Instalando Wine no Slackware 14.0

Nesse artigo, ensinarei como instalar o Wine no GNU/Linux Slackware 14.0. O Wine funciona como um emulador de programas, possibilitando que um programa ".exe" possa ser executado sob a plataforma do GNU/Linux. Lembrando que ele não emula o sistema operacional Windows, somente executa os programas feitos para ele. Então, vamos lá!

[ Hits: 18.499 ]

Por: Perfil removido em 01/11/2013


Requisitos para instalação



Para não haver erros relativos à dependências que não estejam instaladas, é necessário ter o seguinte sistema na sua máquina:
E vai ser necessário baixar os seguintes pacotes:
  • wine-1.5.26-x86_64-1sg.txz
  • Multilib

Para que alguns comandos rodem, é necessário o privilégio de usuário root. Para ganhar o privilégio, basta digitar no console:

su

Depois inserir a senha do root.
Linux: Instalando Wine no Slackware 14.0

O que cada pacote significa?

O Slackware 14.0 é um sistema operacional. Sistemas operacionais gerenciam o Hardware da sua máquina. Faz o gerenciamento da memória RAM, discos rígidos e outros periféricos.

Ou seja, define certos detalhes, como por exemplo, o tamanho dos blocos de memória que serão movidos entre o processador e a RAM, o tamanho dos endereços de memórias, etc.

Quando você clica em um arquivo ou executa ele no console, é o S.O que move as instruções que estão no disco rígido para a memória RAM, para depois, acionar os circuitos do processador, para que ele possa executar as instruções.

A maioria dos sistemas operacionais também provê uma interface gráfica com o usuário. No caso do Slackware, entre várias disponíveis, as mais usadas são a KDE e GNOME. Então, necessitamos dele para que nosso programa possa ser executado.

O pacote wine-1.5.26-x86_64-1sg.txz, contém o programa pré-compilado de forma compactada (usando o algoritmo de compilação do .txz), por isso da extensão .txz.

O que são pacotes pré-compilados? São pacotes que já foram compilados em algum computador e de acordo com a arquitetura dele (tipo de processador, se é 64 bits ou 32 bits, etc) e contém o código do programa em formato binário (formato que os circuitos que formam o processador entende).

A vantagem é o tempo, porque compilar um programa, dependendo do tamanho e da complexidade, pode durar horas e horas e muito espaço em disco; a desvantagem é que ele vai ficar milésimos de segundos mais lento (imperceptível ao nossos olhos), devido o computador que está rodando ele não ter a mesma arquitetura para o qual o programa foi compilado.

O Multilib é uma coleção de bibliotecas de sistema que provê seu sistema X86_64 executar programas de 32 bits e vice-versa. Daí o nome Multilib, ou seja, múltiplas bibliotecas, tanto de 32 bits como de 64 bits.

O que são bibliotecas de sistema? É uma coleção de arquivos que contém o código das funções, em formato binário, que são providas pelo sistema operacional. O multilib é necessária porque vários programas para o Windows ainda não tem versão de 64 bits.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Requisitos para instalação
   2. Obtendo os pacotes / Testando
Outros artigos deste autor

Monitorando processos no Linux com o Htop

Criar um Servidor TeamSpeak no Ubuntu Server

Software Livre X Microsoft

Particionamento GPT - Conceitos básicos

Instalando o Fedora Core 5 para iniciantes

Leitura recomendada

Fedora 12 - instalação e uso

Compartilhando músicas pela Web com o Amarok

XnView - Visualizador, conversor e organizador de fotos e gráficos

Implantando o Nagios em HTTP Seguro (HTTPS)

Compatibilizando as extensões do Firefox

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Osterno em 01/11/2013 - 07:54h

Meus parabéns. Gosto muito do Slackware, tanto que todos os dias , entro no http://slackware.osuosl.org/slackware64-current/ para saber se saiu alguma atualização e monto uma iso.

Abração e valeu.

Esqueçi de mencionar também, que é sagrado eu entrar aqui todos os dias no VOL.

[2] Comentário enviado por lcavalheiro em 01/11/2013 - 13:41h

Cara... Pra que baixar um pacote de terceiros se tem o SlackBuild do wine http://slackbuilds.org/repository/14.0/system/wine/)? Você habilitou o multilib de qualquer maneira, então bastaria usar o SlackBuild com as flags necessárias para compilar pacotes 32bits em um sistema 64bits (leia-se mais em http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Guia-pos-instalacao-do-Slackware/?pagina=4). Digo isso porque eu não confio em pacotes de terceiros, e o SlackBuild compila na sua própria máquina, aumentando o desempenho e tudo o mais. É claro, você terá que prover as dependências em 32bits (e foi por isso que o pacote de 64bits não funcionou em sua máquina, pois provavelmente você não atentou pra esse detalhe).

