Segurança em seu Linux (parte 2)

Continuação do primeiro artigo sobre segurança em seu Linux, porém nessa parte será estudado fork bomb, prevenção contra fork bomb e algumas outras técnicas.

[ Hits: 34.688 ]

Por: Leonardo Damasceno em 16/03/2010 | Blog: https://techcraic.wordpress.com


Utilizando HPING3



O HPING foi um software que abriu várias portas para os testes de vulnerabilidades e também para a invasão feita por estudiosos mal intencionados. Porém como tudo que vem para o bem, tem o seu lado para o mal, que é visto pelos olhos de quem deseja isso, não podemos fazer nada. Porém podemos usufruir deste software, explorando ele e utilizando para o nosso estudo.

Vamos utilizar o HPING3 para enviar pacotes SYN Flood para um site e ver se realmente funcionou. Bem, na verdade pretendemos enviar tantos pacotes SYNFlood para o servidor que hospeda a página web, que ele não vai aguentar e provavelmente irá "cair".

Antes de mais nada, vamos entender o que seria o SYN Flood.

É uma forma de DoS (Deny of service), onde o atacante envia vários pacotes SYN, fazendo requisições ao servidor-alvo, causando uma sobrecarga na camada de transporte.

Bem, se você quer se aprofundar mais neste assunto, sugiro a leitura do wiki sobre SYN Flood.

Para instalar o HPING no Debian GNU/Linux faça:

# apt-get -y --force-yes install hping3

Vamos utilizar o HPING e ver a saída:

# hping3 --flood --syn -c 10000 -a 10.50.81.78 -p 80 10.50.81.56
HPING 10.50.81.56 (eth0 10.50.81.56): S set, 40 headers + 0 data bytes
hping in flood mode, no replies will be shown

Bem, veja abaixo o que o mesmo causou:
Linux: Segurança em seu Linux 2
Nessa imagem você pode notar que o servidor de teste que foi atacado simplesmente "travou" com o envio de pacotes em forma de "flood".

Agora, veja depois de parar o HPing, como tudo voltou ao normal:
Linux: Segurança em seu Linux 2
Existem várias opções para utilizar o HPing3, então basta estudar um pouco e testar.

A solução

Se você utiliza iptables, basta adicionar essas linhas no seu firewall:

# iptables -A FORWARD -p tcp --syn -m limit --limit 10/s -j ACCEPT
# iptables -A FORWARD -p tcp --syn -j DROP


Com isso, o seu servidor vai limitar 10 pacotes SYN Flood por segundo, então um atacante não poderá enviar, 10 mil, ou mil ou uma quantidade alta, para que seu servidor fique enviando respostas (ACK) para cada requisição feita.

Mais sobre isso, você pode encontrar em uma das referências deste artigo, neste link.

Conclusão

Neste artigo vimos uma continuação de segurança no ambiente GNU/Linux.

Não ache que apenas o Windows tem falhas, pois nenhum sistema operacional é perfeito, até porque, se fosse, qual seria a graça?

O foco deste artigo (como foi visto) é o teste, explorando vulnerabilidades para que assim possamos entender como funciona e então criar uma proteção para a nossa rede. Fiz vários testes em faculdade, trabalho, casa, e em outros locais, e simplesmente a quantidade de vulnerabilidades encontradas foi imensa.

Para quem quer ser um "pentester", ou do inglês quem faz "penetration test", já existe a nova versão do BackTrack (versão 4 Final). Ele vem com várias ferramentas para a exploração de vulnerabilidades. E para mim, o melhor foi saber que o BackTrack agora está baseado no Debian.

Até a próxima. :)

Fontes:
Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução aos softwares
   2. Utilizando Fork Bomb
   3. Utilizando HPING3
Outros artigos deste autor

Qmail: simples e funcional

Instalando o WebHTB

Segurança com iptables

Servidor de log no Debian com Syslog-ng

Desmistificando o GNU/Linux

Leitura recomendada

KNOCK + SSH

wlmproxy - um proxy superior

OpenBSD IDS - Solução Snort e BASE

NTop - Configurações gerais

Gerenciando logs do Linux pela WEB com o PHPSYSLOG-NG (parte 1)

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 26/03/2010 - 15:24h

A montagem do artigo foi ótima. A melhor maneira de nos defendermos de um atual ataque é sabendo como eles funcionam de antemão. Alguns usuários tradicionais talvez achem um absurdo ensinar técnicas de invasão, mas a verdade é que somente aprendendo-as é possível defender-se de forma mais eficiente.

Isso sem contar que a melhor maneira de conscientizar o usuário de que, sim, o Linux, apesar de mais seguro, pode ser invadido se usado inadvertidamente, é demonstrando como isso pode ocorrer. Parabéns pelo artigo, que tem conhecimento e dicas valiosas.

[2] Comentário enviado por removido em 15/01/2012 - 00:15h

Uma coisa eu não entendi, se o ping é direto no servidor porque a regra é usada foi forward é não input?! o.õ

[3] Comentário enviado por removido em 04/07/2015 - 03:28h

Quais valores no limits.conf são bons prá se colocar sendo no caso um simples desktop?
--
http://s.glbimg.com/po/tt/f/original/2011/10/20/a97264_w8.jpg

Encryption works. Properly implemented strong crypto systems are one of the few things that you can rely on. Unfortunately, endpoint security is so terrifically weak that NSA can frequently find ways around it. — Edward Snowden


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts