Mono e C# (parte 2)

Este artigo faz parte de uma série de artigos sobre Mono e C# e visa mostrar as várias características destas duas tecnologias e como usar o Mono sobre o Linux.

[ Hits: 33.504 ]

Por: Gilzamir Ferreira Gomes em 07/04/2005


C# e tipos de dados



Tipos de dados


C# suporta duas espécies de tipos: tipos valor e tipos referência. Os tipos valor incluem os tipos simples (exemplo: char, int e float), enumerações (enum) e estruturas (struct). Tipos referência incluem tipos classes, tipos delegates e tipos array.

Diferença entre tipos valor e tipos referência: variáveis do tipo valor contém diretamente seus próprios dados, enquanto variáveis do tipo referência contém referências para objetos. É possível que duas variáveis do tipo referência apontem para um mesmo objeto. Isso significa que operações sobre uma variável afetam objetos referenciados por outras variáveis. Variáveis do tipo valor cada uma tem suas própria cópias do dado, evitando dessa forma que operações numa variável alterem os dados doutra.

O exemplo:

using System;
class Class1
{  
   public int Value = 0;  
}  
class Test  
{  
   static void Main() {  
      int val1 = 0;  
      int val2 = val1;  
      val2 = 123;  
      Class1 ref1 = new Class1();  
      Class1 ref2 = ref1;  
      ref2.Value = 123;  
      Console.WriteLine("Values: {0}, {1}", val1, val2);  
      Console.WriteLine("Refs: {0}, {1}", ref1.Value, ref2.Value);  
   }  
}  

Mostra esta diferença. A saída produzida é:

Values: 0, 123
Refs: 123, 12

A atribuição para a variável local val1 não altera a variável local val2 porque ambas as variáveis locais são de um tipo valor (o tipo int) e cada variável deste tipo possui sua própria área de armazenamento. Desenvolvedores podem definir novos tipos através de declarações enum e struct e podem definir novos tipos referência por meio de declarações de classes, delegates e interfaces.

Exemplo de declarações de novos tipos:

using System;
public enum Color  {  
   Red, Blue, Green  
}  
public struct Point  
{  
   public int x, y;  
}  
public interface IBase  
{  
   void F();  
}  
public interface IDerived: IBase  
{  
   void G();  
}  
public class A  
{  
   protected virtual void H() {  
      Console.WriteLine("A.H");  
   }  
}  
public class B: A, IDerived  
{  
   public void F() {  
      Console.WriteLine("B.F, implementation of IDerived.F");  
   }  
   public void G() {  
      Console.WriteLine("B.G, implementation of IDerived.G");  
   }  
   override protected void H() {  
      Console.WriteLine("B.H, override of A.H");  
   }  
}  
public delegate void EmptyDelegate();

Vou relembrar o caro leitor sobre como utilizar o runtime Mono e o compilador C# do projeto Mono (mas isso já foi explicado na parte I):

Ferramentas Mono


Junto com o Mono, podemos fazer uso de algumas ferramentas. Temos o runtime, que executa aplicações Mono ou aplicações .NET exportadas para o Mono. Podemos utilizar o runtime de duas formas:

1) utilizando o comando mono ou
2) utilizando o comando mint.

Qual a diferença? O comando mint simplesmente interpreta o código, funcionando como um simples interpretador; enquanto o comando mono utiliza um mecanismo avançado para a geração de código nativo, aumentando o tempo de execução ao longo de várias chamadas de execução de uma aplicação. Junto com o Mono, podemos obter o compilador C# mcs ao instalarmos o pacote mono-devel.

Para compilarmos um programa escrito em C#, chamamos o comando mcs via linha de comando ou utilizamos uma IDE que faça todo o serviço para nós (Monodevelop, por exemplo). O comando mcs tem várias opções de linha de comando. No Linux, para obter mais informações sobre estas opções, utilize o manual do sistema. Por exemplo:

$ man mcs

Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Mono é independente de linguagem?
   2. C# e tipos de dados
   3. Tipos pré-definidos
   4. Continuação...
Outros artigos deste autor

Ser livre, mas manter padrões

Mono - Por que usá-lo?

C - Include e Makefile

Mono e C# (parte 1)

Leitura recomendada

Criando um álbum de fotos no Linux

FOG Project - Configurando meu primeiro servidor de imagens

O programa INIT

Uma abordagem ao eGroupware como solução para agendamento

Aplicativos do Windows que já tiveram suporte no Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por removido em 07/04/2005 - 06:48h

OPa!,

Já foi pros meus favoritos aqui do vol ...

Parabens cara!

--
abs
guinet gmail com


Contribuir com comentário