KRPMBuilder - Criação fácil de RPMs

A instalação de programas a partir da fonte é sempre trabalhosa, mas quando não existem ainda pacotes RPM disponíveis para a nossa distro, é a única forma de testarmos um novo software. O KRPMBuilder torna o processo de criar RPMs muito simples e ao alcance de qualquer usuário capaz de de instalar programas a partir do "source".

[ Hits: 11.011 ]

Por: Paulino Ascenção em 14/05/2006


Construir um pacote RPM em quatro passos:



A página do projeto é:
Os usuários SuSE podem obter um RPM compatível em:
A versão atual é a 1.2.

O KRPMBuilder começa por pedir-nos informações básicas sobre o pacote a construir que ele vai utilizar para o arquivo spec. Vou ilustrar os exemplos assumindo a construção de um RPM para o gtk-2.8.9.tar.gz.

Um passo prévio é copiar o código fonte para o diretório /usr/src/packages/SOURCES:

$ cp gtk-2.8.9.tar.gz /usr/src/packages/SOURCES/gtk-2.8.9.tar.gz

Vamos abrir o KRPMBuilder e fornecer as informações necessárias. Na primeira janela indicamos:
  • Nome do projeto: - o nome exato do código fonte, sem a versão nem extensões. ex: gtk;
  • Versão: - A versão do código fonte. ex: 2.8.9;
  • Release: - A nossa versão do RPM a criar. Para a primeira - 0;
  • Licença: - A licença sob a qual é distribuído o software (escolher entre as opções oferecidas);
  • Empacotador: - O nosso nome ou nickname;
  • Source file: No nosso exemplo, gtk-2.8.9.tar.gz. É aconselhável manter os dados apresentados como default para este campo e corrigir apenas a extensão do arquivo, conforme o caso para .gz ou .bz2.

Concluído o primeiro passo, no segunda janela vamos indicar:
  • Distribuição: A distribuição a que se destina o pacote - a sua;
  • Grupo: Indicar a mais adequada, conforme as seções do seu gerenciador de pacotes. Ex: Sistema/Bibliotecas;
  • "Provides" / "Requires" - estes campos são preenchidos automaticamente - não precisa dizer nada;
  • Vendor: O distribuidor do pacote - a sua distro ou seu nome;
  • Sumário: - Uma breve descrição do pacote;
  • Descrição: - Uma descrição mais completa do pacote e suas funcionalidades.

Fica pronto o segundo passo, na terceira janela é solicitado:
  • "build-root": O diretório onde o arquivo .tar.gz vai ser descomprimido e compilado. É aconselhável manter o default;
  • Prefixo: Este campo serve para indicar um diretório para instalação do pacote diferente da definida no arquivo fonte;
  • "Configure-options": Opções a transmitir ao "configure" para compilação. Para ver as opções possíveis, precisa descompactar o arquivo fonte e no console executar:

    $ configure --help

    Use opções se estiver seguro do que está a fazer.

  • Processador: - Indicar a arquitetura da máquina - i586, ou i386, noarch, etc;
  • Pacote: Indicar se pretende criar apenas o pacote .rpm ou também o .source.rpm.

E está quase concluída a sua intervenção, só falta seguir para a janela seguinte e dar início à construção do RPM, clicando em "start".

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Construir um pacote RPM em quatro passos:
   2. Notas finais
Outros artigos deste autor

Terminais leves no SuSE (LTSP)

Leitura recomendada

Arduino - Crie o seu próprio robô ou sensores inteligentes

Filesystem do Nokia 6225 no Linux

Atualização para o Ubuntu 10.10

Funcionamento da memória virtual

Microsiga Protheus 8 Remote no Linux

  
Comentários
[1] Comentário enviado por m3ocs-d4rksun em 14/05/2006 - 17:19h

RPM?
Rotação por Minuto?
o que?
outro RPM?
Sistema de pacote...
hummm
não curto.. =]

[2] Comentário enviado por pa72 em 15/05/2006 - 05:54h

Para quem não pretende ser um geek (90% dos usuarios linux) é uma ferramenta formidavel para instalar / desinstalar software, e disponibilizar o pacote para outros usuarios da mesma distribuição, que assim podem instalar esse software sem terem de o compilar desde a source!

Combinado com o apt, para resolver automaticamente as dependencias, é muito útil.

[3] Comentário enviado por zezosc em 16/05/2006 - 01:46h

Incrivelmente, hoje vim ao VivaoLinux procurar com cirar rpm. E na capa já estava esse excelenta artigo.

Entretanto, não obtive total sucesso em usá-lo. Ocorreram os seguintes problemas:

- para copiar para /usr/src/RPM/SOURCES (uso Mandriva 2006) tem que ser como root (simples de resolver);
- "# Grupo: Indicar a mais adequada, conforme as seções do seu gerenciador de pacotes. Ex: Sistema/Bibliotecas;"
Não havia lista, mas aceitou preencher manualmente.

# "Provides" / "Requires" - estes campos são preenchidos automaticamente - não precisa dizer nada;
Não foram preenchidos automaticamente.

No restante, acho que está ótimo.

Parabéns pelo artigo.

Vlw.

[4] Comentário enviado por pa72 em 16/05/2006 - 07:43h

Tem duas opções: trabalha como root no KRPMBuilder (abre uma nova sessão do X para isso); ou muda o dono das pastas '/usr/src/packages' e '/var/tmp'.

Os valores 'requires' e 'provides' são preenchidos pelos scripts 'findprovides' 'findrequires' (ou algo parecido) que se encontram na directoria /usr/lib/rpm (no meu caso) - O problema pode ser de permissões, por voçê não estar a trabalhar como root.???

Ou se voçê não instalou atraves de um RPM para a sua distro, procure faze-lo.

[5] Comentário enviado por tigosm em 17/05/2006 - 20:54h

Esta é uma opção básica para os iniciantes, gostei deste artigo por ser simples de explicar...... Valew!

[6] Comentário enviado por zezosc em 18/05/2006 - 01:06h

Consegui criar RPMs usando o KRPMBuilder como root. Obrigado pela ajuda.

Vlw.


Contribuir com comentário