No mais, o artigo está ótimo. Meus parabéns!

[3] Comentário enviado por removido em 01/11/2013 - 17:26h

Hum...entendi sua crítica, realmente o slackbuild é uma maneira melhor de instalação. Porque pensei assim: já que o wine é um pacote txz não precisa criar um tgz, já que txz o pkgtool reconhece.E a função dos slacksbuilds é a criação de pacotes que o slackware entenda.Não é mesmo? Ou existe outras funções como instalação de dependencias?

Obrigado pelos parabéns!

[4] Comentário enviado por lcavalheiro em 01/11/2013 - 18:05h


[3] Comentário enviado por malkoongnu em 01/11/2013 - 17:26h:

Hum...entendi sua crítica, realmente o slackbuild é uma maneira melhor de instalação. Porque pensei assim: já que o wine é um pacote txz não precisa criar um tgz, já que txz o pkgtool reconhece.E a função dos slacksbuilds é a criação de pacotes que o slackware entenda.Não é mesmo? Ou existe outras funções como instalação de dependencias?

Obrigado pelos parabéns!


Não. O SlackBuilds (www.slackbuilds.org) é um repositório no qual se armazenam scripts de compilação e os sources. Existe até um programa que faz o download automático dos SlackBuilds, o sbopkg, mas ele não resolve dependências.

Quanto ao formato dos pacotes... .tgz é um formato mais antigo, enquanto .txz é mais novo, mas os dois são compatíveis com as versões mais novas do pkgtool. Você pode, com um tweakzinho bobo, usar o script SlackBuild para criar um .txz, mas não é necessário.

Mais uma vez, seu artigo está ótimo. O que eu fiz não foi uma crítica, está mais para um comentário de um purista ;-)

[5] Comentário enviado por removido em 01/11/2013 - 20:32h

Sim, digo crítica no bom sentido, amigo. Eu sei do que está falando, um verdadeiro slacker à moda antiga heheheh.
Na verdade tava precisando usar alguns programas no Windows para a faculdade. Aquele velho problema de compatibilidade, aqui na máquina que vai rodar a apresentação dos seminários só tem win instalado, ai to emulando para não ter que instalar ele, ou instalar alguma máquina virtual, por exemplo.
Você tem ótimos artigos também! Obrigado.

[6] Comentário enviado por removido em 01/11/2013 - 21:33h

Obrigado Osterno, também toda vez que posso entro aqui no VOL \o/

[7] Comentário enviado por lcavalheiro em 01/11/2013 - 22:58h


[5] Comentário enviado por malkoongnu em 01/11/2013 - 20:32h:

Sim, digo crítica no bom sentido, amigo. Eu sei do que está falando, um verdadeiro slacker à moda antiga heheheh.
Na verdade tava precisando usar alguns programas no Windows para a faculdade. Aquele velho problema de compatibilidade, aqui na máquina que vai rodar a apresentação dos seminários só tem win instalado, ai to emulando para não ter que instalar ele, ou instalar alguma máquina virtual, por exemplo.
Você tem ótimos artigos também! Obrigado.


Obrigado pelos elogios meu caro. Ultimamente eu tenho preferido a solução da máquina virtual. Se você tiver dual boot com Win 32bits, você pode usar o QEMU para rodar o Win 32bits instalado ;-)

[8] Comentário enviado por Wesley_Alves em 02/11/2013 - 15:30h

kj

[9] Comentário enviado por darkstarfire em 03/11/2013 - 12:56h

Eu costumo baixar o wine do proprio site do desenvolvedor http://sourceforge.net/projects/wine/files/Slackware%20Packages/
e uso para rodar o SCPI8 da Fiorilli (www.fiorilli.com.br/) Sistema de Contabilidade Publica e funciona tranquilo.

[10] Comentário enviado por removido em 04/11/2013 - 10:21h


[9] Comentário enviado por darkstarfire em 03/11/2013 - 12:56h:

Eu costumo baixar o wine do proprio site do desenvolvedor http://sourceforge.net/projects/wine/files/Slackware%20Packages/
e uso para rodar o SCPI8 da Fiorilli (www.fiorilli.com.br/) Sistema de Contabilidade Publica e funciona tranquilo.


Sim, no wine até hoje não tive nenhum problema para emular programas .exe

[11] Comentário enviado por xerxeslins em 12/11/2013 - 19:36h

Opa! Gostei!
Muito bom mesmo!

Será que você poderia criar um artigo sobre como instalar Steam no Slackware?

Abraço!

[12] Comentário enviado por removido em 13/11/2013 - 15:21h

Estou pensando em escrever sobre um emulador de redes, por exemplo o gns. Mas é um bom tema. Steam é aquela plataforma de jogos onde podemos jogar vários jogos diferentes? Games não é muito minha área.

[13] Comentário enviado por xerxeslins em 13/11/2013 - 17:14h


[12] Comentário enviado por malkoongnu em 13/11/2013 - 15:21h:

Estou pensando em escrever sobre um emulador de redes, por exemplo o gns. Mas é um bom tema. Steam é aquela plataforma de jogos onde podemos jogar vários jogos diferentes? Games não é muito minha área.


Sim, isso mesmo.
tudo bem :)
já vi que o lcavalheiro criou uma dica sobre isso e vai ser publicada em breve.
abs!

[14] Comentário enviado por lcavalheiro em 13/11/2013 - 17:15h


[13] Comentário enviado por xerxeslins em 13/11/2013 - 17:14h:


[12] Comentário enviado por malkoongnu em 13/11/2013 - 15:21h:

Estou pensando em escrever sobre um emulador de redes, por exemplo o gns. Mas é um bom tema. Steam é aquela plataforma de jogos onde podemos jogar vários jogos diferentes? Games não é muito minha área.

Sim, isso mesmo.
tudo bem :)
já vi que o lcavalheiro criou uma dica sobre isso e vai ser publicada em breve.
abs!


Na verdade, minha dica reza sobre o Steam for Linux. Eu nem me preocupei ainda com o Steam for Windows no meu Slack ;-)

[15] Comentário enviado por xerxeslins em 13/11/2013 - 23:53h


[14] Comentário enviado por lcavalheiro em 13/11/2013 - 17:15h:


[13] Comentário enviado por xerxeslins em 13/11/2013 - 17:14h:


[12] Comentário enviado por malkoongnu em 13/11/2013 - 15:21h:

Estou pensando em escrever sobre um emulador de redes, por exemplo o gns. Mas é um bom tema. Steam é aquela plataforma de jogos onde podemos jogar vários jogos diferentes? Games não é muito minha área.

Sim, isso mesmo.
tudo bem :)
já vi que o lcavalheiro criou uma dica sobre isso e vai ser publicada em breve.
abs!

Na verdade, minha dica reza sobre o Steam for Linux. Eu nem me preocupei ainda com o Steam for Windows no meu Slack ;-)


Sim eu estava me referindo ao Steam for Linux mesmo. Usando sua dica, instalei Steam, valeu :D

[16] Comentário enviado por removido em 20/11/2013 - 16:39h

lcavalheiro, vi que participa do projeto slint. Um projeto super interessante por sinal. Poderia me dar umas dicas sobre como participar e mais detalhes?
Obrigado!

[17] Comentário enviado por removido em 06/12/2014 - 01:24h

Uma dica: para quem tiver o 14.1 são os mesmos passos, só baixe uma versão mais atualizada do wine e quando for baixar a multilib mude a versão para 14.1.
=)

[18] Comentário enviado por removido em 20/12/2014 - 20:54h

Sobre a multilib: os arquivos que estão no diretório /14.0/ são relativos a versão modificada 32 bit da biblioteca glibc e tb a parte 32 bit do gcc.
Já os arquivos que estão no diretório slackware64-compat32/*-compat32 são os programas que possuem versão de compatibilidade multilib, ou seja,
32 bits que rodam em sistemas 64.

[19] Comentário enviado por removido em 12/01/2015 - 23:52h

Errata:

corrigindo o artigo - na verdade o Wine não é um emulador, no sentido mais real da palavra ele seria um tradutor. veja o que diz o site oficial: https://www.winehq.org/about/

"O WINE atua, então, algo como um "tradutor": toda vez que ocorre uma chamada para a função desenha Cubo que estava implementada na DirectX.dll por exemplo, o Wine traduz esta chamada para uma de suas próprias bibliotecas em que alguém escreveu uma função similar para realizar exactamente o mesmo no sistema linu, desenhar um cubo na tela. "

Wine - Wine is not emulator.


Contribuir com comentário