Instalar Minecraft, League of Legends e Fortnite no Linux

Instalação dos jogos Minecraft, League of Legends e Fortnite em sete distribuições Linux: Debian, Ubuntu, Arch Linux, Linux Mint, Manjaro, Fedora e OpenSUSE.

[ Hits: 4.706 ]

Por: Buckminster em 11/11/2021


Conclusões



O problema com os jogos no Linux são, basicamente, os drivers das placas de vídeo e o jogo em si, pois certas empresas não dão suporte ao Linux em questão de jogos.

Por outro lado, são várias distribuições Linux e para a maioria dos jogos você tem de ter um bom hardware (uma boa máquina, processador, placa de vídeo, etc) e uma boa velocidade de internet. Muitas vezes, mesmo após instalar o jogo ele não funciona de acordo, porém, isso é mais problema de hardware e de internet; e algumas configurações de redes e algumas configurações nos jogos.

Nas instalações feitas você tem a opção de, pelo Lutris, escolher se quer jogar ou instalar jogos pelo Lutris com o Wine embutido ou pelo Wine.

O Fortnite abre no notebook, mas na hora de jogar dá a mensagem de que tem um problema com a placa de vídeo que não tem o mínimo de requisitos necessários e o dispositivo gráfico não pode ser inicializado, ou seja, é uma GPU integrada (Intel HD 2000 e o mínimo exigido é a HD 4000) e tem uns 10 anos apesar do driver estar atualizado.

O LoL funcionou meia-boca no notebook (lento, desconectando), mas é por causa do hardware e da conexão. Tanto funcionou meia-boca que depois fui colocado numa tal de "Lista de baixa prioridade" para entrar numa partida porque o carinha lá (meu personagem ou sei lá como se chama aquilo) ficava parado e quando se movimentava era por quadros e daí eu já nem sabia mais onde ele estava.

No PC todos os jogos funcionaram a contento. Até joguei LoL, mas sempre morria logo de cara. Joguei o demo do Minecraft, pois o Minecraft é pago. O Fortnite ficava desconectando toda hora, pois a Epic Games não dá suporte para o Linux e tinha que ficar repetindo o processo de "burlar" o tal do Battleye.

Por enquanto, ainda é mais fácil compilar um kernel do que instalar um jogo no Linux. As duas são uma aventura, mas eu prefiro compilar um kernel.

No Arch Linux foi feito um particionamento manual com 4 partições, mas isso foi por causa do próprio processo de instalação do Arch que é do tempo do Ariri Pistola em que não existia interface gráfica. A instalação do Arch, neste sentido, sempre causa uma nostalgia, bem como o Slackware. Depois foi instalado o Gnome no Arch. Porém, eu não mudaria o Arch e o Slackware em nada. Para aprendizado em Linux não tem coisa melhor. Vai de cada um.

Não fiz a instalação dos jogos no Slackware porque isso é um capítulo à parte, talvez futuramente, mas acredito que os jogos funcionariam muito bem no Slack.

No openSUSE também teve particionamento manual, mas porque foi instalado num espaço vazio na outra metade do HD junto com o Arch. O particionamento do openSUSE foi somente no sentido de criar uma nova partição na metade do HD. Na instalação foi marcada a Função "Sistema Operacional" e a própria instalação criou as devidas partições /boot, raiz etc.

As outras instalações dos sistemas operacionais Linux foram com as configurações padrões

Sei que existem formas mais fáceis de instalar jogos em cada distribuição Linux, mas procurei fazer de uma forma abrangente e genérica para ficar de consulta para quem quiser entender todo o processo.

Todas as distribuições utilizadas se saíram bem na execução dos jogos. Não saberia dizer qual é a melhor. As diferenças estão na instalação, numa é um processo mais trabalhoso, noutra é menos trabalhoso, mas todas executaram os jogos a contento.

Por exemplo, entre o Arch e o Manjaro, as duas executaram bem os jogos, porém, o Arch requereu mais instalações de dependências, o que é óbvio.

Na instalação em si, o openSUSE e o Manjaro são mais automatizados para jogos, mas não posso dizer que são melhores para jogos.

Procurei focar o processo todo como se fosse um usuário com conhecimentos básicos instalando jogos e aprendendo na instalação, pesquisando etc.

Mas enfim, o problema de jogos no Linux, para eu, está bem claro: não é o Linux, são certas empresas que boicotam o Linux. Claro que aí vamos entrar numa outra questão: as empresas dão de graça para quem quiser, o jogo é delas, dispenderam tempo e dinheiro no desenvolvimento. Mas parece-me que estão perdendo um nicho de negócios ao desmerecer o Linux.

Página anterior    

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Minecraft no Debian, Ubuntu, Mint e derivados
   3. Minecraft no Arch, Manjaro e derivados
   4. Minecraft no OpenSUSE
   5. Minecraft no Fedora
   6. League Of Legends e Fortnite no Debian
   7. League Of Legends e Fortnite no Ubuntu e Mint
   8. League Of Legends e Fortnite no OpenSUSE
   9. League of Legends e Fortnite no Fedora
   10. League of Legends e Fortnite no Arch e no Manjaro
   11. Telas de instalação do Fortnite
   12. Conclusões
Outros artigos deste autor

Compilando o Squid3

Manual traduzido do Squid - Parte 3

Redes de Computadores · IPtables · Endereços IPs - Explicações básicas

Como um monte de letras de um código fonte transforma-se em voltagens?

Instalação do PostgreSQL, Apache2 e PHP8 no Debian Buster 10 e no Stretch 9

Leitura recomendada

VBA-M: "novo" emulador de Game Boy Advance para GNU/Linux

Desenvolvimento de jogos com Monogame e Monodevelop

Narrando sessões de RPG de mesa online usando droll e IRC

MSX: os bons tempos estão de volta II

Emulador Mednafen - Instalação e configuração

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 11/11/2021 - 20:02h

Baita artigo! O mais completo sobre o assunto que já vi.

[2] Comentário enviado por Buckminster em 16/11/2021 - 23:25h


[1] Comentário enviado por fabio em 11/11/2021 - 20:02h

Baita artigo! O mais completo sobre o assunto que já vi.


Obrigado, Fabio.

[3] Comentário enviado por Jodyfurt em 30/11/2021 - 04:34h


instalações de Wine, Lutris, dependências etc, que foram feitas para o League of Legends foram aproveitadas também para o Fortnite https://www.mybalancenow.kim/


Contribuir com comentário