comunicação instantânea é um fator estratégico para a sobrevivência em mercados cada vez mais competitivos.

Até pouco tempo atrás, poucas pessoas podiam ter acesso a estes recursos. Eram caros e suas tecnologias não eram capazes de comunicar as regiões mais remotas. Com o custo diminuindo e com a melhora na qualidade dos equipamentos, hoje em dia até um produtor rural usa um equipamento de comunicação remota para saber instantaneamente qual que é o grau de desenvolvimento de sua lavoura, a temperatura e umidade do solo, etc.

A comunicação de áreas remotas com uma central de captação de informações é o princípio básico de funcionamento da transmissão via telemetria. Os tópicos abordados neste artigo pretendem ilustrar um pouco mais este sistema.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. O que é telemetria
   3. Por que usar telemetria
   4. O que compõem um sistema de telemetria
   5. Quais as redes de comunicação utilizadas
   6. Como funciona no Brasil
   7. Principais dificuldades
   8. Mercados potenciais
   9. Conclusões
Outros artigos deste autor

Comunicações via satélite

Redes de comunicação sem fio (Wireless)

Codificação de caracteres de arquivos ASCII

Como elaborar perguntas para listas de discussão

Vulnerabilidade e segurança no Linux

Leitura recomendada

Montando um roteador com o floppyFW

Conectando Ajato com Linux

Experiencias de um viajante - binômio sidux/Ceni novamente destaque

Aplicações remotas: um exemplo com o Octave

Network Mapper - Nmap

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 26/11/2004 - 14:40h

Fala Dornelles,

Já ouviu falar na tecnologia bluetooth? Creio que ela também pode ser considerada dentro de "telemetria". Muitos apostam todas as suas fichas nessa tecnologia. Na informática ela já tem sido aplicada em diversos aparelho, como por exemplo, hubs, switches, roteadores, PCs e celulares.

Por exemplo, você conecta um adaptador bluetooth (anteninha) na porta USB do seu micro e ao invés de usar o tradicional fio de par-trançado, as máquinas se comunicam através de bluetooth, que é algo semelhante à ondas de rádio, porém mais veloz.

Comprei um celular com suporte a bluetooth e uma anteninha pra porta USB. Estou fazendo umas experiências por aqui com meu Linux. Compilei o kernel com suporte a blueZ, instalei o pacote bluez-utils e boa, tiro foto e envio pro computador como se estivesse sincronizando um palm, show de bola. O rhythmbox, dentre outras coisas um player de MP3, possui um plugin para bluetooth onde você pode controlar a playlist a partir do celular. Muito louco! Ainda vou tentar fazer isso funcionar e se tudo der certo escrevo um artigo sobre o assunto.

Num futuro não muito distante, até os interruptores de luz terão dispositivos bluetooth e você, a partir de um controle remoto central, poderá controlar as luzes da casa, a temperatura da geladeira, se comunicar com o computador, abrir a porta. Enfim, botem a cuca pra funcionar e imagem as possibilidades! :)

Se alguém tiver algo a acrescentar, fique à vontade.

[]'s

[2] Comentário enviado por curicica em 29/06/2009 - 12:37h

A concessionária de energia elétrica vem substituindo na minha cidade (Niterói) os antigos medidores por um sistema de telemetria composto por um medidor telemétrico dentro de uma caixa retangular no alto do poste de transmissão de energia ligado por fibra ótica ao transformador de baixa tensão e ainda acoplado por um fio que vai dessa caixa até um aparelhinho (caixinha com 3 botões, um para cada fase) com tela de acompanhamento para simples verificação do morador, do consumo que está sendo transmitido.
A minha residência já está com o novo dispositivo de medição instalado e minha preocupação é saber se essa tecnologia é segura, pois já existe até uma comissão de inquérito da câmara de vereadores para apurar as inúmeras reclamações de consumidores apontando uma série de irregularidades verificadas.
Já soube que o sistema pode ser afetado por outros tipos de transmissão, inclusive por frequência de radio amador entre outros. Poderiam me responder:
Há realmente essa possibilidade? Aonde é feita a medição desse sistema? O mostrador digital que ficou no lugar do medidor substituído é só de acompanhamento não tendo nenhuma influência na medição? Aonde está ou estão os sensores da medição transmitida ou ainda se realmente são sensores? O consumo será medido individualmente de uma central ou ainda será por funcionário que vai a cada residência para medir? Pergunto isso pois nem todas as residências ligadas ao mesmo transformador que serve a minha resiência dispõem do novo sistema, assim me parece que ainda não dá para fazer a leitura individualizada a distância não é? Se os sensores entrarem em pane (um ou mais sensores) a transmissão do consumo de cada fase (minha instalação é trifásica) ficará prejudicada e neste caso como é detectada e como será cobrada a conta de consumo)?
Por favor gostaria de ter essas respostas ou mais explicações para futura reclamação.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts