Software Livre e Matemática Financeira

Uma análise dos custos de implantação de software livre versus software proprietário por uma visão econômica. Vamos à alguns fatos!

[ Hits: 37.810 ]

Por: Glaydson em 06/06/2005


Matemática Financeira Aplicada



As licenças do Windows XP e do Microsoft Office em balcão custam respectivamente R$ 1.000,00 e R$ 1.700,00. Para empresas é possível comprar as licenças OEM com um redução de cerca de 40%, ou seja, R$ 600,00 e R$ 1.000,00. Imaginando uma empresa com apenas 10 micros, seriam necessários a aquisição de R$ 16.000,00 em produtos da Microsoft, sem levar em conta custos com banco de dados, antivírus e sistemas, por exemplo.

Para efeito de cálculo, imaginemos que esta compra seja realizada no dia 01 de Janeiro. No ano de 2005 a previsão de inflação (IPCA) é de 7% e a taxa de juros básica é de cerca de 19%. Um juro real pela taxa básica de 12%. Uma empresa poderia aplicar em taxas mais atrativas. Para efeito de cálculo podemos utilizar um taxa bem modesta de 15% ao ano.

R$ 16.000,00 x 15% = R$ 2.400,00

O que são os R$ 2.400,00? É o custo para empresa por imobilizar R$ 16.000,00 em software proprietário durante um ano. O que acontece é que este dinheiro continua imobilizado ano a ano. No segundo ano seria feito o seguinte cálculo (mantendo a economia em mesmo estado):

R$ 16.000,00 + R$ 2.400,00 = R$ 18.400,00 x 15% = R$ 2.760,00

E assim por diante utilizando juros compostos.

Em primeiro momento não parece muito, mas juros sobre juros a partir de alguns anos começam a fazer diferença.

Ano 01 R$ R$ 16.000,00 R$ 2.400,00
Ano 02 R$ R$ 18.400,00 R$ 2.760,00
Ano 03 R$ R$ 21.160,00 R$ 3.174,00
Ano 04 R$ R$ 21.160,00 R$ 3.650,00

No final do quarto ano teríamos R$ 16.000,00 gastos com a compra das licenças mais cerca de R$ 12.000,00 como custo de capital, afinal o dinheiro da empresa ficou parado. São R$ 28.000,00 em apenas quatro anos, para apenas 10 micros.

Neste momento talvez fosse necessário um upgrade nas licenças para novas versões e aí vão se acumulando dinheiro aplicado e juros comerciais perdidos pela empresa.

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Fundamentos de Economia
   3. Matemática Financeira Aplicada
   4. E o Software Livre?
   5. Conclusão
Outros artigos deste autor

Organizando fotos de camêra digital

Leitura recomendada

Vivência: PC com Kurumin no Carrefour, minutos curiosos

Compactação de Arquivos

Ovos de Páscoa no GNU/Linux

Trinity Rescue Kit - Poderosa distribuição Linux para recuperação de disco entre outras funções fantásticas!

Colocando ícones no menu do Fluxbox

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 06/06/2005 - 07:39h

Dentre os artigos que se propõem a nos fornecer argumentos em prol da adoção do Linux, sem dúvidas esse é um dos melhores que já apareceram por aqui. Meus parabéns Glaydson!

+ Favoritos

[]'s,
Fábio

[2] Comentário enviado por engos em 06/06/2005 - 10:52h

Quem me conhece sabe que é difícil me agradar e sempre coloco críticas, onde alguns usam para amadurecer e outros pra reclamar... Bem, cada um é cada um...

Esse é um dos poucos artigos que impressionam na clareza de detalhes e abrange um assunto muito discutido, mas jamais explicado, nem mesmo comentado sobre esses detalhes, os quais obviamente você simplificou, o que tornou ainda mais admirável o trabalho, pois conseguiu fazer isso deixando claro e objetivo, sem perder conteúdo.

Parabéns, um dos melhores artigos que já li aqui. Com tantos artigos "nota 10" aqui, o seu deveria merecer um 11!

[]s

[3] Comentário enviado por Zorzo em 06/06/2005 - 19:01h

Quando falou em "monografia de MBA" pensei em ler apenas a conclusão. Porém, percebi que com simplicidade e concisão, o artigo demonstra quanto dinheiro é "perdido", simplesmente pelo fato de que muitos profissionais da área de TI preferem "deixar como está". Acreidto que propositadamente, para não deixar o artigo extenso, você não detalhou sobre os ganhos em performance e estabilidade que serão alcançados com as mudanças para o software livre.

Parabéns Glaydson

[4] Comentário enviado por agente100gelo em 06/06/2005 - 19:37h

Obrigado pelos elogios.

Quando tiver aprovado o texto final, publico aqui o link para download. Como a monografia foi feita para usuários leigos tem muita apresentação do Linux que não cabe aqui ;) Lá tem mais cálculos com vários cenários.

[5] Comentário enviado por goss em 06/06/2005 - 20:44h

Concordo com o glaydson que o pior inimigo do software livre é o comodismo, trabalho como estagiário na prefeitura da minha cidade, e como temos um laboratório de informática propus a inplementação do linux no mesmo, com argumentos de que era livre, diminuiria os custos colocaria quem nunca tinha visto um pc na frente a conhecer de cara uma nova tecnologia e conhecimento, mas o rapaz que da suporte a prefeitura não concordou visando é claro as possiveis visitas que não seriam necessarias depois da implementação da rede linux e é claro o dinheiro que não iria ganhar com isso, ja que não sabia nem oq era slackware.É duro querer impor uma doutrina livre num mundo inteiramente capitalista.

[6] Comentário enviado por hra em 07/06/2005 - 09:12h

Este artigo é uma poderosa ferramenta de argumentação a apresentar nas empresas que já tenham alguma inclinação ao software livre.
---
Seria muito bom se os "jornalistas" que custumam criticar o software livre tomassem conhecimento desse tipo de informação, pois com isso seria dificil publicar numa revista que o software livre é ruim para o pais.


[7] Comentário enviado por agente100gelo em 07/06/2005 - 16:10h

Goss,

O que coloquei foi UM argumento capitalista. Existem outros argumentos monetários a favor do Software Livre. Vamos ser honestos: ninguém vai colocar Linux em empresa pela filosofia. Tendo base, argumentação, você pode provar que em determinadas possibilidades é possível sim a implantação de Software Livre também em desktops. Existem casos onde não é possível (não se pode cair na mesma cegueira daqueles que são contra Software Livre apenas por ser). Nós que gostamos do Linux não podemos ser xiitas, precisamos argumentar financeiramente e isto inclui os ganhos com produtividade e segurança que determinadas ferramentas livres permitem (que não citei).

[]s

Glaydson

[8] Comentário enviado por removido em 08/06/2005 - 01:06h

Belo artigo!

[9] Comentário enviado por rubemz em 08/06/2005 - 09:14h

Muito bom este artigo. Foi o primeiro que me induziu a fazer um comentário. Ficou incrivelmente evidente como as empresas e usuários domésticos economizam instalando softwares livre em suas máquinas.
Muito obrigado pelo esclarecimeto!

[10] Comentário enviado por goss em 08/06/2005 - 10:46h

Volto a concordar com vc Glaydson, mas outra coisa que tambem afeta muito muito, muito não quase que totalmente é a questão da pirataria, mesmo quem trabalha ou estuda em informática usa software pirata, tenho eu como exemplo, antes sempre usava windons pirata, nunca soube de alguem que tivesse um windons lisenciado a não ser empresa, os meus amigos mesmo do curso, dizem que "Se tem windons por que aprender linux?" ou pior ainda " Pra que linux se eu tenho o XP pirata la em casa e que funciona tudo?".
Por isso é bem dificil mesmo essa questão pois se os próprios profissionais de tecnologia não tem interesse em aprender coisas novas imaginem as pessoas comuns que usan o word e olhe lá. Mas estamos indo de pouco em pouco sem ser extremista como vc mesmo disse.

A ja ia esquecendo, otimo artigo o seu, parabens e um abraço.


[11] Comentário enviado por goss em 08/06/2005 - 10:53h

Volto a concordar com vc Glaydson, outra coisa que tambem afeta muito , muito não quase que totalmente é a questão da pirataria, mesmo quase todos que trabalham ou estudam com informática usa ou já usou software pirata, tenho eu como exemplo, antes de usar linux sempre usava windons pirata, nunca soube de alguem que tivesse um windons lisenciado a não ser de alguma empresa, os meus amigos do curso de Análise de Sistemas quase todos usam windows e dizem que "Se tem windons por que aprender linux?" ou pior ainda " Pra que linux se eu tenho o XP pirata la em casa e que funciona tudo?".
Por isso é bem dificil mesmo essa questão pois se os próprios profissionais de tecnologia não tem interesse em aprender coisas novas imaginem as pessoas comuns que usan o word e olhe lá. Mas estamos indo de pouco em pouco sem ser extremista como vc mesmo disse,mostrando que não é só uma questão de dinheiro e sim de oportunidade de conhecimento.

A ja ia esquecendo, otimo artigo o seu, parabens e um abraço.


[12] Comentário enviado por poleto em 08/06/2005 - 15:50h

O artigo é bem interessante, porém, se me permite uma crítica (no sentido construtivo) achei que o cenário descrevendo a adoção de SL poderia ser detalhada como foi a utilizada para o software proprietário.
Se for utilizada o cenário para a adoção do SL daquela forma, vai soar um pouco xiita (sem ofensas aos companheiros do site e ao autor do artigo, por favor), pois vamos dar detalhes quando ao SP e para o SL simplesmente vamos falar que "é melhor, não dá problema, é mais barato" e acho que a coisa não funciona por aí.

Sucesso, e parabéns pelo artigo, pois está bem interessante.

[13] Comentário enviado por agente100gelo em 09/06/2005 - 09:30h

Poleto,

Você tem razão. O que o artigo propõe é mostrar um dado que é nem sempre é analisado pelas empresa: Custo de Capital. Existem diversas variáveis prós e contras que dependem do perfil da empresa. Na monografia (cerca de 60 páginas) tá mais explicado do que este pequeno artigo. No caso citei implicitamente um custo "contra" o SL que é o custo de necessidade de treinamento.

Pena que o meu orientador tá viajando e não liberou a versão final. Na monografia completa a análise tá melhor ;)

O que também quero colocar, é a falta da análise e o comodismo da gestão de TI das empresas.

[14] Comentário enviado por poleto em 13/06/2005 - 17:04h

agente100gelo,

Por favor, assim que a monografia estiver disponível, coloque-a disponível para a comunidade. O assunto realmente é interessante, e é um assunto que sempre debato com amigos - SL X SP - e uma análise mais profunda, com base em dados reais e fundamentos econômicos pode ajudar e muito.

[15] Comentário enviado por escovadordebit em 02/10/2005 - 20:20h

Gente, sou um dos maiores defensores do SL. Porém tenho que visualizar as coisas de um modo mais abrangente. Grande parte das empresas hoje busca a terceirização de serviços e neste setor o Linux (infelizmente) ainda é muito fraco. A empresa onde trabalho iniciava um projeto onde haveria necessiade de um SO com Kernel disponível para aplicações de tempo real. Iniciaram o trabalho com Linux, mas devido á falta de suporte na àrea, migraram para Win CE. O próprio desenvolvedor do sistema me disse que havia chegado muito mais longe com o Win em um espaço de tempo muito menor (isso também é custo). Veja que estou fazendo uma crítica contrutiva, pois acho que é neste quesito que temos que melhorar. Tente uma solução de streaming de vídeo e outa vez existem muitas soluções disponíveis ,mas quem você contrata para manter o serviço no ar e configura-lo? Este é o problema atual. Suporte. Outro problema são as licenças de outros aplicativos que ja estão comprados e que muitas vezes não estão portados para Linux. Pelo que percebo na empresa que trabalho os números não são analizados apenas sob a ótica monetária e sim de manter o serviço funcionando.

[16] Comentário enviado por gsi.vinicius em 13/03/2006 - 12:36h

nossa....artigo mto bom...se a maioria dos empresários soubessem disso teríamos muito mais empresas rodando o tux e seus semelhantes...bom!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts